Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Odontologia de Bauru
 
Odontopediatria, Ortodontia e Saúde Coletiva
 
Disciplina: BAO0548 - Estágio Integrado em Clínica Médica
Integrated Clerckship in Internal Medicine

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 10
Carga Horária Total: 360 h ( Estágio: 300 h )
Tipo: Anual
Ativação: 01/01/2022 Desativação:

Objetivos
Desenvolver a capacidade de atender aos pacientes em condições ambulatoriais e em regime de internação em enfermarias, com enfoque no raciocínio clínico, desenvolvimento de hipóteses diagnósticas, identificação de sinais de gravidade, seleção e definição da sequência de investigação e indicação de exames complementares e formulação do plano terapêutico. Desenvolver senso de responsabilidade na relação aluno-paciente e treinar os preceitos de ética médica, profissionalismo e trabalho em equipe multidisciplinar no dia-a-dia.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3067417 - Carlos Antonio Negrato
 
Programa Resumido
Ao fim do estágio espera-se que o estudante tenha atingido as seguintes competências: Domínio Cognitivo: a) Discutir os conceitos de fisiopatologia das principais doenças e síndromes clínicas no paciente adulto e idoso; b) Possibilitar ao estudante aprender as noções básicas dos exames subsidiários necessários para o diagnóstico, induzindo–o a raciocinar a respeito das indicações, objetivos, relação custo-benefício e limitações dos exames disponíveis; c) Possibilitar ao aluno, no atendimento aos seus pacientes, utilizar as alternativas terapêuticas medicamentosas e não medicamentosas à sua disposição, analisando criticamente cada uma delas; d) Reconhecer a presença ou ausência de doenças que necessitem de investigação mais detalhada; Domínio Psicomotor: Ao fim do estágio espera-se que o estudante esteja habilitado a realizar os seguintes procedimentos técnicos: a) coleta de exames: sangue, urina, escarro, suco gástrico, fezes, etc.; b) passagem de cateteres; c) toracocentese e paracentese; d) como usar os dispositivos inalatórios; e) avaliação e orientação de Pé diabético; f) BLS; g) Insulinização. Domínio Afetivo: Desenvolver no aluno capacidade de: a) lidar com a ansiedade de seus pacientes; b) aceitar e lidar com ansiedade da família; c) valorizar as pressões psicológicas, sociais e econômicas no mecanismo de doença; d) explicar ao paciente e familiares diretos a doença ou ausência da mesma, a estratégia de investigação dos sinais e sintomas e proposta ou não de terapêutica indicada; e) trabalhar em equipe demonstrando respeito por todos os profissionais médicos e paramédicos.
 
 
 
Programa
Temas teóricos: Os temas teóricos serão abordados com aulas assíncronas e discussões de casos / situações a) hipertensão arterial sistêmica; b) diabetes mellitus e síndrome metabólica; c) insuficiência cardíaca; d) dispepsia; e) dor; f) asma e DPOC; g) cefaleias; h) hiper e hipotireoidismo; i) profilaxia de TVP/TEP; j) profilaxia de úlcera gástrica de estresse; k) distúrbios hidro-eletrolíticos; l) Anemias; m) distúrbios ácido-base; n) Diagnóstico por imagem em doenças torácicas; o) Diagnóstico por imagem em doenças abdominais; p) Diagnóstico por imagem em doenças dos membros; q) Diagnóstico por imagem em doenças do sistema nervoso. Estratégias e Cenários de Prática: A principal ferramenta envolvida no aprendizado do internato em clínica médica é o contato direto com o paciente nos diferentes níveis de atendimento. Neste estágio específico considerando o ambiente de enfermaria e ambulatório. É nesta interação médico-paciente que se desenvolvem as diferentes habilidades afetivas e psicomotoras que, complementada com os estudos e discussões, possibilitará o desenvolvimento das competências cognitivas correlatas. Para tanto cada grupo de 12 estudantes desenvolverá atividades durante 8 a 9 semanas com a seguinte estratégia - Manhã - Enfermaria de clinica médica com ciclos incluindo Hospital das Clínicas de Bauru, Hospital Estadual de Bauru, Hospital de Base de Bauru - 4 alunos por hospital a cada 3 semanas em ciclos - Na enfermaria o estudante terá pacientes sob sua responsabilidade com supervisão de preceptores e professores. As atividades incluem: a) Evolução dos pacientes com avaliação clínica e preenchimento do prontuário b) Discussão dos casos internados em visita com discussão dos casos e condutas c) Discussão dos exames e fluxos de investigação e conduta - Tarde - Atividades ambulatoriais incluindo: - Ambulatório Médico de Especialidades - 1 período por semana - Em ambulatórios de especialidades clínicas. - Ambulatórios no Instituto Lauro de Souza Lima - 1 período por semana - para avaliação de casos dermatológicos e oftalmológicos - Ambulatórios no HRAC / HC - 1 período por semana - para avaliação de casos otorrinolaringológicos - Unidade Básica de Saúde ou Ambulatório HC - 1 período por semana - para avaliação de casos de saúde do adulto em geral - Tarde - Atividades de Simulação Clínica no CECS para desenvolvimento dos principais procedimentos e cenários de simulação clínica Observações do Programa: 1 - No início do semestre letivo será disponibilizado para todos os estudantes, um manual com as regras específicas do estágio, incluindo potenciais adaptações e ajustes imediatos em elementos da presente ementa, bem como detalhamento das estratégias de avaliação quando aplicável. 2 - O estágio funciona em formato de rodízio, os grupos são definidos por critérios mistos de afinidade e integração realizados através de um sistema computacional. O estágio poderá ocorrer no 1º ou 2º semestre dependendo do grupo.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Serão incluídas na avaliação: - Prova Teórica (15%) - Avaliação conceitual pelos preceptores e docentes (30%) - OSCE (15%) - Porfolio de procedimentos (20%) - Atividades adicionais como trabalhos, discussões entre outros (20%). Na ausência destas atividades este percentual será distribuído entre a prova teórica e a avaliação conceitual em 10% cada.
Critério
Serão aprovados os estudantes que obtenham nota final igual ou superior a 5,0 sendo e que tenham frequência de ao menos 90% nas atividades práticas do estágio e 100% de frequência em plantões. Os plantões podem ser trocados em casos de necessidade, mas não podem haver faltas.
Norma de Recuperação
Terão direito à segunda avaliação (recuperação) os estudantes que obtiverem nota entre 3,0 e 4,9 e que tiverem obtido frequência mínima de 90% às atividades do estágio e 100% de frequência aos plantões. A definição da reposição de atividades práticas será definida conforme a avaliação do estudantes neste componente. Observação: Em caso de aplicação de Avaliação Independente - como teste do progresso ou outras estratégias interinstitucionais ou supradisciplinares, a nota obtida (em escala ajustada) comporá a NOTA FINAL da disciplina com peso de 10%. Neste caso esta informação deverá estar presente no manual da disciplina no INÍCIO do semestre letivo.
 
Bibliografia
     
Bibliografia Básica: AMATO NETO, V.; NICODEMO, A. C.; LOPES, H. V. Antibióticos na prática médica. 6. ed. São Paulo: Sarvier, 2007. 353 p. BENNETT, J. E.; DOLIN, R.; BLASER, M. J. Mandell, Douglas, and Bennett’s principles and practice of infectious diseases. 9. ed. Amsterdan: Elsevier, 2019. 2 v. BENSENOR, I.; ATTA, J. A.; MARTINS, M. de A. Semiologia clínica. São Paulo: Sarvier, 2002. 677 p. BENSENOR, I. et al. Medicina em ambulatório: diagnóstico e tratamento. São Paulo: Sarvier, 2006. 1211 p. BOLOGNIA, J. L.; SCHAFFER, J. V.; CERRONI, L. Dermatology. 4. ed. Amsterdam: Elsevier, 2017. 2 v. CLÍNICA médica: grandes temas na prática. Rio de Janeiro: Atheneu, 2010. 644 p. FITZPATRICK’S dermatology. 9. ed. New York: McGraw-Hill Education, 2019. 2 v. GRAHAM, A. S. et al. Videos in clinical medicine. Central venous catheterization. New England Journal of Medicine, Aberman, v. 356, n. 21, p. e21, May 2007. HARRISON’S principles of internal medicine. 20. ed. New York: McGraw-Hill Education, 2018. 2 v. KABRHEL, C. et al. Videos in clinical medicine. Orotracheal intubation. New England Journal of Medicine, Aberman, v. 356, n. 17, p. e15, Apr. 2007. MARTINS, M. A. et al. Clínica médica. 2. ed. São Paulo: Manole, 2016. 7 v. PAPADAKIS, M. A.; MCPHEE, S. J. Current medical diagnosis & treatment. 60. ed. New York: McGraw-Hill Education, 2020. 1984 p. RIVITTI, E. A. Dermatologia de Sampaio e Rivitti. 4. ed. São Paulo: Artes Médicas, 2018. 1648 p. ROOK’s textbook of dermatology. 9. ed. Hoboken: John Wiley-Blackwell, 2016. 4 v. SANTOS, I. de S. et al. Clínica médica: diagnóstico e tratamento. São Paulo: Sarvier, 2008. 1352 p. SICILIANO, R. F.; FOCCACIA, R. tratado de infectologia. 6. ed. São Paulo: Atheneu, 2020. 2 v. SORIANO, F. G.; NOGUEIRA, A. C. UTI - adulto: manual prático. São Paulo: Sarvier, 2010. 552 p. THOMSEN, T. W. et al. Viedos in clinical medicine. Paracentesis. New England Journal of Medicine, Aberman, v. 355, n. 19, p. e21, Nov. 2006. TIBÉRIO, I. de F. C.; BERNIK, M. M. S.; BENSENOR, I. M. Medicina em ambulatório. São Paulo: Sarvier, 2006. 1211 p.
 

Clique para consultar os requisitos para BAO0548

Clique para consultar o oferecimento para BAO0548

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP