Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Escola de Comunicações e Artes
 
Música
 
Disciplina: CMU0850 - O Choro - sua história, seus compositores e intérpretes.
Choro - it's history, composers and interpreters

Créditos Aula: 3
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 45 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2016 Desativação:

Objetivos
Mostrar a história e evolução da primeira música instrumental popular urbana do Brasil, cuja influência se irradiou para praticamente toda a música brasileira, popular e erudita. Revelar seus mestres fundamentais, compositores e intérpretes. Sua árvore genealógica e sua presença na atualidade. Mostrar como a história do choro se confunde e mistura com a história da música popular brasileira como um todo. Olhar para a história do Brasil. Refletir sobre os mecanismos e atuação da indústria fonográfica, perceber sua importância na formação da identidade cultural brasileira.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
90033 - Antonio Carlos Moraes Dias Carrasqueira
 
Programa Resumido
As aulas terão uma parte expositiva, com audição de gravações, transmissão de DVDs e uma parte prática; uma "roda" com alunos e artistas convidados. Da origem à atualidade, serão estudadas as várias gerações de chorões.
 
 
 
Programa
Princípios do Choro. Brasil segunda metade do séc. XIX - O II Império, Rio de Janeiro - polcas, valsas, lundus, tangos, habaneras, mazurcas, quadrilhas - as matrizes . A primeira geração : Henrique Alves de Mesquita, Joaquim Callado, Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth, Viriato. República, abolição da escravatura. A segunda geração (1889 a 1920): Anacleto de Medeiros, Irineu de Almeida, Satyro Bilhar, Mario Alvares, Quincas Laranjeiras. A casa Edson e as primeiras gravações mecânicas. O maxixe, as bandas. Terceira geração : Alfredo da Rocha Vianna Junior, o Pixinguinha. Os Oito Batutas e suas viagens pelo Brasil e a Paris. O preconceito racial, a reflexão sobre a identidade. João da Baiana, Donga, Bonfiglio de Oliveira, Sinhô, Erotides de Campos, Villa-Lobos. O choro se espalha pelo Brasil. 1930-1945 A quarta geração : as gravações elétricas permitem solos de violões, cavaquinhos e bandolins. Vozes menos empostadas, mais espontâneas. O Estado Novo. A “era de ouro” do rádio, as relações com o samba e compositores como Cartola, Dorival Caymmi, Capiba, As orquestrações inovadoras de Pixinguinha e Radamés. As rádios brasileiras tem orquestra e conjuntos “regionais”. Surgem Garoto, Aymoré, Armandinho Neves, João Dias Carrasqueira, Copinha, Laurindo de Almeida. A quinta geração: formações inéditas, o Trio Surdina, as orquestrações de Guerra Peixe, o Quinteto de Radamés Gnatalli, as inovações harmônicas. Os virtuoses Jacó, Waldir Azevedo, Abel Ferreira, Altamiro Carrilho. A presença norte-americana nas rádios. As “big bands”, a Orquestra Tabajara. Severino Araujo, Moacir Santos. Anos 70 - a sexta geração. Radamés Gnattali e a Camerata Carioca. A gravadora Marcus Pereira. Festivais e nascimento dos clubes do Choro em várias cidades brasileiras. Luciana e Rafael Rabello, Mauricio Carrilho, Orquestra de Cordas Dedilhadas de Pernambuco. Atualidade : Naylor Proveta Azevedo, Yamandu Costa, Hamilton de Holanda, Alessandro Pennezzi, o renascimento do Clube do Choro de São Paulo, a forte presença da juventude. A pesquisa e descoberta de antigos manuscritos, a gravação dos 15 CDs dedicados aos “Princípios do Choro” revelando um “elo perdido” da música brasileira. A edição de partituras. “Song Books”, “play alongs” as “rodas”, a institucionalização do ensino. A Escola Portátil de música. O surgimento de Clubes do Choro nos EUA, Japão, França, Nova Zelândia., Dinamarca. O Choro chega `a Universidade.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Monografias, seminários e participação nas rodas.
Critério
Presença em aula e apresentação dos trabalhos solicitados.
Norma de Recuperação
Não há recuperação.
 
Bibliografia
     
ALMADA Carlos. A Estrutura do Choro: com aplicações na improvisação e no arranjo. Rio de Janeiro: Da Fonseca, 2006 ANDRADE, M. Ensaio sobre a música brasileira. São Paulo: Martins, 1962. ARAGÃO, Pedro. O Baú do Animal. ARAUJO, M. De A Modinha e o Lundu no século XVIII. São Paulo, Ricordi brasileira, 1963. BAREMBOIM, D. A música desperta o tempo. São Paulo: Ed.Martins Fontes, 2009. BERENDT, J. B. Nada Brahma. A música e o universo da Consciência, São Paulo: Editora Cultrix, 1983. BRAGA, Luis Otávio. A invenção da música popular. De 1930 ao final do Estado Novo. Rio de Janeiro, Tese de Doutorado, UFRJ. 2002. BRITO, T. A. de. Koellreutter educador. O humano como objetivo da educação musical. São Paulo: Peirópolis, 2001. CABRAL, Sergio. Pixinguinha, Vida e Obra. Rio de Janeiro, Lumiar editora, 1997. -----------A MPB na era do rádio, São Paulo, Moderna, 1996. ----------- No Tempo de Almirante ; uma história do rádio e da MPB. Rio de Janeiro. Francisco Alves editora, 2005. CAZES, Henrique. Choro, do quintal ao Municipal. São Paulo editora 34, 1999 EFEGÊ, Jota. Maxixe, a dança excomungada. Rio de Janeiro; Conquista ( coleção temas brasileiros) ------------ Figuras e Coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro, Funarte, 1978 HORTA, L.P. Villa-Lobos, uma Introdução. Rio de Janeiro, Zahar editora,1987. KIEFFER, Bruno. Música e Dança Popular. Sua influência na música erudita. Porto Alegre: Movimento, 1983. MACHADO, Cacá . O Enigma do Homem Célebre. MARIZ, V. Heitor Villa-Lobos: Compositor Brasileiro. Rio de Janeiro: Zahar: 1983. MOURA, Roberto. Tia Ciata e a pequena África no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Funarte, 1983. ---------- No Princípio era a Roda, um estudo sobre Samba, partido alto e outros pagodes. Rio de Janeiro, Rocco, 2004. NAPOLITANO, M. História e Música – história cultural da música popular. Belo Horizonte: Autêntica, 2002. -------- A Síncope das Idéias: a questao da tradição na música popular brasileira. São Paulo, editora Perseu Abramo, 2007. NEVES, José Maria. Villa-Lobos, O Choro e os Choros. São Paulo, Ricordi Brasileira, 1977.. PAES, A. ARAGÃO,P. História do Choro. Apostila do IV Festival Nacional de Choro. EPM, 2008. PINTO, Alexandre Gonçalves. O Choro: Reminiscências dos chorões antigos. Rio de Janeiro: MEC 1978. RANGEL, Lúcio. Sambistas e Chorões. Aspectos e Figuras da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1962. SANDRONI, Carlos. Feitiço Decente. As Transformações do samba no Rio de Janeiro ( 1917-1933). Rio de Janeiro: ed UFRJ / Zahar, 2001. SEVE, Mario. Vocabulário do Choro – estudos e composições. Rio de Janeiro: Lumiar editora. SEVE, M. SOUZA, R. Song Book do Choro. Rio de Janeiro, Lumiar , 2007. SILVA, Marilia T. Barboza. Filho de Ogum Bexiguento. Rio de Janeiro, FUNARTE, 1996. SIQUEIRA, João Batista . Tres Vultos históricos da música brasileira: Mesquita, Callado e Anacleto. Rio de Janeiro: Funarte, 1970. TINHORÃO, J.R. Pequena História da Música Popular. Rio de Janeiro, Ed. Vozes, 1974. ------------ História Social da música popular brasileira, São Paulo, Ed. 34, 1998. ------------ Musica Popular, um tema em debate. São Paulo ed. 34, 1997. ----------- Música Popular: Sons que vêm da rua. Rio de Janeiro: Ed Tinhorão, 1976. TRAVASSOS, E. Modernismo e Música Brasileira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar editor, 2000 VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira São Paulo, Martins, 1964. ------------------ Carinhoso, etc ( História e inventário do Choro ) Rio de Janeiro, gráfica editora do livro Ltda. 1984. ---------------- Panorama da música popular brasileira na “Belle Epoque”. Rio de Janeiro:Livraria Sant’Anna, 1977. WISNIK, J.M. SQUEFF,E. O Nacional e o Popular na Música Brasileira. São Paulo, ed.
 

Clique para consultar os requisitos para CMU0850

Clique para consultar o oferecimento para CMU0850

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2018 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP