Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos
 
Disciplinas do Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos
 
Disciplina: IAU0746 - Paisagismo II
Landscape Architecture II

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2014 Desativação:

Objetivos
A disciplina procura compreender e projetar os espaços livres públicos da cidade, dando especial atenção às relações que se estabelecem entre meio físico e processo de ocupação humana, refletindo acerca dos processos naturais, sociais e culturais na configuração da paisagem. Através da compreensão dos contextos nos quais se inserem projetos de paisagem em diversas cidades brasileiras e do exterior, procura ampliar o repertório do aluno para refletir acerca de intervenções nos espaços livres urbanos. Para tanto, desenvolve uma metodologia preocupada com o processo de leitura dos locais de inserção de projetos, levando em conta informações que desvendam os significados culturais desses lugares na cidade.
 
 
 
Programa Resumido
Compreende leituras programadas a partir da bibliografia básica:, uma primeira com ênfase ambiental, da compreensão da suposta dicotomia entre meio ambiente físico e ocupação urbana; e uma segunda, de apoio para a compreensão e leitura da área de intervenção. O programa inclui ainda: Sobre o significado das ideias de Paisagem e Natureza; Acerca do conflito entre ocupação humana, desenvolvimento e meio ambiente físico; Alphand, Olmsted e Forrestier, os parques urbanos no desenho da cidade; Metodologia e projeto de espaços livres: Leituras Urbanas; Leitura de Projeto: apresentação crítica de exemplos de projetos de parques e praças; Sobre a ideia de um sistema de espaços livres / infraestrutura urbana e lazer.
 
 
 
Programa
Apresentando conceitos básicos a disciplina dá ênfase à associação entre infraestrutura e meio ambiente. Desse modo, busca desenvolver a capacidade de projetar espaços especialmente relacionados aos parques, praças e ruas, através da noção de sistemas de espaços públicos livres urbanos, articulando projetos que associam lazer público à infra-estrutura urbana. Ao investigar a possibilidade de estabelecimento desse sistema, dá-se especial enfoque à problemática relacionada a áreas ambientalmente frágeis e sujeitas as tensões diversas.. Trata ainda de questões como fitogeografia e paisagem; da vegetação, do relevo e dos corpos hídricos como elementos estruturadores do espaço, a chamada a fisionomia da paisagem; a essa elaboração associam-se as fundamentais dimensões histórico-culturais da Paisagem. Compreende leituras programadas: a partir da bibliografia básica, uma primeira com ênfase ambiental, da compreensão da suposta dicotomia entre meio ambiente físico e ocupação urbana; e uma segunda, de apoio para a compreensão e leitura da área de intervenção. O programa inclui ainda: Sobre o significado das ideias de Paisagem e Natureza; Acerca do conflito entre ocupação humana, desenvolvimento e meio ambiente físico; Alphand, Olmsted e Forrestier, os parques urbanos no desenho da cidade; Metodologia e projeto de espaços livres: Leituras Urbanas; Leitura de Projeto: apresentação crítica de exemplos de projetos de parques e praças; Sobre a ideia de um sistema de espaços livres / infraestrutura urbana e lazer.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Os conteúdos do programa são desenvolvidos através de: aulas expositivas; leituras programadas dos aportes teóricos para realização do projeto proposto; seminários de estudos de projetos de referência conformando uma biblioteca virtual de projetos da disciplina, (parques e praças), seminários das sínteses dos trabalhos de levantamento e leitura da área de intervenção; aulas externas, que contemplam visitas a projetos e levantamento de campo das áreas de intervenção e atividades de atelier.
Critério
Os alunos serão avaliados através de média ponderada das notas obtidas em prova, trabalhos e seminários realizados em grupo e individualmente.
Norma de Recuperação
Reelaboração e/ou execução de trabalhos de projeto. Serão considerados/as aprovados/as os alunos/as com nota igual ou superior a cinco (5,0).
 
Bibliografia
     
Bibliografia principal:
CHOAY, Françoise. O Urbanismo. Perspectiva : São Paulo, 2000, (1965).
CULLEN, G. A Paisagem Urbana. São Paulo : Nobel, 1987.
GREATER LONDON COUNCIL. Intruducción al Diseño Urbano. Madrid : Hermann Blume, 1985.
JELLICOE, Geoffrey & Susan. The Landscape of Man. London : Thames and Hudson, 1995.
LAURIE, Michael. Intruducción a la architectura del paisaje. Barcelona : Gustavo Gili, 1983.
LYNCH, K. A imagem da cidade. São Paulo : Martins Fontes, 1997.
SPIRN, Anne W. O Jardim de Granito, a natureza no desenho da cidade. São Paulo : Edusp.
Bibliografia complementar:
AB’SÁBER, Aziz. Os domínios de Natureza no Brasil – potencialidades paisagísticas. São Paulo : Ateliê Editorial, 2003.
BURGESS, Rod; CARMONA, Marisa; KOLSTEE, Theo. The challenge of sustainable cities : neoliberalism and urban strategies in developing countries. London; Atlantic Highlands, N.J. : Zed Books, 1997.
CAUQUELIN, Anne. A Invenção da Paisagem. São Paulo : Martins Fontes, 2007.
CREESE, Walter L. ‘The Boston Fens’, in The Crowning of the American Landscape. Eight Great Spaces and their Buildings. Princenton University Press : Princenton, New Jersey, 1985.
DAL CO, Francesco et alii. De los Parques a la región. Ideologia progressista y reforma de la ciudad americana. In La Ciudad Americana, da guerra civil ao New Deal. Barcelona : Gustavo Gili, 1975.
DEBUS, Allen G. Man and Nature in the Renaissance. Cambridge, NY : Cambridge University Press, 1990, (1978).
GIRARDET, Herbert. Creating sustainable cities. Totnes, Devon: Published by Green Books for The Schumacher Society, 1999.
GOMBRICH, Ernst.“Nature and Art as Needs of the Mind”, (1981) in The Essential Gombrich – Selected Writings on Art and Culture, edited by Richard Woodfield. London : Phaidon Press, 1996.
HOLDEN, Robert. New Landscape Design, Barcelona : Gustavo Gili, 2003.
HOUGH, M. Naturaleza Y Ciudad – Planificación Urbana y Procesos Ecológicos. Barcelona : Gustavo Gili, 1998.
JENKS, Michael; DEMPSEY, Nicola. Future forms and design for sustainable cities. Amsterdam; Boston : Architectural Press, 2005.
LENOBLE, Robert. História da Idéia de Natureza. Edições 70 : Lisboa, 1969.
LYLE, J.T. Design for Human Ecosystems: Landscape, Land-Use and Natural Resources. New York :Van Nostrand Reinhold,1985.
MACHADO, M H. Urbanização e Sustentabilidade Ambiental: questões do território. In Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais n.3, novembro 2000.
MCHARG, Ian. Design with Nature. Philadelphia : Falcon Press, 1969.
MERLEAU – PONTY, Maurice. A Natureza. São Paulo : Martins Fontes, 2000.
MORRIS, A.E.J. Historia de la forma urbana – desde sus orígenes hasta la Revolución Industrial. Barcelona : Gustavo Gili, 1984.
MUNFORD, Lewis. A Cidade na História - suas origens transformações e perspectivas. São Paulo : Martins Fontes / UNB, 1982.
RYCKWERT, Joseph. A Sedução do Lugar. São Paulo : Martins Fontes, 2005.
SALGUEIRO, Heliana A. org. Paisagem e Arte, org Heliana Angoti Salgueiro. São Paulo : CBHA / CNPQ / Fapesp, 2000.
SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço. Técnica e Tempo. Razão e Emoção. São Paulo : Edusp, 2002.
STEENBERGEN, Clemens/ REH, Wouter. Colaboração de SMIENK, Gerrit. Arquitectura y Paysaje – La Proyectación de los Grandes Jardines Europeus. Barcelona : Gustavo GiliTHOMAS, Randall. Sustainable urban design : an environmental approach. London; New York : Spon Press, 2003.
THOMPSON, George F.; STEINER, Frederick R. Ecological design and planning. New York : John Wiley, 1997.
 

Clique para consultar os requisitos para IAU0746

Clique para consultar o oferecimento para IAU0746

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP