Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária
 
Administração
 
Disciplina: EAD0623 - Relações de Trabalho
Labor Relations

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 30 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2023 Desativação:

Objetivos
Conhecer abordagens teóricas sobre relações de trabalho
Construir as bases da competência de análise de relações de trabalho visando às atividades de planejamento, assessoria a negociadores e participação em negociações trabalhistas
Aplicar os conceitos de relações do trabalho identificando o processo e os padrões de organização do trabalho adotados pelas empresas
Compreender as situações organizacionais, aplicando os conceitos de ciências sociais com ênfase nas questões do trabalho e das relações sociais 
Conhecer aspectos sobre a formação e evolução do mercado de trabalho brasileiro, identificando os conceitos a partir de exemplos e questões práticas;
Pesquisar e debater temas contemporâneos relacionados com as transformações do trabalho, das relações de trabalho e das organizações.
Analisar os marcos mais significativos da trajetória do sindicalismo em geral e no Brasil avaliando a situação atual das entidades dos trabalhadores
Colaborar na pesquisa e escrita para um trabalho em formato de artigo acadêmico sobre um estudo de caso envolvendo ética e organizações de acordo com a estrutura proposta
Escrever um trabalho em formato de artigo acadêmico sobre um estudo de caso envolvendo ética e organizações de acordo com a estrutura proposta
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
65712 - Arnaldo Jose Franca Mazzei Nogueira
1963351 - Wilson Aparecido Costa de Amorim
 
Programa Resumido
1.Trabalho e Relações de Trabalho no Brasil
2. Mercado de Trabalho no Brasil 
3. Sindicatos no Brasil
4. Negociações Coletivas no Brasil
5. Economia 4.0 e as novas formas de trabalho, ocupações e relações de trabalho

 
 
 
Programa
Apresentação do curso
O trabalho e seus significados 	
Evolução do conceito de trabalho 
Transformações do trabalho	
Relações de trabalho: abordagem estratégica e competências 
Relações de trabalho e instituições – Abordagem teórica e conceitual
Mercado de Trabalho – Principais Conceitos e Estatísticas
Mercado de Trabalho Brasileiro: Formação (1900-2003) e Evolução Recente (2003-2015)
Os sindicatos no Brasil
Da Constituição de 1988 à Reforma Trabalhista de 2017
Negociações Coletivas no Brasil
Uberização, Indústria 4.0 e Trabalho Digital.  

 
 
 
Avaliação
     
Método
Atividades individuais em sala ou via Moodle (reflexão, análise, etc) e presença nas aulas - 50% Trabalho final (em grupo de no máximo 3 alunos) - 20% Prova: 30%
Critério
O aluno terá direito a recuperação se obter média final entre 3,0 (três e zero) e 4,9 (quatro e nove) e no mínimo 70% de frequência.
Norma de Recuperação
O aluno será submetido a uma avaliação cuja nota terá peso de 50% na média final.
 
Bibliografia
     
Bibliografia Básica
ABILIO, L. Sem maquiagem. Boitempo, 2017. 
AGUIAR, T. Maquiando o trabalho. Annablume, 2017.  
AMORIM, W.A.C. Negociações Coletivas no Brasil: 50 anos de aprendizado. São Paulo: Atlas, 2015.
AMORIM, W. A. C. Da Economia Institucional à Gestão de Recursos Humanos: Uma Abordagem Mediada pela Teoria dos Custos de Transação – Parte 1. In: Informações FIPE Março 2019. Temas da Economia Aplicada.
AMORIM, W. A. C. Da Economia Institucional à Gestão de Recursos Humanos: Uma Abordagem Mediada pela Teoria dos Custos de Transação – Parte 2. In: Informações FIPE Abril 2019. Temas da Economia Aplicada.
AMORIM, W. A. C. Futuro do trabalho no Brasil: Cuidar das instituições. RAE-Revista de Administração de Empresas, [S. l.], v. 60, n. 5, p. 371–377, 2020. DOI: 10.1590/S0034-759020200507
ARBIX, G., SALERNO, M. S., ZANCUL, E., AMARAL, G., & LINS, L. M. Novos estudos. Cebrap, 36(3), 29-49. (2017, novembro).
ANTUNES, R. A nova morfologia do trabalho no Brasil. Reestruturação e precariedade. Nueva Sociedad (especial em português). 2012. 
ANTUNES, R. Uberização, Trabalho Digital e Indústria 4.0. Boitempo, 2020.  
DEDECCA, C.S.. Notas sobre a Evolução do Mercado de Trabalho no Brasil. Revista de Economia Política, vol. 25, nº 1, 2005. 
DIEESE. A Reforma Trabalhista e os impactos para as relações de trabalho no Brasil. Nota Técnica, nº 178, Maio – 2017a.
HORN, C.H.; COTANDA, F.C.; PICHLER, W.A.. John T. Dunlop e os 50 Anos do Industrial Relations Systems. DADOS – Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, Vol. 52, nº 4, 2009, pp. 1047 a 1070.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Indicadores IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – PNAD Contínua. Principais destaques da evolução do mercado de trabalho no Brasil 2012-2021. Apresentação. Rio de Janeiro, RJ: IBGE, 2022.
INTERNATIONAL LABOR ORGANIZATION – ILO Working from Home: Estimating the worldwide potential – ILO Brief – April/2020.
KREIN, D. O desmonte dos direitos, as novas configurações do trabalho e o esvaziamento da ação coletiva: Consequências da reforma trabalhista. Tempo Social, 30(1), 77-104, 2018. doi: 10.11606/0103- 2070.TS.2018.138082 
WORLD ECONOMIC FORUM – WEF. The future of Jobs. Employment, skills and workforce strategy for the fourth industrial revolution. Geneve: January, 2016.
NOGUEIRA, A.J.F.M. Gestão Estratégica das Relações de Trabalho In FLEURY, M.T.L. “As pessoas na organização”. São Paulo: Editora Gente, 2002.
NOGUEIRA, A.J.F.M. Competências em relações de trabalho. In DUTRA, Atlas, 2008.
NOGUEIRA, A. A dinâmica do velho e do novo sindicalismo no século XXI, In Rodrigues, I. Annablume, 2019.
SLEE, T. Uberização. A nova onda do trabalho precarizado. Elefante, 2017.
SCHWAB, K. A quarta revolução industrial. Edipro, 2015. 
SUNDARAJAN, Arun.  The sharing Economy: the end of employment and the rise of crowd-based capitalism – Cambridge, MIT Press, 2016. Tradução SENAC, 2018.

Bibliografia Complementar
ANTUNES, R. O privilégio da servidão. Boitempo, 2019.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DO SETOR DE BICICLETAS - ALIANÇA BIKE. Pesquisa de perfil dos entregadores ciclistas de aplicativo. Associação Brasileira do Setor de Bicicletas - Aliança Bike: São Paulo, 2019.
AMORIM, W.A.C.; CRUZ, M.V.G.; SARSUR, A.M.; FISCHER, A.L. HRM in Brazil: an institutional approach. REGE REVISTA DE GESTAO 2020. (https://www.emerald.com/insight/2177-8736.htm). 
BARBOSA, Alexandre F.. A formação do mercado de trabalho brasileiro. São Paulo: Alameda, 2008. (pp. 188-239)
BARBOZA, S.F., OLTRAMARI, A.P., MULLER, C.V., SALVAGNI, J. Relações de Trabalho: Reflexões Conceituais e Proposta de Agenda a Partir da Produção Científica Brasileira (2005–2017). Revista ADM.MADE, Rio de Janeiro, Ano 19. 23(3), 20-41, September/December, 2019.
BRYNJOLFSSON,  McAFEE, A. Novas tecnologias versus Empregabilidade. São Paulo: M.Books, 2014.
Confederação Nacional da Indústria. Modernização trabalhista: Lei nº 13.467 de 13 de julho de 2017, panorama anterior e posterior à aprovação. Confederação Nacional da Indústria. Brasília, DF: CNI, 2017. 
CARELLI, R. L.; CAVALCANTI: T.M.; FONSECA, V.P.. Futuro do trabalho: os efeitos da revolução digital na sociedade /organização – Brasília : ESMPU, 2020.
CARDOSO, Adalberto Moreira. A Construção da Sociedade do Trabalho no Brasil. Uma investigação sobre a persistência secular das desigualdades – 2 ed. – Rio de Janeiro, Amazon, 2019.
CRUZ, M.V.G.; SARSUR, A. M.; AMORIM, W.A.C.. Gestão de Competências nas Relações de Trabalho: O que Pensam os Sindicalistas?. Revista de Administração Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 16, n. 5, art. 4,pp. 705-722, Set./Out. 2012.
DIEESE. Relações de trabalho sem proteção: de volta ao período anterior a 1930? Nota Técnica, nº 179, Maio – 2017b.
FISCHER, A.L.; AMORIM, W.A.C.; KASSEM, M.R.; HARTMAN, S.M.; VARZONI, G.C.; LEONARD, I.V. Satisfação e desempenho: avanços e desafios após um ano da migração compulsória para o home office Relatório técnico Julho/2021 
GÓES, G.S.; MARTINS, F. S.; NASCIMENTO, J.A.S.. IPEA - Potencial de teletrabalho na pandemia: um retrato no Brasil e no mundo. Carta de Conjuntura - NÚMERO 47 — NOTA DE CONJUNTURA 18 — 2° TRIMESTRE DE 2020.
GÓES, G.S.; MARTINS, F. S.; NASCIMENTO, J.A.S.. IO trabalho remoto e a massa de rendimentos na pandemia. IPEA - Carta de Conjuntura - NÚMERO 49 — NOTA DE CONJUNTURA 18 — 4 ° TRIMESTRE DE 2020.
GÓES, G.S.; MARTINS, F. S.; NASCIMENTO, J.A.S.. A gig economy no Brasil: uma abordagem inicial para o setor de transporte. Carta de Conjuntura - NÚMERO 53 — NOTA DE CONJUNTURA 5 — 4 ° TRIMESTRE DE 2021.
HELOANI, R. Organização do trabalho e Administração. Cortez, 1994. (cap 9, 10 e 11)
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. INDICADORES - IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – PNAD Contínua. Indicadores IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Quarto Trimestre de 2021. Rio de Janeiro, RJ: IBGE, 2022.
INTERNATIONAL LABOR ORGANIZATION – ILO Working from Home: Estimating the worldwide potential – ILO Brief – April/2020.
KAUFMAN,B.E. The theoretical foundation of industrial relations and its implications for labor economics and human resource management. Industrial and Labor Relations Review, 64(1): 74-107. 2010.
KREIN, D. O desmonte dos direitos, as novas configurações do trabalho e o esvaziamento da ação coletiva: Consequências da reforma trabalhista. Tempo Social, 30(1), 77-104, 2018. doi: 10.11606/0103- 2070.TS.2018.138082
NOGUEIRA, A.J.F.M. TGA para o século XXI. Ática, 2007. 
SANCHES, A. T. Trabalho bancário. Annablume, 2018.  
SENNETT, R. A corrosão do caráter. Rio de Janeiro: Record, 1997. (Cap.3)
WORLD ECONOMIC FORUM – WEF. The future of Jobs. Employment, skills and workforce strategy for the fourth industrial revolution. Geneve: January, 2016.
WORLD ECONOMIC FORUM – WEF.  Jobs of Tomorrow. Mapping Opportunity in the New Economy. Geneve: January, 2020.
WORLD ECONOMIC FORUM – WEF. The Future of Jobs Report. Geneve: October, 2020.

 

Clique para consultar os requisitos para EAD0623

Clique para consultar o oferecimento para EAD0623

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2024 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP