Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Escola de Comunicações e Artes
 
Informação e Cultura
 
Disciplina: CBD0291 - Informação, Meio Ambiente e Sustentabilidade
Information, Environment and Sustainability

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 30 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2017 Desativação:

Objetivos
1. Fornecer elementos que permitam compreender as questões ambientais a partir de uma perspectiva histórica. 2. Ponderar sobre as necessidades informacionais das pessoas e das organizações para a solução de seus problemas socioambientais. 3. Avaliar as informações no contexto da rotulagem e do marketing ambiental e práticas de greenwashing. 4. Conhecer algumas das ações empreendidas por ONGs ambientais e pela militância ambiental. 5. Mostrar como as organizações podem evidenciar, a partir do correto provisionamento de informações, suas atividades socioambientais, tanto para os seus acionistas ou controladores (stockholders) quanto para as partes afetadas ou interessadas (stakeholders). 6. Proporcionar uma visão sobre as principais questões ambientais relacionadas às atividades das organizações e as repercussões sociais decorrentes, discutindo a importância da informação ambiental para os cidadãos e mostrando sua relevância para o pleno exercício da cidadania.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
1245652 - Pedro Luiz Côrtes
 
Programa Resumido
Compreender a evolução das questões ambientais e as necessidades informacionais das pessoas e organizações para a solução de seus problemas socioambientais. Abordar perspectivas históricas das questões ambientais e a cultura do desperdício. Verificar aspectos relacionados à origem e evolução da preocupação ambiental. Os conceitos de sustentabilidade e de responsabilidade socioambiental e suas implicações econômicas e ambientais. Analisar os drivers da conduta ambiental: crenças, preocupações, atitudes e comportamento ambiental. Verificar como as pessoas se apropriam das informações ambientais e as utilizam em seu dia-a-dia. Conhecer os princípios básicos da legislação ambiental e alguns dos principais acordos e diretrizes regionais e internacionais e seu impacto em diferentes países. Identificar as práticas de greenwashing e avaliar as informações no contexto da rotulagem e do marketing ambiental. Conhecer algumas das ações empreendidas por ONGs ambientais e pela militância ambiental, identificando sua natureza, tipologia e formas de atuação. Verificar a evidenciação das ações socioambientais pelas organizações. Os “Balanços Socioambientais” e os “Relatórios de Responsabilidade Socioambientais”.
 
 
 
Programa
1. Da Revolução Industrial à obsolescência programada: como a cultura do desperdício foi sendo disseminada entre os consumidores. 2. A preocupação ambiental: sua origem e evolução. O conceito de sustentabilidade e sua aplicação à economia e ao meio ambiente. A evolução do conceito de responsabilidade socioambiental, sua diferença da simples filantropia e a importância das ações organizacionais. As perspectivas normativa, contratual e estratégica. 3. Drivers da conduta ambiental: crenças, preocupações, atitudes e comportamento ambiental. 4. A literacia das informações ambientais. A informação ambiental como catalisadora de mudanças nas organizações e na sociedade. Serviços de informação ambiental: natureza, tipologia, função. Os meios de divulgação das informações ambientais. 5. Os princípios básicos da legislação ambiental. O “polluter pays principle” e a “transmissibilidade do passivo ambiental”. Os principais acordos e diretrizes regionais e internacionais e seu impacto em diferentes países. 6. Práticas de greenwashing. As informações no contexto da rotulagem e do marketing ambiental. 7. As ONGs ambientais e a militância ambiental: natureza, tipologia e formas de atuação. 8. Indicadores de desempenho socioambiental. 9. A evidenciação das ações socioambientais pelas organizações. Os “Balanços Socioambientais” e os “Relatórios de Responsabilidade Socioambientais”. 10. A gestão das informações ambientais tendo em perspectiva os princípios de “accountability” e governança das organizações. 11. Os programas de educação ambiental nas organizações, comunidades, escolas e universidades. 12. Sistematização dos conteúdos apresentados e perspectivas para o futuro da gestão das informações ambientais.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas, exercícios individuais ou em grupos em sala de aula. Leituras programadas.
Critério
Participação em classe, cumprimento das atividades propostas e trabalho final
Norma de Recuperação
Apresentação de trabalho e/ou realização de prova escrita pelos alunos reprovados que obtiveram mínimo regimental de presença e nota superior a TRÊS, segundo os prazos fixados pelo calendário de Atividades Acadêmicas
 
Bibliografia
     
ARNON, ; ORION, ; CARMI,. Environmental literacy components and their promotion by institutions of higher education: an Israeli case study. Environmental Education Research , 21, n. 7, 2015. 1029-1055. BARBIERI, Jose Carlos. Gestão Ambiental Empresarial. São Paulo, Saraiva Editora, 2011 BARBIERI, Jose Carlos; CAJAZEIRA, Jorge Emanuel. Responsabilidade Social Empresarial. São Paulo, Saraiva Editora, 2008 BERGQUIST, ; NILSSON,. I saw the sign: Promoting energy conservation via normative prompts. Journal of Environmental Psychology , 46, 2016. 23-31. BROOKS,. Climate change justice through taxation?. Climatic Change , 133, n. 3, 2015. 419-426. CHAMIZO-GONZALEZ, ; CANO-MONTERO, ; MUÑOZ-COLOMINA,. Municipal Solid Waste Management services and its funding in Spain. Resources, Conservation and Recycling , 107, 2016. 65-72. CÔRTES, P. L. Conception and development of a system used to organize and facilitate access to environmental information. JISTEM - Journal of Information Systems and Technology Management, 10, n. 1, 2013. 161-176. CÔRTES, P. L.; MORETTI, S. L. D. A. Consumo verde: um estudo transcultural sobre crenças, preocupações e atitudes ambientais. REMark – Revista Brasileira de Marketing, 12, n. 3, 2013. 45-76. CRAIG, ; ALLEN,. The impact of curriculum-based learning on environmental literacy and energy consumption with implications for policy. Utilities Policy , 35, 2015. 41-49. D'AMICO, et al. Factors Influencing Corporate Environmental Disclosure. Business Strategy and the Environment , 25, n. 3, 2016. 178-192. DE VRIES, et al. Sustainability or profitability? How communicated motives for environmental policy affect public perceptions of corporate greenwashing. Corporate Social Responsibility and Environmental Management , 22, n. 3, 2015. 142-154. FOO,. A shared view of the integrated urban water management practices in Malaysia. Water Science and Technology: Water Supply , 15, n. 3, 2015. 456-473. GENC, ; AKILLI,. Modeling the relationships between subdimensions of environmental literacy. Applied Environmental Education and Communication , 15, n. 1, 2016. 58-74. GREEN,. Lecturers’ perspectives on how introductory economic courses address sustainability. International Journal of Sustainability in Higher Education , 16, n. 1, 2015. 44-56. HUANG,. Media use, environmental beliefs, self-efficacy, and pro-environmental behavior. Journal of Business Research , 69, n. 6, 2016. 2206-2212. HUSEBY,. Should the beneficiaries pay?. Politics, Philosophy and Economics , 14, n. 2, 2015. 209-225. JORDAN, et al. Ecology nature of science: Shared discussions and practices among ecologists and High School Teachers. Ecosphere , 6, n. 11, 2015. KAIDA, ; KAIDA,. Facilitating Pro-environmental Behavior: The Role of Pessimism and Anthropocentric Environmental Values. Social Indicators Research , 126, n. 3, 2016. 1243-1260. KIM, E.-H.; LYON,. Greenwash vs. Brownwash: Exaggeration and undue modesty in corporate sustainability disclosure. Organization Science , 26, n. 3, 2015. 705-723. KIRAKOZIAN,. The determinants of household recycling: social influence, public policies and environmental preferences. Applied Economics , 48, n. 16, 2016. 1481-1503. LUND-THOMSEN, ; LINDGREEN, ; VANHAMME,. Industrial Clusters and Corporate Social Responsibility in Developing Countries: What We Know, What We do not Know, and What We Need to Know. Journal of Business Ethics , 133, n. 1, 2016. 9-24. MACIAS, ; WILLIAMS,. Know Your Neighbors, Save the Planet: Social Capital and the Widening Wedge of Pro-Environmental Outcomes. Environment and Behavior , 48, n. 3, 2016. 391-420. MCQUEEN,. CSR and new battle lines in online PR war: A case study of the energy sector and its discontents. Developments in Corporate Governance and Responsibility , 7, 2015. 99-125. ONG, et al. The relationship between environmental disclosures and financial performance of public listed companies in Malaysia. International Business Management , 10, n. 4, 2016. 461-467. PARGUEL, ; BENOIT-MOREAU, ; RUSSELL,. Can evoking nature in advertising mislead consumers? The power of ‘executional greenwashing’. International Journal of Advertising , 34, n. 1, 2015. 107-134. PRODY,. Combating greenwashing through public critique. Communication Teacher , 30, n. 2, 2016. 94-99. PRUDENTE, ; AGUJA, ; ANITO,. Exploring climate change conceptions and attitudes: Drawing implications for a framework on environmental literacy. Advanced Science Letters , 21, n. 7, 2015. 2413-2418. RAHMAN, ; PARK, ; CHI, C. G.-Q. Consequences of “greenwashing”: Consumers’ reactions to hotels’ green initiatives. International Journal of Contemporary Hospitality Management , 27, n. 6, 2015. 1054-1081. SMITH, ; FONT,. Marketing and communication of responsibility in volunteer tourism. Worldwide Hospitality and Tourism Themes , 7, n. 2, 2015. 159-180. SONTAY, ; GÖKDERE, ; USTA,. A comparative investigation of sub-components of the environmental literacy at the secondary school level. Journal of Turkish Science Education , 12, n. 1, 2015. 19-28. STEINHORST, ; MATTHIES,. Monetary or environmental appeals for saving electricity? -Potentials for spillover on low carbon policy acceptability. Energy Policy , 93, 2016. 335-344. UNANUE, et al. Life goals predict environmental behavior: Cross-cultural and longitudinal evidence. Journal of Environmental Psychology , 46, 2016. 10-22. VESTY, ; OLIVER,. Corporate strategy and accounting for sustainability in investment appraisal. Corporate Ownership and Control , 11, n. 2D, 2014. 377-388. VIEIRA,. Allocation of costs to clean up a polluted river: An axiomatic approach. Economics Bulletin , 35, n. 2, 2015. 1216-1226. VOLLERO, et al. Avoiding the greenwashing trap: Between CSR communication and stakeholder engagement. International Journal of Innovation and Sustainable Development , 10, n. 2, 2016. 120-140. WAGNER,. Reading packages: social semiotics on the shelf. Visual Communication , 14, n. 2, 2015. 193-220. ZHU, ; ZHAO,. A feasibility assessment of the application of the Polluter-Pays Principle to ship-source pollution in Hong Kong. Marine Policy , 57, 2015. 36-44. ZHU, ; ZHAO,. Polluter-pays Principle - Policy Implementation -. Environmental Policy and Law , 45, n. 1, 2015. 34-39.
 

Clique para consultar os requisitos para CBD0291

Clique para consultar o oferecimento para CBD0291

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP