Informa??es da Disciplina

Júpiter - Sistema de Graduação

Escola de Comunicações e Artes
 
Música
 
Disciplina: CMU0552 - Contraponto I
Counterpoint I

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2008 Desativação:

Objetivos
Trabalhar os conceitos de linguagem musical enquanto processo histórico, daí a necessária introdução do curso a partir dos sistemas musicais pré-tonais até chegarmos na redução do contraponto enquanto ferramenta de trabalho com regras rigorosas (strenger Satz), justamente como parte de um processo maior que viabiliza a liberdade na composição musical a partir de um fraseado livre (quando lidamos de volta com as questões da linguagem). Desenvolver no aluno a capacidade de articulação criativa do fraseado musical em meio às questões da simultaneidade de linhas melódicas ou acontecimentos musicais (contraponto como elemento textural). Desenvolver as noções de contraponto micro e macro-estrutural. Aproximar o aluno dos recursos do contraponto que remontam aos primórdios da polifonia, passando pelas 5 espécies acadêmicas de Fux (1725), assim como introduzi-lo na prática de exercícios de contraponto como desenvolvimento de uma ferramenta de trabalho, cujos princípios se aplicam às mais diferentes formas da linguagem musical.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
1682511 - Rubens Russomanno Ricciardi
 
Programa Resumido
1) Introdução histórica dos sistemas pré-tonais e a colocação do problema do contraponto enquanto recurso a serviço da linguagem. 2) Regras de contraponto acadêmico que remontam a Fux: as 5 espécies a 2 e a 3 vozes.
 
 
 
Programa
1) Recordação dos sistemas musicais pré-tonais: o s?st?µa te?e??? de Aristóxeno, o Cantochão e seus 4 modi (ou 8 tons) originais, a revolução polifônica, Ars Antiqua, Ars Nova (incluindo-se a Resolução ou Cadência Landino) e o surgimento da Tonalidade no Renascimento. Relações históricas e contextuais dos conceitos de consonância e dissonância na música. Os modi de Glareanus (12 tons, incluindo-se o cantus durus e o cantus mollis) e posteriormente as escalas modais de Fux – sempre até aqui numa perspectiva histórica da linguagem musical. 2) As cinco espécies de Fux como exercício acadêmico, a 2 e a 3 vozes, e suas regras: 1ª espécie nota contra nota; 2ª espécie duas notas contra uma; 3ª espécie quatro notas contra uma e o uso do recurso da nota cambiata como alternativa à Resolução Landino; 4ª espécie duas notas contra uma, mas com ligadura, também chamado de contraponto de sincopas; 5ª espécie chamada Contrapunctum Floridum.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Provas, exercícios em classe, entrega de trabalhos.
Critério
Desempenho acadêmico em sala de aula.
Norma de Recuperação
Prova de recuperação abrangendo toda a matéria dada no semestre.
 
Bibliografia
     
APEL, Willi (1986). Medieval music. Stuttgart, Franz Steiner.CARDINE, Don Eugène (1989). Primeiro Ano de Canto Gregoriano e Semiologia Gregoriana. Tradução de Eleanor Florence Dewey. São Paulo, Palas Athena.CARVALHO, Any Raquel (2000). Contraponto modal – manual prático. Porto Alegre, Sagra Luzzatto.CERVENCA, Bruno (1965). Il contrappunto – nella polifonia vocale clássica. Bologna, Bongiovanni.DE SANCTIS (1982). La polifonia nell’arte moderna – spiegata secondo i principi classici. Milano, Ricordi.DIONISI, Renato & ZANOLINI, Bruno (1979). La tecnica del contrappunto vocale nel cinquecento. Milano, Suvini Zerboni.DUBOIS, Theódere (1983). Trattato di contrappunto e fuga. Traduzione di Eugenio de’Guarinoni [do original francês]. Milano, Ricordi. (Edição original 1905).FLOTZINGER, Rudolf (2000). Perotinus musicus. Mainz, Schott.FUX, Joanne Josepho (1725). Gradus ad Parnassum - sive manuductio ad compositionem musicae regularem. Viennae - Austriae, Joannis Petri Van Ghelen. GOMES, André da Silva (1998). Arte Explicada de Contraponto. Edição e apresentação de Régis Duprat, Edílson Vicente de Lima, Márcio Spartaco Landi & Paulo Augusto Soares. São Paulo, Arte & Ciência. [Este tratado remonta aos tempos coloniais].KENNAN, Kent Wheeler (1972). Counterpoint – based on eighteenth-century practice. 2a ed. New Jersey, Prentice-Hall. (1a ed. 1959).KOELLREUTTER, H[anns] [Joachim] (1996). Contraponto modal do século XVI (Palestrina). Brasília, MusiMed.MICHELS, Ulrich (2001). dtv-Atlas - Musik. München, Deutscher Taschenbuch & Kassel, Bärenreiter. (1a ed. 1977).MOTTE, Diether de la (1994). Kontrapunkt – ein Lese- und Arbeitsbuch. 5. Auflage. Kassel, Deutscher Taschenbuch & Bärenreiter. (1a ed. 1981).PEPPING, Prof. Ernst (1950). Der polyphone satz (I) - Der cantus-firmus-Satz. Berlin, Walter de Gruyter. (1a ed. 1942).PEPPING, Ernst (1957). Der polyphone satz (II) - Übungen im doppelten Kontrapunkt und im Kanon. Berlin, Walter de Gruyter.RICCIARDI, Rubens Russomano (2007). Apostila de Contraponto Acadêmico. TELEDUC-USP/RP.SCHOENBERG, Arnold (1977). Vorschule des Kontrapunkts. Eingeleitet und kommentiert von Leonard Stein (1961) [introdução e comentários]. Übersetzung aus dem Amerikanischen von Friedrich Saathen [tradução do inglês americano]. Wien, Universal. (Edição original norte-americana 1963) .WEBER, Gottfried (1817-1821). Versuch einer geordneten Theorie der Tonsatzkunst. Volumes I-III. Mainz.WOLF, Erich (1985). Die Lehre vom Kontrapunkt [Volume III da série Die Musikausbildung]. Wiesbaden, Breitkopf & Härtel. (1a ed. 1969).
 

Clique para consultar os requisitos para CMU0552

Clique para consultar o oferecimento para CMU0552

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2019 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP