Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Lingüística
 
Disciplina: FLL0437 - Teoria e Análise de Textos: Semiótica Narrativa e Discursiva
Textual Theory and Analysis: Semiotics of Narrative and discourse

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 60 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 20 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2018 Desativação:

Objetivos
Proporcionar uma iniciação aos estudos teóricos e às técnicas descritivas da semiótica, para abordagem da construção do sentido nos textos verbais ou não-verbais. A partir dos princípios linguísticos e metodológicos erigidos por F. de Saussure e L. Hjelmslev, a disciplina contempla o modelo de base formulado por A. J. Greimas, chegando às atuais formulações introduzidas pela chamada semiótica tensiva. Seus conteúdos estão voltados a subsidiar tanto à formação teórica do futuro pesquisador (mestres e doutores) quanto à formação profissional do futuro professor da Rede de Ensino Básico e Médio e Superior.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
411781 - Antonio Vicente Seraphim Pietroforte
799905 - Ivã Carlos Lopes
54331 - Luiz Augusto de Moraes Tatit
1862115 - Waldir Beividas
 
Programa Resumido
Exposição dos princípios gerais da teoria semiótica europeia no que se refere a uma gramática narrativa e discursiva que comanda, na forma de um percurso gerativo da significação, a construção do sentido nas várias linguagens humanas.
 
 
 
Programa
1. O campo da semiótica, suas fontes e seus pontos de vista teóricos 2. Os níveis da análise semiótica 3. Pré-condições da geração de sentido: a tensividade fórica 4. Problemas do nível fundamental 5. Sintaxe narrativa: enunciados, programas, percursos, esquema. 6. Semântica narrativa: ação, paixão, cognição 7. Sintaxe discursiva (atores, tempo, espaço) e Semântica discursiva (tematização e figurativização) 8. Questões do plano da expressão: textualizações com diferentes substâncias 9. Questões do plano da expressão: o ritmo (artes do espaço / artes do tempo) 10. Desenvolvimentos recentes na semiótica
 
 
 
Avaliação
     
Método
São três grandes tipos de atividades: aulas expositivas sobre os modelos teóricos e descritivos, seminários de aplicação dos conhecimentos adquiridos e discussão de textos em sala de aula.
Critério
Provas escritas, seminários, trabalhos de aproveitamento.
Norma de Recuperação
A atividade de recuperação será feita, em data a ser definida pelo professor, mediante trabalho ou prova escrita, também a critério do professor da disciplina. Para a aprovação, o aluno deverá obter nota maior ou igual a 5,0 (cinco) nessa atividade.
 
Bibliografia
     
BARROS, D.L.P. (2000) Teoria do discurso - fundamentos semióticos. 2ª ed., São Paulo, Humanitas.
BARROS, D.L.P. (2003) "Estudos do discurso" in: Introdução à linguística II, São Paulo, Contexto.
BERTRAND, D. (2003a) Caminhos da semiótica literária. Trad. Grupo CASA. Bauru, Edusc.
BERTRAND, D. (2003b) "Narratividade e discursividade: pontos de referência e problemáticas". Significação - Revista Brasileira de Semiótica, 19.
FIORIN, J. L. (2013) (org) Linguística? Que é isso? São Paulo: Contexto, 206 pp.
FIORIN, J.L. (1989) Elementos de análise do discurso. São Paulo, Contexto/EDUSP.
FLOCH, J-M. (2001) "Alguns conceitos fundamentais em semiótica geral". Documentos de Estudo do CPS, 1. São Paulo, CPS/PUC-SP.
FONTANILLE, J. & ZILBERBERG, C. (2001) Tensão e significação, São Paulo, Humanitas / Discurso Editorial.
FULANETI, O. N.; BUENO, A. M. (orgs) (2013). Linguagem e Política. Princípios teórico-discursivos. São Paulo: Contexto, 191pp.
GREIMAS, A. J. & FONTANILLE, J. (1993) Semiótica das paixões. São Paulo, Ática.
GREIMAS, A. J. (1975). Sobre o sentido. Trad. Ana Cristina Cruz Cezar et al. Petrópolis: Vozes.
GREIMAS, A.J. & COURTÉS, J. (s.d.) Dicionário de semiótica. Trad. A. Dias Lima et al. São Paulo, Cultrix.
GREIMAS, A.J. (2002) Da imperfeição. São Paulo, Hacker.
HJELMSLEV, L. (1975) Prolegômenos a uma teoria da linguagem. São Paulo, Perspectiva.
LANDOWSKI, E. & OLIVEIRA, A.C.-orgs- (1995) Do inteligível ao sensível. São Paulo, EDUC.
LANDOWSKI, E., DORRA, R. & OLIVEIRA, A.C.-orgs- (1998) Semiótica, estesis, estética. São Paulo, EDUC.
LARA, G. M. P. (org) (2006) Lingua(gem), texto e discurso. Entre a Reflexão e a Prática. Vol I. Rio de Janeiro: Lucerna, 224pp.
LOPES, I.; HERNANDES, N. (2005) (orgs) Semiótica: objetos e práticas. São Paulo: Contexto, 288pp.
MATTE, A. C. F. (org) (2007) Lingua(gem), texto e discurso. Entre a Reflexão e a Prática. Vol II. Rio de Janeiro: Lucerna, 240pp.
PIETROFORTE, A. V. (2008) Tópicos de Semiótica: modelos teóricos e aplicações. São Paulo: AnnaBlume, 147 pp.
SAUSSURE, F. (1973) Curso de linguística geral. São Paulo, Cultrix.
TATIT, L. (2001) "Abordagem do texto" in: Introdução à linguística I, São Paulo, Contexto.
TATIT, L. (2001) Análise semiótica através das letras, São Paulo, Ateliê Editorial.
BARROS, DIANA L. P. 1985. A festa do discurso. Teoria do discurso. Análise de redações de vestibulandos. Tese de livre docência, USP.
CONSELHO DA EUROPA (2001). Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas - Aprendizagem, ensino, avaliação. Porto, Edições ASA, 2001.
BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO (1999). Parâmetros Curriculares Nacionais – Ensino Médio – Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Brasília: Secretaria de Educação Média e Tecnológica.
BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais – Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental – Língua Estrangeira. Brasília: Imprensa Oficial.
DISCINI, NORMA . 2009. O Estilo nos Textos. 2º. ed. São Paulo: Contexto.
DISCINI, NORMA . 2013. A comunicação nos textos. 2ª. ed. São Paulo: Contexto.
 

Clique para consultar os requisitos para FLL0437

Clique para consultar o oferecimento para FLL0437

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP