Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Ciência Política
 
Disciplina: FLP0467 - Pensamento e Política no Brasil: o Seminário Marx (1958-1964)
Thought and Politics in Brazil: the Marx Seminar (1958-1964)

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2016 Desativação:

Objetivos
O curso apresentará aos alunos alguns dos principais elementos das obras produzidas no âmbito do Seminário Marx. Para tanto, destacar-se-á, por meio da leitura das obras selecionadas, um conjunto de problemas : i) os impasses da utilização de uma teoria exógena para interpretar uma realidade que, a princípio, lhe parece alheia; ii) a unidade metodológica dos trabalhos; iii) a sua unidade temática e iv) a “interpretação do Brasil” resultante deste conjunto.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
63432 - Andre Vitor Singer
498969 - Bernardo Ricupero
 
Programa Resumido
O curso será constituído pelas leituras e análises de algumas das principais produções acadêmicas do chamado Seminário Marx (1958-1964), grupo de estudos que reuniu alguns docentes e discentes da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências da Universidade de São Paulo entre os anos de 1958 e 1964. O grupo visava “interpretar o Brasil” a partir de uma leitura não-dogmática de Marx e de outros intelectuais. Como consequência deste esforço coletivo, os trabalhos produzidos no grupo, a despeito da variedade dos campos acadêmicos nos quais foram produzidos, carregam, ao menos, três unidades entre si: temática, metodológica e interpretativa. Por meio da leitura de algumas das obras produzidas, o curso visará destacá-las.
 
 
 
Programa
O curso será estruturado em três módulos, abaixo descritos, que organizam os trabalhos selecionados de um ponto de vista temático. Cada obra contará, via de regra, será lida e debatida em duas aulas. Poderão, a critério dos professores, ser feitos seminários, debates e/ou exercícios no decorrer das aulas. Os três módulos do curso são: 1. O Brasil no Sistema Colonial: Caio Prado Jr e Fernando Novais 2. Capitalismo e sociedade escravocrata: Fernando Henrique Cardoso, Maria Sylvia de Carvalho Franco e Roberto Schwarz 3. Anos 1960: Dependência, desenvolvimento e populismo
 
 
 
Avaliação
     
Método
O curso será estruturado em três módulos, que organizam os trabalhos selecionados de um ponto de vista temático. Cada obra contará, via de regra, será lida e debatida em duas aulas. Poderão, a critério dos professores, ser feitos seminários, debates e/ou exercícios no decorrer das aulas.
Critério
Prova(s) e/ou trabalho(s).
Norma de Recuperação
A recuperação é destinada aos alunos que alcançaram a frequência (70%) e a nota (3,0) mínimas obrigatórias. A nota de recuperação será somada à nota final do período regular e dividida por 2 para a obtenção da média final.
 
Bibliografia
     
Aula 1 – Marx na periferia do capitalismo: o caso do Seminário d'O Capital Bibliografia básica: SCHWARZ, Roberto (1999). “Um seminário de Marx” In: SCHWARZ, Roberto (1999). Sequências brasileiras. São Paulo, Companhia das Letras. RICUPERO, Bernardo (2000). Caio Prado e a nacionalização do marxismo no Brasil. São Paulo, Editora 34. [Capítulo 3 – Existe um pensamento marxista latino-americano?] Aulas 2 e 3 – Caio Prado Júnior Bibliografia básica: PRADO JÚNIOR, Caio Prado (2011). Formação do Brasil contemporâneo: colônia. São Paulo, Companhia das Letras. Aulas 4 e 5: Fernando Novais Bibliografia básica: NOVAIS, Fernando (1983). Portugal e Brasil na Crise do Antigo Sistema Colonial. São Paulo, Hucitec. Aulas 6 e 7: Fernando Henrique Cardoso (I) Bibliografia básica: CARDOSO, Fernando Henrique (1977). Capitalismo e escravidão no Brasil meridional. Rio de Janeiro, Paz e Terra. Aulas 8 e 9: Maria Sylvia de Carvalho Franco Bibliografia básica: FRANCO, Maria Sylvia de Carvalho (1997). Homens livres na ordem escravocrata. Editora UNESP, São Paulo. Aulas 10 e 11: Roberto Schwarz Bibliografia básica: SCHWARZ, Roberto (2012). Ao vencedor as batatas. São Paulo, Editora 34/Duas Cidades. Aulas 12 e 13: Fernando Henrique Cardoso (II) Bibliografia básica: CARDOSO, Fernando Henrique (1972). Empresário industrial e desenvolvimento econômico no Brasil. São Paulo, DIFEL. Aulas 14: Fernando Henrique Cardoso e Enzo Faletto Bibliografia básica: CARDOSO, Fernando Henrique e FALETTO, Enzo (1973). Dependência e desenvolvimento na América Latina. Rio de Janeiro, Zahar Editores. Aula 15 e 16: Francisco Weffort WEFFORT, Francisco (1978). O populismo na política brasileira. São Paulo, Paz e Terra. Bibliografia complementar: ARANTES, Paulo (1992). Sentimento da dialética na experiência intelectual brasileira – Dialética e dualidade segundo Antonio Candido e Roberto Schwarz. São Paulo, Editora Paz e Terra. ARANTES, Paulo Eduardo (1994). Um departamento francês de ultramar – estudos sobre a formação da cultura filosófica uspiana (uma experiência nos anos 60). São Paulo, Editora Paz e Terra. ARANTES, Paulo Eduardo (2007). “As origens do marxismo filosófico no Brasil: José Arthur Giannotti nos anos 60”. In: MORAES, João Quartim (orgs). História do marxismo no Brasil – Os influxos teóricos (Vol.2). Campinas, Editora Unicamp. ARICÓ, José (1978). Introducción. In ARICO, José (org). Mariátegui y Los Origenes del Marxismo Latino-Americano. México D.F., Pasado y Presente. ARICÓ, José (1982). Marx e a América Latina. Rio de Janeiro, Paz e Terra. ARICÓ, José (1989). O marxismo latino-americano nos anos da Terceira Internacional. In HOBSBAWN, Eric (org). História do marxismo – volume VIII. 2ª d. Rio de Janeiro, Paz e Terra. BOTELHO, André (2013). Teoria e História na Sociologia Brasileira: a crítica de Maria Sylvia de Carvalho Franco. Lua Nova, nº90. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ln/n90/a12n90.pdf CARDOSO, Fernando Henrique (1969). Mudanças sociais na América Latina. São Paulo, DIFEL. CARDOSO, Fernando Henrique (1978). Política e desenvolvimento em sociedades dependentes. Rio de Janeiro, Zahar Editores. CARDOSO, Fernando Henrique (1980). As ideias e seu lugar – ensaios sobre as Teorias do Desenvolvimento. Cadernos CEBRAP, nº33. Petrópolis, Editora Vozes em co-edição com CEBRAP. CEVASCO, Maria Elisa e OHATA, Milton (org). Um crítico na periferia do capitalismo: reflexões sobre a obra de Roberto Schwarz. São Paulo, Companhia das Letras. CEVASCO, Maria Elisa (2007). “ O avesso do atraso: notas sobre Roberto Schwarz”. Terceira Margem, Rio de Janeiro, Número 16. Janeiro-Junho de 2007. GOLDENSTEIN, Lídia (1994). Repensando a dependência. São Paulo, Paz e Terra. COUTINHO, Carlos Nelson (2007). O marxismo no Brasil. In JINKINGS, Ivana e PESCHANSKI, João Alexandre (org). As utopias de Michael Lowy – reflexões sobre um marxista insubordinado. São Paulo, Boitempo Editorial. D'INCAO, Maria Ângela (org). História e ideal – ensaios sobre Caio Prado Júnior. São Paulo, Editora Unesp/Editora Brasiliense. FRANCO, Maria Sylvia de Carvalho (1970). O moderno e suas diferenças. Tese (Livre-Docência) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. GIANNOTTI, José Arthur (1998). Recepções de Marx. Novos Estudos Cebrap, nº50. GLEDSON, John (2001).”Introduction by John Gledson” In. SCHWARZ, Roberto (2001).A master on the periphery of capitalism – Machado de Assis. Durham – Londres. Duke University Press. LAHUERTA, Milton (2008). “Marxismo e vida acadêmica: os pressupostos intelectuais da crítica uspiana ao nacional-desenvolvimentismo”. In BOTELHO, André; BASTOS, Élide Rugai e VILLAS BOAS, Gláucia (org). O moderno em questão – a década de 1950 no Brasil. Editora Topbooks, Rio de Janeiro. LOVE, Joseph (1998). A construção do Terceiro Mundo – teorias do subdesenvolvimento na Romênia e no Brasil. São Paulo, Paz e Terra. LOWY, Michael (2012). “Introdução – Pontos de referência para uma história do marxismo na América Latina. In: LOWY, Michael (org). O marxismo na América Latina – uma antologia de 1909 aos dias atuais. São Paulo, Editora Fundação Perseu Abramo. MANTEGA, Guido (2007). “Marxismo na Economia Brasileira”. In: MORAES, João Quartim (orgs). História do marxismo no Brasil – Os influxos teóricos (Vol.2). Campinas, Editora Unicamp. NOVAIS, Fernando (1986). Caio Prado Jr na historiografia brasileira. In: MORAES, Reginaldo; ANTUNES, Ricardo e FERRANTE, Vera B (org). Inteligência brasileira. São Paulo, Editora Brasiliense. NOVAIS, Fernando (2005). Sobre Caio Prado Jr. In NOVAIS, Fernando. Aproximações – estudo de História e Historiografia. Cosac & Naify, São Paulo. NOVAIS, Fernando (2011). Entrevista. In PRADO JÚNIOR,Caio Prado (2011). Formação do Brasil contemporâneo: colônia. São Paulo, Companhia das Letras. RICUPERO, Bernardo (2000). Caio Prado e a nacionalização do marxismo no Brasil. São Paulo, Editora 34. RICUPERO, Bernardo (2007). Caio Prado Jr. In RICUPERO, Bernardo (2007). Sete lições sobre as interpretações do Brasil. São Paulo, Alameda Editorial. RICUPERO, Bernardo (2008). Da formação à forma. Ainda as ideias fora do lugar. Lua Nova, 73. RICUPERO, Bernardo (2009). Caio Prado Júnior e o lugar do Brasil no mundo. In BOTELHO, André e SCHWARCZ, Lilia (orgs). Um enigma chamado Brasil. São Paulo, Companhia das Letras. RICUPERO, Bernardo (2011). Posfácio. In PRADO JÚNIOR,Caio Prado (2011). Formação do Brasil contemporâneo: colônia. São Paulo, Companhia das Letras. RICUPERO, Bernardo (2011b). O lugar do centro e da periferia. In: BOTELHO, André; SCHWARCZ, Lilia Moritz (orgs). Agenda brasileira – temas de uma sociedade em mudança. São Paulo, Companhia das Letras. RICUPERO, Bernardo (2013). O lugar das ideias: Roberto Schwarz e seus críticos. Revista Sociologia & Antropologia. Rio de Janeiro. V.03,06, 525-556. RODRIGUES, Lidiane Soares (2011). A produção social do marxismo universitário em São Paulo: mestres, discípulos e “um seminário” (1958-1978). Tese (Doutorado em História Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas,Universidade de São Paulo. RODRIGUES, Leôncio Martins (2009). “Fernando Henrique Cardoso: a ciência e a política como vocação.” In BOTELHO, André e SCHWARCZ, Lilian Moritz (org). Um enigma chamdo Brasil. São Paulo, Companhia das Letras. SALLUM JÚNIOR, Brasílio (2002). Notas sobre o surgimento da Sociologia Política em São Paulo. Política & Sociedade, número 1, novembro de 2002. SCHWARZ, Roberto (2012). Por que “ideias fora do lugar”? In: SCHWARZ, Roberto (2012). Martinha versus Lucrécia. São Paulo, Companhia das Letras. SCHWARCZ, Lília E BOTELHO, André(2008). Ao vencedor as batatas - 30 anos:crítica da cultura e processo social: entrevista com Roberto Schwarz.Rev. bras. Ci. Soc., Jun 2008, vol.23, no.67, p.147-160. ISSN 0102-6909 WAIZBORT, Leopoldo (2007). Passagem do três ao um. São Paulo, Cosac Naify. WAIZBORT, Leopoldo (2009). Roberto Schwarz: entre forma literária e processo social. In: BOTELHO, André e SCHWARCZ, Lilian Moritz (org). Um enigma chamdo Brasil. São Paulo, Companhia das Letras.
 

Clique para consultar os requisitos para FLP0467

Clique para consultar o oferecimento para FLP0467

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP