Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
 
Sociologia
 
Disciplina: FSL0649 - Cidade e Trabalho: Tópicos de Sociologia Urbana
City and Work: Topics in Urban Sociology

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2012 Desativação:

Objetivos
No debate contemporâneo já é corrente o diagnóstico de um esgotamento da representação do social própria da sociologia clássica, ou melhor: própria das sociedades nacionais e industriais que conformaram o solo histórico a partir do qual as questões e categorias da sociologia foram formuladas. O debate não é de hoje, desde o final dos anos 1980 vem se armando um acirrado campo de polêmicas, abrindo-se a novas indagações que colocam em pauta a pertinência das coordenadas clássicas para o entendimento das sociedades modernas. Mais do que confrontar teorias e contrapor sistemas explicativos abrangentes, o objetivo é (i) identificar alguns dos pontos de inflexão no mundo contemporâneo que provocam deslocamento dos parâmetros clássicos das ciências sociais; (ii) discutir o modo como alguns autores vêm enfrentando essas questões e os desafios ao mesmo tempo teóricos e cognitivos que se apresentam; (iii) tomando como referência esses “fatos sociais” (novos ou redefinidos) e suas questões, identificar nos debates contemporâneos as novas perspectivas que vêm sendo abertas (ou redefinidas) do ponto de vista da investigação empírica ou teórica.
Essas questões deverão ser tratadas sob o prisma das relações entre cidade, trabalho e sociedade. Pretende-se revisitar alguns tópicos da sociologia urbana com o objetivo de identificar os pontos de deslocamento cognitivo-teórico de forma a (i) situar as polêmicas e indagações contemporâneas e, no mesmo passo, (ii) situar as novas perspectivas do trabalho investigativo e seus (redefinidos) campos empíricos de pesquisa.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
60662 - Vera da Silva Telles
 
Programa Resumido
No debate contemporâneo já é corrente o diagnóstico de um esgotamento da representação do social própria da sociologia clássica, ou melhor: própria das sociedades nacionais e industriais que conformaram o solo histórico a partir do qual as questões e categorias da sociologia foram formuladas. O debate não é de hoje, desde o final dos anos 1980 vem se armando um acirrado campo de polêmicas, abrindo-se a novas indagações que colocam em pauta a pertinência das coordenadas clássicas para o entendimento das sociedades modernas. Mais do que confrontar teorias e contrapor sistemas explicativos abrangentes, o objetivo é (i) identificar alguns dos pontos de inflexão no mundo contemporâneo que provocam deslocamento dos parâmetros clássicos das ciências sociais; (ii) discutir o modo como alguns autores vêm enfrentando essas questões e os desafios ao mesmo tempo teóricos e cognitivos que se apresentam; (iii) tomando como referência esses “fatos sociais” (novos ou redefinidos) e suas questões, identificar nos debates contemporâneos as novas perspectivas que vêm sendo abertas (ou redefinidas) do ponto de vista da investigação empírica ou teórica.
Essas questões deverão ser tratadas sob o prisma das relações entre cidade, trabalho e sociedade. Pretende-se revisitar alguns tópicos da sociologia urbana com o objetivo de identificar os pontos de deslocamento cognitivo-teórico de forma a (i) situar as polêmicas e indagações contemporâneas e, no mesmo passo, (ii) situar as novas perspectivas do trabalho investigativo e seus (redefinidos) campos empíricos de pesquisa.
 
 
 
Programa
O curso será dividido em três partes de modo a oferecer aos alunos um repertório de referências teóricas e empíricas que lhes permitam bem situar as configurações societárias desenhadas sob o impacto das mudanças recentes do mundo contemporâneo, tendo como fio condutor e plano de referência os nexos que articulam as (re)configurações do trabalho e as (re)configurações da cidade e da experiência urbana.
(i) Parte 1 - três sessões: A cidade e as ciências sociais. Tomando como referência a formação da sociedade industrial e os imperativos de formação dos Estados-Nação, pretende-se situar o lugar da cidade nesse período de formação das ciências sociais, dando destaque ao campo semântico e o espaço conceitual no qual as categorias sociológicas formam definidas. Com essa discussão pretende-se mostrar o quanto as categorias formadoras da sociologia, em particular a sociologia urbana, são tributárias da assim chamada sociedade do trabalho e do que viria a ser, depois, definido como sociedade fordista.
(ii) Parte 2 – três sessões: Crises e inflexões. A partir da discussão sobre o chamado capitalismo flexível, globalização da economia e seus impactos nos mundos urbanos, pretende-se situar os deslocamentos nas relações entre cidade e trabalho e o modo como a questão foi tratada no âmbito dos estudos urbanos;
(iii) Parte 4 – seis sessões. Este é o tópico principal do curso. De uma maneira geral, pretende-se seguir as questões propostas por autores que propõem a necessidade se desvencilhar do que foi definido como “nacionalismo metodológico” para re-situar o lugar da cidade no mundo contemporâneo e, mais ainda, para tomá-la como prisma para o entendimento das mudanças em curso desde meados dos anos 1990. Em outros termos, a questão posta no debate contemporâneo diz respeito a deslocamentos importantes no campo epistêmico: modo de se construir os objetos, de interrogar as realidades, de formular as questões e construir repertórios conceituais. Nesse tópico será importante fazer os alunos tomarem conhecimento das pesquisas e dispositivos de pesquisa que vem sendo propostos e exercitados no campo dos estudos urbanos.
 
 
 
Avaliação
     
Método
O curso constará de aulas teóricas e seminários
Critério
Os alunos deverão entregar um trabalho de final de curso, versando sobre os temas tratados e autores lidos durante o curso: um pequeno ensaio com base na literatura lida e discussões em sala de aula
Norma de Recuperação
A recuperação será feita em data a ser marcada dentro dos prazos regulamentos para a atividade: os alunos deverão fazer um novo trabalho, conforme critérios definidos para a avaliação do curso
 
Bibliografia
     
ALSAYYAD, Nezar; Ananaya ROY. “Modernidade medieval: cidadania e urbanismo na era global.” Novos Estudos no. 85, 2009: pp. 105-128
APPADURAI, Arjun. Modernity at large. Cultural dimension of globalization. University of Minnesota Press, 1996
APPADURAI, Arjun. Soberania sem territorialidade. Notas para uma geografia pós-nacional. Novos Estudos, no. 49, novembro 1997, pp. 33-46. Disponível on-line - site Cebrap e Scielo
BESSIN, Marc. Temps, une question de pouvoir. Mouvements, no. 2, 1999
BOURDIEU, P. A miséria do mundo. Petrópolis: Vozes, 1997
ÇAGLAR, Ayse; SCHILLER, Nina Glick (eds). Locating migrants. Rascaling cities and migrants. Ithaca and London: Cornel University Press, 2011
Castel, Robert. From dangerouness to risk. In: Burchel, G.;Gordon, C.;Miller, P.The Foucault effect. Studies in governamentantality. The University of Chicago Press, 1991
CASTEL, R. As metamorfoses da questão social. Petrópolis, Vozes, 1998
HARVEY, David. A condição pós-moderna. São Paulo: Edições Loyola, 1992. Especialmente Parte II (Transformação político-econômica do capitalismo do final do século XX) e Parte III (A experiência do espaço e do tempo).
Nina Glick Schiller et Andreas Wimmer. Methodological Nationalism and Beyond. Nation-State Building, Migration and the Social Sciences. Global Networks, 2-4, 2002
PERROT, Michel. Os operários, a moradia e a cidade no século XIX. In: Os Excluídos da história. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988
ROY, Ananya. “The 21st Century Metropolis. New geographies of theory.” Regional Studies, v.43, 2009: pp. 819-830.
ROY, Ananya. “Urbain informality: toward an epistemology of planning.” Journal of the American Planning Association, 2005: pp.147-158.
SASSEM, Saskia. Sociologia da globalizaçao. Porto Alegre: Artmed, 2010 URRY, John - Sociology Beyond Societies: Mobilities for the Twenty-First Century. Routledge; 2000 [em francês : Sociologie des mobilités: une nouvelle frontière pour la sociologie? Paris, Armand Colin, 2005]
SENNET, R. A corrosão do caráter: conseqüências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 2001 (5a edição)
THOMPSON, E.P. Tempo, disciplina de trabalho e o capitalismo industrial. In: Thompson, E.P. Costumes em comum. Estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.
TOPALOV, Christian. A invenção do desemprego. DADOS, vol. 33, no. 3, 1999
TOPALOV, Cristian. “Os saberes da cidade em crise.” Revista Espaço e Debates, v.11. no. 34, 1992.
 

Clique para consultar os requisitos para FSL0649

Clique para consultar o oferecimento para FSL0649

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP