Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Letras Clássicas e Vernáculas
 
Disciplina: FLC0353 - Literatura Latina: Lírica
FLC0353 Latin literature: Lyrics

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 60 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 10 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2015 Desativação:

Objetivos
O curso procura estudar as especificidades do gênero lírico antigo, em particular na poesia latina, diferencian-do-o principalmente dos gêneros da elegia e do iambo, com os quais aquele gênero poético admite certa con-finidade. Para tanto, parte da teorização poética presente quer nalguns rétores, gramáticos e metricistas anti-gos, quer nos próprios poetas, em passos direta ou indiretamente preceptivos de seus poemas, quando denun-ciam, assim, a consciência das diferenças e da confinidade entre aqueles gêneros de poesia. Além disso, a disciplina pretende discutir os problemas didáticos de ensinar poesia lírica latina, distinguindo o que esta significa de modo preciso daquilo que hoje se entende por poesia lírica de modo genérico.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
2353791 - Alexandre Pinheiro Hasegawa
2085274 - João Angelo Oliva Neto
2851470 - Marcelo Vieira Fernandes
 
Programa Resumido
Primeiramente, são lidas e comentadas algumas fontes críticas antigas importantes para a distinção entre os gêneros poéticos da elegia, do iambo e da lírica, de modo que se apontem as diferenças desta última para aquelas duas na poesia antiga; em seguida, faz-se um estudo mais detalhado da poesia de Catulo e Horácio, com o propósito de distinguir em cada um deles as produções líricas das demais (iâmbicas, elegíacas, epigra-máticas, etc.); por fim, estuda-se, nesses poetas, o chamado cruzamento poético do gênero lírico com o iâmbi-co e com o elegíaco.
 
 
 
Programa
A teorização poética antiga no caso da elegia, do iambo e da lírica.2. A elegia amorosa latina (Catulo, Tibulo, Propércio, Ovídio).3. Os poemas iâmbicos de Catulo.4. A distinção entre a poesia mélica, ou lírica, monódica e a coral.5. Catulo como poeta lírico.6. O caráter polimétrico da poesia de Catulo.7. A discriminação da matéria propriamente lírica em Horácio.8. As odes programáticas de Horácio.9. Exemplos de confinidade e cruzamento de gêneros poéticos (I) entre: a) lírica e elegia; b) elegia e iambo; c) lírica e iambo. 10. Introdução aos metros líricos: Catulo e Horácio.
Problemas e estratégias didáticas do ensino da distinção entre lírica, iambo e elegia. Emprego das Tecnologias da Informação e da Comunicação no ensino e também no aprendizado (“sites” de texto e imagem relacionados com literatura latina e com cultura romana).
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas e dialogadas, e/ou leitura e comentário de textos. Uso de recursos audiovisuais e de tecnologia da informação e comunicação.
Critério
A avaliação dos alunos levará em conta os resultados das provas, e/ou a realização de exercícios e/ou traba-lhos monográficos e/ou a participação nas aulas. Serão observados aspectos como capacidade de análise críti-ca dos textos, capacidade de redação, adequação à bibliografia proposta, entre outros.
Norma de Recuperação
Conforme norma vigente, terá direito a recuperação o aluno que alcançar a média mínima 3,0 (e abaixo de 5,0) no período letivo normal. A recuperação se fará mediante trabalho e/ou prova escrita (e/ou outros instru-mentos, equivalentes aos utilizados no período letivo) em torno do programa desenvolvido durante o semestre. A média final do aluno será o resultado de uma média ponderada, em que a nota anterior terá peso 1 e a nota obtida na recuperação terá peso 3, isto é, a nota inicial corresponde a 25 % da média final.
 
Bibliografia
     
ACHCAR, Francisco. Lírica e lugar-comum. Alguns temas de Horácio e sua presença em Português. São Paulo: Edusp, 1994.
ANTOLOGIA GREGA. The Greek Anthology, with an English translation by W. R. Paton, in five volumes; vol. I, Cambridge: Harvard University Press/London: William Heinemann, 1980; vol. II, 1970; vol. III, 1983; vol. V, 1979; vol. IV, Cambridge/London: Harvard University Press, 1991.
ARISTÓTELES. Poética, trad. de Eudoro de Souza, ed. bilíngüe grego-português. São Paulo: Ars Poetica, 1992.
BAYET, Jean. Littérature latine. Paris: Armand Colin, 1996.
BICKEL, Ernst. Historia de la literatura romana, trad. José M. Diaz – Regañón López. Madrid: Gredos, 1982.
CAIRNS, Francis. Generic composition in Greek and Roman poetry. Edimburg, Edimburg University Press, 1972.
CALLIMAQUE. Les origines, Réponse aux Telchines, Élégies, Épigrammes, Iambes et Pièces Lyriques, Hécale, Hymnes, texte établi et traduit par E. Cahen. Paris: “Les Belles Lettres”, 1972.
CANFORA, Luciano. Storia della letteratura greca. 3a ed. ampl. Bari: Laterza, 1994.CATULO. O livro de Catulo, trad., introd. e notas de João Angelo Oliva Neto. São Paulo: Edusp, 1996.
CONTE, Gian Biagio. “Genre between Empiricism and Theory”, in Genres and Readers: Lucretius, Love El-egy, Pliny’s Encyclopedia, trans. Glenn W. Most with a foreword by Charles Segal. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1994, p. 105-28.
CONTE, Gian Biagio. Latin literature: a history, transl. by Joseph B. Solodow, rev. by Don Fowler & Glenn W. Most. Baltimore and London: The Johns Hopkins University Press, 1994.
CORRÊA, Paula da Cunha. Armas e Varões. A guerra na lírica de Arquíloco. São Paulo: Fundação da Editora da UNESP, 1998.
DE FALCO, V., COIMBRA, A. F. Os elegíacos gregos, de Calino a Crates. São Paulo, 1941.
FOCIO, O PATRIARCA. Bibliothèque, tome V (codices 230-41), texte établi et traduit par René Henry. Paris: “Les Belles Lettres”, 1967.
GENTILI, Bruno et al. Storia della letteratura latina. Bari: Laterza, 1987.
GRIMAL, Pierre. Le lyrisme à Rome. Paris: PUF, 1978.
GUERRERO, Gustavo. Teorias de la lírica. México: Fondo de Cultura Econômica, 1998.
HARVEY, A. E. “The classification of Greek lyric poetry”, Classical Quaterly, new series, vol. V, n. 3 and 4, July-October 1955.
HASEGAWA, Alexandre Pinheiro. “O epodo X de Horácio e a recusa do gênero épico”, Cadernos de Literatura em Tradução, n. 5. São Paulo: Humanitas, 2004.
HORÁCIO. Arte Poética, introd., trad. e com. de R. M. Rosado Fernandes. Lisboa: Inquérito, [1984].
HORÁCIO. Obras Completas (odes, épodos, carme secular, sátiras e epístolas), em traduções de Elpino Duri-ense, José Agostinho de Macedo, Antônio Luiz de Seabra e Francisco Antônio Picot. São Paulo: Edi-ções Cultura, 1941.
KEIL, H. Grammatici Latini; I DIOMEDIS ARTIS GRAMMATICAE LIBRI III, Leipzig: Teubner, 1887. Vol. IV: PROBI DONATI SERVII QVI FERVNTVR DE ARTE GRAMMATICA LATINA. Hilde-sheim/New York: Georg Olms, 1981.
NOUGARET, Louis. Traité de métrique latine classique. Paris: Klincksieck, 1948.
NOVAK, Maria da Glória, NERY, Maria Luíza. Poesia lírica latina. São Paulo: Martins Fontes, 1992.
POYARD, C. - Pindare, ouvres complètes, nouvelle édition, augmentée d’Anacréon, de Sappho et d’Érinna. Paris: Garnier, s/d.
REINACH, Théodore - Alcée, Sapho, texte établi et traduit par Théodore Reinach, avec la collaboration de Aimé Puech. Paris: “Les Belles Lettres”, 1937.
ROSSI, L. E. “I generi letterari e le loro leggi scritte e non scritte nelle letterature classiche”, Bulletin of the Institute of Classical Studies, 18 (1971), p. 69-94.
Bibliografia didática:
ANCONNA, R. A Concise Guide to Teaching Latin Literature. Norman: University of Oklahoma, 2007.
GAILLARD, J. Approches de la littérature latine. Paris: Nathan, 1992.
- “Sites” da internet:
LINKS LATINOS: http://frcoulter.com/latin/links.html
PERSEUS DIGITAL LIBRARY: http://www.perseus.tufts.edu/hopper/
ROME REBORN: http://romereborn.frischerconsulting.com/gallery-current.php#videos_2_1
THE LATIN LIBRARY: http://www.thelatinlibrary.com/
 

Clique para consultar os requisitos para FLC0353

Clique para consultar o oferecimento para FLC0353

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP