Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
 
Ciências Florestais
 
Disciplina: LCF0491 - Ecologia Florestal
Forest Ecology

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2024 Desativação:

Objetivos
Fornecer ao aluno os conhecimentos de ecologia necessários para analisar a estrutura e o funcionamento dos ecossistemas terrestres e principalmente das florestas, bem como sua importância e evolução no espaço e ao longo do tempo. Capacitar o aluno de Engenharia Florestal para desenvolver estudos de ecologia básica e aplicada em ecossistemas florestais e para relacionar a matéria ministrada com o desenvolvimento das práticas do bom manejo florestal.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
374151 - Ciro Abbud Righi
 
Programa Resumido
Finalidade da ecologia e da ecologia florestal, sua história e relevância para a humanidade. A estrutura dos principais ecossistemas terrestres. Descrição e classificação dos ecossistemas florestais brasileiros. O fluxo de energia nos sistemas ecológicos. As florestas e os ciclos biogeoquímicos e da água. Fatores limitantes e adaptação das espécies arbóreas. Ecologia de populações e de comunidades. Elementos de fitossociologia. Desenvolvimentos dos ecossistemas, sucessão e clímax em florestas. Noções de ecologia da paisagem. Impactos humanos sobre os ambientes naturais e suas consequências na sustentabilidade. Desmatamento, queimadas, fragmentação florestal. Serão realizadas duas excursões nas quais estudantes travarão contato direto com dois dos principais biomas brasileiros – 1. o cerrado (Cachoeira de Emas) e 2. a Mata Atlântica (Estação Ecológica de Juréia-Itatins). Nesses locais serão conduzidos estudos do meio e verificação da vegetação e seus gradientes além de avaliação da biodiversidade e estrutura da comunidade vegetal. Além disso, durante a visita ao bioma da Mata Atlântica, os estudantes terão oportunidade de conversar com os agentes públicos (funcionários da Reserva) e moradores locais que fazem uso dos recursos locais. Em ambos os locais os estudantes terão auxílio de monitores locais especialmente contatados e que auxiliarão nas diferentes atividades.
 
Purpose of ecology and forest ecology, its history and relevance for humanity. The structure of the main terrestrial ecosystems. Description and classification of Brazilian forest ecosystems. The flow of energy in ecological systems. Forests and biogeochemical and water cycles. Limiting factors and adaptation of tree species. Ecology of populations and communities. Elements of phytosociology. Ecosystem developments, succession and climaxes in forests. Notions of landscape ecology. Human impacts on natural environments and their consequences on sustainability. Deforestation, fires, forest fragmentation. Two excursions will be carried out in which students will have direct contact with two of the main Brazilian biomes – 1. the cerrado (Cachoeira de Emas) and 2. the Atlantic Forest (Ecological Station of Juréia-Itatins). In these places, studies of the environment and verification of the vegetation and its gradients will be conducted, as well as an assessment of the biodiversity and structure of the plant community. In addition, during the visit to the Atlantic Forest biome, students will have the opportunity to talk with public agents (Reserve employees) and local residents who make use of local resources. In both places, students will have the help of local monitors who have been specially contacted and who will help with the different activities.
 
 
Programa
Aulas teóricas:
1. Conceitos de Ecologia e Ecologia Florestal e sua aplicação no manejo florestal. Os fatores do ambiente. Vegetação e zonas climáticas da Terra. Adaptações das plantas ao clima e ao solo. Principais formações vegetais brasileiras. Os ecossistemas amazônicos, o Cerrado, a Caatinga, a Mata Atlântica, as florestas sazonais do interior, as matas de Araucária e o complexo do Pantanal. Adaptação das espécies arbóreas às condições edáficas.
2. Conceitos de populações, comunidades, ecossistemas e biosfera. Habitat e nicho ecológico. O ecossistema e suas características. Ecossistemas autotróficos e heterotróficos. O ecossistema da floresta: sua estrutura e funcionamento. Características das populações e das comunidades florestais. Interações dos seres vivos na floresta. Biodiversidade. Capacidade de suporte do meio e sustentabilidade dos ecossistemas. Características e evolução dos agroecossistemas: aspectos ecológicos e sociais.
3. O fluxo de energia na floresta. Características da radiação solar. Produtividade primária e secundária nos ecossistemas florestais. Conceitos de biomassa florestal, eficiência fotossintética e incremento florestal. Funcionamento da cadeia alimentar nos ecossistemas. A cadeia de detritos na floresta. Conceito de eficiência ecológica dos ecossistemas.
4. O ciclo da água e dos nutrientes na biosfera e nas florestas. Conceito de bacia hidrográfica. O papel das florestas no ciclo da água e sua importância na sustentabilidade dos recursos hídricos e na movimentação dos nutrientes. O ciclo de nutrientes: ciclos gasosos e sedimentares. Transferências de nutrientes no ecossistema e sua importância no manejo das florestas.
5. Radiação Solar: características qualitativas e quantitativas. Alterações da radiação solar na floresta e seu reflexo sobre a atividade fotossintética das plantas nos diferentes estratos da comunidade. Comportamento das espécies arbóreas em relação à luminosidade. Características das espécies pioneiras e tolerantes à sombra. Fixação do carbono em florestas.
6. Sucessão florestal. Conceitos de sucessão primária e secundária. Sucessão autotrófica e heterotrófica. Tendências da sucessão ecológica. Conceito de estágio seral, clímax e disclimax. Bioenergética do desenvolvimento do ecossistema florestal. Relação entre fotossíntese e respiração. Dinâmica florestal de regeneração de clareiras.
7. Conceitos de fitossociologia. Densidade, frequência, dominância e valor de importância das diferentes espécies arbóreas na comunidade florestal. Índices de similaridade e de diversidade. Aplicabilidade dos conceitos fitossociológicos ao manejo das florestas nativas.
8. A intervenção do homem sobre as florestas nativas e suas consequências. O desmatamento e seus reflexos no equilíbrio ecológico. Características dos fragmentos florestais e efeito de borda. Queimadas e expansão da fronteira agrícola: aspectos ambientais. A destruição das matas ciliares e dos recursos hídricos. Importâncias das áreas de preservação. Noções sobre recuperação de áreas degradadas. Princípios de ecologia da paisagem. Ecologia aplicada ao manejo das plantações florestais para fins comerciais. A importância da legislação ambiental.
Aulas práticas:
Estudo do habitat florestal e dos componentes da vegetação. Relações dendrométricas das árvores da floresta: forma específica e forma florestal. Representação da estrutura horizontal e vertical da floresta. Análise microclimática do habitat: radiação solar, temperatura, umidade do ar e do solo. Estudo do ecossistema do cerrado (Viagem para o cerrado de Cachoeira das Emas-SP - viagem estruturante). Fenologia de espécies florestais. Medição dos índices relativos de radiação solar e de cobertura do dossel em florestas. Ciclagem de nutrientes: em florestas e plantações florestais. Estimativa do estoque de nutrientes na serapilheira. Avaliação da regeneração natural em florestas. Observação da mesofauna do solo. Exercícios de fitossociologia. Estudo dos ecossistemas da Mata Atlântica: restinga, mangue, mata de planície e mata de encosta (Viagem para a Mata Atlântica no Parque Estadual da Serra do Mar-SP – viagem estruturante).
 
 
 
Avaliação
     
Método
Sendo a disciplina ministrada através de aulas teóricas e práticas de campo, serão aplicas duas provas (parcial - PP e final - PF) referentes às aulas teóricas, além de "provinhas" semanais no início de cada aula. Serão exigidos também relatórios referentes às práticas de campo e apresentação de seminários.
Critério
Média das provas (Parcial – PP e Final - PF, peso 7)
Média das provinhas (PR peso 1)
Média dos relatórios das práticas e seminários (RT peso 2)
MF= {[((PP+PF)÷2)x7]+[(Somat.PR÷n)x1]+ [(Somat.RT÷n)x2]}÷10
Norma de Recuperação
Prova escrita versando sobre toda a matéria ministrada (teoria e prática).
 
Bibliografia
     
-BARNES, B. V. et al. Forest Ecology. N. York, John Wiley & Sons, 1998. 687p.
-DURIGAN, G. et. al. Plantas do Cerrado Paulista São Paulo. Páginas & Letras Ed., 2004. 475p.
-FEARNSIDE, P. M. Desmatamento na Amazônia: dinâmica, impactos e controle. Acta Amazônica,
Manaus, v.36, n.3, p.395-400, 2006.
-FERRI, M. G. Vegetação brasileira. São Paulo, EDUSP, 1980. 157p.
-HUECK, K. As Florestas da América do Sul. São Paulo, Ed. Polígono, 1972. 466p.
-LORENZI, H. Árvores brasileiras. Nova Odessa, Ed. Plantarum, 1992. 352p.
MARTINS, S. V. (Ed.) Ecologia de Florestas tropicais do Brasil. Viçosa (MG) Editora UFV, 2009.261p.
-ODUM, E. P.; BARRET, G. W. Fundamentos de Ecologia. Thomson Learning. São Paulo, 2007. 612p.
-PINTO-COELHO, R. M. Fundamentos de Ecologia. Artmed Ed., 2000. 252p.
-POGGIANI, F. Ecologia Florestal. Práticas. Piracicaba. ESALQ/USP, 2009. 46p.
-RAMOS, V. S. et al. Árvores da Floresta Estacional Semidecidual: Guia de Identificação de Espécies. São Paulo. EDUSP. Biota FAPESP, 2008. 320p.
-RICKLEFS, E. R. Economia da natureza. Ed. Guanabara, 1993. 470p.
-RIZZINI, O. T. Tratado de fitogeografia do Brasil. São Paulo, EDUSP, 1979.
-RODRIGUES, R. R. et. al. (Ed.) Matas ciliares: conservação e recuperação. São Paulo, EDUSP, 2000. 320p.
-SIOLI, H. “Amazônia” Fundamentos da ecologia da maior região de florestas tropicais. Vozes, R. de Janeiro. 1985. 72p.
-TOWNSEND, C. R.; BEGON, M.; HARPER, J. L. Fundamentos em Ecologia. 2ª. |Ed. - Porto Alegre
-WALTER, H. Vegetação e zonas climáticas. São Paulo, Editora Pedagógica Universitária. 1986. 325p.
 

Clique para consultar os requisitos para LCF0491

Clique para consultar o oferecimento para LCF0491

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2024 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP