Informações da Disciplina

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Escola de Comunicações e Artes
 
Música
 
Disciplina: CMU0345 - Composição II
Composition II

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 6
Carga Horária Total: 210 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2021 Desativação:

Objetivos
As disciplinas de "Composição" (I a IV) tem ênfase na prática da escrita musical, com maior destaque para aspectos poéticos e abordagem de conceitos que permeiam a prática da criação e invenção musical ao longo do séc. XX e XXI. Continuam os objetivos gerais de: 1. Dar condições ao aluno de desenvolver projetos próprios e coletivos de composição musical, circunscrito à escrita musical acústica e eletroacústica. 2. Dar ênfase ao contato do aluno com técnicas composicionais diversas que permearam a música do séc. XX e XXI. 3. Realização de projeto composicional em obra para conjunto instrumental livre, em que técnicas e materiais da escrita musical recente sejam contemplados. Aulas de acompanhamento e problematização de projetos individuais dando a esta forma de acompanhamento um aspecto coletivo que permita aos outros alunos da turma a acompanharem os trabalhos individuais de seus colegas bem como as estratégias de leitura empregadas pelo professor.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
2112652 - Silvio Ferraz Mello Filho
 
Programa Resumido
Resumidamente, o programa do curso versará sobre as noções básicas de escrita musical contemporânea, com fundamentação histórica, funcional, estrutural, dinâmica, perceptiva e generativa. Os principais aspectos abordados serão o da construção da forma (mise-en-forme) tendo por base estratégias locais de geração de objetos (alturas, intervalos, gesto, texturas) e gerais de encadeamento e sobreposição.
 
 
 
Programa
1. Aulas de acompanhamento e problematização de projetos individuais dando a esta forma de acompanhamento um aspecto coletivo que permita aos outros alunos da turma a acompanharem os trabalhos individuais de seus colegas bem como as estratégias de leitura empregadas pelo professor. 2. Aulas expositivas de análise de obras diversas do repertório musical realçando sempre estratégias composicionais com apresentação de noções de: Escrita de texturas complexas : harmonia vertical – harmonicidade/espectralidade Noção de harmonicidade/inarmonicidade, jitter, fusão e fissão vertical Micro-tempo da texturas : retomada da proposta de Andre Souris e Pierre Schaeffer relativa ao tempo dos objetos musicais.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Acompanhamento de trabalho de escrita musical, em obra a ser realizada conforme critérios trabalhados no curso. Avaliação deste mesmo trabalho de escritura em sua versão final a ser realizado, dentro das possibilidades do instituto, com participação de outros professores da equipe de composição musical.
Critério
Controle de materiais sonoros e musicais bem como de métodos composicionais relativos a escrita instrumental, programação em softwares de composição assistida, estratégias de improvisação e invenção coletiva ou individual, conforme linha proposta pelo aluno em comum acordo com professor.
Norma de Recuperação
Não haverá recuperação.
 
Bibliografia
     
BREGMAN, Albert. “Timbre, orchestration, dissonnance et organisation auditive”. In: Barrière, J.-B.. Le timbre metaphore por la composition. Paris: Bourgois. 1991. BREGMAN, Albert. Auditory Scene Analysis. Cambridge: MIT Press. 1994. BRINDLE, R. Smith. The new music: the avant-garde since 1945. NY: Oxford univ. press. 1987. DELEUZE, J.Pierre. Les écritures musicales - Recherche et enseignement basés sur les pratiques compositionnelles. Paris: mardaga, 2007. DUNSBY, Jonathan. Considerations of Texture. Music & Letters, Vol. 70, No. 1, Oxford: Oxford University Press, 1989. FERRAZ, S.. Análise e percepção textural. Cadernos de Estudo. São Paulo: Atravéz, 1991. LIGETI, G. “States, events, transformations” in: Perspectives of New Music. Vol. 31, No. 1. Seattle: Univ. of Washington. 1993. REICH, Steve.Texture-Space-Survival, Perspectives of New Music, Vol. 26, No. 2. SCHAEFFER, Pierre e REBEL, Guy. Solfejo do objeto sonoro. trad. Dias, Antonio de Souza. Lisboa: Ina/GRM. 1990. SMALLEY, Dennis. “Spechromorpologie: explaining sound-shapes”. Organised Sound 2(2): 107–2. Cambridge : Cambridge University Press. 1997.s SOURIS, A.. “Notes sur le rythme concret”. Polyphonie, revue musicale trimestrelle: le rythme musical. Paris: Richard Masse Editeurs, Deuxième Cahier, 1948. [trad. Port. Ferraz, Silvio. 2019] XENAKIS, Iannis. Formalized Music. NY: Pendragen Press. 1992. Revistas: Contemporary Music Review. Cambrige: Harvard Acad Press. Musique en Jeu. Paris: Seuil. Contrechamps. Paris: L’age d’Homme. Perspectives of New Music Princeton: From Music Fond.
 

Clique para consultar os requisitos para CMU0345

Clique para consultar o oferecimento para CMU0345

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP