Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Antropologia
 
Disciplina: FLA0397 - Antropologia e homossexualidades
Anthropology and homosexualities

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2016 Desativação:

Objetivos
A disciplina pretende reforçar linhas de pesquisa sobre marcadores sociais da diferença, identificando e incentivando a produção de conhecimento científico sobre diversidade sexual em seus aspectos culturais e simbólicos. Para tanto, introduzirá alunos e alunas em debates clássicos e contemporâneos acerca das interfaces entre homossexualidade, identidades coletivas e a construção das diferenças. A proposta alimenta reflexões sobre transformações na cultura, nas convenções sociais e na política sexual, relacionadas ao reconhecimento público das populações LGBT.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
5509312 - Marcelo Tavares Natividade
 
Programa Resumido
O curso se propõe a apresentar estudos e debates que examinam a “homossexualidade” sob uma perspectiva antropológica. O objetivo é fornecer aos alunos e alunas de pós-graduação ferramentas conceituais para refletir sobre o tema sob a perspectiva das ciências sociais, e paralelamente oferecer um mapa exploratório dos debates e tradições teóricas que tomaram parte na construção desse campo de estudos. Apresentará e discutira etnografias clássicas e contemporâneas, do mesmo modo que incentivará a produção de estudo etnográfico sobre Marcadores sociais das diferenças.
 
 
 
Programa
Antropologia e sexualidade: panorama do campo de estudos. Transformações da questão sexual na 2ª metade do século XX: feminismo, movimento homossexual e produção científica. Essencialismo e construcionismo. O nascimento da Scientia Sexualis. Gayle Rubin e a crítica à injustiça erótica. Intersecções entre raça, gênero e sexualidade. A construção histórica da noção de “sexo” biológico. A patologização da diversidade de gênero e a noção de “transexualidade” no Ocidente moderno. A invenção da “orientação sexual”: homossexualidade, heterossexualidade e bissexualidade. A tradição de estudos sobre “desvio” da Escola de Chicago. A tradição da “antropologia urbana” brasileira. Politização, sociabilidades e identidades. Impactos culturais e políticos da epidemia de HIV/ Aids. Paradas, visibilidade, orgulho e discrição. Religião e homossexualidade. Casamento gay, conjugalidade e parentalidades. Gênero, sexualidade e direitos humanos: a construção do campo dos “direitos sexuais”.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas e metodologias de aprendizagem coletiva, como estudos dirigidos em sala de aula. Está prevista a exibição de filmes e outros recursos audiovisuais para debate.
Critério
Avaliar a participação discente nos debates em sala de aula, bem como as apropriações conceituais na construção textual em provas e trabalhos individuais e coletivos.
Norma de Recuperação
A aprovação na recuperação está condicionada a obtenção de grau 7,00 em prova escrita sobre todo o conteúdo bibliográfico.
 
Bibliografia
     
BESSA, MARCELO Secron. Os perigosos: autobiografias e AIDS. Rio de Janeiro: ABIA, 1991. BENEDETTI, Marcos. Toda feita: o corpo e o gênero das travestis. Rio de Janeiro: Garamond, 2005. BENTO, Berenice. “Quando o gênero se desloca da sexualidade: homossexualidade entre transexuais”. In: GROSSI, M.P. e SCHWADE, E.(org.). Política e cotidiano: estudos antropológicos sobre gênero, família e sexualidade. Blumenau: Nova Letra, 2006. BOELLSTORFF, Tom. Queer Studies in the House of Anthropology. Annual Review of Anthropology. Vol. 36: 17-35, 2007. Califórnia: UIniversity of Califórnia, 2007. BOSWELL, John. Christianisme, tolerance sociale et homosexualité. Les homosexuels en Europe occidentalle des débuts de l´ère chretienne au XIV siècle. Chicago: Gallimard, 1985. BRAZ, Camilo Albuquerque de (2007). “Macho versus Macho um olhar antropológico sobre práticas homoeróticas entre homens em São Paulo”. Cadernos Pagu (UNICAMP), v. 28, p. 175-206. CÂMARA, Cristina. Cidadania e Orientação Sexual: a trajetória do grupo Triângulo Rosa. Rio de Janeiro: Academia Avançada, 2002. CARRARA, Sérgio & SIMÕES, Júlio. Sexualidade, cultura e política: a trajetória da identidade homossexual masculina na antropologia brasileira. Cadernos Pagu, 2007, nº 28,, pp. 65-99. [disponível em http://www.scielo.br/pdf/cpa/n28/05.pdf ] DÍAZ-BENÍTEZ, María Elvira. Dark Room, “aqui”: um ritual de escuridão e silêncio. Revista Cadernos de Campo. PPGAS/ USP, v. 16, n. 16, 2007. [disponível em http://www.revistas.usp.br/cadernosdecampo/article/view/49990/54122 ] DUARTE, Luiz Fernando Dias. A Sexualidade nas Ciências Sociais: Leitura Crítica das Convenções. In: Piscitelli, Adriana; Gregori, Maria Filomena; Carrara, Sérgio. (org.) Sexualidade e Saberes: convenções e fronteiras. Rio de Janeiro: Garamond, 2004. p.39-80. FACCHINI, Regina. Entre umas e outras: mulheres, (homo) sexualidade e diferenças na cidade de São Paulo. Campinas: UNICAMP, 2008. Tese de doutorado [disponível p/ download gratuito mediante cadastro no Nourau/ Unicamp]. FOUCAULT, Michel. Os Anormais: curso no Collège de France (1974-1975). São Paulo: Martins Fontes, 2001. ________________. Historia da Sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro, Graal, 1988. FRY, Peter. Da hierarquia à igualdade: a construção histórica da homossexualidade no Brasil. Para inglês ver. Identidade e política na cultura brasileira. Rio de Janeiro, Zahar, 1982, pp.87-115. FRY, P. & MACRAE, Edward. O que é homossexualidade? São Paulo: Brasiliense, 1983. [disponível em www.giesp.ffch.ufba.br/Textos%20Edward%20Digitalizados/4.pdf ] GUIMARÃES, Carmem Dora. O Homossexual visto por entendidos. Rio de Janeiro: Garamond, 2004. [exemplar disponível no acervo no NERE] MOUTINHO, Laura. Diferenças e desigualdades negociadas: raça, sexualidade e gênero em produções acadêmicas recentes. Cad. Pagu, Campinas , n. 42, p. 201-248, jun. 2014 . ______. Negociando com a adversidade: reflexões sobre ”raça”, (homos)sexualidade e desigualdade social no Rio de Janeiro. Revista Estudos Feministas, v. 14, 2006. [disp. em http://www.scielo.br/pdf/ref/v14n1/a07v14n1.pdf PERLONGHUER, Nestor. O Negócio do Michê: a prostituição Viril em São Paulo. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987. [exemplar a ser disponibilizado no acervo do NERE] POLLAK, Michel. “A homossexualidade masculina, ou, a felicidade no gueto?” in Ariés, Philip e Benjin, André. Sexualidades Ocidentais: contribuições para a história e a sociologia da sexualidade. São Paulo: Brasiliense, 1985. PRECIADO, Beatriz. Manifesto contrassexual. Práticas subversivas de identidade sexual. São Paulo: N-! Edições, 2014. TRINDADE, Ronaldo. “Construção de identidades homossexuais na era da AIDS”, In: Uziel AP, Rios LF, Parker RG, organizadores. Construções da sexualidade: gênero, identidade e comportamento em tempos de AIDS. Rio de Janeiro: Pallas; 2004. VANCE, Carol. A Antropologia redescobre a sexualidade: um comentário teórico. Physis: Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.5, n.1, 1995. [disponível em www.scielo.br/pdf/physis/v5n1/01.pdf ] VIANNA, Adriana & CARRARA, Sérgio. Os direitos sexuais e reprodutivos no Brasil a partir da “Constituição Cidadã”. In: OLIVEN et al. A constituição de 1988 na vida brasileira. São Paulo: ANPOCS/ HUCITEC, 2008. VELHO, Gilberto. Subjetividade e sociedade: uma experiência de geração. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1986.
 

Clique para consultar os requisitos para FLA0397

Clique para consultar o oferecimento para FLA0397

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP