Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Instituto de Estudos Brasileiros
 
Instituto de Estudos Brasileiros
 
Disciplina: IEB0246 - A Música do Brasil Independente
Music in Independent Brazil

Créditos Aula: 3
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 75 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2008 Desativação:

Objetivos
Objetivo: Analisar e caracterizar o repertório brasileiro após a chegada da família real no Brasil, em 1808, tendo como focos: o primeiro reinado; o Imperial Conservatório de Música; compositores do Romantismo; a Semana de Arte Moderna; os Manifestos do século XX; as escolas de Camargo Guarnieri e de H. Joachim Koellreutter. Além disso pretende-se abrir espaço para a reflexão sobre as fronteiras entre o popular e o erudito na criação dos compositores do século XX.
 
To analyze and characterize the national repertoire after the arrival of the royal family in Brazil, in 1808. The focuses are on: the first reign; the Imperial Music Conservatoire; composers of the Romantism; the Modern Art Week; the Manifests of the 20th century; the schools of Camargo Guanieri and H. Joachim Koellreutter. Furthermore it is intended to incite consideration regarding the frontiers between ‘popular’ and ‘erudite’ in the production of the 20th century composers.
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
52412 - Flávia Camargo Toni
 
Programa Resumido
Em continuidade a “História da música do Brasil Colônia”, mas sem caracterizar vínculo de pré-requisito, a presente disciplina estuda a produção musical brasileira após a Proclamação da República, tendo em vista as novas estruturas de ensino e divulgação e o realinhamento de ideais artísticos dos compositores.
 
 
 
Programa
• Música na corte de D. João: José Maurício e Cândido Inácio da Silva; Marcos Portugal
• O Imperial Conservatório de Música: Francisco Manuel da Silva; Carlos Gomes
• Leopoldo Miguez, Glauco Velásquez, Henrique Oswald
• Alberto Nepomuceno, Ernesto Nazareth, Francisco Braga, Luciano Gallet
• Villa-Lobos
• O Ensaio sobre música brasileira
• Lourenzo Fernadez, Frutuoso Vianna, Brasílio Itiberê
• Luiz Cosme; Radamés Gnatalli
• Francisco Mignone; Camargo Guarnieri
• Os manifestos
• Cláudio Santoro; Guerra Peixe
• Marlos Nobre; Ricardo Tacuchian; Edino Krieger
• Osvaldo Lacerda, Almeida Prado; Gilberto Mendes
• Mário Ficcarelli; Willy Corrêa de Oliveira
 
 
 
Avaliação
     
Método
Exposição da matéria
Análise de textos
Debates
Audições de registros gravados
Critério
Seminários, provas e participação em sala de aula
Norma de Recuperação
Trabalho escrito
 
Bibliografia
     
19. Bibliografia Básica:
ANDRADE, Mário de. Ensaio sobre música brasileira. S. Paulo: Martins, 1962.
IDEM. Danças dramáticas do Brasil. Ed. Org. por Oneyda Alvarenga. 2ª. Ed. B Horizonte: Itatiaia; Brasília: INL, 1982. 3 vols.
IDEM. O Banquete. S. Paulo: Duas Cidades, 1977.
AZEVEDO, Luis Heitor Correa de. 150 anos de música no Brasil. R. Janeiro: J. Olympio, 1956.
IDEM. Música e músicos do Brasil. R Janeiro: Casa do Estudante, 1950.
BERNARDES, Ricardo (org.). Música Erudita Brasileira: Textos do Brasil, n. 12. Ministério das Relações Exteriores, 2006.
CASTRO, Marcos Câmara de. Fructuoso Vianna: Orquestrador do Piano. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, 2003.
COLI. Jorge. Música Final. Campinas: Ed. Da Unicamp, 1998.
FRANCATO, Adriana. Asmathour (1971) – para coro e percussão – de G. Mendes: uma abordagem analítica do uso de contrastes de densidade e de intensidade. Revista Opus, n. 11, p. 140-152.
Disponível em: www.anppom.com.br/opus/opus11/F_AdrianaFrancato.pdf
GÓES, Marcus. Carlos Gomes: a força indômita. Belém: Secult, 1996.
GUÉRIOS, Paulo Renato. Heitor Villa-Lobos e o ambiente artístico parisiense: convertendo-se em um músico brasileiro. Mana, 9(1): 81-108, 2003. Disponível em: www.scielo.br/pdf/mana/v9n1/a05v09n1.pdf.
KATER, Carlos. Música Viva e H. J. Koellreutter. São Paulo: Musa Editora: Atravez, 2001.
KIEFER, Bruno. História da música brasileira. Porto Alegre: Movimento, 1976.
MARIZ, Vasco. Três musicólogos brasileiros. Rio de Janeiro: Civ. Brasileira; Brasília: INL, 1983.
MARIZ, Vasco. História da Música no Brasil. Rio de Janeiro: Civ. Brasileira, 1981.
MARTINS, José Eduardo. Henrique Oswald. S. Paulo: EDUSP, 1995.
NAPOLITANO, Marcos. A música popular brasileira (MPB) dos anos 70: resistência política e consumo cultural. Disponível em http://www.hist.puc.cl/historia/iaspmla.html
NAPOLITANO, Marcos, e WASEERMAN, Maria Clara. Desde que o samba é samba: a questão das origens no debate historiográfico sobre a música popular brasileira. Revista Brasileira de História, v. 20, n. 39, S Paulo, 2000, p. 167-179, disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbh/v20n39/2985.pdf
NAVES, Santuza Cambraia. Da Bossa Nova à Tropicália. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 15, n. 43, jun. 2000, p.35-44.
Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v15n43/003.pdf
NEPOMUCENO, Alberto. 15 manuscritos para canto. Org. Rosa Maria Zamith. Rio de Janeiro: Funarj, 2000.
NEVES, José Maria. Música Contemporânea Brasileira. S. Paulo: Ricordi, 1981.
PRADO, Décio de Almeida. Três movimentos (musicais) em torno de 1930. Disponível em www.usp.br/revistausp/n4novo/fdeciotexto.html
SKEFF, Enio. O nacional e o popular na cultura brasileira. S Paulo: Brasiliense, 1982.
TINHORÃO, José Ramos. História Social da Música Popular Brasileira. São Paulo: Ed. 34, 1998.
VERMES, Mónica. Alguns aspectos da música sacra no Rio de Janeiro no final do século XIX. Departamento de Artes da UFPr. Revista Eletrônica de Musicologia. Vol. 5, no. 1 / Junho de 2000
IDEM. Por uma renovação do ambiente musical brasileiro: o relatório de Leopoldo Miguez sobre os conservatórios europeus. Revista eletrônica de musicologia, vol. 8, dez. 2004
WISNIK, José Miguel. O coro dos contrários. S. Paulo: Duas Cidades: SCCT, 1977
ZAGO, Rosemara Staub de Barros. Bastidores da criação musical de Gilberto Mendes. Revista Eletrônica de Musicologia, Vol. 5, no. 1 / Junho de 2000Departamento de Artes da UFPr.
 

Clique para consultar os requisitos para IEB0246

Clique para consultar o oferecimento para IEB0246

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP