Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Educação
 
Adm Escolar e Economia da Educação
 
Disciplina: EDA0222 - Política e Organização da Educação Básica II - Poeb I I
EDA0222 5 Basic Education Policies and Organization II - BEPO II

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h ( Estágio: 30 h , Práticas como Componentes Curriculares = 20 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2013 Desativação:

Objetivos
Propiciar aos alunos, numa perspectiva crítica, conhecimentos basilares para a compreensão de diferentes aspectos referentes à organização e à legislação da Educação Básica e à Política Educacional no Brasil, verificando seus impactos nos sistemas de ensino e nas unidades escolares, como elementos de reflexão e intervenção na realidade educacional brasileira.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
91159 - Afranio Mendes Catani
80612 - Carmen Sylvia Vidigal Moraes
170585 - Cesar Augusto Minto
1253112 - Marcos Ferreira dos Santos
1536156 - Maria Clara di Pierro
1319164 - Ocimar Munhoz Alavarse
1689780 - Roberto da Silva
1678040 - Rogério de Almeida
2060961 - Rosangela Gavioli Prieto
1838796 - Rubens Barbosa de Camargo
2146261 - Shirley Silva
84853 - Sonia Maria Portella Kruppa
 
Programa Resumido
Esta disciplina tem por objetivo propiciar aos alunos do curso de Pedagogia, numa perspectiva crítica, conhecimentos básicos referentes à política educacional no Brasil e o acompanhamento da sua implementação, em nível de sistema e de unidade escolar. Nesse sentido, serão desenvolvidos os seguintes conteúdos: diferenciais de acesso, permanência e aprendizagem; questões atuais sobre políticas educacionais; e políticas de equidade.
 
 
 
Programa
1 Diferenciais de acesso, permanência e aprendizagem no sistema escolar: classe social, gênero, raça, etnia, cultura e diferenças individuais, por deficiência ou outras condições.
2 Questões atuais sobre políticas públicas de educação: escola de tempo integral; ciclos e progressão continuada; planos de educação, Sistema Nacional de Educação e regime de colaboração; e parcerias público-privada.
3 Educação em contextos escolares e não escolares: Pareducação do campo; educação quilombola; educação social de rua; educação em regime de privação de liberdade; e outros
4 Políticas de combate à desigualdade e de equidade: programas complementares para a Educação básica: alimentação, transporte, livro didático, saúde escolar, uniforme etc.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas, orientação para elaboração de seminários, trabalhos de aproveitamento, resumos, fichamentos, resenhas e leituras. Orientação e supervisão de estágios.
Critério
Síntese expressa numa escala numérica de 0 (zero) a 10 (dez).
Avaliação contínua por meio da realização de provas orais e escritas, da apresentação de seminários, da elaboração de trabalhos escritos, do cumprimento do estágio e outras atividades. O relatório a ser entregue ao final de estágio também é um dos elementos significativos da avaliação.
Norma de Recuperação
As estabelecidas pela USP. As formas, os períodos e os assuntos que farão parte do processo de recuperação serão definidos pelo docente da disciplina.
 
Bibliografia
     
APPLE, M. W. Políticas de direita e branquitude: a presença ausente da raça nas reformas educacionais. Revista Brasileira de Educação. Campinas: Autores Associados, n.16, 2001, p.61-67.
ARANTES, V. A. (Org.). Inclusão escolar: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2006.
ARROYO, M. G. Educação de jovens e adultos: um campo de direitos e de responsabilidade pública. In: Soares, L. J. G. et al. Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2005, p. 19-50.
BEISIEGEL, C. de R. A educação de jovens e adultos analfabetos no Brasil. Alfabetização e Cidadania, São Paulo, n. 16, p. 19-27, jul. 2003.
BRITTO, L. P. L. Educação de adultos trabalhadores na sociedade industrial. In: Contra o consenso: cultura escrita, educação e participação. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2003. (Ideias sobre linguagem). cap. 11, p. 195-209.
BRUNO, L. (Org.). Educação e trabalho no capitalismo moderno. São Paulo: Atlas, 1996.
CALDART, R. S. Educação e movimento: formação de educadoras e educadores no MST. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.
CARVALHO, M. P. de. Gênero e política educacional em tempos de incerteza. In: HYPOLITO, A.; GANDIN. L. A. (Orgs). Educação em tempos de incertezas. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. p.137-162.
CARVALHO, M. P. de. Mau aluno, boa aluna? Como as professoras avaliam meninos e meninas. Estudos Feministas. Florianópolis: CFH/CCE/UFSC, v.9, n.2, 2001.
DI PIERRO, M. C. Notas sobre a redefinição da identidade e das políticas públicas de educação de jovens e adultos no Brasil. Educação & Sociedade, Campinas, v. 26, n. 92, p. 1115-1139, 2005.
FREIRE, P. A educação na cidade. São Paulo: Cortez, 1991.
FREIRE, P. Política e educação: ensaios. São Paulo: Cortez, 1993.
FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. A política de educação profissional do governo Lula. Educação & Sociedade. v. 26, n. 2, esp. Out. 2005, p. 1087-1111.
GENTILI, P.; FRIGOTTO, G. (Orgs). A cidadania negada:
políticas de exclusão na educação e no trabalho. São Paulo: Cortez, 2001.
GIROUX, H. A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Tradução: Daniel Bueno. Porto Alegre/RS: Artes Médicas, 1997.
GONÇALVES, L. A. O.; SILVA, P. B. G. e. Multiculturalismo e educação: do protesto de rua a proposta e políticas. Educação e Pesquisa, v. 29, n. 1, p.109-123, jan./jun. 2003.
LARROSA, J.; SKLIAR, C. (Org.) Habitantes de babel: políticas e poéticas da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.
HADDAD, S.; DI PIERRO, M. C. Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n.14, p.108-130, 2000.
KOLLING, E. J.; CERIOLI, P. R. ; CALDART, R. S. (Orgs.). Educação do campo: identidade e políticas públicas. Brasília, DF: Articulação nacional por uma Educação do campo, 2002. (Coleção por uma educação do campo, n. 4).
MORAES, C. S. V. Educacão permanente: direito de cidadania, responsabilidade do Estado. In: Trabalho, Educacão e Saúde, v. 4, n. 2, p. 395-416, 2006.
MORAES, C.S.V.; ALAVARSE, O.M. Ensino Médio: Possibilidades de Avaliação. In: Educação & Sociedade. Revista do CEDES. Campinas, v.32, n.116, p. 807-838, jul/set, 2011.
MOTTA, F. C. P. Organização e poder: empresa, Estado e escola. 1995. Tese (Livre-docência) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1995.
OLIVEIRA, D. O. (Org.). Gestão democrática da educação. Petrópolis: Vozes, 1997.
PARO, V. H. Gestão democrática da escola pública. São Paulo: Ática, 1997.
VIANNA, C. P.; RIDENTI, S. Relações de gênero na escola: das diferenças ao preconceito. In: AQUINO, J. G. (Coord.). Diferenças e preconceito na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1998.
VIANNA, C. P.; UNBEHAUM, Sandra. Gênero na educação básica: quem se importa? Uma análise de documentos de políticas públicas no Brasil. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 95, p. 407-428, mai./ago. 2006.

Declarações e convenções Internacionais, assim como leis, decretos, portarias, pareceres, indicações e resoluções pertinentes às temáticas e das diferentes esferas administrativas.
Anuários, censos, sinopses, levantamentos, séries históricas, estudos e avaliações de dados educacionais de diferentes sistemas de ensino nacionais (MEC, secretaria estaduais e municipais de educação) e internacionais (Statistical Yearbook Unesco, OECD).
 

Clique para consultar os requisitos para EDA0222

Clique para consultar o oferecimento para EDA0222

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP