Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Antropologia
 
Disciplina: FLA0368 - Cidade e Relação: Sociabilidade, Situação, Plano Local
The city: social relations and sociabilities

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2010 Desativação:

Objetivos
Na primeira parte do curso, serão abordadas questões – principalmente etnográficas –voltadas à compreensão do caráter relacional das modalidades de interação no contexto urbano, através da análise detida dos conceitos de sociabilidade, contexto situacional, produção de localidade e variação de escala.
Na segunda parte, procurar-se-á avaliar como tais enfoques iluminam a discussão de problemas atuais da antropologia urbana, através do exame de investigações que dialogam com essa tradição, através do enfoque de territorialidades como ruas, periferia, centro, bairros e shoppings.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
871656 - Heitor Frúgoli Junior
 
Programa Resumido
 
 
 
Programa
1. Enfoques sobre sociabilidade, contexto situacional, produção de localidade e variação de escala;
2. Abordagens etnográficas sobre usos socioculturais do espaço urbano.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas, seminários, vídeos.
Critério
Prova individual e seminários.
Norma de Recuperação
Prova individual sobre toda a matéria do curso.
 
Bibliografia
     
- Agier, M. “Lugares e redes: as mediações da cultura urbana” in Niemeyer, A. M. & Godoi, E. P. (orgs.). Além dos territórios; para um diálogo entre a etnologia indígena, os estudos rurais e os estudos urbanos. Campinas, Mercado das Letras, 1998, p. 41-63.
- Appadurai, A. “Introdução: mercadorias e a política do valor” in Appadurai, A. (org.). A vida social das coisas. Niterói, EdUFF, 2008, p. 15-88.
- Arantes, A. A. “A guerra dos lugares” in Paisagens paulistanas: transformações do espaço público. Campinas, Ed. Unicamp, 2000, p. 103-129.
- Carman, M. “La invención del barrio noble” in Las trampas de la cultura; los “intrusos” y los nuevos usos del barrio de Gardel. Buenos Aires, Paidós, 2006, p. 133-161.
- Cordeiro, G. Í. & Vidal, F. (orgs.). A rua: espaço, tempo e sociabilidade. Lisboa, Livros Horizonte, 2008.
- Cordeiro, G. Í. & Firmino da Costa, A. “Bairros: contexto e intersecção” in Velho, G. (org.). Antropologia urbana: cultura e sociedade no Brasil e em Portugal, Jorge Zahar, Rio de Janeiro, 1999, p. 58-79.
- Durham, E. R. “A pesquisa antropológica com populações urbanas” in Durham, E. R. A dinâmica da cultura, São Paulo, Cosac & Naify, 2004 [1986], p. 357-376.
- Evans-Pritchard, E. E. “Os Nuer do sul do Sudão” in Evans-Pritchard & Meyer-Fortes (orgs.). Sistemas políticos africanos. Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1981, p. 469-509.
- Frehse, F. “Potencialidades de uma etnografia das ruas do passado”. Cadernos de Campo nº 14/15, Revista dos alunos do PPGAS/USP, jan.-dez./2006, p. 299-317.
- Frúgoli Jr., H. “A questão dos camelôs no contexto da revitalização do centro da metrópole de São Paulo” in Souza, M. A. A. et al. (org.). Metrópole e globalização: conhecendo a cidade de São Paulo. São Paulo, Cedesp, 1999, p. 151-165.
- Frúgoli Jr., H. “Sociabilidade e consumo nos shopping centers de São Paulo: eventos e desafios recentes” in Bueno, M. L. & Camargo, L. O. L. (orgs.). Cultura e consumo: estilos de vida na contemporaneidade. São Paulo, Ed. Senac SP, 2008, p. 231-246.
- Frúgoli Jr., H. “O urbano em questão na antropologia: interfaces com a sociologia”. Revista de Antropologia vol. 48, nº 1, São Paulo, Departamento de Antropologia da USP, jan.-jul./2005, p. 133-165 (disponível no Scielo).
- Frúgoli Jr., H. Sociabilidade urbana. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2007.
- Gupta, A. & Ferguson, J. “Mais além da ‘cultura’: espaço, identidade e política da diferença” [1992] in: Arantes. A. A. (org.). Espaço da diferença. Campinas, Ed. da Unicamp, 2000 (cap. 2).
- Hannerz, U. Conexiones transnacionales; cultura, gente, lugares. Madrid, Ed. Cátedra, 1998, “Lo local y lo global: continuidad y cambio” (cap. 2 [1992]).
- Joseph, I. “A respeito do bom uso da Escola de Chicago” in Valladares, L. P. (org.). A Escola de Chicago: impactos de uma tradição no Brasil e na França. Belo Horizonte & Rio de Janeiro, Ed. UFMG/ IUPERJ, 2005 [1998], p. 91-128.
- Joseph, I. El transporte y el espacio urbano. Buenos Aires, Gedisa, 1988.
- Lepetit, B. “Sobre a escala na história” in Revel, J. (org.). Jogos de escalas: a experiência da microanálise. Rio de Janeiro, Ed. FGV, 1998 (cap. 3).
- Lepetit, B. Por uma nova história urbana. Rio de Janeiro, Edusp, 2001, “A história leva os atores a sério”? (cap. 8).
- Magnani, J. G. C. “Trajetos e trajetórias – uma perspectiva da antropologia urbana”. Sexta-Feira nº 8, São Paulo, Ed. 34, 2006 (entrevista concedida ao corpo editorial), p. 30-43.
- Mitchell, J. C. A dança kalela: aspectos das relações sociais entre africanos urbanos na Rodésia do Norte [1956]. Apostila, 2006 (p. 1-27).
- Peirano, M, “Antropologia no Brasil (alteridade contextualizada)” in Miceli, S. (org). O que ler na ciência social brasileira (1970-1995), São Paulo/Brasília, Ed. Sumaré/Anpocs, 1999, vol. 1 (Antropologia), p. 225-266.
- Perlongher, N. “Territórios marginais”. Primeira versão nº 27, IFCH/UNICAMP, 1991.
- Perlongher, N. O negócio do michê: a prostituição viril. São Paulo, Ed. Brasiliense, 1987, 2ª ed., “Territórios e populações” (cap. 3).
- Sahlins, M. “O ‘pessimismo sentimental’ e a experiência etnográfica: por que a cultura não é um ‘objeto’ em via de extinção (Partes I e II)”. Mana, vol. 3, n° 1 e 2, 1997 (disponível no Scielo).
- Revel, J. “Microanálise e construção do social” in Revel, J. (org.). Jogos de escalas: a experiência da microanálise. Rio de Janeiro, Ed. FGV, 1998 (cap. 1).1
- Sieber, T. “Ruas da cidade e sociabilidade pública: um olhar a partir de Lisboa” in - Cordeiro, G. Í. & Vidal, F. (orgs.). A rua: espaço, tempo e sociabilidade. Lisboa, Livros Horizonte, 2008 (cap.3).
- Simmel, G. “As grandes cidades e a vida do espírito” [1903]. Mana vol. 11, nº 2, Rio de Janeiro, Museu Nacional, out./2005, p. 577-591 (disponível no Scielo).
- Simmel, G. “O estrangeiro” in Moraes, E. (org.). Sociologia: Simmel. São Paulo, Ed. Ática, 1983 [1908], p. 182-188.
- Simmel, G. “Sociabilidade – um exemplo de sociologia pura ou formal” in Moraes, E. (org.). Sociologia: Simmel. São Paulo, Ed. Ática, 1983 [1917], p. 165-181.
- Telles, V. S. “Transitando na linha de sombra, tecendo as tramas da cidade (anotações inconclusas de uma pesquisa)” in Oliveira, F. e Rizek, C. S. (orgs.). A era da indeterminação. São Paulo, Ed. Boitempo, 2007 (cap. 7).
- Velho, G. “Os mundos de Copacabana” in Velho, G. (org.). Antropologia urbana: cultura e sociedade no Brasil e em Portugal, Rio de Janeiro, 1999, p. 11-23.
- Vianna, H. “Paradas do sucesso periférico”. Sexta-Feira nº 8, São Paulo, Ed. 34, 2006, p. 19-29.
- Viveiros de Castro, E. “O conceito de sociedade em antropologia” in A inconstância da alma selvagem. São Paulo, Cosac & Naify, 2002 [1996], p. 295-316.
 

Clique para consultar os requisitos para FLA0368

Clique para consultar o oferecimento para FLA0368

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP