Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Lingüística
 
Disciplina: FLL0215 - Sintaxe: Fundamentos da Análise e Descricão Sintáticas
Syntax: Founndatios of Syntactic Analysis and Description

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 120 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 40 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2018 Desativação:

Objetivos
Apresentar o aluno a um modelo formal de investigação sintática (a Teoria de Princípios e Parâmetros) através da análise de estruturas de diversas línguas, com particular ênfase no português brasileiro. Levar o aluno a reanalisar descrições e definições da tradição gramatical a partir desse modelo e a formular hipóteses sobre fatos linguísticos não considerados nessa tradição. Propiciar ao aluno um conjunto explícito de generalizações sobre as propriedades sintáticas das línguas naturais em geral e do português brasileiro, em particular, que possa subsidiar sua futura atuação em sala de aula quer no ensino de língua materna, quer no ensino de línguas estrangeiras.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3053989 - Ana Paula Scher
2696571 - Esmeralda Vailati Negrão
3792618 - Jairo Morais Nunes
1286996 - Marcello Modesto dos Santos
 
Programa Resumido
Estudo crítico de propriedades sintáticas das línguas naturais dentro de um modelo formal de análise linguística.
 
 
 
Programa
• Representação lexical: propriedades semânticas e de subcategorização dos itens lexicais relevantes para a análise estrutural das orações. • Categorias gramaticais: uniformidade da organização hierárquica de nomes, verbos, adjetivos, advérbios e preposições, como resultado da projeção das propriedades lexicais. • Relações sintáticas fundamentais: predicação, complementação, coordenação e adjunção. • Categorias funcionais relevantes para a estruturação sintática • Análise da estrutura de constituintes de orações simples e complexas e sua representação sintática
 
 
 
Avaliação
     
Método
Trabalhos e/ou Provas.
Critério
Provas escritas e exercícios com o objetivo de avaliar a capacidade dos alunos de: operar com os diversos conceitos introduzidos, apresentar hipótese explicativas do comportamento de certos fatos linguísticos; argumentar em favor das análises propostas.
Norma de Recuperação
A atividade de recuperação será feita, em data a ser definida pelo professor, mediante trabalho ou prova escrita, também a critério do professor da disciplina. Para a aprovação, o aluno deverá obter nota maior ou igual a 5,0 (cinco) nessa atividade.
 
Bibliografia
     
CHOMSKY, N. (1965). Aspects of the Theory of Syntax. Cambridge, MA: MIT Press.
CHOMSKY, N. (1981). Lectures on Government and Binding. Dordrecht: Foris.
CHOMSKY, N. (1986). Knowledge of Language: its Nature, Origin and Use. New York: Praeger.
FRANCHI, C. et al. (2006). Mas o que é mesmo ‘gramática’?. São Paulo: Parábola. POSSENTI, S. (1996) Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas, ALB. Mercado de Letras, 96 p., Coleção Leituras do Brasil.
HAEGEMAN, L. (1991). Introduction to Government and Binding Theory. Cambridge: Blackwel.
LYONS, J. (1979) Introdução à Linguística Teórica. São Paulo, Nacional\EDUSP. MATEUS, M. H. M. et al. (1983). Gramática da língua portuguesa. Coimbra, Almedina.
MIOTO, C, M. C. FIGUEIREDO SILVA & R. E. V. LOPES (2004) Novo Manual de Sintaxe. Florianópolis: Insular.
PERINI, M. A. (1989). Sintaxe Portuguesa. Metodologia e funções. São Paulo, Ática.
RAPOSO, E. (1992). Teoria da Gramática. A Faculdade da Linguagem. Lisboa: Caminho.
SILVA, K. A. da; PILATI, E. & DIAS, J. de F. (2010) O ensino de gramática na contemporaneidade: delimitando e atravessando as fronteiras na formação inicial de professores de língua portuguesa. Rev. bras. linguist. apl. [online]. vol.10, n.4, pp. 975-994. ISSN 1984-6398.
POSSENTI, SÍRIO. 1996. Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas, Mercado de Letras.
SÍRIO POSSENTI (Org.). 2006. Mas o que é mesmo "gramática"?. São Paulo: Parábola.
CONSELHO DA EUROPA (2001). Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas - Aprendizagem, ensino, avaliação. Porto, Edições ASA, 2001.
BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO (1999). Parâmetros Curriculares Nacionais – Ensino Médio – Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Brasília: Secretaria de Educação Média e Tecnológica.
BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais – Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental – Língua Estrangeira. Brasília: Imprensa Oficial.
 

Clique para consultar os requisitos para FLL0215

Clique para consultar o oferecimento para FLL0215

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP