Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Ciência Política
 
Disciplina: FLP0204 - Política IV - Instituições Políticas Brasileiras I
Politics IV - Brazilian Political Institutions I

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 20 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2020 Desativação:

Objetivos
O curso trata do processo político brasileiro pós-revolução de 1930, com atenção especial a três períodos: o experimento democrático inaugurado pela constituição de 1946, o regime autoritário iniciado em 1964 e, por fim, a retomada da democracia nos anos 1980 e sua condição atual. Para que o aluno, futuro professor, possa debater com seus alunos do ensino médio a presença de tais questões em seu cotidiano, o curso promove atividades que estimulam o engajamento dos estudantes no processo de ensino dos conteúdos pertinentes, como a formação de grupos para discussão e exposição das ideias centrais contidas em cada texto por meio de seminários.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3363950 - Eduardo Cesar Leão Marques
2090774 - Elizabeth Balbachevsky
2090200 - Fernando de Magalhaes Papaterra Limongi
3079320 - Marta Teresa da Silva Arretche
5011036 - Patricio Tierno
2027125 - Rogério Bastos Arantes
 
Programa Resumido
O curso trata do processo político brasileiro pós-revolução de 1930, com atenção especial a três períodos: o experimento democrático inaugurado pela constituição de 1946, o regime autoritário iniciado em 1964 e, por fim, a retomada da democracia nos anos 1980 e sua condição atual. Para que o aluno, futuro professor, possa debater com seus alunos do ensino médio a presença de tais questões em seu cotidiano, o curso promove atividades que estimulam o engajamento dos estudantes no processo de ensino dos conteúdos pertinentes, como a formação de grupos para discussão e exposição das ideias centrais contidas em cada texto por meio de seminários.
 
 
 
Programa
Instituições Políticas Brasileiras. A cidadania no Brasil. Formação e perspectivas O processo político pós-revolução de 1930 e sob o Estado Novo Reconstrução do Estado. A experiência de 1946-64: redemocractização Desenvolvimento, transformações sociais, 1930-2000. A experiência de 1946-64: redemocractização. Partidos e eleições no período 1946-64. Interpretações e debates. Crise de 1964: explicações. Os militares e a política. Regime Militar, Eleições e Transição. Constituinte e Debate Institucional. A Constituição e o novo modelo político brasileiro. A Dinâmica dos sistemas eleitoral e partidário pós 1988. Relações Executivo-Legislativo. Federalismo. Instituições judiciais e mecanismos de accountability Reforma Política
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas expositivas, seminários, leituras supervisionadas, proposição de exercícios de expressão escrita e verbal, interação virtual e estudos dirigidos via moodle ou outra plataforma, etc.
Critério
A média final (ponderada) será composta a partir das notas obtidas nas atividades obrigatórias da disciplina: duas provas escritas (uma no meio e outra no final do semestre), exercícios e resenhas. As provas serão individuais e sem consulta, quer a livros, quer a anotações. Entende-se por atividade obrigatória aquela cuja não-realização por parte do estudante implicará reprovação automática e impossibilidade de realizar recuperação, independentemente das notas obtidas nas demais atividades que vier a desenvolver.
Norma de Recuperação
Prova escrita sobre todo o programa da disciplina. Sem prejuízo dos critérios estabelecidos, terão direito a realizar a prova de recuperação apenas os alunos que cumprirem as atividades obrigatórias mencionadas no item anterior.
 
Bibliografia
     
ARRETCHE, Marta (2009). “Continuidades e Descontinuidades da Federação Brasileira: de como 1988 facilitou 1995?” Dados, 52(2): 377-423
CARVALHO, José Murilo de. (2001) A Cidadania no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.
CINTRA, Antonio Octávio. "Idéias para a engenharia institucional da consolidação democrática" in Presidencialismo ou Parlamentarismo, Bolívar Lamounier e Dieter Nohlen (orgainzadores), São Paulo, IDESP, Edições Loyola, págs. 191-217.
D’ARAUJO, Maria Celina. (2000). O Estado Novo. Coleção Descobrindo o Brasil. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.
FERNANDES, Florestan. (1976). "O modelo autocrático-burguês de transformação capitalista" de A revolução burguesa no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar Editores, Cap 7, Parte I, págs. 289-310.
FIGUEIREDO, Argelina Cheibub. (1993). "Introdução " in Democracia ou reformas? Alternativas democráticas à crise política: 1961-1964. São Paulo, Paz e Terra. págs 21-34.
FIGUEIREDO, Argelina Cheibub. (1993). Democracia ou reformas? Alternativas democráticas à crise política: 1961-1964. São Paulo: Paz e Terra. Págs 21-34 e 113-130.
FIGUEIREDO, Argelina e LIMONGI, Fernando (1999) Executivo e Legislativo na nova Ordem Constitucional. Rio de Janeiro: Editora FGV, 1999. Cap 2, págs 41-72).
FIGUEIREDO, Argelina e LIMONGI, Fernando. (2006). “Poder de Agenda na democracia brasileira: desempenho do governo no presidencialismo multipartidário.” In SOARES, Gláucio A.D. e RENNÓ, Lucio R. Reforma Política. Lições da História Recente. Rio de Janeiro: Ed. FGV. Págs. 249-280.
HIPÓLITO, Lucia (1985), "O barco à deriva - o PSD e a crise de 1964 " in De Raposas e Reformistas, Rio de Janeiro, Paz e Terra, Cap 8, págs 213-25
KINZO, Maria D'Alva Gil. (1993). "Os partidos políticos brasileiros: fazem eles alguma diferença?" Radiografia do quadro partidário brasileiro. São Paulo, Fundação Konrad Adenauer, Cap. 4, págs.69-85.
KINZO, Maria D´Alva. (2004). “Partidos, eleições e democracia no Brasil Pós-1985.” In Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 54, vol. 19.
KUGELMAS, Eduardo. “A evolução recente do regime federativo na Alemanha e no Brasil”. In: Wilhelm Hoffmeister; José Mário Brasiliense Carneiro. (Org.). Federalismo na Alemanha e no Brasil. São Paulo: Fundação Konrad Adenauer, 2001.
LAMOUNIER, Bolívar e MENEGUELLO, Rachel. (1986), Partidos políticos e consolidação democrática: o caso brasileiro. São Paulo, Brasiliense.
LAMOUNIER, Bolívar. (1988), "O 'Brasil autoritário' revisitado: o impacto das eleições sobre a abertura", in Alfred Stepan (org.), Democratizando o Brasil. Rio de Janeiro, Paz e Terra, págs 83-134.
LAMOUNIER, Bolívar. (1992), "Estrutura institucional e governabilidade na década de 1990", in João Paulo dos Reis Velloso (org.), O Brasil e as reformas políticas, Rio de Janeiro, José Olympio, págs. 23-47
LAMOUNIER, Bolívar. (1994), "A Democracia brasileira de 1985 à década de 1990: a síndrome da paralisia hiperativa" in João Paulo dos Reis Velloso (org) Governabilidade, sistema político e violência urbana. Rio de Janeiro, José Olympio, págs. 25-64.
LAVAREDA, Antônio. (1991). A Democracia nas Urnas - O Processo Partidário-eleitoral Brasileiro, Rio de Janeiro, IUPERJ/ Rio Fundo Editora, Cap.1, págs. 19-32.
LIMA JÚNIOR, Olavo Brasil de. (1993). "A representação política e a composição partidária do Legislativo" in Democracia e instituições políticas no Brasil dos anos 80. São Paulo, Loyola, Cap 3, págs. 65-88.
LIMONGI, F. . “A Democracia no Brasil”. Novos Estudos. CEBRAP, v. 76, p. 17-41, 2006.
LIMONGI, F. ;FIGUEIREDO, A. “Processo orçamentário e Comportamento Legislativo: Emendas Individuais, apoio ao Executivo e Programas de Governo”. Dados (Rio de Janeiro), v. 48, p. 737-776, 2005.
MAINWARING, (1991) "Políticos, Partidos e Sistemas Eleitorais" Novos Estudos CEBRAP 29, Março, págs 34-58
MAINWARING, Scott. (2001). Sistemas Partidários em Novas Democracias – o Caso do Brasil. Rio de Janeiro. Editora da FGV. 2001. Caps 4 e 5, págs. 127-221.
NICOLAU, Jairo Marconi. (1996). "Distribuição de votos e fragmentação parlamentar" in Multipartidarismo e democracia: um estudo sobre o sistema partidário brasileiro (1985-94). Rio de Janeiro, Editora Fundação Getulio Vargas, Cap 5, págs. 81-92.
NICOLAU, Jairo e Schmitt, Rogério. (1995). “Sistema Eleitoral e Sistema Partidário”, in: Lua Nova, n. 36, págs. 129-147
NUNES, Edson. (1997). "Capitalismo, partidos e políticos e insulamento burocrático no regime pós-45" in A gramática política do Brasil: clientelismo e insulamento burocrático. Rio de Janeiro/Brasília, Jorge Zahar/ENAP, Cap. 4, págs.67-94.
NUNES, Edson. (1997). "Construção do insulamento burocrático e do corporativismo e a nacionalização do clientelismo" in A gramática política do Brasil: clientelismo e insulamento burocrático. Rio de Janeiro/Brasília, Jorge Zahar/ENAP, Cap.3, págs. 47-66
NUNES, Edson. (1997). "Instituições políticas e economia " e "Tipos de capitalismo, instituições e ação social" A gramática política do Brasil: clientelismo e insulamento burocrático. Rio de Janeiro/Brasília, Jorge Zahar/ENAP, Caps.1 e 2, págs. 15-46
NUNES, Edson. (1997). "Mudança dentro da continuidade: velhas e novas arenas políticas no período pós guerra" in A gramática política do Brasil: clientelismo e insulamento burocrático. Rio de Janeiro/Brasília, Jorge Zahar/ENAP, Cap. 5, págs.95.118.
SALLUM JUNIOR, Brasílio (1988) "Por que não tem dado certo: Notas sobre a transição política brasileira" in O Estado da Transição: Política e Economia na Nova República, Louders Sola (org) São Paulo, Vértice, págs 118-144.
SANTOS, Wanderley Guilherme dos. 1986. "Coalizões parlamentares durante o governo Goulart: a desagregação do sistema partidário" in Sessenta e quatro: anatomia da crise. São Paulo: Vértice. Cap. 5, págs 81-109.
SARTORI, Giovanni. (1997). Limites da ingenieria constitucional" Mexico, IDH-CIPEL mimeo.
SCHIMITT, Rogério (2000) Partidos Políticos no Brasil (1945-2000) , Rio de Janeiro, Zahar
SILVA, Nelson do Valle e. (1992). "A sociedade", in Helio Jaguaribe (org.), Sociedade, Estado e partidos na atualidade brasileira. Rio de Janeiro, Paz e Terra, págs. 65-115.
SOARES, Gláucio. (1973). "A base sócio-econômica dos partidos" in Sociedade e política no Brasil. São Paulo, Difel. Caps 9, págs 214-231.
SOARES, Gláucio A. D. (1994) “O golpe de 64”. In: 21 anos de regime militar – balanços e perspectivas. Editora da FGV. Págs. 9-51.
SOUZA, Maria do Carmo Campello. (1976 ) Estado e Partidos Políticos no Brasil (1930 a 1964). São Paulo: Alfa-Ômega.
STEPAN, Alfred. (1975), Os militares na política. Rio de Janeiro, Artenova.
WEFFORT, Francisco. (1981). "A cidadania dos trabalhadores" in Bolívar Lamounier e Maria Victória Benevides (orgs) Direito, cidadania e participação. São Paulo: T. A. Queiroz Editores. Págs 139-150.
 

Clique para consultar os requisitos para FLP0204

Clique para consultar o oferecimento para FLP0204

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP