Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
 
Enfermagem Geral e Especializada
 
Disciplina: ERG0238 - Fundamentos de Enfermagem
Fundamentals of Nursing

Créditos Aula: 12
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 210 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2022 Desativação: 31/12/2022

Objetivos
Que o aluno seja capaz de: fundamentar a prática de enfermagem em um ambiente biologicamente seguro com vistas à prevenção e o controle dos riscos de infecção; realizar a avaliação clínica e a identificação das necessidades humanas básicas do indivíduo adulto e idoso por meio da obtenção de dados objetivos e subjetivos; identificar o problema, desenvolver e avaliar as intervenções de enfermagem considerando as dimensões biológica, psicológica e social presentes no processo saúde-doença.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
4906394 - Amanda Salles Margatho do Nascimento
439076 - Carla Regina de Souza Teixeira
2967909 - Cristina Mara Zamarioli
560541 - Denise de Andrade
3156455 - Fabiana Bolela
8468149 - Fabiana Faleiros Castro
2220479 - Karina Dal Sasso Mendes
1141243 - Leila Maria Marchi Alves Ancheschi
89409 - Maria Helena Palucci Marziale
1992927 - Simone de Godoy Costa
 
Programa Resumido
A disciplina proporciona ao aluno o desenvolvimento de conhecimentos, habilidades e atitudes para o cuidado de enfermagem no atendimento das necessidades humanas básicas do indivíduo adulto e idoso, utilizando evidências científicas com vistas à segurança individual e coletiva, bem como a qualidade das práticas em enfermagem nas instituições de saúde.
 
 
 
Programa
Saberes Cognitivos:

UNIDADE 1: PROCESSO DE ENFERMAGEM E AS NECESSIDADES HUMANAS BÁSICAS DO PACIENTE ADULTO E IDOSO HOSPITALIZADO
Identificação das necessidades humanas básicas; definição de problemas ou risco para problemas no atendimento das necessidades humanas e de saúde; planejamento da assistência de enfermagem em conjunto com o indivíduo e família para a promoção, prevenção, tratamento e reabilitação em saúde, estabelecendo prioridades e metas para o cuidado implementação do plano; registro das ações de enfermagem e resultados; avaliação da assistência de enfermagem. Admissão, transferência e alta hospitalar.

UNIDADE 2: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA NECESSIDADE DE SEGURANÇA NA MANUTENÇÃO DO AMBIENTE BIOLOGICAMENTE SEGURO AO ADULTO E IDOSO
Avaliação dos riscos físicos e biológicos das instituições de saúde, fundamentação dos princípios básicos de assepsia na manutenção do ambiente biologicamente seguro: conceito de limpeza, assepsia, antissepsia, desinfecção, descontaminação, esterilização, precaução padrão, microbiota normal e transitória das mãos, utilização de luvas, manuseio de material, resíduos e descarte de material, e limpeza da unidade do paciente e. arrumação de cama.

UNIDADE 3: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NAS NECESSIDADES DE OXIGENAÇÃO, TERMORREGULAÇÃO E CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA AO ADULTO E IDOSO
Avaliação das necessidades de oxigenação e circulação: verificação e registro dos sinais vitais (temperatura corporal, pulso, respiração, pressão arterial) e fatores que interferem na assistência de Enfermagem. Coleta de sangue para exames laboratoriais: reconhecimento da rede venosa para a coleta de sangue, principais exames de sangue laboratoriais, fatores que interferem no resultado dos exames de sangue laboratoriais e eventos adversos relacionados a coleta de sangue.

UNIDADE 4: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NAS NECESSIDADES DE HIGIENE, CONFORTO, SONO, REPOUSO E MOVIMENTAÇÃO AO ADULTO E IDOSO
Avaliação das necessidades de higiene e conforto: higiene corporal do paciente (bucal, dos cabelos, banho no leito, chuveiro, tricotomia facial e higiene íntima). Avaliação e registro das condições de integridade da pele e tecidos. Avaliação do padrão do sono e repouso. Princípios de ergonomia para movimentação, transferência e reposicionamento do paciente: avaliação do risco para quedas e educação para a prevenção.

UNIDADE 5: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NAS NECESSIDADES DE NUTRIÇÃO AO ADULTO E IDOSO
Avaliação das necessidades de hidratação e ingestão alimentar, antropometria, auxílio ou administração de dietas e líquidos via oral; controle de ingestão hídrica e alimentar, alimentação por sonda nasogástrica e nasoentérica.

UNIDADE 6: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NAS NECESSIDADES DE ELIMINAÇÃO AO ADULTO E IDOSO
Avaliação da necessidade de eliminação: cuidados com a pele de indivíduos com incontinência urinária/intestinal para prevenção de danos na integridade tecidual; cateterismo vesical de demora e de alívio; educação para o autocuidado para promoção de hábitos intestinais saudáveis, prevenção/controle/tratamento de constipação intestinal; aplicação de enema, supositório e lavagem intestinal. Coleta de amostras para exames laboratoriais de urina e fezes.

UNIDADE 7: ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PROCESSO DE ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS AO ADULTO E IDOSO
Identificação do processo de prescrição, dispensação e administração de medicamentos (aplicação dos nove certos com vistas à segurança do paciente). Princípios e vias de administração: oral, sublingual, tópica, instilações, inaloterapia, retal, intradérmica, subcutânea, intramuscular e intravenosa. Eventos adversos na administração de medicamentos e intervenções para redução dos eventos adversos. Administração de medicamentos por via oral, sublingual, tópica, retal, instilações e inaloterapia. Administração de medicamentos por via parenteral: intradérmica, subcutânea e intramuscular (delimitação dos sítios de injeção, dose máxima e posição do paciente), intravenosa periférica: em bolus, intermitente e soroterapia. Oxigenoterapia por cateter nasal, máscara, vaporização, nebulização.

Saberes Procedimentais:

Admissão, transferência e alta hospitalar
Administração de dieta e líquidos via oral e por sonda nasogástrica e nasoentérica
Antropometria
Administração de medicamentos por via oral, sublingual, tópica, retal, instilações e inaloterapia 
Administração de medicamentos por via parenteral:
- intradérmica, subcutânea e intramuscular (delimitação dos sítios de injeção, dose máxima e posição do paciente)
- intravenosa periférica: em bolus, intermitente e soroterapia
Aplicação de enema, supositório e lavagem intestinal
Arrumação de cama
Cálculo de doses de medicamentos
Cateterismo vesical (alívio e demora)
Coleta de sangue capilar e venoso (a vácuo e com seringa e agulha)
Coleta de amostras para exames laboratoriais de urina e fezes
Descarte de artigos hospitalares (lixo comum, infectante e com resíduo químico)
Desinfecção de superfície
Diluições de medicamentos
Higiene bucal, corporal, íntima e dos cabelos
Higiene das mãos (com água e sabão, antissepsia com solução alcoólica)
Limpeza imediata, descontaminação e desinfecção de superfícies 
Limpeza de unidade (concorrente e terminal)
Manuseio de material esterilizado ou não (gaze, agulhas, seringas, cateter intravenoso periférico agulhado e flexível, cateter vesical, material de cateterismo) e outros.
Movimentação, transferência, reposicionamento do paciente no leito e prevenção de quedas
Oxigenoterapia por cateter nasal, máscara, vaporização e nebulização
Registro ou evolução de enfermagem
Sinais vitais (verificação da pressão arterial, pulso, respiração, temperatura)
Sondagem nasogástrica e nasoentérica
Tricotomia facial
Utilização de luvas (estéril e não estéril)

Saberes Atitudinais:

- Apresentação Pessoal: em relação aos aspectos físicos e atitudes do aluno no ambiente acadêmico. Aparência Pessoal - maneira do aluno vestir-se e arrumar-se para atividades teóricas práticas: uso de sapato fechado, calças, avental, sem bolsas, cabelos presos, sem adornos aparentes, unhas naturais, curtas limpas, sem esmalte, de acordo com a NR-32. Atitudes Individuais - impressão causada pelo aluno devido a sua maneira de falar, sentar-se e agir no ambiente, maturidade para ouvir sugestões para o seu aprimoramento, bem como sua disposição para atividades.
 - Relacionamento Humano e Profissional: comunicação e a interação do aluno com o professor, colegas e funcionários durante as atividades. Comunicação - capacidade do aluno em comunicar-se escrita e verbalmente, transmitindo corretamente as informações em linguagem científica clara e objetiva e/ou caligrafia legível, respeitando as regras ortográficas e gramaticais. Cooperação - capacidade do aluno em colocar os interesses grupais acima dos individuais, mostrando-se disponível para colaborar e organizar o ambiente. Relacionamento com professores e colegas.
 - Responsabilidade: seriedade do aluno no desenvolvimento de suas atividades mostrando seu compromisso. Assiduidade - frequência do aluno nas atividades em sala de aula e laboratórios de ensino teórico-prático. Pontualidade - comparecimento do aluno na hora prevista nas aulas e laboratórios de ensino teórico-prático. Interesse - empenho do aluno em participar das atividades e sua disposição em desenvolver-se pessoal e academicamente. Confiança - grau de credibilidade que o aluno oferece na realização de suas atividades.


Método de Ensino:

Aulas expositivas dialogadas presenciais e/ou remotas mediadas por tecnologias digitais, demonstração individual e em grupo, aulas teórico-práticas nos laboratórios de prática simulada e ensino em campo clínico, uso de tecnologias digitais da informação e comunicação, trabalhos individuais e em grupo.
 
 
 
Avaliação
     
Método
A avaliação será contínua utilizando o conhecimento abordado na disciplina e de simulações em laboratório de prática profissional. O aluno será avaliado, ainda, quanto ao seu desempenho nas atividades em sala de aula, em laboratório de prática profissional e no ensino em campo clínico, levando-se em conta os aspectos de desenvolvimento dos saberes procedimentais e atitudinais. Constará de 5 (cinco) provas, sendo 3 (três) provas teóricas (Nota 1), 2 (duas) teórico-práticas em laboratório de ensino (Nota 2) e avaliação em campo de ensino clínico (Nota 3).
Critério
A nota final do aluno será a média ponderada igual ou superior a 5,0 (cinco) em cada uma das três avaliações. A primeira avaliação será teórica = Nota 1 (Peso 1), a segunda avaliação será prática nos laboratórios de prática profissional= Nota 2 (Peso 1) e somente após aprovação nestas duas avaliações, o aluno irá para a atividade de prática profissional em cenário hospitalar que será a Nota 3 (Peso 2). Será aprovado o aluno que obtiver média ponderada igual ou superior a 5,0 (cinco) em cada uma das notas e frequência mínima de 70% às atividades programadas. Reprovação: será reprovado o aluno com média ponderada inferior a 5,0 (cinco) em alguma das notas e/ou frequência inferior a 70% das atividades programadas.
Norma de Recuperação
Não será oferecida recuperação.
 
Bibliografia
     
BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. PORTAL DA SAÚDE. Protocolos Básicos de Segurança do Paciente. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/secretarias/sas/dahu/seguranca-do-paciente. Acesso em: 07/04/2017. (Identificação do Paciente, Segurança na Prescrição, Uso e Administração de Medicamentos, Prática de Higiene das Mãos em Serviços de Saúde e Prevenção de Quedas).

POTTER, P.A.; PERRY, A.G.; STOCKERT, P.A.; HALL, A.M. Fundamentos de Enfermagem: fatos essenciais. Rio de Janeiro: Elsevier, 9ª Ed, 2017.

POTTER, P.A.; PERRY, A.G.; STOCKERT, P.A.; HALL, A.M. Fundamentos de Enfermagem. Rio de Janeiro: Elsevier, 8ª Ed, 2013.

TAYLOR, C.; LILLIS, C.; LeMONE, P., LYNN, P. Fundamentos de Enfermagem. A arte e a ciência do cuidado de enfermagem. Porto Alegre: Artmed, 7ª Ed, 2014.
 

Clique para consultar os requisitos para ERG0238

Clique para consultar o oferecimento para ERG0238

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP