Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Instituto de Estudos Brasileiros
 
Instituto de Estudos Brasileiros
 
Disciplina: IEB0258 - Formas da Canção Popular Brasileira: 1930-1985
Forms of Brazilian Popular Song: 1930-1985

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2011 Desativação:

Objetivos
Analisar e interpretar as principais formas da canção popular brasileira desde o primeiro governo de Getúlio Vargas até o fim dos governos militares. Refletir sobre a experiência histórica brasileira sintetizada nas várias formas de canção, por meio da leitura de comportamentos e de valores cantados em obras modelares. Reconhecer as especificidades da linguagem da canção, estudando-a em relação à música e à literatura. Estudar o processo de realização das canções populares (produção-difusão-consumo), pesquisando as relações entre cultura popular tradicional, cultura letrada e indústria cultural num período marcado pelo crescimento industrial e pela urbanização.
 
To analyze and interpret the main forms of Brazilian popular song from Getulio Vargas´ first government to the end of the military regime. To ponder on the Brazilian historical experience synthesized in various forms of songs through the exam of the behaviors and values chanted in exemplary compositions. To recognize the specificities of the language of song in comparison to music and literature. To study the process of popular song realization (production-diffusion-consumption) as are researched the traditional popular culture relations with literate culture and cultural industry during a period marked by industrial growth and urbanization.
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
1853060 - Walter Garcia da Silveira Junior
 
Programa Resumido
A disciplina analisa e interpreta obras que sintetizaram diversos aspectos da experiência brasileira no período, estudando tanto as especificidades da canção popular no âmbito da indústria cultural (desde a sua implementação até a consolidação do mercado fonográfico) quanto as relações da canção comercial com a cultura popular tradicional e a cultura letrada.
 
 
 
Programa
A vida comunitária, o nacional-popular e os influxos externos na produção de canções.
Os sambas produzidos no Rio de Janeiro até 1945 e a construção da identidade brasileira.
Dorival Caymmi, Luiz Gonzaga, as tradições orais do Nordeste e o mercado incipiente da canção popular.
As classes baixas, as classes médias urbanas e a canção de rádio no pós-45.
João Gilberto, Tom Jobim e a bossa nova.
Relações entre a letra de canção e o poema; Vinicius de Moraes.
Relações entre a canção e outras formas culturais (teatro, cinema, artes plásticas, jornalismo, publicidade e propaganda) no pré e no pós-64.
Canção popular e Modernismo (Mário de Andrade, Villa-Lobos, Oswald de Andrade, Manuel Bandeira, Carlos Drummond, João Cabral, Guimarães Rosa, poetas concretos).
A televisão como veículo de difusão da canção popular.
Chico Buarque, Edu Lobo, Geraldo Vandré, a canção de protesto e a MPB.
A jovem guarda, a canção cafona e a sociedade urbana no pós-64.
Cartola, Rosa de Ouro, Paulinho da Viola e o samba durante os governos militares.
Caetano Veloso, Gilberto Gil, Tom Zé e a tropicália.
Milton Nascimento e o Clube da Esquina.
A censura política e a consolidação do mercado fonográfico durante os governos militares.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Exposição teórica. Audição e análise de obras fonográficas. Discussões em sala de aula das leituras programadas. Apresentação, para análise crítica, de programas televisivos ou filmes cinematográficos.
Critério
Participação em sala de aula. Seminários. Prova ou trabalho escrito.
Norma de Recuperação
Realização de trabalho escrito ou de prova na época discriminada pela Pró-Reitoria de Graduação.
 
Bibliografia
     
ADORNO, Theodor W. Theodor W. Adorno. Org. Gabriel Cohn; trad. Flávio R. Kothe, Aldo Onesti e Amélia Cohn. São Paulo: Ática, 1986.
___________________. Prismas: crítica cultural e sociedade. Trad. Augustin Wernet e Jorge M. B. de Almeida. São Paulo: Ática, 1998.
ANDRADE, Mário de. Música, doce música. São Paulo: Martins, 1963.
_________________. Aspectos da música brasileira. Belo Horizonte/ Rio de Janeiro: Villa Rica, 1991.
BAHIANA, Ana Maria. Nada será como antes: MPB nos anos 70 – 30 anos depois. Ed. revista. Rio de Janeiro: Ed. Senac Rio, 2006.
BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas: magia e técnica, arte e política. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. 7a ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.
_________________ et alii. Os pensadores. Trad. Luiz João Baraúna; rev. João Marcos Coelho. São Paulo: Abril Cultural, 1975.
CAMPOS, Augusto de. Balanço da bossa e outras bossas. 4ª ed. São Paulo: Perspectiva, 1986.
CANDIDO, Antonio, “Radicalismos” e “Uma palavra instável”. In: Vários escritos. 3ª ed. São Paulo: Duas Cidades, 1995. pp. 265-305.
________________, “Dialética da malandragem”. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, no 8. São Paulo, IEB-USP, 1970. pp. 67-89.
CHAUÍ, Marilena. O nacional e o popular na cultura brasileira: Seminários. São Paulo: Brasiliense, 1983.
COLEÇÃO REVISTA DA MÚSICA POPULAR. Rio de Janeiro: Funarte/ Bem-Te-Vi, 2006.
CONTIER, Arnaldo D. “Modernismos e brasilidade: música, utopia e tradição”. In: NOVAES, Adauto (org.), Tempo e história. São Paulo: Companhia das Letras/ Secretaria Municipal de Cultura, 1992. pp. 259-287.
DIAS, Marcia Tosta. Os donos da voz: indústria fonográfica brasileira e mundialização da cultura. 2ª ed. São Paulo: Boitempo/ Fapesp, 2008.
DUARTE Paulo Sergio & NAVES, Santuza Cambraia (org.). Do samba-canção à tropicália. Rio de Janeiro: Relume Dumará/ Faperj, 2003.
FAVARETTO, Celso. Tropicália: alegoria, alegria. 2ª ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 1996.
GARCIA, Walter. Bim Bom: a contradição sem conflitos de João Gilberto. São Paulo: Paz e Terra, 1999.
GASPARI, E., HOLLANDA, H. B. & VENTURA, Z. Cultura em trânsito: da repressão à abertura. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2000.
GOMES, Paulo Emílio Salles. Cinema: trajetória no subdesenvolvimento. 2a ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.
HISTÓRIA DA VIDA PRIVADA NO BRASIL, volume 4 (Contrastes da intimidade contemporânea). Coordenador-geral da coleção: Fernando A. Novais; organizadora do volume: Lilia Moritz Schwarcz. 2ª reimpr. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.
MAMMÌ, Lorenzo, “João Gilberto e o projeto utópico da bossa nova”. Novos Estudos Cebrap, no 34. São Paulo, Cebrap, nov.1992. pp. 63-70.
MENESES, Adélia Bezerra de. Desenho mágico: poesia e política em Chico Buarque. 2a ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2000.
MELLO, Zuza Homem de. Eis aqui os bossa-nova. São Paulo: Ed. WMF Martins Fontes, 2008.
MORAES, José Geraldo Vinci de. “História e música: canção popular e conhecimento histórico”. Revista brasileira de história nº 38, versão eletrônica. http://www.scielo.br/pdf/rbh/v20n39/2987.pdf.
MORAES, Vinicius de. O samba falado (crônicas musicais). Org. Jost Miguel, Sérgio Cohn & Simone Campos. Rio de Janeiro: Beco do Azouge, 2008.
NAPOLITANO, Marcos. A síncope das idéias: a questão da tradição na música popular brasileira. São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo, 2007.
NOVAES, Adauto (org.). Anos 70: ainda sob a tempestade. Rio de Janeiro: Aeroplano/ Ed. Senac Rio, 2005.
OLIVEIRA, Francisco de. Crítica à razão dualista/ O ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2003.
ORTIZ, Renato. A moderna tradição brasileira: cultura brasileira e indústria cultural. 5ª ed., 3ª reimpr. São Paulo: Brasiliense, 2001.
RISÉRIO, Antonio. Caymmi: uma utopia de lugar. São Paulo: Perspectiva/ Salvador: Copene, 1993.
SANDRONI, Carlos. Feitiço decente: transformações do samba no Rio de Janeiro (1917-1933). Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed./ Ed. UFRJ, 2001.
SAROLDI, Luiz Carlos & MOREIRA, Sonia Virgínia. Rádio Nacional: o Brasil em sintonia. 2a ed. Rio de Janeiro, Martins Fontes/ Funarte, 1988.
SCHWARZ, Roberto, “Nota sobre vanguarda e conformismo” e “Cultura e política, 1964-69”. In: O pai de família e outros estudos. 2ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978. pp. 43-48; 61-92.
SQUEFF, Enio & WISNIK, José Miguel. O nacional e o popular na cultura brasileira: Música. 2ª ed., 1ª reimpr. São Paulo: Brasiliense, 2001.
SODRÉ, Muniz. Samba, o dono do corpo. 2ª ed. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.
TATIT, Luiz. O cancionista. São Paulo: Edusp, 1996.
TINHORÃO, José Ramos. Música popular: um tema em debate. 3a ed., revista e ampliada. São Paulo: Ed. 34, 1997.
_____________________. História social da música popular brasileira. São Paulo: Ed. 34, 1998.
TOM ZÉ. Tropicalista lenta luta. São Paulo: Publifolha, 2003.
TONI, Flávia Camargo (org.). A música popular brasileira na vitrola de Mário de Andrade. São Paulo: Ed. Senac São Paulo, 2004.
VÁRIOS, “Dossiê música brasileira”. Revista USP, nº 4. São Paulo, USP, dez./jan./fev. 1989/90.
VASCONCELLOS, Gilberto. Música popular: de olho na fresta. Rio de Janeiro: Graal, 1977.
VELOSO, Caetano. Verdade tropical. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.
WISNIK, José Miguel. Sem receita. São Paulo: Publifolha, 2004.
 

Clique para consultar os requisitos para IEB0258

Clique para consultar o oferecimento para IEB0258

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2022 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP