Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Instituto de Relações Internacionais
 
Bacharelado em Relações Internacionais
 
Disciplina: BRI0087 - Questões de Relações Internacionais e Direitos Humanos
International Relations Issues and Human Rights

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 30 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2019 Desativação:

Objetivos
O desenvolvimento da disciplina se baseia em três fases diferentes onde os alunos conhecerão a estrutura institucional e organizacional da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania e seus principais problemas no cotidiano, a partir disso serão divididos em grupos de trabalho com mentores específicos a cada temática trabalhada e desenvolverão um projeto a fim de discutir o papel da internacionalização da pasta de direitos humanos na elaboração de políticas públicas transversais, envolvendo a cooperação entre a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, as outras secretarias municipais e atores internacionais.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3140023 - Felipe Pereira Loureiro
 
Programa Resumido
A disciplina volta-se para apresentação institucional da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania na Cidade de São Paulo, apresentando seus principais casos de sucesso e entraves para o desenvolvimento de novas políticas públicas que visem à garantia de direitos e promoção da dignidade da pessoa humana a nível municipal, fazendo uma ponte sobre o papel da internacionalização da pasta de direitos humanos na elaboração de políticas públicas transversais, envolvendo a cooperação entre a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, as outras secretarias municipais e atores internacionais.
 
 
 
Programa
1. Abertura da disciplina: apresentação, metodologia e instrumento de avaliação e resolução de case. 2. Dia a dia na Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania – Conquistas e Desafios: Departamentos de Políticas para Mulheres, LGBTI, Infância e Juventude, Imigrantes. População em Situação de Rua, Educação em Direitos Humanos, Igualdade Racial e Idosos. 3. Dinâmica de divisão de grupos e temáticas – Etapa inicial do trabalho final. 4. Mentoria: Delimitação do trabalho e direcionamento para resolução de problemas. 5. Arguição: Apresentação das ideias e proposta do projeto. 6. Desenvolvimento final 7. Apresentação final
 
 
 
Avaliação
     
Método
• Assistência (40%) Considera-se a presença em sala de aula, com respeito aos horários de início e término da aula, além da participação na interação e debate com o(s) convidado(s) em cada aula. • Trabalho Final (60%). Em grupo, envolvendo a produção de um projeto com enfoque em direitos humanos e cidadania que busque solucionar algum problema enfrentado ou complementar as ações da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania.
Critério
De acordo com o artigo 81 a 84 do Regimento Geral da USP.
Norma de Recuperação
Alunos com nota entre 3,0 e 4,9 e frequência mínima de 70% poderão participar da recuperação, se o docente optar por aplicar a segunda avaliação.
 
Bibliografia
     
VIGEVANI, Tullo. Problemas para a atividade internacional das unidades subnacionais: estados e municípios brasileiros. Rev. bras. Ci. Soc. [online]. 2006, vol.21, n.62, pp.127-139. ISSN 0102-6909. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69092006000300010. BRASIL. Estatuto do idoso, Brasília 2003. DUARTE, Y.A.O; NUNES, D.P.; CORONA, L.P,; LEBRÃO, M.L. Como estão sendo cuidados os idosos frágeis de São Paulo? A visão mostrada pelo estudo SABE (Saúde, Bem- Estar e Envelhecimento). In: Camarano AA, organizadora. Cuidados de longa duração para população idosa: um novo risco a ser assumido? Rio de Janeiro: Ipea;2010. IBGE Instituto Brasileiro de Geografia Estatística. Demográfica e socioeconômica. Síntese de Indicadores Sociais. Uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro,2010. NERI AL. Palavras-chave em Gerontologia. 2ª ed. Campinas: Alínea. 2005 ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE, OMS. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Brasília: Organização Pan- Americana de Saúde,2005. ANDRADE, Vitor Lopes. Desafios no atendimento, acolhida e integração local de imigrantes e Refugiados/as LGBTI. V. 2, N. 2 (2016). FELDMAN-BIANCO, Bela. Reinventando a Localidade: Globalização Heterogênea, Escala da Cidade e a Incorporação Desigual de Migrantes Transnacionais. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 15, n.31, p. 19-50, jan./jun. 2009. JUBILUT, L. L.; APOLINARIO, Silvia Menicucci de O. S. A necessidade de proteção internacional no âmbito da migração. Revista Direito GV, v. 6, n.1, 2010, p. 275-294. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rdgv/v6n1/13.pdf MAZZA, Débora; NORÕES, Katia (Org.). Educação e Migrações Internas e Internacionais: Um diálogo necessário. Jundiaí, Paco Editorial: 2016. MEZZADRA, Sandro. Multiplicação das fronteiras e práticas de mobilidade. REMHU - Rev. Interdiscip. Mobil. Hum., Brasília, Ano XXIII, n. 44, p. 11-30, jan./jun. 20. NINA Glick Schiller; AYSE CAGLAR (Org.). Locating Migration: Rescalling Cities and Migrants. Cornell University Press, 2010. SAYAD, Abdelmalek. A Imigração ou os paradoxos da alteridade. São Paulo: EDUSP, 1998. SAYAD, Abdelmalek. O retorno: elemento constitutivo da condição do imigrante. Revista 17 Travessia, ano XIII, número especial, jan/2000. 36p. IPEA. Migrantes, apátridas e refugiados: subsídios para o aperfeiçoamento de acesso a serviços, direitos e políticas públicas no Brasil. Brasília: Ipea; Ministério da Justiça. Série Pensando o Direito, n. 57. Disponível em: http://pensando.mj.gov.br/wp-content/uploads/2015/12/PoD_57_Liliana_web3.pdf IPPDH. Migrantes Regionais na Cidade de São Paulo – Direitos Sociais e Políticas Públicas. Disponível em: http://www.ippdh.mercosur.int/wp-content/uploads/2017/01/San-Pablo-web-final-PT-BR.pdf (2017) MIRANDA, Michele B., MACHADO, Jorge. Transversalidade na Prática em Política Pública: a implementação do Programa TransCidadania em São Paulo. In Pereira. D. (Ed.) Mudanças Sociais e Participação Política. Estudos e Ações Interdisciplinares. São Paulo: Annablume, 2017. ISBN 978-85-391-889-3 Prefeitura de São Paulo. Plano Municipal de Políticas para a População em Situação de Rua. São Paulo: Prefeitura de São Paulo, 2016. Disponível em: . Acesso em: 26 nov. 2018.
 

Clique para consultar os requisitos para BRI0087

Clique para consultar o oferecimento para BRI0087

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP