Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Letras Clássicas e Vernáculas
 
Disciplina: FLC0201 - Literatura Brasileira II
Brazilian Literature II

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 120 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 20 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2015 Desativação:

Objetivos
A disciplina tem como objetivo o estudo da literatura brasileira do segundo momento do século XX, com base no exame de obras, autores, gêneros e questões significativas da produção literária no período. Este estudo busca considerar tanto a consolidação e expansão do projeto modernista, bem como as especificidades de um novo contexto cultural que se desdobra em manifestações contemporâneas. A disciplina desenvolve habilidades necessárias para a formação do professor de Letras, como a interpretação de textos fragmentários, a reflexão filosófica e social sobre a linguagem, a compreensão das relações entre tradição e modernidade, a pesquisa bibliográfica, o aperfeiçoamento da capacidade de leitura de textos complexos e da expressão escrita.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
221657 - Eliane Robert Moraes
728648 - Jaime Ginzburg
54028 - Luiz Dagobert de Aguirra Roncari
1847153 - Yudith Rosenbaum
 
Programa Resumido
Análise e interpretação de obras do período, com ênfase nos seguintes autores: Graciliano Ramos, Guimarães Rosa, Clarice Lispector e João Cabral de Melo Neto.
 
 
 
Programa
A escolha das obras a serem lidas, a ênfase a ser dada a cada um dos escritores e a inclusão de outros autores e obras do período serão definidos pelo ministrante da disciplina e detalhadas nos programas dos cursos.
 
 
 
Avaliação
     
Método
A disciplina é ministrada em aulas expositivas, podendo incluir seminários, apresentações orais de alunos, leituras orientadas e pesquisa bibliográfica. Poderão eventualmente ser realizadas atividades com o emprego de recursos de tecnologias de informação, como por exemplo consultas a bancos de dados de textos, bibliotecas online, filmes articulados com a disciplina e emprego de softwares didáticos
Critério
1)Prova de aproveitamento sobre questões relacionadas com a matéria
discutida em classe
2)Trabalhos de aproveitamento
3)Seminários sobre a matéria indicada no programa
4)Resenhas críticas sobre os principais ensaios estudados no curso
Norma de Recuperação
A recuperação se fará mediante trabalho ou prova escrita, em torno do
programa desenvolvido durante o semestre. As avaliações deverão ser
entregues até uma semana antes da data máxima de retificação de
matrículas, prevista para o semestre seguinte.
 
Bibliografia
     
Sobre Clarice Lispector
ARÊAS, Vilma. Clarice Lispector com a ponta dos dedos. São Paulo, Cia das Letras, 2005.
CANDIDO, Antonio.Vários Escritos. 2. ed. São Paulo, Duas Cidades, 1977. BORELLI, Olga. Esboço para um Possível Retrato. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1981.
GOTLIB, N. B. Clarice: Uma Vida que se Conta. 2. ed. São Paulo, Ática. 1995.
VVAA, Remate de Males (Org. Vilma Arêas e Berta Waldman), Campinas, 9, 1989, pp. 21-29.
NUNES, Benedito. O Drama da Linguagem: Uma Leitura de Clarice Lispector. São Paulo, Ática, 1989.
____________. (Org). A Paixão Segundo G.H. Edición Crítica. Paris/ Brasília, ALLCA XX, 1996.
PONTIERI, Regina Lúcia. Clarice Lispector: Uma Poética do Olhar. São Paulo, Ateliê, 1999.
ROSENBAUM, Yudith. Metamorfoses do Mal. Uma leitura de Clarice Lispector. São Paulo, Edusp/Fapesp, 1999.
SCHWARZ, Roberto. A Sereia e o Desconfiado. Ensaios Críticos. 2. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1981.
SOUZA, Gilda de Melo e. Em Exercícios de Leitura. São Paulo, Duas Cidades, 1980.
WALDMAN, Berta. Clarice Lispector: A Paixão Segundo C.L.. 2. ed. ver. e aum. São Paulo, Escuta, 1992.


Sobre Guimarães Rosa
ARRIGUCCI JR, Davi. “O Mundo Misturado. Romance e Experiência em Guimarães Rosa”. Em Novos Estudos Cebrap. Novembro/1994, n. 40.
BOSI, Alfredo. Céu, Inferno. Ensaios de Crítica Literária e Ideológica. São Paulo, Ed. 34, 2003 (Col. Espírito crítico).
CANDIDO, Antonio. Tese e Antítese. São Paulo, Ouro sobre Azul, 2006.
COUTINHO, Eduardo. (Org.) Guimarães Rosa. Fortuna Crítica. Rio de Janeiro: Civ. Brasileira; Brasília: INL, 1983.
GALVÃO, Walnice Nogueira. As formas do falso. São Paulo: Perspectiva.1972.
GALVÃO, Walnice Nogueira. Mínima mímica. São Paulo: Companhia das letras, 2008.
HANSEN, João Adolfo. O Ó. São Paulo: Hedra, 2000.
NUNES, Benedito. O Dorso do tigre. São Paulo, Perspectiva, 1969 (Debates, n. 17)
PASTA JÚNIOR, José Antonio. “O Romance de Rosa: Temas do Grande Sertão e do Brasil: CREPAL, n. 4, Presses de la Sorbonne Nouvelle, 1997.
PASSOS, Cleusa Rios P. Guimarães Rosa: Do Feminino e suas Estórias. São Paulo, Hucitec/Fapesp, 2000.
PROENÇA, M. Cavalcanti. Trilhas do Grande Sertão. Rio de Janeiro, MEC, 1958.
RONCARI, Luiz. O Brasil de Rosa. O amor e o poder. São Paulo: Unesp, 2004.
ROSENFIELD, K. H. Desvendando Rosa: a obra de J.G.Rosa e outros ensaios. Rio de Janeiro: Topbooks, 2006.

Sobre Graciliano Ramos
BOSI, Alfredo. “A escrita do testemunho em Memórias do Cárcere”. IN: Literatura e Resistência. São Paulo, Companhia das Letras, 2002.
____________. “Céu, inferno”. IN: Céu, Inferno. São Paulo, Duas Cidades/ Ed. 34, 2003.
BRAYNER, Sônia (Org.). Graciliano Ramos. Fortuna Crítica. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1978.
CANDIDO, Antonio. Ficção e Confissão – ensaios sobre Graciliano Ramos. Rio de Janeiro, Ed. 34, 1992.
CARPEAUX, Otto Maria. “Visão de Graciliano Ramos”. Origens e Fins. IN: Ensaios Reunidos (1942-1978). Rio de Janeiro, UniverCidade & Topbooks, 1999.
GARBUGLIO, José Carlos et alii (Orgs.). Graciliano Ramos – Coleção Escritores Brasileiros (Antologia e Estudos). São Paulo, Ática, 1987.
LAFETÁ, João Luiz. “O mundo à revelia”. IN: A Dimensão da Noite. São Paulo, Ed. 34, 2005.
LINS, Álvaro. “Valores e misérias das vidas secas”. IN: Os Mortos de Sobrecasaca (1940-1960). Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1963.
ROSENFELD, Anatol. “Graciliano Ramos como poeta da seca”. IN: Letras e Leituras. São Paulo, Perspectiva/ Edusp/ Editora da Unicamp, 1994.
Teresa – revista de Literatura Brasileira 2. São Paulo, USP/ Ed. 34, 2001.
Sobre João Cabral de Melo Neto
BARBOSA, João Alexandre. A imitação da forma: uma leitura de João Cabral de Melo Neto. São Paulo: Duas Cidades, 1975.
ESCOREL, Lauro. A pedra e o rio. Uma interpretação da poesia de João Cabral de Melo neto. São Paulo: Duas Cidades, 1973
LIMA, Luiz Costa. Lira e antilira: Mário, Drummond, Cabral. 2ª ed. Rio de Janeiro: Topbooks, 1995.
MERQUIOR, José Guilherme. “Nuvem civil sonhada. Ensaio sobre a poética de João Cabral de Melo Neto”. In: A astúcia da mimese. Rio de Janeiro: mJosé Olympio, 1972, p. 69-172.
NUNES, Benedito. João Cabral: a máquina do poema. Adalberto Müller (org.) Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2007.
SECCHIN, Antonio Carlos. João Cabral: a poesia do Menos e outros ensaios cabralinos. 2. ed. Rio de Janeiro: Topbooks, 1999.
SÜSSEKIND, Flora. “Com passo de prosa. Voz, figura e movimento na poesia de João Cabral de Melo Neto”. In: A voz e a série. Rio de Janeiro: Sette letras, 1998, p. 31-54.
SÜSSEKIND, Flora (Org.). Correspondência de Cabral com bandeira e Drummond. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.
VILLAÇA, Alcides. “Expansão e limite da poesia de João Cabral”. In: BOSI, Alfredo (org.). Leitura de poesia. São Paulo: Ática, 1996.

Bibliografia referente à formação de professores

BOSI, Alfredo. História Concisa da Literatura Brasileira. São Paulo, Cultrix, 1997.
BOSI, Alfredo. Literatura e resistência. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.
CANDIDO, Antonio. A literatura e a formação do homem. Ciência e Cultura. 24 (9): 803-809, set, 72.
CANDIDO, Antonio. Na sala de aula. São Paulo: Ática, 1985.
CANDIDO, Antonio. O direito à literatura. In: ___. Vários escritos. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2011.
Websites:
http://www.dominiopublico.gov.br
http://www.literaturabrasileira.ufsc.br
http://www.gutenberg.org
http://bndigital.bn.br/acervo-digital/
 

Clique para consultar os requisitos para FLC0201

Clique para consultar o oferecimento para FLC0201

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP