Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Ciência Política
 
Disciplina: FLP0408 - Relações Internacionais
International Relations

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2011 Desativação:

Objetivos
Uma leitura do programa demonstra que o curso de Análise de Relações Internacionais busca atingir alguns objetivos básicos. Inicialmente, pretende-se discutir a importância das teorias realista, liberal e marxista no estudo das relações internacionais. Essa discussão nos levará até Raymond Aron, para quem as relações internacionais se desenvolvem “à sombra da guerra”. Em outras palavras, a sua diferença específica reside no fato de que, enquanto na política interna a violência é exercida em regime de monopólio, na política externa ela é exigida em regime de livre-concorrência.
Adotando a proposta de Norberto Bobbio, os métodos analítico e histórico serão utilizados de forma combinada para demonstrar o caráter anárquico, hierárquico e oligopolístico dos sistemas internacionais que se sucederam desde a época do “concerto europeu” até o pós-guerra fria. Analisaremos o sistema multipolar do século XIX e o sistema bipolar do século XX. Em seguida, estudaremos o sistema do pós-guerra fria, qualificado por Samuel Huntington de “unimultipolar”, que se caracterizaria pela ascensão da primeira, da única e – quem sabe? – da última hiperpotência da história da humanidade.
Na parte seguinte, enfocaremos as duas concepções que buscaram analisar de forma abrangente o mundo pós-guerra fria: as teorias do Fim da História e do Choque de Civilizações. Veremos também a nova política de segurança norte-america colocada em prática após os atentados de 11 de setembro de 2001, baseada no unilateralismo e na guerra preventiva. Finalmente, encerraremos o curso discutindo a inserção do Brasil no novo cenário mundial, marcado pela interdependência, globalização e regionalização.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
88624 - Leonel Itaussu Almeida Mello
 
Programa Resumido
Uma leitura do programa demonstra que o curso de Análise de Relações Internacionais busca atingir alguns objetivos básicos. Inicialmente, pretende-se discutir a importância das teorias realista, liberal e marxista no estudo das relações internacionais. Essa discussão nos levará até Raymond Aron, para quem as relações internacionais se desenvolvem “à sombra da guerra”. Em outras palavras, a sua diferença específica reside no fato de que, enquanto na política interna a violência é exercida em regime de monopólio, na política externa ela é exigida em regime de livre-concorrência.
Adotando a proposta de Norberto Bobbio, os métodos analítico e histórico serão utilizados de forma combinada para demonstrar o caráter anárquico, hierárquico e oligopolístico dos sistemas internacionais que se sucederam desde a época do “concerto europeu” até o pós-guerra fria. Analisaremos o sistema multipolar do século XIX e o sistema bipolar do século XX. Em seguida, estudaremos o sistema do pós-guerra fria, qualificado por Samuel Huntington de “unimultipolar”, que se caracterizaria pela ascensão da primeira, da única e – quem sabe? – da última hiperpotência da história da humanidade.
Na parte seguinte, enfocaremos as duas concepções que buscaram analisar de forma abrangente o mundo pós-guerra fria: as teorias do Fim da História e do Choque de Civilizações. Veremos também a nova política de segurança norte-america colocada em prática após os atentados de 11 de setembro de 2001, baseada no unilateralismo e na guerra preventiva. Finalmente, encerraremos o curso discutindo a inserção do Brasil no novo cenário mundial, marcado pela interdependência, globalização e regionalização.
 
 
 
Programa
1. O que é uma teoria das Relações Internacionais?
Relações Internacionais: teoria e história. Dois modelos paradigmáticos: realismo e liberalismo. Existe ou não uma teoria marxista das relações internacionais?
2. O conceito de Sociedade Internacional.
O sistema de Estados e o mercado mundial. As relações interestatais, transnacionais e supranacionais. Na era da globalização, os Estados continuam ou não a se relacionar “à sombra da guerra”?
3. O “longo século XIX” (1789-1914).
Teoria e história no estudo das relações internacionais. O concerto europeu e a Pax Britannica. A geopolítica do Heartland e a rivalidade entre o poder marítimo e o poder terrestre.
4. O “breve século XX” (1914-1991).
Uma nova Guerra dos Trinta Anos (1914-1945)? Do equilíbrio multipolar do concerto europeu ao equilíbrio bipolar da guerra fria. A geopolítica do Rimland e estratégia americana de contenção do comunismo soviético.
5. A confrontação bipolar da Guerra Fria (1947-1991).
A tríplice rivalidade entre as superpotências: a confrontação histórica, imperial e global. A luta pelo domínio da Eurásia: as frentes estratégicas basilares. Crescimento econômico versus expansão militar: o Imperial Overstretch. O desfecho incruento da guerra fria: “Prevalecer é vencer”.
6. Duas teorias de interpretação do mundo pós-Guerra Fria.
Francis Fukuyama e o Fim da História: uma vitória definitiva do liberalismo sobre o socialismo? Samuel Huntington e o Choque de Civilizações: uma nova estratégia de contenção do “Ocidente contra o resto”?
7. O novo sistema internacional do século XXI.
Os sistemas unipolares, bipolares e multipolares. Um sistema “unimultipolar”: a superpotência global multidimensional, as grandes potências regionais e as potências secundárias.
8. De George W. Bush a Barack Obama (2001-2009).
A política externa do governo Bush: o unilateralismo e a estratégia de guerra preventiva. A nova diplomacia do governo Obama: o multilateralismo e o “poder inteligente”. Joseph S. Nye Jr: o poder duro (hard power), o poder brando (soft power) e o poder inteligente (smart power). Os três tabuleiros geopolíticos: o estratégico e militar, o econômico e comercial, e o ecológico e social.
9. A inserção mundial do Brasil no século XXI.
Os processos de globalização, interdependência e regionalização: os megablocos geo-econômicos. Os projetos estratégicos de duas grandes potências emergentes: a China e a Índia. O Brasil no novo século: uma potência regional em busca de um projeto de desenvolvimento?
 
 
 
Avaliação
     
Método
O curso será desenvolvido a partir de dois tipos de atividades: aulas expositivas e seminários. Os seminários, por sua vez, serão realizados a partir de textos selecionados, previamente indicados e constantes da bibliografia em anexo.

O conceito final resultará das notas obtidas nas seguintes atividades: um trabalho individual sobre tema desenvolvido durante o curso e a participação em seminários.

Critério
A nota final será obtida pela média aritmética das provas e trabalhos.
Norma de Recuperação
Prova ou trabalho sobre todo o conteúdo da disciplina.
 
Bibliografia
     
ANDERSON, Perry. O fim da História: de Hegel a Fukuyama. Jorge Zahar Editor, Rio de Janeiro, 1992.
ARON, Raymond. Paz e guerra entre as nações, Editora UNB, Brasília, 1982.
________________ “Que é uma teoria das relações internacionais?”, in Estudos Políticos, Editora UNB, 2.ª edição, 1985.
________________ Os últimos anos do século, Editora Guanabara, Rio de Janeiro, 1987.
________________ República Imperial (Os Estados Unidos no mundo do pós-guerra), Zahar Editores, Rio de Janeiro, 1975.
ARRIGHI, Giovanni. O longo século XX, Contraponto/Editora UNESP, São Paulo, 1996.
BAVEREZ, Nicolas. “Pensar o pós-guerra fria”, revista Comentaire, Jornal da Tarde, Caderno de Sábado, 11/04/1998.
BOBBIO, Norberto. “As relações internacionais e o marxismo”. In Ensaios escolhidos. C. H. Cardim Editora, São Paulo, s.d.
________________ “Democracia e sistema internacional”. In Três ensaios sobre a democracia. Carlim & Alario Editora. São Paulo, s.d.
_________________ El problema de la guerra y las vías de la paz, Gedisa, Barcelona, 1982.
BRAILLARD, Philippe. Teoria das relações internacionais, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1990.
BRZEZINSKI, Zbigniew. EUA x URSS: o grande desafio, Editorial Nórdica, Rio de Janeiro, 1989.
________________ “Uma geoestratégia para a Eurásia”, in Foreign Affairs – edição brasileira, Gazeta Mercantil, São Paulo, 12/09/1997.
BULL, Hedley. A sociedade anárquica, Editora UNB e IPRI, São Paulo, 2002.
CARR, Edward H. Vinte anos de crise: 1919-1939, Editora UNB, Brasília, 1981.
CLOVER, Charles. “Ressuscita-se a Geopolítica”, in Foreign Affairs, Edição Brasileira, nº 31, abril 1999. Jornal Gazeta Mercantil.
DANESE, Sérgio F. “Limites da Hiperpotência”. In O Estado de S. Paulo, 2000
FUKUYAMA, Francis. “O fim da História?”. In Jornal da Tarde, São Paulo, 28/10/1989.
____________________ “O debate sobre ‘Será o fim da História?’”, in Diálogo, nº 4, vol. 23, Editora Lidador, Rio de Janeiro, 1990.
____________________ O fim da História e o último homem. Editora Rocco, Rio de Janeiro, 1992.
FUENTES, Carlos. “O racista mascarado”. In Política Externa, vol. 13, nº 1, São Paulo, 2004.
GRIFFITHS, Martin. 50 grandes estrategistas das relações internacionais. Editora Contexto, São Paulo, 2004.
HART, B. H. Liddell. As grandes guerras da história. IBRASA, São Paulo, 1963.
HOBSBAWM, Eric J. Era dos extremos: o breve século XX (1914-1991), Companhia das Letras, São Paulo, 1995.
___________________ A era das revoluções (1789-1848), Editora Paz e Terra, R.J., 1977.
___________________ Globalização, democracia e terrorismo. Cia. das Letras, São Paulo, 2007.
HUNTINGTON, Samuel. “Declínio ou renovação?” (resposta a Paul Kennedy). In Diálogo, nº 1, vol. 23, Editora Lidador, Rio de Janeiro, 1990.
_____________________ “A mudança nos interesses estratégicos americanos”. In Política Externa, vol. I, nº 1, Editora Paz e Terra, São Paulo, 1992.
_____________________ “Choque de civilizações?”. In Política Externa, vol. 2, nº 2, nº 4, Editora Paz e Terra, São Paulo, 1994.
______________________ “Civilizações ou o quê? Paradigmas do mundo do pós-guerra fria”. In Política Externa, vol. 2, nº 4, Editora Paz e Terra, São Paulo, 1994.
______________________ “O choque de civilizações e a recomposição da ordem mundial”. Editora Objetiva, Rio de Janeiro, 1996.
______________________ “A superpotência solitária”. In Foreign Affairs, Edição Brasileira, nº 30, março de 1999, Gazeta Mercantil.
______________________ “O desafio hispânico”. In Política Externa, vol.13, nº 1, São Paulo, 2004.
KANT, Immanuel. A paz perpétua e outros opúsculos. Edições 70, Madrid, 2ª edição, s.d.
KENNEDY, Paul. Ascensão e queda das grandes potências. Editora Campus, São Paulo, 1989.
______________________ “A América está ficando para trás?” (entrevista concedida a Robert Heilbroner), in Diálogo, nº 1, vol. 23, Editora Lidador, RJ, 1980.
______________________ Preparando para o século XXI. Rio de Janeiro, Editora Campus, 1993.
KISSINGER, Henry. La Diplomacia. Fondo de Cultura Económica, México, 1996.
__________________ O mundo restaurado. Livraria José Olympio Editora, Rio de Janeiro, 1973.
LA GORCE, Paul-Marie de. “A nova doutrina militar americana”. In Le monde diplomatique, edição brasileira, ano 3, número 26.
LIPPMANN, Walter. A política exterior dos Estados Unidos. Atlântica Editora, Rio de Janeiro, 1944.
LIPSON, Leslie. “Geopolítica”. In A civilização democrática, vol. 1, Companhia Editora Nacional, s.d.
MACKINDER, Halford J. “El pivote geografico de la História”. In Antologia Geopolítica, Editorial Pleamar, Buenos Aires, 1948.
____________________ “El mundo redondo y la conquista de la paz”. In Antologia Geopolítica, Editorial Pleamar, Buenos Aires, 1948.
MERLE, Marcel. Sociologia das relações internacionais. Editora UNB, Brasília, 1981.
MORGENTHAU, Hans J. A política entre as nações. FUNAG/ Editora UNB, São Paulo, 2003.
NYE JR., Joseph S. Compreender os conflitos internacionais: uma introdução à Teoria e à História. Lisboa, Gradiva, 2002.
_________________ O paradoxo do poder americano. Editora UNESP, São Paulo, 2002.
PISTONE, Sérgio. “Relações Internacionais” (verberte). In Dicionário de Política, org. Norberto Bobbio, Editora UNB, Brasília, 1986.
SPYKMAN, Nicholas J. Estados Unidos frente ao mundo. Fondo de Cultura Econômica, México, 1994.
WALTZ, Kenneth N. Teoria das relações internacionais. Gradiva, Lisboa, 2002.
WIGHT, Martin. A política do poder. Editora UNB, Brasília, 1978.
WILHELMY, Manfred. Política Internacional: enfoques y realidades. Grupo Editor Latinoamericano, Buenos Aires, 1988.
 

Clique para consultar os requisitos para FLP0408

Clique para consultar o oferecimento para FLP0408

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP