Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
 
Enf Psiquiátrica e Ciências Humanas
 
Disciplina: ERP0147 - Aspectos Psicossociais da Saúde e do Adoecer
Psychosocial Aspects of Health and Illness

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 30 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2019 Desativação:

Objetivos
Levar o aluno a compreender a constituição do indivíduo enquanto ser em relação com o seu meio, oferecer elementos para a construção de um conjunto de conhecimentos e apropriação de valores abrangentes sobre o cuidado. Oferecer ao aluno a oportunidade de refletir sobre as relações entre os fatores individuais e socioculturais que influenciam comportamentos de melhora da saúde, inclusive na presença de uma condição de doença. Ajudar a pensar ações ampliadas no cuidado em saúde e especificamente em enfermagem em todos os níveis.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3144761 - Ana Carolina Guidorizzi Zanetti
3518013 - Fabio Scorsolini Comin
5563522 - Jacqueline de Souza
6891361 - Lucas Pereira de Melo
74473 - Margarita Antonia Villar Luis
 
Programa Resumido
A disciplina oferece a visão do cuidado em saúde como uma resposta ao contínuo desafio de adaptar conhecimentos científicos às necessidades, valores e prioridades humanas.
 
 
 
Programa
Saberes Cognitivos: - Cultura e saúde: As dimensões culturais na prática do cuidado; a influência do sistema de valores nas concepções de saúde e de doença dos seres humanos; Condições socioculturais que podem ajudar ou dificultar as pessoas de serem saudáveis ou elas mesmas a se ajudarem a ser saudáveis (a sentir bem-estar): a espiritualidade e a religião; a raça; a etnia. - A diversidade humana: compreensão do caráter diverso com que o bem-estar humano é contextualizado pelos seres humanos ao longo do tempo. - A experiência de vivenciar a doença; o rótulo e a compreensão do processo de adoecimento; o compartilhamento da experiência e as escolhas. - As redes de apoio social: o que são e os fatores que promovem e dificultam o seu desenvolvimento. - A consultoria de especialistas em saúde mental no manejo de situações que envolvem sofrimento psíquico. Saberes Procedimentais: - Demonstrar a compreensão de que o processo de obter saúde ou de adoecimento envolve uma série de movimentos positivos e negativos de produção de novas existências. - Demonstrar através de atividades oferecidas, que exercitou possibilidades de sentir e pensar diferentes, que ampliou sua visão daquilo que é empiricamente invisível e imperceptível no cuidado. - Realizar os exercícios práticos propostos para favorecer o autoconhecimento e o desenvolvimento de habilidades, atitudes e comportamentos. - Demonstrar empenho nas atividades realizadas para expor seu potencial. - Dar indícios de poder identificar limitações, conseguir verbalizar e reconhecer a necessidade de buscar ajuda para a superação ou abordagem. Saberes Atitudinais: - Demonstrar responsabilidade através da frequência, compromisso e interesse por meio de evidência, de que houve a leitura dos textos oferecidos; ter postura ética mediante o respeito ao tratamento dos conteúdos expostos e da manifestação dos colegas; revelar proatividade com a aprendizagem para o alcance dos objetivos. - Demonstrar compreensão e acolhimento com suas dificuldades e com as dos colegas. - Ser capaz de reconhecer seu desempenho e do grupo através de emitir auto avaliação e de ouvir a avaliação do grupo. Método de Ensino: - Dinâmicas sociodramáticas para interação, vinculação grupal e aprendizagem; Dramatização de situações vivenciadas na prática. - Aulas expositivas dialogadas e seminários sobre os conteúdos para desenvolvimento dos saberes cognitivos. - Aulas de estudos de caso estruturados de acordo com o tema da discussão. - Práticas guiadas extraclasse disponibilizadas em mídia digital. - Diário em dupla ou trio ao final de cada aula para registro e acompanhamento do aprendizado.
 
 
 
Avaliação
     
Método
A avaliação será realizada de forma contínua e coparticipada, considerando a participação do estudante nas atividades presenciais, leituras, participação em exercícios práticos (0 a 5) e construção do diário (0 a 5).
Critério
As notas variarão de 0 a 10,0 (zero a dez) e será aprovado o aluno que obtiver média igual ou superior a 5,0 (cinco). Para aprovação será considerada frequência mínima de 70% às atividades programadas.
Norma de Recuperação
Não será oferecida recuperação.
 
Bibliografia
     
ANDRADE, G. R. B. de; VAITSMAN, J. Apoio Social e Redes: conectando solidariedade e saúde. Ciência e Saúde Coletiva, v. 7, n. 4, p. 925-934, 2002. ARAGON, L. E. P. O impensável na clínica. Virtualidades nos encontros clínicos. Porto Alegre: Sulina, Editora da UFRGS, 2007.(coleção cartografias). 152p. ARAÚJO, M. M. T.; SILVA M. J. P.; PUGGINA, A. C. G. A comunicação não verbal enquanto fator iatrogênico. Rev Esc Enferm USP, v 41, n.3, p. 419-25, 2007. BARROS, S. M. M.; et al. Fortalecendo a rede de apoio de mães no contexto da síndrome congênita do vírus Zika: relatos de uma intervenção psicossocial e sistêmica. Novaperspect.sist., São Paulo, v. 26, n. 58, p. 3859, ago. 2017. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-78412017000200004&lng=pt&nrm=iso. Acessos em 05 mar. 2018. COSTA, L. A. F. da; PEREIRA, A. M. Expressão da tristeza em camada popular urbana de Salvador, Bahia, Brasil. Cad. Saúde Publ., Rio de Janeiro v. 11, n. 3, p.448-455, jul-set, 1995. DESSEM, M. A.; BRAZ, M. P. Rede social de apoio durante Transições familiares decorrentes do nascimento de filhos. Psic: Teor. E Pesq., Brasília, v. 16, n. 3, p. 221-231, set-dez, 2000. FARIA, J. B.; SEIDL, E. M. F. Religiosidade, enfrentamento e bem estar subjetivo em pessoas vivendo com HIV/AIDS. Psicologia em estudo, Maringá, v. 11, n. 1, jan/abr. p.155-164, 2006. FLORIANO, P. de J.; Delgalarrondo, P. Saúde mental, qualidade de vida e religião em idosos de um programa de saúde da família. J. Bras Psiquiatr, v. 56, n.3, p. 162-170, 2007. LANDINI, F.; COWES, V. G.; D’AMORE, E. Por um marco conceitual para repensar a acessibilidade cultural. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro v. 30, n. 2, p. 231-244, 2014. PRATA, N. I. S. dos S.; et al. SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO BÁSICA: TERRITÓRIO, VIOLÊNCIA E O DESAFIO DAS ABORDAGENS PSICOSSOCIAIS. Trab. educ. saúde, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 33-53, Apr. 2017. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1981-77462017000100033&lng=en&nrm=iso. Access on 05 Mar. 2018. Epub Jan 05, 2017. http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sol00046. MECHANIC, D. The concept of illness behavior: culture, situation and personal predisposition. Psychological Medicine, v. 16, p1-7, 1986. (First International Conference on Clinical and social aspects of illness Behaviour, 1984 - Australia). MEDEIROS, B.; SILVA, J.; SALDANHA, A. A. W. Determinantes biopsicossociais que predizem qualidade de vida em pessoas que vivem com HIV/AIDS. Estudos de Psicologia, v. 18, n. 4, p.543-550, outubro-dezembro, 2013. NAPIER, D.; ANCARNO, C.; BUTLER, B.; et al. Culture and Health. The Lancet Commissions. www.thelancet.com v. 384, p. 1607-1637, November 1, 2014. REMEN, R. N. O paciente como ser humano [tradução Denise Bolanho]. (3ªed), São Paulo: Summus, 1993. ROOM, R.; CALLINAN, S.; DIETZE, P. Influences on drinking of heavier drinkers; Interactional realities in seeking to ‘change drinking cultures’. (Australian Professional Society on Alcohol and other Drugs). Drug and Alcohol Rewiew, (2015). doi: 10.1111/dar.12283 SATHLER-ROSA, R. Cuidado espiritual como fator de integralidade do Ser. Rev Pistis Prax. Teol. Pastor. Curitiba, v. 6, n. 1, p. 127-144, jan./abr. 2014. SCHMITZ, M.; CRYSTAL, S. Social relations, and psychological distress among persons with HIV/AIDS. Journal of Applied Social Psychology, v. 30, n. 4, p.665-685, 2000. SEIDL, E. M. F.; ROSSI, W. S.; VIANA, K. F.; MENESES, A. K. F.; MEIRELES, E. Crianças e adolescentes vivendo com HIV/AIDS e suas famílias: aspectos psicossociais e enfrentamento. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 21, n. 3. p. 279-288, 2005. THOMAS, J.; SANTOS, L. B. M.; WETZEL, C.; BARBISAN, R. B. K. Implantação da consultoria de enfermagem psiquiátrica em um hospital geral. Revista HCPA. Porto Alegre. v. 27, n. 2 , p. 32-34, 2007. VALENÇA, S. Q.; et al. Compreendendo a Interconsulta Psiquiátrica. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, [S.l.], nov. 2010. ISSN 2175-5361. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/944. Acesso em: 05 mar. 2018. doi:http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2010.v0i0.%p. VAAJOKI, A.; PIETILÄ, A.M.; KANKKUNEN, P.; VEHVILÄINEN-JULKUNEN, K. Effects of listening to music on pain distress after surgery: an intervention. Journal of Clinical Nursing, v. 21, p. 708-717, (2011) doi: 10.1111/j.13652702.2011.03829.x. .
 

Clique para consultar os requisitos para ERP0147

Clique para consultar o oferecimento para ERP0147

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP