Informa??es da Disciplina

Júpiter - Sistema de Graduação

Escola de Comunicações e Artes
 
Artes Cênicas
 
Disciplina: CAC0565 - Teatro Brasileiro I
Brazilian Theater I

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 120 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 15 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2011 Desativação:

Objetivos
O estudo cronológico do desenvolvimento do Teatro Brasileiro, sob o ponto de vista estético e social, com a preocupação de unir este desenvolvimento à evolução do teatro universal.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
245000 - Elizabeth Ferreira Cardoso Ribeiro Azevedo
 
Programa Resumido
O estudo cronológico do desenvolvimento do Teatro Brasileiro quantos aos aspectos da dramaturgia e da encenação desde as primeiras manifestações do teatro jesuítico no século XVI até o marco que inaugura o moderno teatro brasileiro no século XX – Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues.
 
 
 
Programa
1. Apresentação do curso (história e teatro); organização das atividades;
A tradição Vicentina – (O auto da barca do inferno)
2. A invenção da América – as formas de representação indígenas, o teatro religioso de Anchieta. (A festa de S. Lourenço) e as manifestações coloniais (XVI – XVIII)
3. O romantismo e seus estilos no Brasil – Gonçalves de Magalhães (Antonio José ou o poeta e a inquisição), Gonçalves Dias. (Leonor de Mendonça), Álvares Azevedo e o fantástico (Macário)
4. Liberalismo e escravidão – Castro Alves (Gonzaga ou a revolução de Minas), Paulo Eiró (Sangue limpo) e Agrário de Menezes (Calabar)
5. Martins Pena e as raízes da tradição cômica (O juiz de paz da roça); a presença de João Caetano
6. O dualismo de José de Alencar (Mãe ou As asas de um anjo) e a afirmação da comédia de costumes. Manuel de Macedo (A torre em concurso) e França Junior (Como se fazia um deputado)
7. O elegante teatro de Machado de Assis (O caminho da porta) e o enciclopédico Qorpo Santo (Mateus e Mateusa)
8. Teatro e música popular no Brasil
9. Artur Azevedo (O Mambembe e/ou A capital federal) revista, opereta e burleta.
10. Naturalismo e Simbolismo no teatro brasileiro. Roberto Gomes (O jardim silencioso)
11. Renascimento da comédia de costumes: autores do Trianon e o esquema das grandes companhias
12. Modernistas cariocas: Álvaro Moreyra (Adão, Eva e outros membros da família) e Renato Viana (A última encarnação do Fausto)
13. Modernistas paulistas: Flávio de Carvalho (Bailado do deus morto) e Oswald de Andrade (O rei da vela)
14. Os amadores e a nova crítica (GTE, GUT, Comediantes), Alcântara Machado e Décio de Almeida Prado.
15. O impacto de Vestido de Noiva: dramaturgia e encenação

 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas, acompanhadas por leituras e fichamentos de dramaturgia e/ou textos teóricos.
Elaboração de ensaios temáticos a cargo dos alunos. Participação nas discussões em classe. Debates com especialistas, na medida do possível.
Critério
Participação nos debates, trabalhos escritos, assiduidade
Norma de Recuperação
Realização de prova ou trabalho
 
Bibliografia
     
AGUIAR, F. A comédia nacional no teatro de José de Alencar. São Paulo: Ática, 1984.
_________ . Os homens precários. Porto Alegre: A Nação/Inst. Estadual do Livro, 1975.
ARÊAS, V. Na tapera de Santa Cruz. São Paulo: Martins Fontes, 1987.
AZEVEDO, E. R. Um palco sob as arcadas: o teatro dos estudantes de Direito do Lgo. de S. Francisco. In: São Paulo, no século XIX. São Paulo: Annablume, 2000.
CACCIAGLIA, M. Pequena história do teatro brasileiro. São Paulo: T. ª Queiroz, 1986.
CAFEZEIRO, E. História do teatro brasileiro: um percurso de Anchieta a Nelson Rodrigues. Rio de Janeiro: UFRJ, 1996.
CARDOSO, A. (org.). Teatro de Anchieta. São Paulo: Loyola, 1977, vol.3.
FARIA, J. R. José de Alencar e o teatro. São Paulo: Perspectiva/Edusp, 1987.
__________. O teatro realista no Brasil: 1855-1865. São Paulo: Perspectiva/Edusp, 1993.
__________. Idéias teatrais: o século XIX no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 2001.
FRAGA. E. Qorpo Santo: surrealismo ou absurdo? São Paulo: Perspectiva, 1988.
________. Nelson Rodrigues expressionista. São Paulo: Ateliê, 1998.
________. O teatro simbolista no Brasil. São Paulo: Art & Tec, 1992.
GOMES, A.L. Marcas de nascença. A contribuição de Gonçalves de Magalhães para o teatro brasileiro. São Paulo: Antiqua, 2004.
HELIODORA, B. Martins Pena, uma introdução. Rio de Janeiro: ABL, 2000.
HESSEL, L., RAEDRS, G. O teatro no Brasil: da colônia à Regência. Porto Alegre: Ed. UFRS, 1974.
___________________. O teatro no Brasil: sob D. Pedro II. Ed. UFRS, 1986.
HUPPES, Ivete. Melodrama, o gênero e sua permanência. São Paulo, Ateliê, 2000.
MAGALDI, S. Panorama do teatro brasileiro. S.l., MEC/Funarte/SNT, s.d.
__________. Nelson Rodrigues: dramaturgias e encenações. São Paulo: Perspectiva, 1993.
MARTINS, A. Arthur Azevedo: a palavra e o riso. São Paulo: Perspectiva, 1988.
MENCARELLI, F. Cena aberta. A absolvição de um bilontra e o teatro de revista de Arthur Azevedo. Campinas:
Unicamp/ Centro de Pesquisa em História Social da Cultura, 1999.
MENDES, M. G. A personagem negra no teatro brasileiro. São Paulo: Ática, 1982.
____________. O negro e o teatro brasileiro. São Paulo: Hucitec, 1993.
PAIVA, S.C. Viva o rebolado: vida e morte do teatro de revista brasileiro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1991.
PONTES, J. Machado de Assis e o teatro. Rio de Janeiro: SNT, 1960.
_________. Teatro de Anchieta. Rio de Janeiro: SNT, 1978.
PRADO, D. João Caetano. São Paulo: Perspectiva, 1972
_________. Teatro de Anchieta a Alencar. São Paulo: Perspectiva, 1993.
_________. O drama romântico brasileiro. São Paulo: Perspectiva, 1996.
_________. Procópio Ferreira. São Paulo: Brasiliense, 1984.
_________. História concisa do teatro brasileiro. São Paulo: Edusp, 1999.
SANTO, D. E. (org.). Qorpo Santo.Miscelânea quriosa. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003.
SOUZA, J. G. O Teatro no Brasil, Rio de Janeiro: INL, 1960.
TORNQUIST, H. As novidades velhas. O teatro de Machado de Assis e a comédia francesa. São Leopoldo: Unisinos, 2002.
VENEZIANO, N. O teatro de revista no Brasil. Dramaturgia e convenções. Campinas: Unicamp, 1991.
_______________. Não adianta chorar: o teatro de revista brasileiro – oba!. Campinas: Unicamp, 1996.
 

Clique para consultar os requisitos para CAC0565

Clique para consultar o oferecimento para CAC0565

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP