Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
 
Contabilidade e Atuária
 
Disciplina: EAC0166 - Tópicos Avançados em Estrutura de Capital
Advanced Topics on Capital Structure

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2022 Desativação:

Objetivos
APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA: A disciplina busca apresentar as principais correntes teóricas que fundamentam as decisões de estrutura de capital tomadas pelas empresas. Também são discutidas as principais fontes de financiamento para as empresas no Brasil e aspectos intrínsecos do nosso mercado, como fatores macroeconômicos e institucionais, e seus impactos sobre o processo decisório no âmbito empresarial. Além de discutidos os conceitos presentes nos principais papers da literatura de estrutura de capital, procura-se refletir sobre as implicações práticas destas teorias por meio da análise crítica de estudos empíricos nacionais e internacionais sobre o tema, bem como pela participação de profissionais de mercado por meio de palestras e debates durante a disciplina. OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM: Espera-se que, ao final do curso, os alunos estejam aptos a: 1. Identificar e descrever os argumentos básicos das teorias de estrutura de capital, desde os trabalhos seminais até os trabalhos mais recentes da literatura; 2. Compreender as hipóteses da teoria de Trade-Off e suas implicações; 3. Compreender as hipóteses da teoria de Pecking Order e suas implicações; 4. Compreender as hipóteses da teoria de Market Timing e suas implicações; 5. Analisar criticamente as implicações das teorias no processo decisório das empresas; 6. Identificar os determinantes das decisões de estrutura de capital das empresas no Brasil e no exterior; 7. Identificar os principais determinantes do custo de capital próprio e de terceiros das empresas; 8. Discutir criticamente os modelos e limitações dos trabalhos empíricos realizados sob as principais vertentes da literatura de estrutura de capital; e 9. Entender a estrutura de financiamento das companhias no Brasil.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3696531 - Tatiana Albanez
 
Programa Resumido
1. ESTUDOS SEMINAIS 2. PRINCIPAIS TEORIAS DE ESTRUTURA CAPITAL 3. DETERMINANTES DA ESTRUTURA DE CAPITAL DAS EMPRESAS 4. FINANCIAMENTO DAS EMPRESAS NO BRASIL
 
 
 
Programa
1. ESTUDOS SEMINAIS 1.1 Decisões financeiras e a função objetivo da empresa 1.2 As proposições de Modigliani e Miller 2. PRINCIPAIS TEORIAS DE ESTRUTURA CAPITAL 2.1 Teoria de trade-off e conflitos de agência 2.2. Modelos baseados na assimetria de informação e teoria de pecking order 2.3 Teoria de market timing e suas implicações 2.4 Outras abordagens teóricas e empíricas sobre estrutura de capital 3. DETERMINANTES DA ESTRUTURA DE CAPITAL DAS EMPRESAS 3.1 Fatores determinantes das decisões de estrutura de capital das empresas no Brasil e no exterior 3.2 Fatores determinantes do custo de capital próprio 3.3 Fatores determinantes do custo de capital de terceiros 4. FINANCIAMENTO DAS EMPRESAS NO BRASIL 4.1 Mercado de capitais brasileiro 4.2 Panorama da estrutura de financiamento das empresas no Brasil
 
 
 
Avaliação
     
Método
Serão utilizados os seguintes métodos durante a disciplina: 1. Aulas expositivas; 2. Apresentação de seminários em grupo; 3. Discussões em sala de aula; 4. Trabalhos e estudos de casos realizados individualmente ou em grupo; 5. Palestras e debates realizados por profissionais de mercado sobre temas principais. HABILIDADES E ATITUDES DESENVOLVIDAS: Espera-se que os métodos de ensino-aprendizagem utilizados desenvolvam no aluno capacidade de análise crítica e trabalho em equipe.
Critério
Os critérios de avaliação são: a) O aluno será considerado aprovado na disciplina se obtiver nota média final maior ou igual a 5,0 (cinco) e frequência igual ou superior a 70% (setenta por cento); b) O aluno será considerado reprovado na disciplina se obtiver nota média final menor que 3,0 (três) e/ou frequência inferior a 70% (setenta por cento).
Norma de Recuperação
a) O aluno poderá participar do processo de reavaliação (recuperação) na disciplina caso obtenha nota média final maior ou igual a 3,0 (três) e menor que 5,0 (cinco) e frequência igual ou superior a 70%; b) A média para aprovação com reavaliação será obtida por meio da média aritmética simples da média final + nota obtida na reavaliação, que deverá ser igual ou superior a 5,0 (cinco).
 
Bibliografia
     
BIBLIOGRAFIA PRINCIPAL • Livros: ASSAF NETO, A. Finanças Corporativas e Valor. 6. ed. São Paulo, Atlas: 2012. ROSS, S. A.; WESTERFIELD, R.; JAFFE, J. F.; LAMB, R. Administração Financeira. 10. ed. McGraw-Hill, 2015. • Artigos, dissertações e teses: ALBANEZ, T. Efeitos do Market Timing Sobre a Estrutura de Capital de Companhias Abertas Brasileiras. São Paulo, 2012. Tese (Doutorado) - Departamento de Contabilidade, FEA/USP. ALBANEZ, T. Impact of the cost of capital on the financing decisions of Brazilian companies. International Journal of Managerial Finance. v. 11, n. 3, p. 285 - 307, 2015. ALBANEZ, T.; LIMA, G. A. S. F. Effects of market timing on the capital structure of brazilian firms. International Finance Review, V. 15, P. 307-351, 2014. ALBANEZ, T; VALLE, M. R. Impactos da Assimetria de Informação na Estrutura de Capital de Empresas Brasileiras Abertas. Revista Contabilidade & Finanças. v. 20, n. 51, p. 6-27, set./dez. 2009. ALTI, A. How persistent is the impact of market timing on capital structure? The Journal of Finance. v. 61, n. 4, p. 1681-1710, Aug. 2006. BAKER, M.; WURGLER, J. Market timing and capital structure. The Journal of Finance. v. 57, n. 1, p. 1-32, Feb. 2002. CHIRINKO, R. S.; SINGHA, A. R. Testing static tradeoff against pecking order models of capital structure: a critical comment. Journal of Financial Economics. v. 58, n. 3, p. 417-425, Dec. 2000. HARRIS, M.; RAVIV, A. The theory of capital structure. The Journal of Finance. v. 46, n. 1, p. 297-355, Mar. 1991. HOVAKIMIAN, A.; LI, G. In search of conclusive evidence: how to test for adjustment to target capital structure. Journal of Corporate Finance. v. 17, n. 1, p. 33-44, Feb. 2011. JENSEN, M. C. Agency costs of free cash flow, corporate finance, and takeovers. American Economic Review. v. 76, n. 2, p. 323-329, May 1986. JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics. v. 3, n. 4, p. 305-360, Oct. 1976. MARKOWITZ, H. Portfolio selection. Journal of Finance. v. 7, n. 1, p.77-91, Mar. 1952. MODIGLIANI, F.; MILLER, M. H. The cost of capital, corporation finance and the theory of investment. The American Economic Review. v. 48, n. 3, p.261-297, Jun. 1958. MODIGLIANI, F.; MILLER, M. H. Corporate income taxes and the cost of capital: a correction. The American Economic Review. v. 53, n. 3, p.433-443, Jun. 1963. MYERS, S. C. The capital structure puzzle. The Journal of Finance. v. 39, n. 3, p. 575-592, Jul. 1984. MYERS, S. C. Capital structure. The Journal of Economic Perspectives. v. 15, n. 2, p. 81-102, Spring 2001. MYERS, S. C.; MAJLUF, N. S. Corporate financing and investment decisions when firms have information that investors do not have. Journal of Financial Economics. v. 13, n. 2, p. 187-221, Jul. 1984. RAJAN, R. G.; ZINGALES, L. What do we know about capital structure? Some evidence from international data. The Journal of Finance. v. 50, n. 5, p. 1421-1460, Dec. 1995. SHARPE, W. F. Capital Assets Prices: A theory of market equilibrium under conditions of risk. Journal of Finance. v. 19, n.3, p.425-442, Sep. 1964. SHYAM-SUNDER, L.; MYERS, S. C. Testing static tradeoff against pecking order models of capital structure. Journal of Financial Economics. v. 51, n. 2, p. 219-244, Feb. 1999. TITMAN, S.; WESSELS, R. The determinants of capital structure choice. The Journal of Finance. v. 43, n. 1, p. 1-19, Mar. 1988. Artigos recentes publicados. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR • Artigos, dissertações e teses: ALBANEZ, T; VALLE, M. R. Juros Altos, Fontes de Financiamento e Estrutura de Capital: O Endividamento de Empresas Brasileiras no Período 1997-2006”. Revista de Contabilidade e Organizações - RCO. v. 6, n. 16, p. 49-72, 2012. ALBANEZ, ET. AL. The Relationship of Asymmetric Information, Financing Decisions and Cost of Capital in Brazilian Public Companies”, Review of Business, v. 31, n. 1, p. 03-21, Outono 2010. ASSAF NETO, A.; LIMA, F. G.; ARAÚJO, A. M. P. Uma proposta metodológica para cálculo do custo de capital no Brasil. Revista de Administração da Universidade de São Paulo - RAUSP. São Paulo, v. 43, n.1, p. 72-83, jan./mar. 2008. BARROS, L. A. B. C.; SILVEIRA, A. D. M. Excesso de confiança, otimismo gerencial e os determinantes da estrutura de capital. Revista Brasileira de Finanças. Rio de Janeiro, v. 6, n. 3, p. 293-334, 2008. BRITO, G. A. S.; CORRAR, L. J.; BATISTELLA, F. D. Fatores determinantes da estrutura de capital das maiores empresas que atuam no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças. São Paulo, v. 18, n. 43, p. 9-19, jan./abr. 2007. BRITO, R. D.; SILVA, J. C. G. Testando as previsões de trade-off e pecking order sobre dividendos e dívida para o Brasil. Estudos Econômicos (IPE/USP). São Paulo, v. 35, n. 1, p. 37-79, jan./mar. 2005. CHANG, X.; DASGUPTA, S. Target behavior and financing: how conclusive is the evidence? The Journal of Finance. v. 64, n. 4, p. 1767-1796, Aug. 2009. COSTA, D. A. Z. Fatores que influenciam o spread das debêntures no Brasil. São Paulo, 2009. Dissertação (mestrado profissional) - Escola de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV/EESP). DAMODARAN, A. Equity risk premiums (ERP): determinants, estimation and implications – The 2012 edition. Working Papers Series. New York: Stern School of Business, New York University, 2012. DAVID, M.; NAKAMURA, W. T.; BASTOS, D. D. Estudo dos modelos trade-off e pecking order para as variáveis endividamento e payout com empresas brasileiras (2000 - 2006). In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO - ENANPAD, 32., 2008, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2008. ELLIOTT, W. B.; KOËTER-KANT, J.; WARR, R. A valuation-based test of market timing. Journal of Corporate Finance. v. 13, n. 1, p. 112-128, Mar. 2007. FAMA, E. F. Efficient capital markets: a review of theory and empirical work. The Journal of Finance. v. 25, n. 2, p. 383-417, May 1970. FAMA, E. F.; FRENCH, K. R. Testing trade-off and pecking order predictions about dividends and debt. Review of Financial Studies. v. 15, n. 1, p. 1-33, Spring 2002. FAMA, E. F.; FRENCH, K. R. O modelo de precificação de ativos de capital: teoria e evidências. Revista de Administração de Empresas - RAE. São Paulo, v. 47, n. 2, p. 103-118, abr./jun. 2007. FAMÁ, R.; DA SILVA, E. S. Desempenho acionário e a estrutura de capital das companhias abertas brasileiras não-financeiras. In: ENCONTRO BRASILEIRO DE FINANÇAS, SOCIEDADE BRASILEIRA DE FINANÇAS, 5., 2005, São Paulo. Anais... São Paulo: Sociedade Brasileira de Finanças, 2005. FLANNERY, M. J.; RANGAN, K. P. Partial adjustment toward target capital structures. Journal of Financial Economics. v. 79, n. 3, p. 469-506, Mar. 2006. FRANK, M. Z.; GOYAL, V. K. Testing the pecking order theory of capital structure. Journal of Financial Economics. v. 67, n. 2, p. 217-248, Feb. 2003. GONÇALVEZ, P. E.; SHENG, H. H. O apreçamento do spread de liquidez no mercado secundário de debêntures. Revista de Administração da Universidade de São Paulo - RAUSP. São Paulo, v. 45, n.1, p.30-42, jan./mar. 2010. GORDON, J. The investment, financing and valuation of the corporation. Homewood, Il: R. D. Irwin, 1962. GORDON, J.; GORDON, M. The finite horizon expected return model. Financial Analysts Journal. v. 53, n. 3, p. 52-61, May/June 1997. GRAHAN, J. R.; HARVEY, C. R. The theory and practice of corporate finance: evidence from the field. Journal of Financial Economics. v. 60, n. 2-3, p. 187-243, May 2001. HOVAKIMIAN, A. Are observed capital structures determined by equity market timing? Journal of Financial and Quantitative Analysis. v. 41, n. 1, p. 221-243, Mar. 2006. HOVAKIMIAN, A.; LI, G. In search of conclusive evidence: how to test for adjustment to target capital structure. Journal of Corporate Finance. v. 17, n. 1, p. 33-44, Feb. 2011. HUANG, R.; RITTER, J. R. Testing theories of capital structure and estimating the speed of adjustment. Journal of Financial and Quantitative Analysis. v. 44, n. 2, p. 237-271, Apr. 2009. KAYHAN, A.; TITMAN, S. Firms’ histories and their capital structures. Journal of Financial Economics. v. 83, n. 1, p. 1-32, Jan. 2007. KAYO, E. K.; KIMURA, H. Hierarchical determinants of capital structure. Journal of Banking & Finance, v. 35, p. 358–371, 2011. LEARY, M.; ROBERTS, M. Do firms rebalance their capital structures? The Journal of Finance. v. 60, n. 6, p. 2575-2619, Dec. 2005. LELAND; H. E.; PYLE, D. H. Informational asymmetries, financial structure, and financial intermediation. The Journal of Finance. v. 32, n. 2, p. 371-387, May 1977. LEMMON, M. L.; ROBERTS, M. R.; ZENDER, J. F. Back to the beginning: persistence and the cross-section of corporate capital structure. The Journal of Finance. v. 63, n. 4, p. 1575–1608, Aug. 2008. LEMMON, M. L.; ZENDER, J. Debt capacity and tests of capital structure theories. SSRN Working Paper, 2004. Disponível em: . Acesso em: jun. 2009. MACHADO, G. L. B.; MAIA, M. V. Custos de ajustamento e a dinâmica da estrutura de capital em empresas brasileiras. In: ENCONTRO BRASILEIRO DE FINANÇAS, SOCIEDADE BRASILEIRA DE FINANÇAS, 9., 2009, São Leopoldo. Anais... São Leopoldo: Sociedade Brasileira de Finanças, 2009. MEDEIROS, O. R.; DAHER, C. E. Testando teorias alternativas sobre a estrutura de capital nas empresas brasileiras. Revista de Administração Contemporânea - RAC. Rio de Janeiro, v. 12, n. 1, p. 177-199, jan./mar. 2008. MENDES, E. A.; BASSO, L. F. C.; KAYO, E. K. Estrutura de capital e janelas de oportunidade: testes no mercado brasileiro. Revista de Administração Mackenzie - RAM. São Paulo, v. 10, n. 6, edição especial, p. 78-100, nov./dez. 2009. MINARDI, A. M. A. F.; SANVICENTE, A. Z. Decisão sobre estrutura de capital de empresas brasileiras. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO - ENANPAD, 33., 2009, São Paulo. Anais... São Paulo: ANPAD, 2009. MINARDI, A. M. A. F.; SANVICENTE, A. Z.; ARTES, R.; PEREIRA, A. P. P.; ZAUSNER, F. W. Estimação do custo de capital de terceiros a valor de mercado para companhias fechadas no Brasil visando uma melhor gestão estratégica de projetos. São Paulo: Insper Working Paper, WPE 092, 2007a. MINARDI, A. M. A. F; SANVICENTE, A. Z.; MONTENEGRO, C. M. G.; DONATELLI, D. H.; BIGNOTTO, F. G. Estimando o custo de capital de companhias fechadas no Brasil para uma melhor gestão estratégica de projetos. São Paulo: Insper Working Paper, WPE 088, 2007b. NAKAMURA,W. T.; MARTIN, D. M. L.; FORTE, D.; CARVALHO FILHO, A. F.; COSTA, A. C. F.; AMARAL, A. C. Determinantes de estrutura de capital no mercado brasileiro: análise de regressão com painel de dados no período 1999-2003. Revista Contabilidade & Finanças. São Paulo, v. 18, n. 44, p. 72-85, mai./ago. 2007. ROCHA, F. D. Influência do desempenho acionário na estrutura de capital: avaliação de um modelo de ajuste parcial. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO - ENANPAD, 33., 2009, São Paulo. Anais... São Paulo: ANPAD, 2009. ROSS, S. A. The determination of financial structure: the incentive-signaling approach. The Bell Journal of Economics. v. 8, n. 1, p. 23-40, Spring 1977. ROSSI JR., J. L.; JIMÉNEZ, J. I. C. Testes empíricos sobre market timing na determinação da estrutura de capital das empresas brasileiras. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO - ENANPAD, 32., 2008, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2008. ROSSI JR., J. L.; MAROTTA, M. Equity market timing: testando através de IPO no mercado brasileiro. Revista Brasileira de Finanças. Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, p. 85-101, 2010. SANVICENTE, A. Z.; MINARDI, A. M. A. F. Problemas de estimação do custo de capital no Brasil. São Paulo: Ibmec Business School Working Paper, Out. 1999. SHENG, H. H.; SAITO, R. Determinantes de Spread das Debêntures no Mercado Brasileiro. Revista de Administração da Universidade de São Paulo - RAUSP. São Paulo, v. 40, n. 2, p. 193-205, abr./jun. 2005. STREBULAEV, I. A. Do tests of capital structure theory mean what they say? The Journal of Finance. v. 62, n. 4, p. 1747-1787, Aug. 2007. TERRA, P. R. S. Estrutura de capital e fatores macroeconômicos na América Latina. Revista de Administração, São Paulo, v.42, n.2, p.192-204, abr./maio/jun. 2007. TARANTIN, JR.; W.; VALLE, M. R. Estrutura de capital: o papel das fontes de financiamento nas quais companhias abertas brasileiras se baseiam. Revista Contabilidade & Finanças, v. 26, n. 69, p. 331-344, 2015. VALLANDRO, L. F. J.; ZANI, J.; SCHONERWALD, C. Estrutura de capital: um estudo empírico sobre a ocorrência de equity market timing nas decisões de financiamento das companhias abertas brasileiras. In: ENCONTRO BRASILEIRO DE FINANÇAS, SOCIEDADE BRASILEIRA DE FINANÇAS, 10., 2010, São Paulo. Anais... São Paulo: VALLE, M. R. Mercado de bonds: risco, rating e custo de captação. Revista de Administração da Universidade de São Paulo - RAUSP. São Paulo, v.37, n.2, p.46-56, abr./jun. 2002. VALLE, M. R. Estrutura de capital de empresas brasileiras num ambiente de altas taxas de juros e na presença de fontes diferenciadas de financiamento. Ribeirão Preto, 2008. Tese (Livre Docência) - Departamento de Contabilidade, FEA-RP/USP. WELCH, I. Capital structure and stock returns. Journal of Political Economy. v. 112, n. 1, p. 106-131, Feb. 2004.
 

Clique para consultar os requisitos para EAC0166

Clique para consultar o oferecimento para EAC0166

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP