Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Odontologia de Bauru
 
Fonoaudiologia
 
Disciplina: BAF0278 - Saúde Coletiva III - Saúde na Escola - Estágio Supervisionado
Community Health III - Health at School - Supervised Internship

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 60 h ( Estágio: 30 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2018 Desativação:

Objetivos
Levar o estudante de Fonoaudiologia a compreender a prática em promoção da aprendizagem e da saúde nas escolas de níveis infantil e fundamental. Refletir sobre o papel do profissional de saúde na Educação.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
382400 - Aline Roberta Aceituno da Costa
2501681 - Patricia Abreu Pinheiro Crenitte
 
Programa Resumido
Histórico da Fonoaudiologia Escolar. Organização e estrutura da Educação. Políticas públicas da Educação. Metodologias de ação. Inserção de políticas públicas da saúde na educação.
 
 
 
Programa
Histórico da Fonoaudiologia Escolar e sua inserção na política de promoção de saúde.
Fonoaudiologia Educacional: campo do saber especializado
Organização e estrutura da Educação.
Políticas Públicas da Educação.
Metodologias de ação.
Educação em saúde nas escolas com atuação conjunta e elaboração de projetos terapêuticos singulares.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Elaboração de relatórios escritos, seminários e protocolo de critérios do desempenho prático.
Aulas teóricas expositivas e dialogadas
Estudo de caso
Seminários
Aulas práticas em campo
Supervisão e acompanhamento das ações em campo
Critério
Relatórios escritos – 40%
Prova prática – 20%
Seminários – 30%
Auto conceito – 5%
Conceito do professor – 5%
Norma de Recuperação
A recuperação será aplicada aos alunos até a data estabelecida pelo calendário escolar dos cursos de graduação da USP, por meio de um estudo de caso sobre todo o conteúdo da disciplina.
 
Bibliografia
     
Bibliografia Básica: 1. Berberian AP, Angelis CCM, Massi G. Letramento: Referências em saúde e educação. São Paulo: Plexus, 2006 2. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção de Saúde/Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. 2ª ed – Brasília:Ministério da Saúde, 2010. 3. BRASIL, MEC Plano Nacional de Educação – Lei nº 10.172. Ministério da Educação, 2001. 4. BRASIL, MEC. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº 9394. Brasília, 1996. 5. BRASIL. Constituição Federal da República Federativa do Brasil. Brasília, 1998. Bibliografia Complementar: 1. Andrade, O.V.C.A, Andrade, PE, Capellini, S.A. Modelo de Resposta a Intervenção- como identificar e intervir com crianças de risco para os transtornos de aprendizagem. São José do Campos, SP. Ed. Pulso, 2014 2. BRASIL. Lei 11.274, 6 de fevereiro de 2006. Altera a redação dos arts. 29, 30, 32 e 87 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, dispondo sobre a duração de 9 (nove) anos para o ensino fundamental, com matrícula obrigatória a partir dos 6 (seis) anos de idade. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 7 de fev. 2006. Disponível em: www.senado.gov.br. 3. BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde na Escola. Acesso 2013 11 12. http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/visualizar_texto.cfm?idtxt=29109 . 4. BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde na escola. Acesso 2013 11 12. http://dab.saude.gov.br/portaldab/pse.php . 5. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde na escola / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2009. 6. Giovanella L et al (organizadores). Políticas de saúde no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2008. 7. Mattos RA, Baptista TWF. Caminhos para análise das políticas públicas. Rio de Janeiro:IMS/Fiocruz/FAPERJ, 2011. 8. Machado MAMP, Oliveira ACO, Chaves MC, Cham AV, Marcandal GG. Bullyng – machuca dentro e fora. Pró-Reitoria de Cultura e Extensão.USP, 36 p, 2012. 9. Machado MAMP, Pereira AFF, Spinardi ACP, Vitti SV. Considerações sobre a Fonoaudiologia na Educação infantil. In: Lamônica DAC. Estimulação da linguagem: aspectos teóricos e práticos. São Paulo: Pulso, 2008. 10. UNICEF. Declaração Mundial sobre Educação para Todos. Satisfação das Necessidades Básicas de Aprendizagem. Jomtiem, 1990. 11. Zorzi J. Falando e escrevendo. Curitiba: Editora Melo, 2010. 12. Nicolielo P, Gross C, Berretin Felix G, Machado MAPM. Fatores interferentes na alimentação de crianças de 17 a 25 meses de uma creche municipal. Revista CEFAC. Vol11(supl) p. 291-7, 2009. 13. RODRIGUES, S.D, AZONI, C.S, CIASCA, S.M. Transtornos do Desenvolvimento:da identificação precoce ás estratégias de intervenção. Ribeirão Preto. Book Toy. 2014. 14. Santos, M.T.M, Navas, A.L.G.P. Transtornos de Linguagem Escrita: teoria e prática. São Paulo. Ed. Manoele, 2016.
 

Clique para consultar os requisitos para BAF0278

Clique para consultar o oferecimento para BAF0278

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP