Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Faculdade de Saúde Pública
 
Política, Gestão e Saúde
 
Disciplina: HSP0160 - Gestão da Atenção à Saúde
Public Health Systems and Services Management

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2015 Desativação:

Objetivos
Apresentar e discutir a gestão e planejamento em saúde e possibilitar a compreensão da gestão pública do SUS nas três esferas de governo e nos vários serviços de saúde.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
961715 - Laura Camargo Macruz Feuerwerker
5057761 - Marilia Cristina Prado Louvison
 
Programa Resumido
A disciplina de gestão da atenção à saúde irá debater os princípios do SUS e seus principais desafios do ponto de vista dos modelos de gestão do sistema e dos serviços, bem como as necessidades de saúde que se apresentam para os modelos de atenção , o planejamento e a gestão de sistemas municipais e de serviços de saúde.
 
 
 
Programa
1.Modelos de atenção, integralidade e redes de atenção 2.Universalidade, regionalização e participação social 3.Informação para a gestão no SUS 4.Regulação da atenção à saúde no SUS 5.Gestão municipal do SUS 6.Desafios para a gestão a partir de uma perspectiva micropolítica 7.Planejamento em saúde – conceitos e possibilidades 8.Planejamento no SUS 9.Gestão de serviços de saúde 10.Gestão do Trabalho em saúde 11.Gestão hospitalar
 
 
 
Avaliação
     
Método
Seminários e provas
Critério
- freqüência
- participação
Norma de Recuperação
Disciplina com segunda avaliação.
 
Bibliografia
     
1.Arretche M. Ciência e saúde coletiva. 8 (2). 331-345. 2003. Financiamento federal e gestão local de políticas sociais: o difícil equilíbrio entre regulação, responsabilidade e autonomia.
2.Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Curso de Formação de Facilitadores de Educação Permanente em Saúde : unidades de aprendizagem – análise do contexto da gestão e das práticas de saúde. Brasil. Ministério da Saúde. Rio de Janeiro, FIOCRUZ. 2005.
3.Cecilio LCO, Merhy EE. A integralidade do cuidado como eixo da gestão hospitalar. 2003. In: Pinheiro, R; Mattos, RA de. Construção da integralidade: cotidiano, saberes e práticas em saúde. Rio de Janeiro, IMS ABRASCO, 2003. p.197-210, ilus.
4.Cecilio LCO. Modelos tecno assistenciais: da pirâmide ao circulo, uma possibilidade a ser explorada. Cadernos de saúde pública. Rio de Janeiro. 13 (3). 469-478, jul-set. 1997.
5.Cecilio, LCO. As necessidades de saúde como conceito estruturante na luta pela integralidade e equidade na atenção em saúde In: Pinheiro, Roseni; Mattos, Ruben Araujo de. Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à saúde. Rio de Janeiro, IMS ABRASCO, 2001. p.113-126.
6.Feuerwerker, L.C.M. & Merhy, E.E. A contribuição da atenção domiciliar para a configuração de redes substitutivas de saúde: desinstitucionalização e transformação de práticas. Revista Panamericana de Salud Pública, 2008. 24(3):180-8.
7.Feuerwerker, L.C.M. Modelos tecnoassistenciais, gestão e organização do trabalho em saúde: nada é indiferente no processo de luta para a consolidação do SUS. Interface, Botucatu, 2005, 9(18), 489-506.
8.Fleury S e Lobato LVC. Participação, democracia e saúde. CEBES. 2010.
9.Franco, T.B. & Merhy, E.E., Produção Imaginária da Demanda in Pinheiro, R. & Mattos, R.A. (orgs.) “Construção Social da Demanda”; IMS/UERJ-CEPESC-ABRASCO, Rio de Janeiro, 2005.
10.Matus, C. O plano como aposta. São Paulo em Perspectiva, São Paulo: v.5, nº4, p.28-42, out/dez., 1991.
11.Neto GV; Malik AM. Tendências na assistência hospitalar. Ciênc. saúde coletiva vol.12 no.4 Rio de Janeiro Jul-Agost. 2007.
12.Paim JS Planejamento em saúde para não especialistas. In: Campos GWS, Minayo MCS, Akerman M, Drumond Jr, Carvalho YM, organizadores. Tratado de saúde coletiva. São Paulo: Hucitec, Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz; 2006. p. 767-782
13.Paim JS. O que é o SUS. Temas em saúde. Editora FIOCRUZ. 2009.
14.Pinheiro R e Mattos RA. Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado a saúde. ABRASCO. 2009.
15.Rivera FJU e Artmann E. Planejamento e gestão em saúde: conceitos, história e propostas. Temas em saúde. Editora FIOCRUZ. 2012.
16.Santos FP e Merhy EE. A regulação pública da saúde no Estado brasileiro – uma revisão. Interface - Comunic., Saúde, Educ., v.10, n.19, p.25-41, jan/jun 2006.
17.Santos, L. e Andrade, LOM. Redes de Atenção a Saúde, desafios da regionalização no SUS. Silvio Fernandes da Silva (org). 2ª edição. Saberes editora. 2013.
18.Santos, NR. Desenvolvimento do SUS, rumos estratégicos e estratégias para visualização dos rumos. Ciência & Saúde Coletiva, 12(2):429-435, 2007.
19.Silva, S. F.. Organização de redes regionalizadas e integradas de atenção à saúde: desafios do Sistema Único de Saúde (Brasil). Ciência & Saúde Coletiva, 16(6):2753-2762, 2011.
20.Souza LEPF e Viana ALA. Capitulo 19. Gestão do SUS: descentralização, regionalização e participação social. Pag 261 a 269. In: Paim JS e Almeida-Filho N. Saude Coletiva: teoria e prática. Medbook. 2013.
 

Clique para consultar os requisitos para HSP0160

Clique para consultar o oferecimento para HSP0160

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP