Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Educação
 
Filosofia da Educ e Ciências da Educ
 
Disciplina: EDF0287 - Introdução aos Estudos da Educação: Enfoque Histórico
Introduction to Educational Studies: Historical Approach

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 20 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2019 Desativação:

Objetivos
O curso tem por objetivo abordar a história da educação brasileira, com foco no processo de escolarização, como forma de introduzir os alunos aos estudos da Educação. 

 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
6399271 - Ana Luiza Jesus da Costa
162022 - Bruno Bontempi Junior
2177609 - Diana Gonçalves Vidal
6396959 - Maria Angela Borges Salvadori
2172708 - Maurilane de Souza Biccas
2049551 - Roni Cleber Dias de Menezes
 
Programa Resumido
A disciplina se propõe a abordar a história da educação no mundo ocidental moderno e contemporâneo, a partir da análise do processo da escolarização da sociedade brasileira.
 
 
 
Programa
1. A constituição da escola no Brasil entre os séculos XVI e XXI:
1.1. O aparecimento da escola moderna;
1.2. A organização do sistema educativo;
1.3. As reformas educacionais;
1.4. A legislação geral.

2. A história da profissão docente no Brasil:
2.1. As congregações docentes;
2.2. Os primeiros funcionários públicos;
2.3. A criação das escolas normais;
2.4. A feminização do magistério;
2.5 A proletarização da profissão docente.

3. Métodos e Práticas escolares:
3.1. Os métodos de organização da classe;
3.2. Os métodos de ensino;
3.3. As escolas moderna e nova.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aula expositiva, trabalhos em grupo, seminários e outros. Práticas como Componente Curricular: 20 horas, correspondentes a visitas externas a instituições de acervo e pesquisa em educação e cultura brasileira, bem como de memória da escola elementar paulista e exposições de interesse para a temática da disciplina. Complementarmente, figuram como atividades curriculares a assistência a filmes em que se possa discutir representações artísticas e leituras próprias a partir de conteúdos inerentes à história da escola e da educação elementar no Brasil; orientação de projetos de ensino e pesquisa e estímulo à leitura de obras literárias atinentes a aspectos englobados pela disciplina e uma correspondente atividade de escrita, como instrumento de desenvolvimento intelectual e de expressão do raciocínio.
Critério
Seminários, trabalhos em grupo, provas individuais e outros.
Norma de Recuperação
Realização de atividade(s) de recuperação conforme modalidade(s) proposta(s) pelo(a) docente após o encerramento do período letivo regular, em período de acordo com calendário da graduação estabelecido pela USP.
 
Bibliografia
     
-“A Carta de Vilhena sobre a educação na colônia” , in RBEP, VII, 20 (1946).
-“Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova”, in Revista Brasileira de Estudos pedagógicos XXXIV, 79 (1960).
-Abreu, M. “Da maneira correta de ler: leituras das belas letras no Brasil colonial”, in Abreu, M., org. Leitura, História e
História da Leitura (Mercado de Letras, 1999).
-Alves, G. L. “O Seminário de Olinda”, in E.T. Lopes e outros, orgs. 500 anos de educação no Brasil (Autêntica, 2000). Antonacci, M. Ant. M. “Institucionalizar Ciência e Tecnologia – em torno da Fundação do IDORT (S.Paulo, 1918-31)”, in R. Brasileira de História 7, 14 (1987): 59-78.
-Arruda, M. Arminda N. “Metrópole e cultura: o novo modernismo paulista em meados do século”, in Tempo Social 9,2 (1997): 39-52.
BERGAMASCHI, Maria Aparecida; MEDEIROS, Juliana Schneider. História, memória e tradição na educação escolar indígena: o caso de uma escola Kaingang. Rev. Bras. Hist.,  São Paulo ,  v. 30, n. 60, p. 55-75,    2010 .
Biccas, Maurilane e Carvalho, M.M.C. “Reforma escolar e práticas de leitura de professores: a Revista do Ensino”, in Carvalho, M.M.C e Vidal, D.G. (orgs.) Biblioteca e formação docente: percursos de leitura (1902-35). B. Horizonte: Autêntica, 2000.
BICCAS, Maurilane de S.; FREITAS, M.C. História Social da Educação no Brasil. S.Paulo: Cortez Ed., 2009.
Bruit, H. H. “Derrota e Simulação: os índios e a conquista da América”, in D.O. Leitura, 11- 125 (1992).
-Cardoso, Tereza F.L. ”A Construção da escola pública no Rio de Janeiro imperial”, in RBHE, 5 (2003).
-Carvalho, M.M.C. “Notas para reavaliação do movimento educacional brasileiro (1920-30)”, in Cadernos de Pesquisa 66 (1988):4-11.
Catani, D. E outros, “Os homens e o magistério: as vozes masculinas nas narrativas de formação”, in. Catani, D. E outros A
vida e o ofício dos professores. S. Paulo: Escrituras, 1998.
-Costa, A.M. I. da. “A Educação para trabalhadores no estado de São Paulo, 1889-1930”, in RIEB-USP, 24 (1982). cruzados”, in RBE, 7 (1998).
--Cunha, L. Ant. “O milagre brasileiro e a política educacional”, in Argumento 2 (nov. 1973); 45-54.
-Cunha, L. Ant. “O Modelo Alemão e o ensino brasileiro”, in Garcia, W.E. (org.)Educação Brasileira Contemporânea:
organização e funcionamento. 3a. ed. S. Paulo: McGraw-Hill, 1981.
-Cunha, L. Ant. “Roda-Viva”, in Cunha, L. Ant. e Góes, M. (orgs.). O Golpe na Educação. 5a. ed. R. Janeiro: Zahar, 1985.
-Cunha, M.Iza G. da. “Formar damas cristãs”, in Memórias da Educação, Campinas, 1850-1960 (EdUnicamp/CME, 1999).
-Custódio, M Ap. e Hilsdorf, M.L.S. “O colégio dos jesuítas de São Paulo (que não era colégio nem se chamava São Paulo)”, in RIEB-USP, 39 (1995).
-Demartini, Z. B. F. “O coronelismo e a educação na 1a. República”, in Educação & Sociedade (dez. 1989).
Duarte, Adriano L. Cidadania e exclusão, 1937-45. Florianópolis: EDUFSC, 1999, cap. -“Lazer: tempo livre, tempo de educar”.
-Faria Filho, L.M. de e Vago, T.M. “Entre Relógios e Tradições”, in Vidal, D.G. e Hilsdorf, M.L.S., orgs. Tópicas em História da
Educação (Edusp, 2001).
-Fernandes, R. “A Instrução pública nas cortes gerais portuguesas”, in E.T. Lopes e outros, orgs. 500 anos de educação no
Brasil (Autêntica, 2000).
-Fernandes, Rogério. A História da educação no Brasil e em Portugal: caminhos
-Fernandes, Rogério. “Sobre a escola elementar no período pré-pombalino” in.
FONSECA, Marcos  Vinicius,  BARROS, Surya Aaronovich Pombo de. A História da Educação dos Negros no Brasil. Niterói: EdUFF, 2016. 
Góes, M. “Voz Ativa” in Cunha, L. Ant. e Góes, M. (orgs.). O Golpe na Educação. 5a. ed. R. Janeiro: Zahar, 1985.
Gonçalves, L. A. O. “Negros e educação no Brasil”, in E.T. Lopes e outros, orgs. 500 anos de educação no Brasil
(Autêntica, 2000).
GONDRA, José Gonçalves; SCHUELER, Alessandra. Educação, poder e sociedade no Império Brasileiro. Sao Paulo: Cortez, 2008.
Hansen, J.A. ”Ratio Studiorum e a política católica ibérica no século XVII”, in Vidal, D.G. e Hilsdorf, M.L.S., orgs. Tópicas em História da Educação (Edusp, 2001).
-Hilsdorf, M.L.S. “Cultura escolar/Cultura oral em S. Paulo, 1820-60”, in Vidal, D.G. e Hilsdorf, M.L.S., orgs. Tópicas em
História da educação (Edusp, 2001).
-Hilsdorf, M.L.S. “Lourenço Filho em Piracicaba”, in Souza, C.P. (org.). História da Educação: processos, práticas e saberes. S. Paulo: Escrituras, 1998.
-Hilsdorf, M.L.S. “Mestra Benedita ensina primeiras letras em São Paulo” in Actas do 1º. Congresso Luso-Brasileiro de H. da educação, vol. 2 (1998).
-Hilsdorf, M.L.S. “Os anjos vão ao colégio: Rangel Pestana e a educação feminina” in RB Mario de Andrade, 53 (1995).
-Hilsdorf, M.L.S. História da educação brasileira: leituras. 2ª. Reimp. (S. Paulo: Thomson-Learning, 2006).
-Jomini, R.C.M. “Educação e Iniciativas pedagógicas” , in Pre-posições, 3 (1990).
JULIA, Dominique. A Cultura Escolar como Objeto Histórico. In: Revista Brasileira de História da Educação, São Paulo, n1, jan/jun 2001.
LOPES, Eliane Marta Teixeira e outros (org.) 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizionte: Ed. Autêntica, 2000.
Luizetto, F. “Cultura e educação libertária no Brasil no início do século XX”, in Estado e Sociedade, 12 (1982). 
Magaldi, Ana M.B. M. “Um compromisso de honra: reflexões sobre a participação de duas manifestantes de 1932 no movimento de renovação educacional”, in Magaldi, Ana M. e Gobdra, J.G. (orgs.). A reorganização do campo educacional no Brasil: manifestações, manifestos e manifestantes.. R. Janeiro: 7 letras, 2003.
Moraes, C. S. V. “A Maçonaria republicana e a educação” in Actas do 1º. Congresso Luso-Brasileiro de H. da educação, vol.
3 (1998).
NOGUEIRA, Vera Lucia; FARIA FILHO, Luciano Mendes de. A escolarização dos trabalhadores adultos no contexto de modernização do estado de Minas Gerais (1894-1917). Revista HISTEDBR On-line, [S.l.], v. 16, n. 68, p. 57-72, out. 2016. 
NÓVOA, Antonio.  Para o estudo sócio-histórico da gênese e desenvolvimento da profissão docente. Teoria e Educação, n. 4, 1991, p. 109-139.
Paiva, Aparecida. “A leitura censurada”, in Abreu, M., org. Leitura, História e História da Leitura (Mercado de Letras,
1999).
-Raminelli, R.“Eva Tupinambá”, in Del Priore, M., org. História das Mulheres no Brasil (Unesp/ Contexto, 1997).
-Ritzkat, M. G. B. “Preceptoras alemãs no Brasil”, in E.T. Lopes e outros, orgs. 500 anos de educação no Brasil (Autêntica,
2000).
-Saviani, Dermeval, “Análise crítica da organização escolar brasileira através das leis 5540/68 e 5692/71”, in Garcia, W.E. (org.) Educação Brasileira Contemporânea: organização e funcionamento.
Schwartzman, S. e outros. Tempos de Capanema. R.Janeiro/S.Paulo: Paz e Terra/Edusp, 1984, cap. 2.
-Silva, Adriana M.P.da. “A escola de Pretextato dos Passos e Silva”, in RBHE, 4 (2002).
Souza, Cynthia P.de “Os caminhos da educação masculina e feminina no debate entre católicos e liberais : a questão da co- educação dos sexos, anos 30 e 40”, in Pesquisa Histórica: Retratos da educação no Brasil. : 37-48.
VEIGA, Cinthia Greive. A Escolarização como Projeto de Civilização. In Revista Brasileira de Educação, n. 21, Set/Out/Nov/Dez 2002.
VIANNA, Cláudia Pereira. O sexo e o gênero da docência. Cad. Pagu, Campinas ,  n. 17-18, p. 81-103, 2002.
VIDAL, Diana Gonçalves. História da Educação como Arqueologia: cultura material escolar e escolarização. Revista Linhas. Florianópolis, v. 18, n. 36, p. 251-272, jan./abr. 2017.
Vidal, D.G. e Esteves, Isabel “Modelos caligráficos concorrentes: as prescrições para a escrita na escola primária paulista (1910-40)”, in Peres, E. e Tambara, E. (orgs.). Livros Escolares e ensino da leitura e da escrita no Brasil (sécs. XIX-XX). Pelotas: Seiva/ FAPERGS, 2003.
-Vidal, D.G. e Silva, J.C.S. “O ensino da leitura na Reforma Fernando de Azevedo e a cidade do R. de Janeiro de finais da década de 1920: tempos do moderno”, in Revista de Pedagogia 2, 5 (UNB/Brasília) (www.fe.unb.br/revistadepedagogia).
-Vieira, Sofia L. “Neo-liberalismo, privatização e educação no Brasil”, in Oliveira, R. P. (org.). Política educacional: impasses e perspectivas. S. Paulo: Cortez, 1995.
-Villalta, L.C. “A educação na colônia e os jesuítas: discutindo alguns mitos”, in Vidal, D.G. e Prado, M.L., orgs. À margem dos 500 anos: reflexões irreverentes (Edusp, 2002).
-Villela, Heloisa. “O mestre-escola e a professora”, in E.T. Lopes e outros, orgs. 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.
-Villela, Heloisa. “A primeira escola normal do Brasil”, in Nunes, Clarice, org. O Passado sempre Presente (Cortez, 1992).
VIÑAO, A. Sistemas educativos, culturas y reformas. 2a ed. Madrid: Morata, 2006.
VINCENT, Guy; LAHIRE, Bernard; THIN, Daniel. Sobre a história e a teoria da forma escolar. In:  Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 33, jun. 2001.
 

Clique para consultar os requisitos para EDF0287

Clique para consultar o oferecimento para EDF0287

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP