Informa??es da Disciplina

Júpiter - Sistema de Graduação

Escola de Comunicações e Artes
 
Música
 
Disciplina: CMU0232 - Harmonia III
Harmony III

Créditos Aula: 3
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 45 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2019 Desativação:

Objetivos
Dotar os/as alunos/as de condições para compreensão e análise da música tonal europeia do século XVIII e XIX com ênfase nas obras de compositores românticos, particularmente R. Schumann, F. Schubert, J. Brahms, R. Wagner, R. Strauss, Arnold Schoenberg e Alban Berg. Examinar e analisar o repertório ultra cromático da música europeia do final do século XIX que desencadeou a crise no sistema tonal que abriu as portas para novas propostas do século XX (atonalismo, dodecafonismo, serialismo, minimalismo, música concreta, música eletroacústica, música experimental, nacionalismo etc.). Estudar as manifestações musicais não europeias (tais como a música popular brasileira, o jazz etc.) que inventam e utilizam uma forma de tonalismo expandido através, principalmente, do uso extensivo do cromatismo e das notas acrescentadas às tríades dos campos harmônicos maior e menor. Dotar os/as alunos/as de capacidade crítica para discutir e avaliar os aspectos contextuais (sociais, históricos e geográficos) que condicionam as diversas metodologias de análise harmônica e que extrapolam as dimensões estritamente musicais.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
2022328 - Rogério Luiz Moraes Costa
 
Programa Resumido
Ampliação da tonalidade diatônica: cromatismo, notas acrescentadas, modulação contínua, texturas harmônico-contrapontísticas. Análise de obras dos compositores acima relacionados. Leitura e discussão de textos (musicológicos, filosóficos, sociológicos) relativos às práticas criativas e às abordagens analíticas no âmbito do estudo da harmonia (não só da música “erudita” ocidental europeia). Expansão do campo de estudo: músicas do mundo.
 
 
 
Programa
Ampliação da tonalidade - 4ª Lei Tonal. Alterações modais nos acordes: acordes de empréstimo modal. Mediantes cromáticas. Acordes da 6ª Napolitana e acordes de 6a aumentada (francesa, italiana, germânica). Alterações nos acordes de dominante. Acordes de 5a aumentada. Modulação diatônica. Modulação cromática. Modulação Enarmônica. Tonalidade suspensa, vagante, acordes errantes: superação das hierarquias tonais. Gradativa emancipação da dissonância. Introdução à análise Schenkeriana e à análise neo-riemanniana. Aplicações. Outras organizações harmônicas tonais (MPB, Jazz, pop etc.)
 
 
 
Avaliação
     
Método
Análises a partir de metodologias específicas, exercícios de estilo e exercícios livres (de criação), seminários e trabalhos individuais ou em grupo.
Critério
Adequação dos exercícios às normas restritivas abstraídas dos estilos. Adequação das análises às metodologias de análise propostas. Nos exercícios criativos os critérios estarão relacionados ao empenho na produção, realização e apresentação dos trabalhos.
Norma de Recuperação
Não haverá recuperação.
 
Bibliografia
     
Brisola, Cyro Monteiro - Princípios da Harmonia Funcional. Annablume, S. Paulo, 2006.
Kostka, Stefan – Materials and Techniques of twentieth century music, Prentice Hall, 1989.
Motte, Dieter de la – Armonia, Idea Books, Barcelona, 1998.
Ottman. Robert W. - Advanced Harmony, Prentice Hall, 2000.
Schoenberg. Arnold- Structural Fundictions of Harmony - W. W. Norton & Company Inc. New York.
Schonberg. Arnold – Harmonia – Editora Unesp, São Paulo, 2002
 

Clique para consultar os requisitos para CMU0232

Clique para consultar o oferecimento para CMU0232

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP