Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Sociologia
 
Disciplina: FSL0530 - Educação e Sociedade: Interfaces Entre Cultura e Dominação
Education and Society: Interfaces Between Culture and Domination

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2015 Desativação:

Objetivos
O ponto focal é analisar a produção de conhecimento científico/acadêmico a partir de teorias sociais específicas centradas na relação entre cultura, produção de conhecimento e modos de dominação nas sociedades contemporâneas. A disciplina aborda os processos contemporâneos de produção do conhecimento a partir das interfaces entre agentes, instituições científicas e aparato governamental, em especial no Brasil. Tem como pressuposto a ideia de construção social do conhecimento e do estabelecimento de lutas simbólicas em torno de sua definição legítima, tanto entre as diversas áreas e disciplinas científicas quanto no interior de cada uma delas.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3554907 - Ana Paula Belém Hey
 
Programa Resumido
O ponto focal é analisar a produção de conhecimento científico/acadêmico a partir de teorias sociais específicas centradas na relação entre cultura, produção de conhecimento e modos de dominação nas sociedades contemporâneas. A disciplina aborda os processos contemporâneos de produção do conhecimento a partir das interfaces entre agentes, instituições científicas e aparato governamental, em especial no Brasil. Tem como pressuposto a ideia de construção social do conhecimento e do estabelecimento de lutas simbólicas em torno de sua definição legítima, tanto entre as diversas áreas e disciplinas científicas quanto no interior de cada uma delas.
 
 
 
Programa
1. O olhar sociológico sobre a ciência e a produção de conhecimento

2. Conhecimento e poder

3. A prática científica

4. Política científica, instituições e Estado

5. Campo acadêmico/universitário e campo científico no Brasil

6. Intelectuais, cientistas, acadêmicos, experts

7. Dominação e conhecimento
 
 
 
Avaliação
     
Método
Discussão de textos previamente lidos pelos alunos. Dinâmicas de grupo. Seminários temáticos. Aulas expositivas.
Critério
Baseados nas atividades discentes supracitadas. A presença é obrigatória em todas as aulas.
Norma de Recuperação
O aluno que obtiver freqüência mínima de 70% e obtiver média final inferior a 5,0, mas igual ou superior a 3,0, poderá realizar uma prova escrita abrangendo todo o programa da disciplina a ser realizada no primeiro mês do semestre seguinte ao de reprovação.
 
Bibliografia
     
BARNES, Barry. Introdução. IN: ___ (comp.). Estudios sobre sociología de la ciencia. Madrid: Alianza Editorial, 1972, p. 11-18.
BEN-DAVID, Joseph. O papel do cientista na sociedade. (Capítulo 6 – O aparecimento e o declínio do centro científico francês num regime de liberalismo centralizado, p. 125-150; capítulo 7 – A hegemonia científica alemã e o aparecimento da ciência organizada, p. 151-191; capítulo 8 – A profissionalização da pesquisa nos Estados Unidos, p. 193-233). São Paulo: Pioneira, 1974.
BOURDIEU, Pierre. O campo científico. In: BOURDIEU, Pierre. Sociologia. (Org. Renato Ortiz; Coord. Florestan Fernandes). São Paulo: Ática, 1983, p. 122-155.
BOURDIEU, Pierre. Homo academicus. Paris: Minuit, 1984.
BOURDIEU, Pierre. Les usages sociaux de la science: pour une sociologie du champ scientifique. Paris : INRA, 1997.
BOURDIEU, Pierre. Método científico e hierarquia social dos objetos. In: ___. Escritos de educação (Orgs. Maria Alice Nogueira, Afrânio Mendes Catani). Petrópolis, RJ: Vozes, 1998. (15ª ed. 2014), p. 33-38.
BOURDIEU, Pierre. Science de la science et reflexivité. Paris: Raisons d´Agir, 2001. Tradução portuguesa : Para uma Sociologia da Ciência. Lisboa : Edições 70, 2008.
BOURDIEU, Pierre. Como chega a cultura aos camponeses (entrevista). Cadernos de Ciências Sociais. Porto/Portugal, n. 24, abril 2007, p. 59-68.
BOURDIEU, Pierre. Stratégies de reproduction et modes de domination. Actes de la Recherche en Sciences Sociales. Paris, n. 105, 1994, p. 3-12. Tradução espanhola em Las estrategias de la reproducción social. Buenos Aires : Siglo Veintiuno, 2011, p. 31-50.
BOURDIEU, Pierre. Les modes de domination. Actes de la Recherche en Sciences Sociales. Paris, n. 2-3, 1976, p. 122-132. Tradução espanhola em Las estrategias de la reproducción social. Buenos Aires : Siglo Veintiuno, 2011, p. 51-74.
BOURDIEU, Pierre. La noblesse d´État. Grandes Écoles et esprit de corps. (Parte IV, capítulo 1 Le champ du pouvoir et ses transformations, p. 371-427). Paris : Minuit, 1989.
DEZALAY, Yves; GARTH, Bryant. A dolarização do conhecimento técnico profissional e do Estado: processos transnacionais e questões de legitimação na transformação do Estado, 1960-2000. Revista Brasileira de Ciências Sociais. São Paulo, v. 15, n. 43, jun 2000, p. 163-176.
DEZALAY, Yves; GARTH, Bryant. La mondialisation des guerres de palais. Paris: Seuil, 2002.
FOUCAULT, Michel.A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 2010.
FOURNIER, Marcel; GINGRAS, Yves; MATHURIN, Creutzer. L´évaluation par les pairs et la définition légitime de la recherche. Actes de la Recherche en Sciences Sociales. Paris, n. 74, sept. 1988, p. 47-54.
HEY, Ana Paula. Esboço de uma sociologia do campo acadêmico: a educação superior no Brasil. (Capítulo 1, p. 21-52). São Carlos, SP: EdUFSCar/Fapesp, 2008.
HEY, Ana Paula. Fronteira viva: o campo acadêmico e o campo político no Brasil. In: AZEVEDO, Mário L.N. de. Políticas públicas e educação. Debates contemporâneos. Maringá, PR; Eduem, 2008, p. 217-229.
HOLLENSTEINER, Stefan. Los intelectuales de izquierda, la política y la transición democrática en Argentina y Brasil. In: HOFMEISTER W MANSILLA HCF (eds.). Intelectuales y política en América Latina. El desencantamiento del espíritu crítico.
LENOIR, Timothy. A disciplina da natureza e a natureza das disciplinas. In: ___. Instituindo a ciência. A produção cultural das disciplinas científicas. São Leopoldo/RS : Editora Unisinos, 2004, p. 62-98.
LIMA, Nísia T.; HOCHMAN, Gilberto. Condenado pela raça, absolvido pela medicina: o Brasil descoberto pelo movimento sanitarista da 1ª República. In: MAIO, Marcos Chor; LOUREIRO, Maria Rita. Economistas e elites dirigentes no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais. São Paulo, n. 20. Disponível em www.anpocs.br/portal/publicacoes/rbcs_00_20/rbcs20_06.htm
Leituras complementares: DEZALAY, Yves; GARTH, Bryant. La mondialisation des guerres de palais. Paris: Seuil, 2002.
NEIBURG, Federico; PLOTKIN, Mariano. Los economistas. El Instituto Torcuatto di Tella y las nuevas elites estatales en los años sesenta. In: NEIBURG, Federico; PLOTKIN, Mariano (comps.). Intelectuales y expertos. La constitución del conocimiento social en la Argentina. Buenos Aires: Paidós, 2004, p. 231-264.
SANTOS, Ricardo. Raça, ciência e sociedade. Rio de Janeiro: Fiocruz; Centro Cultural Banco do Brasil, 1996, p. 23-40.
SHINN, Terry; RAGOUET, Pascal. Controvérsias sobre a ciência. Por uma sociologia transversalista da atividade científica. São Paulo: Associação Filosófica Scientia Studia; Editora 34, 2008 (livro todo com exceção do anexo).
SHINN, Terry. Hiérarchies des chercheurs et formes des recherches. Actes de la Recherche en Sciences Sociales. Paris, n. 74, sept. 1988, p. 2-22.
SCHWARTZMAN, Simon. Um espaço para a ciência: a formação da comunidade científica no Brasil. (Prefácio à edição inglesa; Introdução e capítulos 6 a 10). Brasília: MC&T, 2001 (1ª edição 1979). Disponível em www.schwartzman.org.br/sitesimon

www.anpocs.br/portal/publicacoes/rbcs_00_20/rbcs20_06.htm
KUHN, Thomas. A estrutura das revoluções científicas.
LENOIR, Timothy. A disciplina da natureza e a natureza das disciplinas. In: ___. Instituindo a ciência. A produção cultural das disciplinas científicas. São Leopoldo/RS : Editora Unisinos, 2004, p. 62-98.
LIMA, Nísia T.; HOCHMAN, Gilberto. Condenado pela raça, absolvido pela medicina: o Brasil descoberto pelo movimento sanitarista da 1ª República. In: MAIO, Marcos Chor; SANTOS, Ricardo. Raça, ciência e sociedade. Rio de Janeiro: Fiocruz; Centro Cultural Banco do Brasil, 1996, p. 23-40.
NEIBURG, Federico; PLOTKIN, Mariano. Los economistas. El Instituto Torcuatto di Tella y las nuevas elites estatales en los años sesenta. In: NEIBURG, Federico; PLOTKIN, Mariano (comps.). Intelectuales y expertos. La constitución del conocimiento social en la Argentina. Buenos Aires: Paidós, 2004, p. 231-264.
SAINT MARTIN, Monique. Dominação social, dominação escolar. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 28, n. 1, jan/jun 2003, p. 21-29.
SHINN, Terry; RAGOUET, Pascal. Controvérsias sobre a ciência. Por uma sociologia transversalista da atividade científica. São Paulo: Associação Filosófica Scientia Studia; Editora 34, 2008.
SCHWARTZMAN, Simon. Um espaço para a ciência: a formação da comunidade científica no Brasil. (Prefácio à edição inglesa; Introdução e capítulos 6 a 10). Brasília: MC&T, 2001 (1ª edição 1979). Disponível em www.schwartzman.org.br/sitesimon
 

Clique para consultar os requisitos para FSL0530

Clique para consultar o oferecimento para FSL0530

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP