Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Educação
 
Adm Escolar e Economia da Educação
 
Disciplina: EDA0644 - Educação especial, inclusão escolar e políticas de atendimento a alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação
EDA0644 Special needs education, school inclusion and care policies for students with disabilities, developmental disorders and high skills/giftedness

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2019 Desativação:

Objetivos
Esta disciplina visa a proporcionar aos estudantes elementos para a compreensão e análise de políticas públicas, legislação, planos e programas governamentais no Brasil para o atendimento escolar de alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação. Para atender tais objetivos está prevista realização de viagens didáticas para visitação a serviços públicos de atendimento em educação especial em que os estudantes terão possibilidade de aprofundar os estudos na área pela via da articulação teórico-prática.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
2060961 - Rosangela Gavioli Prieto
 
Programa Resumido
direito à educação para todos: legislação brasileira e recomendações internacionais; fundamentos de educação especial: conceitos e alternativas de atendimento educacional; política nacional de educação especial: legislação; planos e programas governamentais.
 
 
 
Programa
1 Direito à educação e o papel do Estado; 2 Política educacional brasileira, recomendações internacionais e educação especial; 3 Igualdade de direitos e direito à diferença: a educação especial na perspectiva da educação inclusiva; 4 Qualidade do ensino e educação especial: evolução do atendimento educacional de alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotados no Brasil; Justificativa Esta disciplina pretende possibilitar aos alunos dos cursos de Licenciatura (e Pedagogia e outras) a oportunidade de conhecer e/ou aprofundar o estudo de questões relacionadas a políticas de atendimento educacional direcionadas aos alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação. Visa, também, a oferecer subsídios sobre análise de planos e programas, tal como propostos por instâncias oficiais nos vários níveis de governo, com vistas a perceber se estes dão respaldo às necessidades desse alunado, no sentido de garantir-lhes a educação pública com orientação inclusiva. Em prol da defesa do direito de todos à educação e de que esta se dê em ambientes comuns de ensino, os alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação devem contar com a oferta de serviços de atendimento educacional especializado e de outros apoios, sempre que necessário. É preciso, portanto, que os profissionais da educação tenham acesso a um conjunto de saberes que lhes permitam intervir nos sistemas de ensino para assegurar a melhoria das condições de ensino que favoreçam o acesso, a permanência e a aprendizagem desses alunos.
 
 
 
Avaliação
     
Método
aulas expositivas organizadoras do conteúdo; problematização das leituras indicadas; debates com especialistas da área; discussão das experiências viagens didáticas.
Critério
avaliação contínua considerando a participação em aula, assiduidade, realização de relatórios de leitura e trabalho final, em que serão considerados como critérios a clareza e consistência nas argumentações, o domínio dos conceitos fundamentais do campo e a adequação às orientações estabelecidas para a realização dos trabalhos e às normas da língua culta.
Norma de Recuperação
realização de provas ou trabalhos complementares, seguindo o cronograma da USP.
 
Bibliografia
     
ANGELUCCI, Biancha; SOTILLI, Erika Pisaneschi. Atención a las personas diagnosticadas como transtorno del espectro autista em Brasil: por uma ética del encuentro. In: UNTOIGLICH, G. Autismos y otras problemáticas graves en la infancia: la clínica como oportunidad. Buenos Aires; Noveduc, 2015. ARRETCHE, Marta. Uma contribuição para fazermos avaliações menos ingênuas. In: BARREIRA, Maria Cecília Roxo Nobre; CARVALHO, Maria do Carmo Brant (Orgs.). Tendências e perspectivas na avaliação de políticas e programas sociais. São Paulo: IEE/PUC, s/d. de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial. Brasília, MEC/SEEP, 1994. BRIDI, Fabiane Romano de Souza; BAPTISTA, Claudio Roberto. Deficiência mental: o que dizem os manuais diagnósticos? Rev. Educ. Espec., v. 27, n. 49, p. 499-512, maio/ago. 2014. BUENO, José Geraldo Silveira. Crianças com necessidades educativas especiais, política educacional e a formação de professores: generalistas ou especialistas? Rev. Bras. Educ. Esp. Piracicaba, UNIMEP, 3 (5): 7-25, set. 1999. CAIADO, Katia Regina Moreno. Convenção Internacional sobre os direitos das pessoas com deficiências: destaques para o debate sobre educação. Rev. Educ. Espec., v. 22, n. 35, p. 329-338, set./dez. 2009. COSTA, Ana Maria Machado. O reconhecimento da pessoa com transtorno mental severo como pessoa com deficiência: uma questão de justiça. Disponível em: . CURY, Carlos Roberto Jamil. Direito à educação: direito à igualdade, direito à diferença. Cad. Pesquisa, n. 116, p. 245-262, jul. 2002. DHANDA, Amita. Construindo um novo léxico dos Direitos Humanos: Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiências. SUR - Revista Internacional de Direitos Humanos, ano 5, n.º 8, São Paulo, jun. 2008. GARCIA, Rosalba Maria Cardoso. Política de educação especial na perspectiva inclusiva e a formação docente no Brasil. Rev. Bras. Educ., v. 18, n. 52, jan.-mar. 2013. GESSER, Marivete; NUERNBERG, Adriano Henrique; TONELI, Maria Juracy Filgueiras. A contribuição do modelo social da deficiência à Psicologia social. Psicologia & Sociedade, 24(3): 557-566, 2012. GUGEL, Maria Aparecida. Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência. Disponível em: HAAS, Clarissa; BAPTISTA, Claudio Roberto. Currículo e educação especial: uma relação de (re) invenção necessária a partir das imagens-narrativas dos cotidianos escolares. 37ª Reunião Nacional da ANPEd – 04 a 08 de outubro de 2015, UFSC – Florianópolis. Disponível em: . MAGALHÃES, Rita de Cássia Barbosa Paiva; SOARES, Márcia Torres Neri. Currículo escolar e deficiência: contribuições a partir da pesquisa-ação colaborativo-crítica. Cad. Pesquisa, v.46, n.162, p.1124-1147, out./dez. 2016. MANTOAN, Maria Teresa Eglér. Inclusão escolar: o que é? Por quê? Como fazer? 1. ed. São Paulo: Moderna, 2003. MENDES, Enicéia Gonçalves. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 11, n.º 33, p. 387-406, set./dez. 2006. MENDES, Enicéia Goncalves; LOURENÇO, Gerusa Ferreira. Viés de gênero na notificação de alunos com necessidades educacionais especiais. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, v.15, n.3, p.417-430, Set./Dez. 2009. MICHELS, Maria Helena. O que há de novo na formação de professores para a Educação Especial? Rev. Educ. Espec., Santa Maria, v. 24, n. 40, p. 219-232, maio/ago. 2011. Disponível em: . OLIVEIRA, Romualdo Portela de; ARAUJO, Gilda Cardoso. Qualidade do ensino: uma nova dimensão da luta pelo direito à educação. Rev. Bras. Educ., São Paulo, n. 38, p. 5-23, jan./abr. 2005. PRIETO, Rosângela Gavioli; PAGNEZ, Karina Soledad Maldonado Molina. Direito à educação, educação especial e qualidade de ensino: indicadores e desafios para a área. In: MARTINS, Lucia de A. R.; PIRES, Gláucia N. da L.; PIRES, José. Caminhos para uma educação inclusiva: políticas, práticas e apoios especializados. João Pessoa: Ideia, 2014. p. 49-83. SILVA, Kelly Cristina Brandão da. O discurso médico-psicológico na configuração do campo da educação especial. Revista Eletrônica de Educação, v. 10, n. 1, p. 69-87, 2016. Disponível em: . Leis nacionais com direitos relativamente às pessoas com deficiência (PcD), transtornos globais do desenvolvimento (TGD) e altas habilidades/superdotação (AH/S) BRASIL. Congresso Nacional. Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 1988, Seção 1, Página 1 (Publicação Original). BRASIL. Presidência da República. Lei n.º 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 16 jun. 1990, Seção 1, Página 13.563. BRASIL. Congresso Nacional. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – Lei n.º 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996, Seção 1, Página 27833 (Publicação Original). Versão com emendas da Lei nº 12.796 de 2013 e da Lei n.º 13.234 de 2015. Disponível em: . Planos Nacionais de Educação BRASIL. Presidência da República. Plano Nacional de Educação. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 jan. 2001, Página 1 (Publicação Original). BRASIL. Congresso Nacional. Lei n. º 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 jun.2014, Seção 1, Página 1/7 (120-A, Edição Extra). Normativas específicas da educação especial BRASIL. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial: livro 1/MEC/SEESP - Brasília: a Secretaria, 1994. 66f. BRASIL. Presidência da República. Decreto n.º 3.956, de 8 de outubro de 2001. Promulga a Convenção Interamericana para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Pessoas Portadoras de Deficiência. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 9 out. 2001, Seção 1, Página 1 (Publicação Original). BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB nº. 2, setembro de 2001. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 3 set. 2001. Disponível em: . BRASIL. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva. Inclusão. Revista da educação especial, v. 4, n.º 1, p. 9-17, jan./jun.2008. BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução n.º 4, de 2 de outubro de 2009. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 2009, Seção 1, Página 17. BRASIL. Decreto n.º 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 nov. 2011, Seção 1, Página 5 (Edição Extra). BRASIL. Presidência da República. Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Brasília: Diário Oficial da União - Seção 1 - 26/8/2009, Página 3 (Publicação Original). BRASIL. Presidência da República. Lei n.º 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da pessoa com deficiência (Estatuto da pessoa com deficiência). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 7 jul. 2015, Seção 1, Página 2 (Publicação Original). Declarações internacionais UNESCO. Declaração Mundial sobre Educação para Todos e Plano de Ação para Satisfazer as Necessidades Básicas de Aprendizagem. Tailândia: Jomtien, 1990. UNESCO. Declaração de Salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Espanha: Salamanca, 1994. Legislação estadual e municipais Legislação relativa à educação especial das redes estadual de ensino de São Paulo e de municípios paulistas
 

Clique para consultar os requisitos para EDA0644

Clique para consultar o oferecimento para EDA0644

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP