Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Centro de Biologia Marinha
 
Centro de Biologia Marinha
 
Disciplina: CBM0140 - Introdução ao Estudo do Plâncton Marinho

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2009 Desativação:

Objetivos
propiciar ao aluno a familiarização com a diversidade planctônica marinha e os métodos de estudo do fitoplâncton e do zooplâncton
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
77837 - Alvaro Esteves Migotto
3587946 - Áurea Maria Ciotti
17162 - Tagea Kristina Simon Bjornberg
 
Programa Resumido
Introdução à identificação e sistemática do plâncton marinho; métodos de coleta; características diagnósticas dos principais grupos planctontes.
 
 
 
Programa
Aulas teóricas: Introdução (2h); Métodos de coleta e estudo (2h); Introdução à identificação do fitoplâncton, zooplâncton, meroplâncton e holoplâncton (4h); introdução ao estudo sistemático do plâncton e apresentação das características diagnósticas dos principais grupos planctônicos (2h); identificação e sistemática de Copepoda. Aulas práticas: Saída de campo para coleta de amostras de plâncton, com redes de fitoplâncton (malha de 60 µm) e zooplâncton (redes de 150 a 500 µm), em arrastos horizontais e verticais. Triagem e observação de plâncton in vivo; análise de amostras de plâncton fixadas; identificação do zooplâncton, holoplâncton e meroplâncton utilizando bibliografia especializada (guias, chaves de identificação); observação de características diagnósticas dos principais grupos planctônicos (conteúdo desenvolvido ao longo de todas as aulas práticas); identificação das principais espécies de copépodes planctônicos do canal de São Sebastião.
 
 
 
Avaliação
     
Método
disciplina é dividida em aulas teóricas e aulas práticas (saída de campo para coleta de amostras de plâncton; trabalhos de laboratório). As aulas práticas são o núcleo da disciplina, por intermédio das quais os alunos terão a oportunidade de examinar plâncton vivo, possibilitando a observação, sob estereomicroscópio e microscópio binocular, de aspectos não passiveis de serem observados em amostras fixadas, como cor e comportamento dos planctontes, além daquelas formas delicadas, como o caso do plâncton gelatinoso (cnidários, ctenóforos, larvas de corpo mole etc), que não são bem preservados pelas técnicas tradicionais de fixação e conservação do plâncton. Diariamente, em horários e condições variadas, serão coletadas novas amostras de plâncton para possibilitar o exame de espécimes in vivo e propiciar condições para o encontro de espécies diferentes. O estudo sistemáticos dos copépodes presentes nas amostras será utilizado como exemplo. Extensa bibliografia especializada ficará à disposição dos estudantes para ajudar na identificação e reconhecimento dos diversos táxons e de das estruturas diagnósticas e utilizadas na sistemática.
Critério
Prova escrita, exercícios e a participação dos alunos.
Norma de Recuperação
Não será oferecida recuperação
 
Bibliografia
     
Boltovskoy, D. (Ed.) 1999. South Atlantic zooplankton. 2 v. (xii, 1705 p.): ill., maps. Leiden: Backhuys.
Bonecker, A.C.T.; Bonecker, S.L.C. & Bassani, C. 2002. Cap. 6. Plâncton Marinho. P. 103-125. In: Pereira, R.C. & Gomes, A.S. (Orgs.) Biologia Marinha. Rio de Janeiro, Editora Interciência.
Johnson, W. S & Allen, D. M. 2005. Zooplankton of the Atlantic and Gulf Coasts. A guide to ther identifification and ecology. The John Hopkins University Press. 379pp.
Larink, O. & Westheide, W. 2006. Coastal plankton – photo guide for European Seas. Verlag Dr. Friedrich Pfeil, Munique, Alemanha, 143p
Lavrado, H. P. & Viana, M. S. 2007. Atlas de invertebrados marinhos da região central da Zona Econômica Exclusiva brasileira, parte 1. Museu Nacional, 258p.
Newell, G. E. 1963. Marine plankton: a practical guide. Hutchinson Educational, 206 pp.
Ramírez, F. C. 2002. Plancton sin formol. Publicaciones Especiales INIDEP, Mar del Plata, 96pp.
Smith, L. D. & Johnson, K. B. 1977 A Guide to Marine Coastal Plankton and Marine Invertebrate Larvae. Kendall/Hunt Publishing Co., xx + 151p.
Thorson, G. 1946. Reproduction and larval development of Danish marine bottom invertebrates, with special reference to the planktonic larvae in the Sound (Oresund). Copenhagen, Editora C. A. Reitzels.
Tregouboff, G. 1957. Manuel de planktonologie mediterraneenne. Paris : Centre National de la Recherche Cientf.
Young, C. M. (ed.) 2002. Atlas of marine invertebrate larvae. London, Academic Press, 626p.
 

Clique para consultar os requisitos para CBM0140

Clique para consultar o oferecimento para CBM0140

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP