Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Saúde Pública
 
Saúde, Ciclos de Vida e Sociedade
 
Disciplina: HCV0113 - Gênero, Sexualidade, Raça/Etnia e Saúde Pública
Gender, Race/Ethnicity, Sexualities and Public Health

Créditos Aula: 3
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 45 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2019 Desativação:

Objetivos
Identificar e compreender o conceito de gênero aplicado ao campo da saúde; os diferenciais de gênero na assistência à saúde; a sexualidade enquanto dimensão da saúde; o campo da saúde reprodutiva em suas expressões epidemiológicas, assistenciais e educativas.
Identificar e compreender os conceitos de raça e etnia aplicados ao campo da saúde; os diferenciais de raça e etnia na assistência à saúde; e a questão do racismo em suas expressões epidemiológicas, assistenciais e educativas.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
412326 - Carmen Simone Grilo Diniz
8750457 - Cristiane da Silva Cabral
 
Programa Resumido
Discussão dos fundamentos teórico-metodológicos da análise da diferenciação/ articulação das relações sociais de gênero, raça/cor e classe social na sociedade brasileira, tanto através da história quanto na atualidade. 
O programa será abordado a partir de uma perspectiva feminista, privilegiando o enfoque de gênero como categoria analítica e enquanto categoria histórica. Retrata, assim, a trajetória da construção da problemática do gênero, com especial atenção para as interseções com outros marcadores sociais de diferença como raça/cor, classe social, geração, identidade sexual e como tais perspectivas incidem na organização doméstico-familiar, no mundo do trabalho e na constituição de sujeitos políticos.
 
 
 
Programa
Feminismos e estudos de gênero;
Definindo conceitos: raça, etnia, cor da pele;
A cor da pele na Epidemiologia;
Violência de gênero: história, conceitos e o papel da formação;
Violência contra mulheres e negros no âmbito das instituições de saúde;
Equidade, gênero, cor da pele e geração: padrões de morbidade e indicadores de assistência à saúde no Brasil;
Direitos e minorias políticas; 
Corpo e sexualidade: questões sobre identidade sexual e de gênero;
Migração e interculturalidade.
 
 
 
Avaliação
     
Método
A avaliação do desempenho do estudante, que tem como foco as diferentes dimensões do processo ensino-aprendizagem (Conhecimento; Habilidades; Atitudes), será realizada pelos seguintes instrumentos: seminários; participação em sala de aula; trabalho final escrito.
Critério
Frequência, Participação em classe, Apresentação de Seminário, Trabalho escrito.
Norma de Recuperação
Será oferecida recuperação, com prova substitutiva, aos alunos que obtiverem média 30 e frequência mínima de 70%.
 
Bibliografia
     
AQUINO, E.M.L.; MENEZES, G.M.S.; ARAÚJO, T.; MARINHO, L.F.B. Epidemiologia, sexualidade e reprodução. In: Naomar de Almeida Filho; Mauricio Lima Barreto. (Org.). Epidemiologia & Saúde: Fundamentos, Métodos e Aplicações. 1ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011, v. 1, p. 581-592.
BATISTA, Luís Eduardo; ESCUDER, Maria Mercedes e PEREIRA, Julio César R. A cor da morte: causas de óbito segundo características de raça no Estado de São Paulo, 1999 a 2001. Revista de Saúde Pública, 2004; 38, p. 630-6.
BOBBIO, Norberto. Direitos do homem e sociedade. In . A era dos direitos. Rio de Janeiro: Campos, pp. 67-83, 1992.
DEBERT, G.; GREGORI, M.F. Violência e gênero: novas propostas, velhos dilemas, RBCS Vol. 23 nº. 66, fevereiro/2008.
DINIZ SG, D'OLIVEIRA AF, LANSKY S. Equity and women's health services for contraception, abortion and childbirth in Brazil. Reprod Health Matters, 2012 Dec;20(40):94-101.
DINIZ, Carmen Simone Grilo et al. A vagina-escola: seminário interdisciplinar sobre violência contra a mulher no ensino das profissões de saúde. Interface (Botucatu) [online]. 2016, vol.20, n.56, pp. 253-259. ISSN 1807-5762.
DINIZ, S.; CHACHAM, A. O “corte por cima” e o “corte por baixo”: o abuso de cesáreas e episiotomias em São Paulo, Questões de Saúde Reprodutiva 2006; I(1):80-91
Filme: Olhos azuis.
LOPES, F. Para além da barreira dos números: desigualdades raciais e saúde. Cadernos de Saúde Pública v.21 n.5. p.1596-1601, Rio de Janeiro 2005.
MUNANGA, Kabengele. A difícil tarefa de definir quem é negro no Brasil. Revista de Estudos Avançados da USP, n. 18 (50), 2004 p. 51-56.
PIOVESAN, Flávia. Litigância internacional e avanços locais: Violência contra mulher e a lei “Maria da Penha”. In. . Temas de Direitos Humanos 5ª ed. São Paulo: Saraiva, pp. s.p., 2012 (e-book). 
PISCITELLI, Adriana. Gênero: a história de um conceito. In: Almeida, H.B. & Szwako, J. (org.), Diferenças, igualdade. São Paulo: Berlendis editores, 2009.
RAGO, M. Descobrindo historicamente o gênero. Cadernos PAGU (11) 1998: 89-98. 
SARTI, C. O feminismo brasileiro desde os anos 70. Estudos Feministas, 12 (2): 264, mai/ago 2004.
SCHRAIBER, L. B.; NEMES, M.I.B.; & MENDES-GONÇALVES, R.B. (org.) Saúde do Adulto - Programas e Ações na Unidade Básica. São Paulo, Ed. Hucitec, 1996.
SCHRAIBER LB, VILLASBÔAS ALQ, NEMES MIB. Programação em saúde e organização das práticas: possibilidades de integração entre ações individuais e coletivas no Sistema Único de Saúde In: PAIM, J. S.; ALMEIDA-FILHO, N. (orgs.). Saúde coletiva: teoria e prática.1 ed. Rio de Janeiro - RJ: MedBook, 2014, v.1, p. 83-93.
WEEKS, J. O corpo e a sexualidade. In: LOURO, GL (org.). O corpo educado. Belo Horizonte: Autêntica, 2010 (3ª. Ed.).
 

Clique para consultar os requisitos para HCV0113

Clique para consultar o oferecimento para HCV0113

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP