Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Escola de Educação Física e Esporte
 
Pedag do Mov do Corpo Humano
 
Disciplina: EFP0123 - Educação Física no Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano I
Physical Education in Elementary Education (6th – 9th grade) I.

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h ( Estágio: 10 h , Práticas como Componentes Curriculares = 30 h , Atividades Acadêmicos-Científico-Culturais = 10 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2018 Desativação:

Objetivos
1. Contextualizar a Educação Física no Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano no âmbito da Educação Básica, destacando importância e finalidades nesta etapa de ensino; 2. Construir fundamentação política e pedagógica consistente para atuação em Educação Física no Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano; 3. Analisar características e especificidades da Educação Física no Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano considerando teorias do desenvolvimento humano e diferentes concepções de corpo e movimento; 4. Analisar e situar o componente curricular Educação Física no Ensino Fundamental no âmbito das “Políticas Públicas de Educação”; 5. Conhecer e analisar programas de Educação Física vigentes para o ensino fundamental de 6º ao 9º ano; 6. Proporcionar o contato dos licenciandos com escolas públicas e privadas de Ensino Fundamental para aproximação com a realidade e análise da cultura escolar, propostas e concepções da educação física vigentes, assim como com perspectivas e vivências dos alunos; 7. Oferecer oportunidades de experiência com situações de aulas em instituições de Ensino Fundamental do 6º ao 9º, envolvendo discussões de planejamento, observações e participações no processo de docência;
 8. Conhecer as fontes de informação sobre Educação Física Escolar e desenvolver estratégias de atualização e avaliação profissional contínua.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
7351248 - Ana Cristina Zimmermann
 
Programa Resumido
Fundamentação teórica sobre a Educação Física no Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano, caracterizando sua importância e finalidade. Organização de experiências de aprendizagem conforme as possibilidades de desenvolvimento do aluno. Elaboração de um programa, considerando os elementos: objetivos, conteúdos, estratégias e avaliação. Conhecimento das fontes de informação sobre educação física escolar para contínua atualização profissional.
 
 
 
Programa
I. Educação, cultura e escolarização: elementos para contextualização da Educação Física como componente curricular no Ensino Fundamental, sua importância e finalidades; II. Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano: demandas, objetivos e especificidades. III. Teorias de desenvolvimento humano e diferentes concepções de corpo e movimento: implicações para a reflexão acerca da Educação Física Escolar; IV. Especificidades motoras e psicossociais da adolescência: implicações curriculares e metodológicas para a Educação Física no Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano; V. Educação Física no Ensino Fundamental e Políticas Públicas: Parâmetros Curriculares Nacionais e propostas vigentes para o Ensino Fundamental; VI. Educação Física no Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano: temas transversais e questões contemporâneas; VII. Experiências e propostas de Educação Física para o ensino fundamental do 6º ao 9º: objetivos, conteúdos, estratégias e avaliação; VIII. Pesquisa e produção do conhecimento em Educação Física Escolar. OBSERVAÇÕES COMPLEMENTARES: As Práticas como Componentes Curriculares são desenvolvidas a partir do engajamento em estudos de caso a partir de experiências vivenciadas em contexto escolar em escolas conveniadas com a EEFE/USP. A partir da observação, os alunos identificam um problema para o qual desenvolvem uma análise, com estudo da literatura específica, e busca de soluções. As questões abordadas podem incluir elementos específicos do processo ensino-aprendizagem da cultura do movimento, bem como questões amplas tais como gênero, violência, preconceito, inclusão, relação professor/aluno, entre outros. O uso de tecnologias de informação e comunicação é incentivado com a criação de grupo em ambiente virtual para divulgação das atividades e compartilhamento de leituras. Fomenta-se a discussão acerca da presença de novas tecnologias em aula, com debate de textos relacionados a presença das tecnologias na escola, a influência da mídia, a utilização de ambientes virtuais, games, entre outros. Ao longo do semestre amplia-se o uso de tecnologias com registro fotográfico e em vídeo das vivências em aula, apresentação de trabalhos e análises que envolvam entrevistas e edição de imagens. As experiências são também otimizadas pelo expediente virtual “Caderno Pedagógico EEFEUSP”, disponibilizado aos docentes e discentes de maneira a estimular a produção e publicação de textos, vídeos, cronogramas das disciplinas e propostas de intervenção pedagógica para o contexto da Educação Física Escolar. Há ainda a possibilidade de visitação e experimentação em laboratórios de realidade virtual disponíveis na instituição. As atividades Acadêmicas-Científico-Culturais constituem-se no engajamento e apreciação de filmes, documentários, encontros acadêmico/profissionais, visitações a museus e exposições. A participação nas atividades é de livre escolha. Durante o semestre letivo a turma pode compartilhar sugestões e experiências por meio digital, divulgando ao grupo eventos e atividades pertinentes para uma formação cultural mais ampla.
 
 
 
Avaliação
     
Método
O programa será desenvolvido por meio de aulas expositivo-dialogadas, leituras, estudos individuais e em grupo, análise de situações-problema e elaboração de propostas.
O acompanhamento e avaliação do processo se dará de forma contínua mediante:
- Participação nas aulas expositivas com estímulo ao debate, análises, comentários e outras iniciativas que suscitem o diálogo;

- Participação em dinâmicas de grupo com foco em análise de situações problemas do cotidiano escolar e realidade presenciada nos estágios;

- Relato e análise de atividades de estágios com produção textual (relatórios e análises das experiências);

- Organização e participação em seminários temáticos com uso de Tecnologias da Informação e Comunicação estabelecendo vínculos entre a fundamentação teórica e experiências provenientes da realidade escolar ();

- Produção textual individual explorando questões contemporâneas da realidade escolar do Ensino Fundamental, estabelecendo vínculos entre as experiências provenientes do campo de estágio, leituras e discussões realizadas em aula.
Critério
A avaliação será continua com ênfase nos itens:

1) participação em aula;
2) atividades de estudo e pesquisa individuais e em grupo;
3) mobilização dos dados provenientes do estágio para análise individual/coletiva;
4) produção textual.

Serão considerados/valorizados os seguintes aspectos:

a) Respeito à liberdade de expressão com abertura ao diálogo;
b) Rigorosidade epistemológica (Fundamentação coerente com as temáticas estabelecidas);
c) Atitude investigativa;
d) Comparecimento regular às aulas e aos estágios;
e) Disponibilidade e prontidão no manuseio das Tecnologias da Informação e Comunicação;
f) Produção textual demonstrando domínio da língua portuguesa, organização, clareza e fundamentação pertinente à especificidade das temáticas propostas;
g) Compromisso e pontualidade na realização das tarefas.
Norma de Recuperação
Plano de estudos e atividades programadas.
 
Bibliografia
     
AQUINO, J. G. (Org). Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1996. p. 39-54.
ARENDT, H. A crise na educação. In: ARENDT, H. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 2002.
BENJAMIM, W. Reflexões: a criança, o brinquedo, a educação. São Paulo: Summus, 1984.
BETTI, M. A janela de vidro: Esporte, televisão e educação física. Campinas, SP: Papirus, 1998.
BONDIA, J.L. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n. 19, abr. 2002, p.20-28.
BONDIOLÍ, A. O tempo no cotidiano infantil: perspectivas de pesquisa e estudo de casos. São Paulo: Cortez, 2004.
BOURDIEU, P. A juventude é apenas uma palavra. In: BOURDIEU, P. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983, p. 112-121.
BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente : Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990, Lei n. 8.242, de 12 de outubro de 1991. – 3. ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, 2001.
BRASIL. MEC. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº 9394. São Paulo, Editora do Brasil, 1996.
______. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais (5 a 8 séries): Educação Física/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.
_____. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Educação física. Brasília: MEC/SEF, 1997.
BUBER, M. Education. In. BUBER.M. Between Man and Man. Londres: Routledge, 2002.
CALLIGARIS, C. A adolescência. São Paulo: Publifolha, 2000.
CORREIA, W.R.; BASSO, L. Pedagogia do Movimento do Corpo Humano. Várzea Grande: Editora Fontoura, 2013.
CORTELLA, M. S. Não nascemos prontos: provocações filosóficas. 5. ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007.
______. A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológicos e políticos. São Paulo: Cortez, 2008.
COUTO, E.S.; GOELLNER, S.V. O triunfo do corpo: polêmicas contemporâneas. Petrópolis: Vozes, 2012.
FRAGA, A.B. Corpo, identidade e bom-mocismo: cotidiano de uma adolescência bem-comportada. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.
FREIRE, P. A Importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1989.
______. Considerações em torno do ato de estudar. In: FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.
FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
GALLAHUE, D.L; OZMUN, J.C. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos São Paulo: Phorte, 2005.
GUSDORF, G. Professores para quê? Para uma pedagogia da pedagogia. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
HONORÉ, C. Devagar. 5. ed. Rio de Janeiro: Record, 2007.
LEVY, P. Cibercultura. São Paulo: 34, 1997.
LIMA, M.N.M. Escola plural: a diversidade está na sala. Formação de professores/as em história e cultura afro-brasileira e africana. São Paulo: Cortez, 2012.
LOURO, G. L. (Org). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo horizonte: Autêntica, 2001.
LOURO, G. L. Um corpo estranho: Ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.
LOURO, L.G.; NECKEL, J.F.; GOELLNER, S.V. (Org.). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis: Vozes, 2003.
LUCKESI, C.C. Avaliação da aprendizagem escolar. São Paulo: Cortez Editora, 2002.
MAQUES, M.O. Escrever é preciso: o princípio da pesquisa. Ijuí: Editora Unijuí, 2006.
MERLEAU-PONTY, M. Psicologia e pedagogia da criança. São Paulo: Martins Fontes, 2006.
MINAYO, M. C. de S. et al. Fala, galera: juventude, violência e cidadania. Rio de Janeiro: Garamond, 1999.
MUNANGA, K. (Org.). Superando o racismo na escola. Brasília: Ministério da Educação, 2005.
NOVAES, A. (Org) Tempo e história. São Paulo: Companhia das Letras: Secretaria Municipal da Cultura, 1994.
______ Ética. São Paulo: Companhia das Letras: Secretaria Municipal de Cultura, 1992.
PADILHA, P.R. Planejamento dialógico: como construir o projeto político-pedagógico da escola. São Paulo: Cortez. 2002.
PAGNI, P.A; GELAMO, R.P. Experiência, educação e contemporaneidade. Marília: Editora Cultura Acadêmica, 2010.
PAPAGLIA, D.E.; OLDS, S.W. Desenvolvimento humano. Porto Alegre: Artmed, 2000.
PERRENOUD, P. A Pedagogia na Escola das Diferenças: fragmentos de uma sociologia do fracasso. Porto Alegre: Artmed, 2001.
______. Avaliação: da excelência à regulação das aprendizagens: entre duas lógicas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.
ESTEBAN, M. T. A avaliação no cotidiano escolar. In: ______. (Org.). Avaliação: uma prática em busca de novos sentidos. 4. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 7-28.
PIMENTA, S. G. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática? 4. ed. São Paulo: Cortez, 2001.
______. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004.
PIMENTA, S.G.;LIMA, M.S.L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2010.
PLAISANCE, E.; GÉRARD, V. As ciências da educação. São Paulo: Edições Loyola, 2003.
ROMÃO, J.E. Avaliação dialógica: desafios e perspectivas. São Paulo: Cortez Editora, 2002.
SACRISTÁN J.G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed, 2000.
SANTIN, S. Educação Física: ética, estética e saúde. Porto Alegre: Edições EST, 1995.
SCHOPENHAUER, A. A arte de escrever. Porto Alegre: L&PM, 2006.
TARDIF, M; RAYMOND, D. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação & Sociedade, ano XXI, no 73, Dezembro/00.
TARDIF, M. Os professores enquanto sujeitos do conhecimento: subjetividade, prática e saberes no magistério. In: CANDAU, V. M. (Org.). Didática, currículo e saberes escolares. Rio de Janeiro: DP&A, 2000. p.112-128.
TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis/RJ: Vozes, 2011.
ZIMMERMANN, A.C. Entre a arte e a aventura: possibilidades de pensar o corpo e o movimentar-se. In: SANCHES, J; ALMEIDA, R.; SAURA, S.C. (Org). Interculturalidade, Museu e Educação. São Paulo: Laços, 2013, pp. 37-54.
 

Clique para consultar os requisitos para EFP0123

Clique para consultar o oferecimento para EFP0123

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP