Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
História
 
Disciplina: FLH0647 - Economia e sociedade em perspectiva histórica [5- Teoria, historiografia e novas abordagens]
Economic and society in historical perspective

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 120 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 20 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2023 Desativação: 14/07/2024

Objetivos
A disciplina tem o objetivo de examinar os mecanismos sociais, jurídicos, políticos e culturais que garantiam o cumprimento de normas e acordos no comércio de longa distância; e que, portanto, permitiram a expansão comercial em escala e escopo desde o Mediterrâneo muçulmano medieval até a contemporaneidade. A disciplina apresenta várias teses a partir de várias escolas e metodologias, tais como: Nova Escola Institucionalista, Teoria dos Jogos, Teoria da Firma, Análise de Redes Sociais, Sociologia Econômica, Antropologia do Direito. 
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
129383 - Daniel Strum
 
Programa Resumido
O problema do cumprimento dos acordos acompanha a humanidade. Na esfera econômica, trata-se de um problema que ocorre sempre quando uma obrigação não se cumprir de imediato ou seja satisfeita com bens com quantidade e qualidade facilmente aferíveis. Por tratar de um problema fundamental às trocas, o tema permite examinar diferentes soluções (instituições) adotadas em diferentes contextos ao longo de um amplo recorte espaço-temporal: Alexandria helenística e Roma Imperial, o Mediterrâneo muçulmano medieval, as cidades do norte da Itália na Baixa Idade Média, o Atlântico espanhol, os bascos no Peru, os armênios na Eurásia moderna, o comércio de diamantes da Índia e do Brasil setecentistas, a emergência das grandes corporações nos EUA, etc. É um tema também que tem atraído a atenção de pesquisadores de diferentes disciplinas: Economia, Sociologia, Antropologia e Direito; e ao qual se tem aplicado diferentes abordagens teórico-metodológicas como a teoria dos jogos, a análise de redes sociais, a teoria da firma e a etnografia. As diferentes escolas dão pesos diferentes à racionalidade das escolhas, ao papel dos laços entre dois ou mais indivíduos, à cultura de grupos etc. Influenciados por essas disciplinas e escolas, uma crescente historiografia tem se debruçado sobre a questão.
 
 
 
Programa
1-O que faziam os mercadores.
2-Análise de Redes Sociais e as obrigações contratuais.
3-Coalizões e a Teoria dos Jogos; 
4-Mercados versus Hierarquias.
5-Veneza e Gênova: diferentes abordagens; 
6-Comércio Trans(inter)-Cultural; 
7-Revisitando as Diásporas; 
8-Confiança, Status e Diligência; 
9-Optando por Escapar aos Tribunais; 
10-Tribunais na Expansão Atlântica
11-Escolha Institucional.
 
 
 
Avaliação
     
Método
a) frequência e participação ativa nos debates em sala (peso 10%); b) seminário em grupo (25%); c) trabalho final (65%).
Critério
capacidade de argumentação crítica e de problematização; articulação entre ideias e leituras; consistência teórica e historiográfica.
Norma de Recuperação
Média simples entre a avaliação da recuperação e média das avaliações anteriores.
 
Bibliografia
     
Bibliografia: ASLANIAN, Sebouh David. From the Indian Ocean to the Mediterranean: The Global Trade Networks of Armenian Merchants from New Julfa. Berkley: University of California University Press: 2011, pp. 1-22, 166-201. BERNSTEIN, Lisa, ‘Opting out of the legal system: extralegal contractual relations in the diamond industry’, Journal of Legal Studies, 21, 1 (1992), pp. 115–57. BURT, Ronald S. Structural holes versus network closure as social capital. In: LIN, Nan; COOK, Karen & BURT, Ronald S. (eds.). Social capital: theory and research. New York: Aldine de Gruyter, 2001, pp. 31-56. FFLCH 302 L735sr 2006. CURTIN, Philip D. Cross-Cultural Trade in World History. Cambridge: Cambridge University Press, 1998. DOOSSELAERE, Quentin Van, Commercial Agreements and Social Dynamics in Medieval Genoa, Cambridge: Cambridge University Press, pp. 118-169. FERNÁNDEZ CASTRO, Ana  Belem. Juzgar las Indias: La práctica de la jurisdicción de los oidores de la audiencia de la Casa de la Contratación de Sevilla (1583-1598). PhD Dissertation European University Institute, Florence, 2015, pp. 203-256, 373-384. GOLDBERG, Jessica. Trade and Institutions in the Medieval Mediterranean: The Geniza Merchants and their Business World. Cambridge, Cambridge University Press: 2012, pp. 120-184. GONZÁLEZ de LARA, Yadira (2008): “The Secret of Venetian Success: A Public-order, reputation-based Institution.” European Review of Economic History, 12.3: 247-285. GRANOVETTER, Mark. Problems of explanation in economic sociology. In: NOHRIA, Nitin & ECCLES, Robert G. (eds.). Networks and organizations. Boston: Harvard Business School Press, 1992, pp. 25­ 56. GREIF, Avner. Cultural Belief and Organization of Society: A Historical and Theoretical Reflection on Collectivist and Invidualist Societies. The Journal of Political Economy, 102:5, 912-950. GREIF, Avner (2000): “The fundamental problem of exchange: a research agenda in Historical Institutional Analysis.” European Review of Economic History, 4, 251-284. GREIF, Avner. Institutions and the path to the modern economy lessons from medieval trade. New York: Cambridge University Press, 2010. Apêndice C. LAMOREAUX, Naomi R. Daniel M. G. RAFF and Peter TEMIN, Beyond Markets and Hierarchies: Toward a New Synthesis of American Business History. The American Historical Review, 108: 2, pp. 404-433. MERRY, Sally Engle. “Rethinking Gossip and Scandal.” In: Daniel B. Klein (ed.), Reputation: Studies in the Voluntary Elicitation of Good Conduct, Ann Arbor: The University of Michigan Press, pp. 47–74. ROOVER, Raymond de. The organization of trade. In: POSTAN, M. M.; RICH, E. E. & MILLER, Edward (eds.). The Cambridge economic history of Europe. V.3. Cambridge: Cambridge University Press, 1963, pp. 42-118. STRUM, Daniel, O Comércio de Açúcar: Brasil, Portugal e os Países Baixos (1595-1630), São Paulo, Versal – Odebrecht, 2012, cap. 9. STRUM, Daniel, “Institutional choice in the governance of the early Atlantic sugar trade: diasporas, markets and courts,” Economic History Review, v. 0.0 (2019), permanent url- link: https://doi.org/10.1111/ehr.12848 TERPSTRA, Taco. Trade in the Ancient Mediterranean: Private Order and Public Institutions. Princeton: Princeton University Press, 2019. TRIVELLATO, Francesca. The Familiarity of Strangers: The Sephardic Diaspora, Livorno, and Cross-Cultural Trade in the Early Modern Period. New Haven: Yale University Press, 2009. WEIMANN, Gabriel. On the importance of marginality: one more step into the two­step flow of communication. AMERICAN SOCIOLOGICAL REVIEW, Washington­DC, American Sociological Association, v. 47, n. 6, pp. 764­773, dez. 1982. WILLIAMSON, Oliver, The Economic Institutions of Capitalism. New York: Free Press, 1985, pp. 68-84.
 

Clique para consultar os requisitos para FLH0647

Clique para consultar o oferecimento para FLH0647

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2024 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP