Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Línguas Orientais
 
Disciplina: FLO0140 - Cultura Armênia I
Armenian Culture I

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2009 Desativação: 31/12/2017

Objetivos
Oferecer um panorama geral da história e cultura armênias.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
427308 - Deize Crespim Pereira
 
Programa Resumido
Armênia: história e cultura.
 
 
 
Programa
1. História da Armênia: panorama geral
2. A língua armênia: formação histórica e variedades lingüísticas
3. A origem do povo armênio: Gênesis; Hayk; O reino de Urartu
4. Período Pré-cristão: Literatura Oral. Mitologia. Grandes reis armênios da Antiguidade
5. A adoção do cristianismo
6. A criação do alfabeto e o Século de Ouro da literatura armênia
7. O reino armênio da Cilícia e o Século de Prata da literatura armênia
8. O genocídio dos armênios pelos turcos
9. A diáspora armênia no Brasil e no mundo
10. Traços da identidade armênia na (literatura da) diáspora

 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas e debates
Critério
Resenhas e monografias
Norma de Recuperação
A recuperação se fará mediante trabalho escrito

 
Bibliografia
     
ABRAHAMIAN, L. (2012). A Armênia e os armênios entre Oriente e Ocidente. In: CAVALIERE, A.; ARAÚJO, R.G. (orgs. 2012). Linguagens do Oriente: Territórios e Fronteiras. São Paulo, Targumim, p. 51-66. AKÇAM, Taner (2004). From Empire to Republic: Turkish Nationalism & The Armenian Genocide. London; New York, Zed Books. AKÇAM, Taner (2006). A Shameful Act: the Armenian Genocide and the question of Turkish responsibility. Nova York, Metropolitan Books. ALEM, Jean Pierre. (1961). A Armênia. São Paulo, Difusão Européia do Livro. Tradução de Arakcy Kafejian Martins Rodrigues. ALMEIDA, L. C. S. (2013). Armênios e gregos otomanos: A polêmica de um genocídio. São Paulo, USP, Dissertação de Mestrado. ANANIKIAN, Mardiros H. (1925). The Mythology of All Races. Vol VII: Armenian Mythology. New York, Macmillan Co. http://www.archive.org/details/themythologyofal07alexuoft ARLEN, M.J. (1978). Passagem para Ararat. Rio de Janeiro, Paz e Terra. Tradução de Ana Teresa J. Reynaud. ARTZRUNI, Ashot. (1976). História do povo armênio. São Paulo, Comunidade da Igreja Católica Apostólica Armênia do Brasil. BAIDARIAN, Mariam (org. 2011). Não se Deve Esquecer: memórias de um sobrevivente do Genocídio Armênio. São Paulo, Scortecci. BARDAKJIAN, K.B. (1985). Hitler and the Armenian Genocide. Cambridge, Massachusetts, Zoryan Institute, Special report no. 3. BOGOSIAN, Eric (2015). The Assassination Plot That Avenged the Armenian Genocide: Operation Nemesis. New York; Boston; London, Little, Brown and Company. CAMARGO, Y. M (1997). A importância dos Cantos de Goghten para a Cultura Armênia. Revista de Estudos Orientais, no1, março de 1997, p.105-122. http://letrasorientais.fflch.usp.br/sites/letrasorientais.fflch.usp.br/files/REO_01.pdf.pdf CARVALHAES, Sueli A. C. (2011). Estação Armênia: Exílio, fé e reconstrução da vida na capital paulista. Um estudo de caso. Dissertação de Mestrado. São Paulo, Mackenzie. ÇETIN, Fethiye. (2012). My grandmother: An Armenian-Turkish Memoir. London; New York, Verso. DADRIAN, Vahakn N. (1999). The key elements in the Turkish denial of the Armenian Genocide: a case study of distortion and falsification. Toronto, The Zoryan Institute. DADRIAN, Vahakn N. (2006). Warrant for genocide : key elements of Turko-Armenian conflict. New Brunswick, N.J. , Transaction Publishers. DAVIDIAN, Vicente Pe. (1965). Vida de São Judas Tadeu: Apóstolo da Armênia. Impresso por Comissão Especial do Exmo. e Revmo.sr. Dom Manuel Pedro da Cunha Cintra, Bispo de Petrópolis. Petrópolis, R.J. DINIZ, B. (1990). O paganismo na formação cultural da Armênia e suas projeções. In: Berezin, R. (org.): Cultura Oriental e Cultura Ocidental: Projeções. São Paulo, DLO/FFLCH/USP, 1990, p.307-314. Domestic Violence in Armenia (2000). Minneapolis, Minnesota Advocates for Human Rights. GRIGORIAN, S. (1995). Inch ka chka and other paradoxical clues into Soviet Armenian Society. Houston, Texas, Rice University, Tese de Doutorado. Disponível em: http://hdl.handle.net/1911/19098. GRÜN, Roberto (1992). Negócios & Famílias: Armênios em São Paulo. São Paulo, Editora Sumaré. HACIKYAN, A.J. (2000a). “Mitologia Armênia”. In: HACIKYAN, A.J. (coord. 2000). The Heritage of Armenian Literature. Volume I: From the Oral Tradition to the Golden Age. Detroit, Wayne State University Press. Cap. 5: “Armenian Mythology”. Tradução de Deize C. Pereira (inédita). HACIKYAN, A.J. (2000b). “A conversão ao cristianismo”. In: HACIKYAN, A.J. (coord. 2000). The Heritage of Armenian Literature. Volume I: From the Oral Tradition to the Golden Age. Detroit, Wayne State University Press. Cap. 6: “The Conversion to Christianity”. Tradução de Deize C. Pereira (inédita). HACIKYAN, A.J. (2000c). “O Alfabeto Armênio”. In: HACIKYAN, A.J. (coord. ed. 2000). The Heritage of Armenian Literature: From the Oral Tradition to the Golden Age. Detroit, Michigan, Wayne State University Press. Cap. 7: “The Armenian Alphabet”. Tradução de Elaine Mathias de Castro (inédita). HACIKYAN, A.J. (2000d). “A Idade de Ouro”. In: HACIKYAN, A.J. (coord. ed. 2000). The Heritage of Armenian Literature: From the Oral Tradition to the Golden Age. Detroit, Michigan, Wayne State University Press. Cap. 8: “The Golden Age”. Tradução de Elaine Mathias de Castro (inédita). HAMALIAN, L. (1978/2004). “Cercado de generosidade e saudoso”. In: Burn After Reading. New York, Ararat Press, pp.106-111; publicado novamente em Ararat, vol. XLV, no. 179, Summer, 2004. Tradução de Deize C. Pereira (inédita). HAMALIAN, L. (1980). As others see us: The Armenian Image in Literature. New York, Ararat Press. HAMALIAN, L. (2001). “Uma pequena questão de identidade”. In: Armenusp I: Cadernos de Armênio. São Paulo, Humanitas, FFLCH/USP, p.123-137. Tradução de Rosana de S. Costa. JUNIOR, Lincoln Etchebèhére; LEPINSKI, Thiago Pereira de Souza (2007). O alfabeto armênio: Cultura e religião. Pesquisa em Debate, Edição 7. vol. 4, no. 2, pp. 2-28. KERIMIAN, Nubar (1998). Massacre de armênios e Memórias de Naim Bey para Aram Andonian. São Paulo, Comunidade da Igreja Apostólica Armênia do Brasil. KEROUZIAN, Y.O. (1964). O Povo Armênio e sua Evolução Histórica. Revista de História no. 58, abril-junho de 1964, p.257-293. KEROUZIAN, Y.O. (1970). Origens do alfabeto armênio. São Paulo, USP, tese de Doutoramento. KEROUZIAN, Y. O. (1978). Os documentos antigos da poesia armênia. Separata da Revista Língua e Literatura no. 7. São Paulo, FFLCH/USP, 1978. KERR, Stanley E. (2010). Os leões de Marach: Experiências pessoais por Stanley E. Kerr, 1919-1922. São Paulo, Edição do autor. KHORENATSI, M. (2012). História dos armênios. São Paulo, Humanitas. Capítulos 30 a 34 referentes à adoção do cristianismo, e capítulos 47, 52, 53 e 67 referentes à criação do alfabeto. Tradução do armênio para o português de Deize C. Pereira. KURKJIAN, Vahan M. (1958). “Mitologia Armênia”. In: KURKJIAN, V. M. (1958). A History of Armenia. Chicago, Armenian General Benevolent Union of America. Capítulo XXXIV: “Armenian Mythology.” Tradução de Deize C. Pereira (inédita). http://penelope.uchicago.edu/Thayer/E/Gazetteer/Places/Asia/Armenia/_Texts/KURARM/34*.html LANG, D.M. (1968). Armenia: Cradle of Civilization. London, George Allen & Unwin Ltd. LOUREIRO, H.A.C. (2006). Breve História dos Primórdios da Igreja Apostólica Armênia. RHEMA, vol. 13, no. 40. Juiz de Fora, Instituto Teológico Arquidiocesano Santo Antônio. LOUREIRO, H.A.C. (2007a). Alusivo à História da Armênia, em razão do 92º aniversário do Genocídio. Texto feito para ser lido no plenário da Câmara Municipal de Fortaleza - CE no dia 24 de abril de 2007, em razão do 92º aniversário do Genocídio Armênio, entre 1915 e 1923, perpetrado pelos turcos-otomanos. Lido pelo Sr. Vahan Salibian. LOUREIRO, H.A.C. (2007b). “Considerações sobre a abordagem da mídia Brasileira ao Genocídio Armênio”. Ética e Filosofia, edição especial sobre o genocídio, no. 10, Junho de 2007. Publicação eletrônica: www.eticaefilosofia.ufjf.br LOUREIRO, H.A.C. (2009): “Genocídio é sim matéria de revisão”. Rumo à Tolerância, v. 1, p. 1/1.Publicação eletrônica: http://www.rumoatolerancia.fflch.usp.br/node/1942 LOUREIRO, H.A.C. (2011). Mascates, sapateiros e empresários: um estudo da imigração armênia em São Paulo. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH, São Paulo, julho 2011. Disponível em: LOUREIRO, H. A. C. (2012). O comunismo dos imigrantes armênios de São Paulo (1935-1969). Dissertação de Mestrado, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. LOUREIRO, H. A. C. (2013). “Genocídio Armênio (1915-1923): massacre, deportações e expropriação”. In: ZAGNI, Rodrigo Medina; BORELLI, Andrea (orgs. 2013). Conflitos Armados, Massacres e Genocídios: Constituição e violações do direito à existência na era contemporânea. São Paulo: Fino Traço. MARCARIAN, M. Nalbandian. (2006). “Cristianismo armênio”. Handout do curso de difusão cultural Armênia: 4000 anos de cultura. São Paulo, USP. MARCARIAN, M. Nalbandian (2008). “Diáspora Armênia no Brasil”. Revista de Estudos Orientais, No.6. São Paulo, DLO/FFLCH/USP, p. 109-115. MARTINS, A. H. C. (2007a). “O genocídio da Primeira Nação Inteiramente Cristã”. Ética e Filosofia, edição especial sobre o genocídio, no. 10, Junho de 2007. Publicação eletrônica: www.eticaefilosofia.ufjf.br MARTINS, A. H. C. (2007b). “Armênia, um povo em luta pela liberdade: o mais longo genocídio da história”. Ética e Filosofia, edição especial sobre o genocídio, no. 10, Junho de 2007. Publicação eletrônica: www.eticaefilosofia.ufjf.br MEKHITARIAN, N. (2005). O Reino Armênio da Cilícia e História de Zeytun. São Paulo, Edições Inteligentes. MIRANDA, F. S. M. P. (2014). O Centenário do Genocídio Armênio: Direito a Memória e ao Reconhecimento. Revista Virtual Direito Brasil, Volume 8, nº 2. MORGENTHAU, Henry (2010). A história do embaixador Morgenthau: O depoimento pessoal sobre um dos maiores genocídios do século XX. Rio de Janeiro, Paz e Terra. PALOMO, S. M. S. (1990). O Oriental e o ocidental no idioma armênio. In: Berezin, R. (org.): Cultura Oriental e Cultura Ocidental: Projeções. São Paulo, DLO/FFLCH/USP, 1990, p.367-75. PALOMO, S. M. S. (1997). Sobre a posição do armênio dentro do indo-europeu. Revista de Estudos Orientais, no.1, março, 1997, p.177-183. Disponível em: PATULO, A.A.P. (2001). Mesrob e a criação do alfabeto armênio. In: Armenusp I- Cadernos de armênio. São Paulo, Humanitas/FFLCH/USP, p.23-34. PAVERCHI, Silvia (2013). Memória e formação da identidade cultural da diáspora armênia na Argentina. IX Enecult: Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura. Salvador, Bahia. PAVERCHI, Silvia (2015). Memória da diáspora armênia nos relatos de seus descendentes no Brasil e na Argentina. São Paulo, USP, tese de Doutorado. PEREIRA, D. C. (2010). O genocídio armênio e seus reflexos na literatura. Revista de Estudos Orientais no. 8, São Paulo, FFLCH/USP, p. 91 - 105. PEREIRA, D.C. (2016). Introdução: Narrativas tradicionais sobre a origem do cristianismo na Armênia. In: Poesia Armênia Cristã: Grigor Narekatsi, Nersês Shnorhali e outros. São Paulo, Humanitas. PEREIRA, D.C. (2017). Imagens da cultura armênia na literatura contemporânea da diáspora: William Saroyan e Sarkis J. Eminian. In: MENEZES, A. B.; CAVALIERE, A. (orgs.). Linguagens do Oriente: Contemporaneidade. São Paulo, Paulistana. PINHEIRO, P. S. (1994). Um genocídio em julgamento: O processo Talaat Paxá na República de Weimar. Rio de Janeiro, Paz e Terra. Tradução de Erlon Paschoal, prefácio de Paulo Sérgio Pinheiro. PORTO, P. B. (2011). Construções e Reconstruções da Identidade Armênia no Brasil. Rio de Janeiro, ICHF/UFF, Dissertação de Mestrado em Antropologia. Disponível em: PORTO, P. B. (2015). Os primeiros cristãos do mundo: Pertencimento religioso e identidade coletiva na diáspora armênia. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 21, n. 43, pp. 157-182. RAFFI (1880). Khent. Tradução de Charles Apovian. Publicação eletrônica: http://www.armenia.brasil.nom.br/davi/Sanazar/intro.htm SAPSEZIAN, A. (1988). História da Armênia. Rio de Janeiro. Paz e Terra. “Origens”, p. 15-21; “Antiguidade”, p.22-28; “Cristianização”, p.29-36; “A Nova Armênia”, p. 51-67; “Armênia turca e Armênia russa”, p. 75-82; “Os massacres de 1895-1896”, p. 105-110; “Os jovens turcos”, p. 111-117; “O genocídio”, p. 118-125; “A diáspora”, p. 159-169; “Os armênios no Brasil”, p. 170-177; “A Armênia Soviética”, p. 149-158. SAPSEZIAN, A. (2010). História Sucinta e Atualizada da Armênia. São Paulo, Emblema. SAPSEZIAN, A. (2010b). Memórias de um brasarmênio. São Paulo, Fonte. SAPSEZIAN, A. (1994). Literatura Armênia. Rio de Janeiro, Paz e Terra. “Período Pré-cristão”, pp. 17-20; “Período Clássico”, pp.21-33. SAPSEZIAN, A. (1997). Cristianismo Armênio. São Paulo, Bentivegna Editora. SAROYAN, W. (1934). “70 Mil Assírios”. In: SAROYAN, W. (1934). The Daring Yong Man on the Flying Trapeze and Other Stories. New York, New Directions Books. Tradução de Deize C. Pereira (inédita). SAROYAN, W. (1939). “O homem com o coração nas terras altas”. In: SAROYAN, W. (1992). O homem com coração nas terras altas e outras histórias. Portugal, Bertrand Editora. Trad. de Ana Cristina F. de Sousa. SAROYAN, W. (1958)."Os escritores armênios" In: SAROYAN, W. (1994). The William Saroyan Reader. New York, Barricade Books Inc. Tradução de Deize C. Pereira (inédita). SEQUEIRA, J. P. T. R. (2014). Nacionalismo e Conflitos Étnicos no Cáucaso. Subversão e Colapso do Estado na Transcaucásia Czarista e Soviética (1830-1991). Lisboa, Universidade de Lisboa, Dissertação de Mestrado. SPINELLI , D (2011). Reflexões sobre memória, esquecimento e recalque do genocídio armênio. Interdisciplinar, Ano VI, V.13, jan-jun de 2011, pp. 07-21. SUMMA, R. F. (2007). “Vozes Armênias: memórias de um Genocídio”. Ética e Filosofia, edição especial sobre o genocídio, no. 10, Junho de 2007. Publicação eletrônica: www.eticaefilosofia.ufjf.br TOYNBEE, A. (2003). Atrocidades Turcas na Armênia: Denúncias de grandes personalidades. São Paulo, Paz e Terra. VERNEUIL, H. (1985). Mayrig. São Paulo, Edicon. Trad. para o português de Charles Apovian. WERFEL, Franz (1995). Os quarenta dias de Musa Dagh. Rio de Janeiro, Paz e Terra. YEGANYAN, R. (2013). Integration of migrants: Armenian realities. CARIM-East RR 2013/16, Robert Schuman Centre for Advanced Studies, San Domenico di Fiesole (FI): European University Institute. Publicação eletrônica disponível em: http://www.carim-east.eu/media/CARIM-East-RR-2013-16.pdf YEGHIAZARYAN, L. (2006). “O Papel das traduções no desenvolvimento e estruturação da arte literária armênia”. Revista de Estudos Orientais n.5, p.185-194. YEGHIAZARYAN, L. (2012). A peculiaridade da escrita armênia. In: CAVALIERE, A.; ARAÚJO, R.G. (orgs. 2012). Linguagens do Oriente: Territórios e Fronteiras. São Paulo, Targumim, p. 333- 349. YEGHIAZARYAN, L. (2017). Armênio Oriental e Armênio Ocidental. In: PEREIRA, D.C.; HAWI, M.M.; MENEZES JR., A. J. B. Estudos da Ásia: Artes, Tradução e Identidades Culturais. São Paulo, FFLCH. Filmes DUGUAY, Christian. (1995). Screamers. Canadá. EGOYAN, A. (2002). Ararat. Canadá/ França. GUÉDIGUIAN, Robert (2015). Une Histoire de Fou (“Uma história de loucura”). França. JOURDAN, L. (2005). The Armenian Genocide/ Le Génocide Arménien. Documentário. França.
 

Clique para consultar os requisitos para FLO0140

Clique para consultar o oferecimento para FLO0140

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2018 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP