Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Lingüística
 
Disciplina: FLL0215 - Sintaxe: Fundamentos da Análise e Descricão Sintáticas
Syntax: Founndatios of Syntactic Analysis and Description

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 120 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 40 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2015 Desativação:

Objetivos
Apresentar o aluno a um modelo formal de investigação sintática (a Teoria de Princípios e Parâmetros) através da análise da estrutura das línguas naturais, em geral, e do português brasileiro, em particular. Levar o aluno a reanalisar descrições e definições da tradição gramatical a partir desse modelo e formular hipóteses sobre fatos linguísticos não considerados nessa tradição. Propiciar ao aluno um conjunto explícito de generalizações sobre as propriedades sintáticas das línguas naturais que possa subsidiar sua futura atuação em sala de aula quer no ensino de língua materna, quer no ensino de línguas estrangeiras.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3053989 - Ana Paula Scher
2696571 - Esmeralda Vailati Negrão
3792618 - Jairo Morais Nunes
1286996 - Marcello Modesto dos Santos
 
Programa Resumido
Estudo crítico de propriedades sintáticas das línguas naturais dentro de um modelo formal de análise linguística.
 
 
 
Programa
• Representação lexical: propriedades semânticas e de subcategorização dos itens lexicais relevantes para a análise estrutural das orações.
• Categorias gramaticais: uniformidade da organização hierárquica de nomes, verbos, adjetivos, advérbios e preposições, como resultado da projeção das propriedades lexicais.
• Relações sintáticas fundamentais: predicação, complementação, coordenação e adjunção.
• Categorias funcionais relevantes para a estruturação sintática
• Análise da estrutura de constituintes de orações simples e complexas e sua representação sintática
 
 
 
Avaliação
     
Método
Trabalhos e/ou Provas.
Critério
Provas escritas e exercícios com o objetivo de avaliar a capacidade dos alunos de: operar com os diversos conceitos introduzidos, apresentar hipótese explicativas do comportamento de certos fatos linguísticos; argumentar em favor das análises propostas.
Norma de Recuperação
A atividade de recuperação será feita, em data a ser definida pelo professor, mediante trabalho ou prova escrita, também a critério do professor da disciplina. Para a aprovação, o aluno deverá obter nota maior ou igual a 5,0 (cinco) nessa atividade.
 
Bibliografia
     
CHOMSKY, N. (1965). Aspects of the Theory of Syntax. Cambridge, MA: MIT Press.
CHOMSKY, N. (1981). Lectures on Government and Binding. Dordrecht: Foris.
CHOMSKY, N. (1986). Knowledge of Language: its Nature, Origin and Use. New York: Praeger.
FRANCHI, C. et al. (2006). Mas o que é mesmo ‘gramática’?. São Paulo: Parábola. POSSENTI, S. (1996) Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas, ALB. Mercado de Letras, 96 p., Coleção Leituras do Brasil.
HAEGEMAN, L. (1991). Introduction to Government and Binding Theory. Cambridge: Blackwel.
LYONS, J. (1979) Introdução à Linguística Teórica. São Paulo, Nacional\EDUSP. MATEUS, M. H. M. et al. (1983). Gramática da língua portuguesa. Coimbra, Almedina.
MIOTO, C, M. C. FIGUEIREDO SILVA & R. E. V. LOPES (2004) Novo Manual de Sintaxe. Florianópolis: Insular.
PERINI, M. A. (1989). Sintaxe Portuguesa. Metodologia e funções. São Paulo, Ática.
RAPOSO, E. (1992). Teoria da Gramática. A Faculdade da Linguagem. Lisboa: Caminho.
SILVA, K. A. da; PILATI, E. & DIAS, J. de F. (2010) O ensino de gramática na contemporaneidade: delimitando e atravessando as fronteiras na formação inicial de professores de língua portuguesa. Rev. bras. linguist. apl. [online]. vol.10, n.4, pp. 975-994. ISSN 1984-6398.
POSSENTI, SÍRIO. 1996. Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas, Mercado de Letras.
SÍRIO POSSENTI (Org.). 2006. Mas o que é mesmo "gramática"?. São Paulo: Parábola.
CONSELHO DA EUROPA (2001). Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas - Aprendizagem, ensino, avaliação. Porto, Edições ASA, 2001.
BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO (1999). Parâmetros Curriculares Nacionais – Ensino Médio – Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Brasília: Secretaria de Educação Média e Tecnológica.
BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais – Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental – Língua Estrangeira. Brasília: Imprensa Oficial.
 

Clique para consultar os requisitos para FLL0215

Clique para consultar o oferecimento para FLL0215

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP