Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Sociologia
 
Disciplina: FSL0642 - Teoria Crítica da Sociedade
Critical Theory of Society

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2003 Desativação:

Objetivos
A teoria crítica da sociedade, em particular, a primeira teoria crítica, tal como formulada por Max Horkheimer na década de 1930, ocupa um lugar central na discussão sociológica do século passado. Por um lado, os textos de Horkheimer desse período incorporam, de maneira crítica e inovadora, o legado da sociologia clássica alemã (de Dilthey e Tönnies a Simmel e Weber), o marxismo desenvolvido por Georg Lukács em História e Consciência de Classe , pautado pela crítica da reificação e também a linhagem da psicanálise. Na outra ponta, pode-se dizer que essa primeira formulação da teoria crítica, consagrada pelo epíteto "materialismo interdisciplinar" tornou-se uma referência indispensável não só para os autores da Escola de Frankfurt (de Benjamin e Adorno a Marcuse e Habermas), como para a tradição sociológica do próprio marxismo ocidental.
O curso pretende resgatar a especificidade da teoria sociológica estabelecida nesse momento particular, procurando estabelecer, na medida do possível, os parâmetros de sua leitura e interpretação dos clássicos, bem como sua recepção na discussão sociológica da segunda metade do século XX.
12. Conteúdo:
O curso propõe uma leitura dos textos produzidos por Max Horkheimer na década de 1930, resgatando, sempre que possível, suas fontes e seus interlocutores. Essa leitura pretende focalizar sobretudo os conceitos de teoria, crítica, materialismo interdisciplinar, marxismo, sociedade e capitalismo.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
2015150 - Ricardo Musse
 
Programa Resumido
 
 
 
Programa
O curso pretende resgatar a especificidade da teoria sociológica estabelecida nesse momento particular, procurando estabelecer, na medida do possível, os parâmetros de sua leitura e interpretação dos clássicos, bem como sua recepção na discussão sociológica da segunda metade do século XX.
 
 
 
Avaliação
     
Método
O aluno que teve freqüência superior a 70% e obteve média final inferior a 5,0 mas superior a 3,0 poderá realizar as atividades de recuperação. .
Critério
Critérios de Aprovação na Recuperação: Prova escrita abrangendo toda a matéria, a ser realizada antes do início do semestre seguinte
Norma de Recuperação
 
Bibliografia
     
ADORNO, Theodor W. e HORKHEIMER, Max. Dialética do Esclarecimento. Fragmentos Filosóficos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.
ADORNO, Theodor W. e HORKHEIMER, Max (orgs.). Temas Básicos da Sociologia. São Paulo: Cultrix/Edusp, 1973.
ARATO, Andrew, and GEBHARDT, Eike (orgs.). The Essential Frankfurt School Reader. New York: Continuum, 1990.
ARATO, Andrew e BREINES, Paul. The Young Lukács and the Origins of Western Marxism. New York: The Seabury Press, 1979.
BENJAMIN, Walter. Magia e Técnica, Arte e Política. Obras Escolhidas, v. 1. São Paulo: Brasiliense, 1985.
BENHABIB, Seyla; BONSS, Wolfgang e McCOLE, John (orgs.). On Max Horkheimer. Cambridge: The MIT Press, 1993.
DUBIEL, Helmut. Wissenschaftsorganisation und politische Erfahrung: Studien zur frühen Kritischen Theorie. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1978.
HABERMAS, Jürgen. Philosophisch-politische Profile. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1981.
HORKHEIMER, Max. Eclipse da Razão. Rio de Janeiro: Labor, 1976.
HORKHEIMER, Max. Gesammelte Schriften Band 3: Schriften 1931-1936. Frankfurt am Main: S. Fischer, 1988.
HORKHEIMER, Max. Gesammelte Schriften Band 4: Schriften 1936-1941. Frankfurt am Main: S. Fischer, 1988.
HORKHEIMER, Max. Origens da Filosofia Burguesa da História. Lisboa: Editorial Presença, 1984.
HORKHEIMER, Max. Teoria Crítica I. São Paulo: Perspectiva, 1990.
HORKHEIMER, Max (ed.). Zeitschrift für Sozialforschung. Reprint. München: Deutscher Taschenbuch Verlag, 1980.
JAY, Martin. The Dialectical Imagination: A History of the Frankfurt School and the Institute of Social Research, 1923-1950. Boston: Little Brown & Company, 1973.
LUKÁCS, Georg. História e Consciência de Classe. Porto: Escorpião, 1974.
LUKÁCS, Georg. A Defence of History and Class Consciousness. Tailism and the Dialectic. London: Verso, 2000.
MARCUSE, Herbert. Cultura e Sociedade, v. 1. São Paulo: Paz e Terra, 1997.
MARCUSE, Herbert. Cultura e Sociedade, v. 2. São Paulo: Paz e Terra, 1998.
MATOS, Olgária C. F. Os Arcanos do Inteiramente Outro. A Escola de Frankfurt, a Melancolia e a Revolução. São Paulo: Brasiliense, 1989.
PAIVA, Vanilda (org.). A Atualidade da Escola de Frankfurt. Rio de Janeiro: IEC, 1996.
RASMUSSEN, David M. (org.). The Handbook of Critical Theory. Oxford: Basil Blackwell, 1996.
SCHMIDT, Alfred e RUSCONI, Gian Enrico. La Scuola di Francoforte. Origini e Significato Attuale. Bari: De Donato, 1972.
THERBORN, Göran. The Frankfurt School. London: New Left Review, 1970.
THEUNISSEN, M. Gesellschaft und Geschichte. Zur Kritik der kritischen Theorie. Berlim: Walter de Gruyter, 1969.
WIGGERSHAUS, Rolf. A Escola de Frankfurt História, Desenvolvimento Teórico, Significação Política. Rio de Janeiro: Difel, 2002.
 

Clique para consultar os requisitos para FSL0642

Clique para consultar o oferecimento para FSL0642

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP