Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Ciência Política
 
Disciplina: FLP0102 - Política II - Pensamento Político Moderno
Policy II - Modern Political Thought

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2015 Desativação:

Objetivos
O objetivo é apresentar aos alunos os principais temas e conceitos da teoria política moderna. Trata-se de examinar as teses sobre as origens e os fundamentos do poder político, a gênese dos conceitos de contrato social, Estado e soberania (estatal e popular), a estrutura das concepções que anteciparam e expressaram o processo de construção do Estado nacional moderno. O curso está dividido em três partes: a primeira esquematiza o modo pelo qual Aristóteles pensou a política e a comunidade política, a segunda examina a inovação teórica efetivada pela obra de Maquiavel, e a terceira investiga como os pensadores jusnaturalistas e contratualistas (Hobbes, Locke, Rousseau) lançaram as bases de uma nova ciência para os novos tempos. Com vistas à formação de professores, o curso tem como objetivos específicos a) aprimorar competências e habilidades relacionadas à expressão em língua portuguesa por meio da realização de atividades de interpretação e análise de textos, imagens e vídeos, bem como de produção textual (verbal e escrita); b) explorar questões, conteúdos, materiais (textos de divulgação, filmes – documentários e ficções –, ensaios fotográficos, reportagens etc.) relacionados ao curso de forma a instrumentalizá-los na capacitação dos alunos como docentes c) estabelecer como rotina o acesso às tecnologias de informação e comunicação na interface do ensino-aprendizagem (por exemplo, uso da plataforma moodle, disponibilização de materiais em nuvem e a exposição de conteúdos com apoio de recursos multimídia.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
361574 - Eunice Ostrensky
 
Programa Resumido
O curso está dividido em três partes: a primeira esquematiza o modo pelo qual Aristóteles pensou a política e a comunidade política, a segunda examina a inovação teórica efetivada pela obra de Maquiavel, e a terceira investiga como os pensadores jusnaturalistas e contratualistas (Hobbes, Locke, Rousseau) lançaram as bases de uma nova ciência para os novos tempos.
 
 
 
Programa
1. Aristóteles e a reflexão sobre a pólis
2. Maquiavel: humanismo cívico e as formas de governo
3. Hobbes e os pressupostos da teoria do Estado
4. Locke: a comunidade política e o direito de resistência
5. Rousseau e as bases do Estado democrático
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas, seminários, leituras supervisionadas, proposição de exercícios de expressão escrita e verbal, interação virtual e estudos dirigidos via moodle ou outra plataforma, etc.
Critério
A avaliação do desempenho dos alunos levará em conta os resultados obtidos em duas provas escritas realizadas em sala de aula (cuja média aritmética terá um valor máximo de 09 pontos) e exercícios dirigidos de texto (cinco, cuja média vale até 01 ponto na nota final).
Norma de Recuperação
Prova escrita, ou trabalho, sobre todo o conteúdo da disciplina
 
Bibliografia
     
ARISTÓTELES e os antigos

FINLEY, Moses I. A Política no Mundo Antigo. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1985.
FINLEY, Moses I. Democracia Antiga e Moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1988.
JAEGER, Werner. “La Republica. I”. In: Paideia: los ideales de la cultura griega. México: FCE, 1957.
JAEGER, Werner. “La Política original”. In: Aristóteles. México: FCE, 1995.
LOPES, M. O Animal político: Estudos sobre virtude e justiça em Aristóteles. São Paulo: Esfera Pública, 2008 (caps. I, II e VI).
MORRALL, John B. Aristóteles. Brasília: Editora da UnB, 1981.
MOSSÉ, Claude. Atenas: a História de uma Democracia. Brasília: Editora da UnB, 1982.
ROSS, W. D. Aristóteles. Buenos Aires: Sudamericana, 1957 (esp. os capítulos dedicados à Ética e à Política)
VERNANT, Jean-Pierre. As Origens do Pensamento Grego. São Paulo: Difel, 1972.
WOLFF, Francis. Aristóteles e a Política. São Paulo: Discurso, 1999.

MAQUIAVEL

BERLIN, Isaiah. “A originalidade de Maquiavel”. In: Estudos sobre a humanidade. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.
BIGNOTTO, Newton. Maquiavel Republicano. São Paulo: Edições Loyola, 1991.
BIGNOTTO, Newton. Maquiavel. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.
CASSIRER, Ernst. O Mito do Estado. Codex, 2003. (caps. X, XI e XII)
GRAMSCI, Antonio. Maquiavel. Notas sobre o Estado e a Política. Vol. 3 de Cadernos do Cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.
HORKHEIMER, Max. “Maquiavel e a concepção psicológica da história”. In: Origens da filosofia burguesa da história. Lisboa: Presença, 1970.
LEFORT, Claude. Le travail de l’oeuvre Machiavel. Paris, Gallimard, 1986.
LEFORT, Claude. “Sobre a lógica da força”. In: QUIRINO, Célia Galvão; SADEK, Maria Tereza. O Pensamento Político Clássico. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
MANSFIELD Jr., Harvey C.., Maquiavelo y los Principios de la Politica Moderna – un estudio de los Discursos de Tito Lívio. México: FCE, 1986.
McCORMICK, John. Machiavellian democracy. Cambridge: Cambridge University Press, 2011.
PINZANI, A. (2004) Maquiavel & O Príncipe. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.
SKINNER, Quentin. Maquiavel. São Paulo: Brasiliense, 1988.
SKINNER, Quentin. As Fundações do Pensamento Político Moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.
POCOCK, J. G. A. “The Medicean Restoration – a) Machiavelli’s Il Principe”. In: The Machiavellian Moment. Princeton: Princeton University Press, 1975.
POCOCK, J. G. A. “Rome and Venice – a) Machiavelli’s Discorsi and Arte della Guerra”. In: The Machiavellian Moment.


HOBBES

BOBBIO, Norberto. Thomas Hobbes. Rio de Janeiro: Campus, 1991.
FRATESCHI, Y. A física da política: Hobbes contra Aristóteles. Campinas: Unicamp, 2008.
HABERMAS, Jürgen. “A doutrina clássica da política em sua relação com a filosofia social”. In: Teoria e práxis. São Paulo: Unesp, 2013.
HILL, Christopher. O Mundo de Ponta-Cabeça. Idéias radicais durante a Revolução Inglesa de 1640. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.
HORKHEIMER, Max. “Direito natural e ideologia”. In: Origens da filosofia burguesa da história. Lisboa: Presença, 1970.
LIMONGI, Maria Isabel. Hobbes. Jorge Zahar, 2002.
NEUMANN, Franz. “Hobbes e Spinoza”. In: O império do direito: Teoria política e sistema jurídico na sociedade moderna. São Paulo: Quartier Latin, 2013.
OSTRENSKY, Eunice. As Revoluções do Poder. São Paulo: Alameda, 2006.
RAWLS, John. “Conferências sobre Hobbes”. In: Conferências sobre a história da filosofia política. São Paulo: Martins Fontes, 2012.
RILEY, Patrick. Will and political legitimacy. Harvard University Press, 1982 (cap. 2).
SKINNER, Quentin. As Fundações do Pensamento Político Moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.
SKINNER, Quentin. Visions of Politics, vol 3. Cambridge University Press, 2002.
SKINNER, Quentin. Hobbes e a liberdade republicana. São Paulo: Unesp, 2010.
TUCK, Richard. Hobbes. São Paulo: Edições Loyola, 2001.

LOCKE

ASHCRAFT, Richard. Revolutionary Politics & Locke’s Two Treatises of Government. Princeton: Princeton University Press, 1986.
BOBBIO, Norberto. Locke e o Direito Natural. Brasília: Editora da UnB, 1997.
DUNN, John. The Political Thought of John Locke. Cambridge: Cambrigge University Press, 1994.
DUNN, John. Locke. São Paulo: Edições Loyola, 2003.
GOUGH, J. W. “A Teoria de Locke sobre a propriedade”. In: QUIRINO, Célia Galvão; SADEK, Maria Tereza. O Pensamento Político Clássico. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
HABERMAS, Jürgen. “Direito natural e revolução”. In: Teoria e práxis. São Paulo: Unesp, 2013.
LASLETT, Peter. “A teoria política e social dos Dois Tratados sobre o Governo”, In: MICHAUD, Yves. Locke. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1991.
NEUMANN, Franz. “John Locke”. In: O império do direito: Teoria política e sistema jurídico na sociedade moderna. São Paulo: Quartier Latin, 2013.
POLIN, Raymond. “Indivíduo e comunidade”, In: QUIRINO, Célia Galvão; SADEK, Maria Tereza. O Pensamento Político Clássico. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
QUIRINO, Célia Galvão; SADEK, Maria Tereza. O Pensamento Político Clássico. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
RAWLS, John. “Conferências sobre Locke”. In: Conferências sobre a história da filosofia política. São Paulo: Martins Fontes, 2012.
RILEY, Patrick. Will and political legitimacy. Harvard University Press, 1982 (cap. 3).
WOOTON, David. “Introduction” to Political Writings of John Locke. New York: Penguin/Mentor Book, 1993.

ROUSSEAU

CASSIRER, Ernst. A Questão Jean-Jacques Rousseau. São Paulo: Editora Unesp, 1999.
CASSIRER, Ernst. “A questão de Jean-Jacques Rousseau”. In: QUIRINO, Célia Galvão.
COHEN, Joshua. Rousseau. A free community of equals. Oxford University Press, 2010.
DERATHÉ, Robert. Jean-Jacques Rousseau e a ciência política de seu tempo. São Paulo, Discurso Editorial, 2010.
DURKHEIM, Emile. “O contrato social e a constituição do corpo político”, In: QUIRINO, Célia Galvão; SADEK, Maria Tereza. O Pensamento Político Clássico. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
GROETHUYSEN, Bernard. J.-J. Rousseau. Paris: Gallimard, 1949.
FORTES, Luis Roberto Salinas. Rousseau: Da teoria à prática. São Paulo: Ática, 1976.
MANIN, Bernard. “Legitimidade e deliberação política”. In: MELO, R.; WERLE, D. L. (org). Democracia deliberative. São Paulo: Esfera Pública, 2007.
NEUHOUSER, Frederick. Rousseau’s Theodicy of Self-Love: Evil, Rationality, and the Drive for Recognition. Oxford University Press, 2008.
NEUMANN, Franz. “Rousseau”. In: O império do direito: Teoria política e sistema jurídico na sociedade moderna. São Paulo: Quartier Latin, 2013.
RAWLS, John. “Conferências sobre Rousseau”. In: Conferências sobre a história da filosofia política. São Paulo: Martins Fontes, 2012.
RILEY, Patrick. Will and political legitimacy. Harvard University Press, 1982 (cap. 4).
SADEK, Maria Tereza. O Pensamento Político Clássico. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
SCHKLAR, Judith. Man and Citizen, a study of Rousseau social theory. Cambridge University Press, 1969.
TALMON, J. L. “Totalitarian Democracy (Rousseau)”. In: The Origins of Totalitarian Democracy. New York: Peregrine Books, 1986.
WOOD, Ellen Meiksins. “O Estado e a soberania popular no pensamento político francês: uma genealogia da vontade geral de Rousseau”. In: KRANTZ, Frederick (org.). A Outra História – Ideologia e protesto popular nos séculos XVII a XIX. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1990.
 

Clique para consultar os requisitos para FLP0102

Clique para consultar o oferecimento para FLP0102

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP