Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos
 
Disciplinas do Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos
 
Disciplina: IAU0734 - Projeto III-B
Architectural Design Studio III-B

Créditos Aula: 6
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 150 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2011 Desativação:

Objetivos
Abordar teoria e prática do projeto arquitetônico, explicitando sua dimensão pública e territorial, enquanto instrumento de transformação e qualificação da cidade e da paisagem. Desenvolver a capacidade de conceber o objeto arquitetônico articulando as dimensões topográfico-urbana, material-construtiva e programático-social. Elaborar projetos de equipamentos públicos cuja especificidade, complexidade e situação de inserção permitam ensaiar formas de estruturação do espaço urbano e de configuração da paisagem.
 
 
 
Programa Resumido
Arquitetura: cidade e paisagem. A atividade projetual compreendida como ação construtiva do lugar, da cidade, da cultura e do país. A reflexão sobre as demandas sociais. Concepção de projetos de equipamentos, edifícios e espaços livres de uso coletivo, integrantes das redes públicas de educação, cultura, esporte e/ou lazer.A relação entre edificação e espaço urbano, entre projeto e situação. Intervenção na cidade real, em setor urbano com potencial para tornar-se uma centralidade indutora da sociabilidade e estruturadora das regiões envoltórias, consolidadas ou rarefeitas. Desenvolvimento de procedimentos e estratégias visando entender complexidades presentes na cidade existente. O desenho como instrumento de análise e comunicação. Diagnóstico das condicionantes de sítio e terreno. Leitura e análise do contexto urbano. Uso do solo e ocupação. Espaço urbano e meio físico. O projeto como atividade de pesquisa e experimentação. Potencialização da leitura e análise: diagramas e hipóteses projetuais. Diretrizes de ocupação: usos, densidade, gabarito e volumetria. Projeto do edifício e projeto urbano. Arquitetura e entorno. Espaços construídos e espaços livres. Edificação nova e patrimônio edificado. Equipamentos públicos e redes de infraestrutura. Implantação e modelagem topográfica. Definição e qualificação dos acessos. Interfaces dos espaços livres e edificados. Ambiência interna e externa.A indissociabilidade entre forma e materialidade, entre concepção espacial e construtiva. O sistema construtivo entendido na conjunção dos materiais utilizados, do sistema estrutural concebido e das técnicas construtivas aplicadas. Meios de expressão e representação. A apresentação como sistema de comunicação gráfica. Plantas: definição e dimensionamento do programa, articulação funcional e nucleação setorial; acessos e circulações horizontais e verticais. Cortes: instrumento de raciocínio construtivo-espacial. Cobertura e Elevações: sistema de mediação ambiental. Elevações: elemento de identidade e legibilidade urbana. O pormenor construtivo. Perspectiva e fruição espacial. Maquete física e modelagens digitais. Memorial. O sítio eletrônico como locus de comunicação em torno do projeto, auxiliando sua elaboração.
 
 
 
Programa
Arquitetura: cidade e paisagem. A atividade projetual compreendida como ação construtiva do lugar, da cidade, da cultura e do país. A reflexão sobre as demandas sociais. Concepção de projetos de equipamentos, edifícios e espaços livres de uso coletivo, integrantes das redes públicas de educação, cultura, esporte e/ou lazer. A relação entre edificação e espaço urbano, entre projeto e situação. Intervenção na cidade real, em setor urbano com potencial para tornar-se uma centralidade indutora da sociabilidade e estruturadora das regiões envoltórias, consolidadas ou rarefeitas. Desenvolvimento de procedimentos e estratégias visando entender complexidades presentes na cidade existente. A indissociabilidade entre forma e materialidade; concepção espacial e construtiva. O projeto como atividade de pesquisa e experimentação.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas práticas. Visitas de campo e análise das áreas de intervenção. Aulas expositivas e/ou palestras sobre os temas de projeto. Viagens didáticas com visitas programadas a obras arquitetônicas e espaços urbanos referenciais. Discussão de bibliografia e análise de exemplos arquitetônicos, obras e situações urbanas referenciais atuais. Leituras programadas. Atendimentos individuais e coletivos. Seminários intermediários e finais de discussão e avaliação dos trabalhos. Modelos tridimensionais físicos e eletrônicos. Construção de sítio eletrônico como meio de exploração e interlocução em torno de proposições de projeto.
Critério
Aproveitamento nos exercícios práticos, de acordo com os seguintes itens: conceituação, envolvendo análise do sítio, definição do programa, implantação, volumetria e relação com o entorno; coerência entre idéia proposta e desenvolvimento projetual; domínio da linguagem e do repertório arquitetônico; agenciamento dos aspectos espaciais e funcionais; consistência técnico-construtiva; qualidade dos meios de representação e expressão; exposição oral. Participação nas atividades didáticas expositivas e práticas e nos seminários intermediários e finais. A nota deverá ser maior ou igual a 5.0 (cinco).
Norma de Recuperação
Elaboração de projeto individual derivado de um dos exercícios desenvolvidos ao longo do semestre, com nota igual ou superior a 5,0.
 
Bibliografia
     
Bibliografia principal:ARANTES, O. O lugar da arquitetura depois dos modernos. São Paulo: Edusp, 1993.ARGAN, G. C. História da arte como história da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1993.FRAMPTON, K. História crítica da arquitetura moderna. São Paulo: Martins Fontes, 1997.GUIRARDO, D. Arquitetura contemporânea: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2002.MONEO, R. Inquietação teórica e estratégia projetual na obra de oito arquitetos contemporâneos. São Paulo: Cosac Naify, 2009.NESBITT, K. (Org.). Uma nova agenda para a arquitetura: antologia teórica 1965-1995. São Paulo: Cosac Naify, 2006.Bibliografia complementar:ACAYABA, M. Marcos Acayaba. São Paulo: Cosac Naify, 2007.ARTIGAS, R. (Org.). Paulo Mendes da Rocha. São Paulo: Cosac Naify, 2000.–––––––. Paulo Mendes da Rocha: projetos 1999-2006. São Paulo: Cosac Naify, 2007.–––––––. Vilanova Artigas. São Paulo: Instituto Lina Bo e P. M. Bardi; Fundação Vilanova Artigas, 1997.–––––––. João Walter Toscano. São Paulo: UNESP; Instituto Takano, 2002.CAVALCANTI, L.; LAGO, A. C. do. Ainda moderno? Arquitetura brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005.FERRAZ, M. (Org.). Lina Bo Bardi. São Paulo: Instituto Lina Bo e P. M. Bardi, 1993. –––––––. João Filgueiras Lima, Lelé. Lisboa: Editorial Blau, 2000.KIEFER, F. (Org.). Fundação Iberê Camargo: Álvaro Siza. São Paulo: Cosac Naify, 2008.KOOLHAAS, R. S, M, L, XL. New York: Monacelli, 1995.MILHEIRO, A. V.; NOBRE, A. L.; WISNIK, G. Coletivo: arquitetura paulista contemporânea. São Paulo: Cosac Naify, 2006.MONNIER, G. O olhar do estrangeiro. Óculum, FAU-PUCCAMP, Campinas, n. 4, p. 6-15, nov. 1993.MONTANER, J. Museus para o século XXI. Barcelona: Gustavo Gili, 2003.PIÑON, H. Representação gráfica do edifício e construção visual da arquitetura. Arquitextos, São Paulo, v. 104, p. 104.02, jan. 2009. Disponível em: .URSPRUNG, P. Herzog & De Meuron: natural history. Montréal: Canadian Centre for Architecture; Baden: Lars Müller, 2002.Periódicos:2G. Barcelona: Gustavo Gili, 1997-.ARQUITEXTOS. São Paulo: Vitruvius, 2000-. Disponível em: .AU – ARQUITETURA E URBANISMO. São Paulo: Pini, 1985-.EL CROQUIS. Madrid: Croquis, 1982-.FINESTRA. São Paulo: Pro, 1995-2002; Arco, 2003-.L’ARCHITECTURE D'AUJOURD'HUI. Paris: Expansion, 1930-2007.PROJETO DESIGN. São Paulo: Projeto, 1977-1996; Arco, 1996-.SUMMA+. Buenos Aires: Donn, 1993-.
 

Clique para consultar os requisitos para IAU0734

Clique para consultar o oferecimento para IAU0734

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP