Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
 
Economia Administração e Sociologia
 
Disciplina: LES0315 - Metodologia do Ensino em Ciências Biológicas
Teaching Methods in Biological Sciences I

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 3
Carga Horária Total: 150 h ( Estágio: 60 h , Práticas como Componentes Curriculares = 30 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2020 Desativação:

Objetivos
De forma intrínseca a atividade de estágio prevista na disciplina, esta tem como objetivo apresentar as bases teóricas das metodologias específicas das Ciências/Biologia e sua relação com conhecimentos construtivistas e da pedagogia geral, a fim de que o educador seja capaz de optar, de forma autônoma, pelas metodologias mais adequadas ao seu contexto. Em constante reflexão sobre a relação teoria-prática em aula, a disciplina inclui a realização de um estágio docência na escola que inclui a gestão pedagógica da sala de aula e da escola. São objetivos da disciplina levar os estudantes a compreenderem, refletirem e apropriarem-se de um saber necessário para preparar e conduzir aulas em que se considere o papel do professor, do estudante e da escola, bem como da área das Ciências/Biologia, na democratização dos conhecimentos em uma sociedade que vise ser inclusiva e justa.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
5553650 - Vânia Galindo Massabni
 
Programa Resumido
Contextualização das metodologias específicas de Ciências/Biologia. O papel do professor na definição da metodologia na elaboração da própria prática na escola. Abordagem tradicional e construtivismo no ensino de Ciências. Relação teoria-prática e o papel do professor e da escola na aprendizagem significativa em Ciências. Análise, escolha e desenvolvimento das metodologias de ensino em ciências biológicas e ciências, considerando propostas e materiais didáticos existentes ou elaborados pelo estudante. Estágio (observação, participação e regência) visando o desenvolvimento profissional. Inclui PCC (prática como componente curricular). Apresentação dos projetos de estágio em aula, para aprimoramento.
 
Analysis, selection and development of teaching practices in biological sciences; Theoretical and practical background for a high school Professor seeking professional autonomy.
 
 
Programa
1.Conteúdo teórico-prático: Contextualização das metodologias específicas. O triângulo pedagógico para compreender o papel do professor na definição da metodologia na elaboração da própria prática na escola. Abordagem tradicional e a formação de professores de Ciências e a aprendizagem significativa. O construtivismo no ensino de Ciências. Tipos de conhecimento e suas relações com as metodologias de ensino de ciências e as ciências biológicas; relações entre a Ciência e) O ensino da Ciência, a aprendizagem, suas dificuldades e problemas na atualidade, nas escolas; currículo e conteúdos da área na escola e avaliação; concepções sobre Ciências; diversidade metodológica e autonomia dos professores; perspectivas da construção do conhecimento e o pensamento dos alunos, direcionando metodologias de ensino dialógicas e criativas (tirar- a escola e do professor na sociedade e o ensino de Ciências;), O uso de atividades práticas e experimentação em projetos e atividades de preparação para o trabalho em sala de aula, considerando as características dos alunos, o contexto de atuação e o papel do ensino da área; a elaboração, análise e uso de materiais didáticos; relação do projeto político pedagógico e prática de ensino de Ciências/Biologia); a gestão da aula (tempos e espaços escolares), de forma a organizar situações construtivas no ensino- aprendizagem de Ciências/Biologia. Inclui PCC (prática como componente curricular) no levantamento dos materiais didáticos e análise dos conteúdos curriculares na escola. 2.Estágio supervisionado: Estágio de prática de ensino supervisionado na educação básica. Observação, participação e regência em grupos de trabalho na escola. Análise da escola, variedade didática no ensino de Ciências, materiais didáticos e processos pedagógicos. Apresentação dos projetos de estágio. Acompanhamento do professor supervisor na elaboração de projeto, materiais e planos necessários às aulas de estágio, em colaboração com o campo de estágio; vivência na escola nos anos finais do ensino fundamental ou no ensino médio e reconhecimento das atividades de gestão do ensino na escola. Registro reflexivo das atividades de estágio, a ser entregue em relatório final.
 
 
 
Avaliação
     
Método
A avaliação envolverá: Nota 1= realização de um projeto de estágio supervisionado em prática de ensino, um relatório deste estágio e a apresentação do mesmo. Nota2= Entrega de atividades, assiduidade e participação; comporá esta nota uma apresentação de aula na universidade. Nota 3= uma prova escrita.
Critério
Será aprovado o aluno que tiver nota igual ou superior a cinco na média final, desde que realizado o estágio com aulas dadas. A composição da nota final (Média) é realizada com 3 notas, sendo: peso 1 para Trabalhos e atividades, peso 2 para o Projeto e também peso 2 para a prova escrita. O desenvolvimento e o relatório do projeto bem como as aulas de estágio serão avaliados segundo critérios qualitativos e quantitativos (horas) relativos ao planejamento de ensino e respeito aos prazos estabelecidos. As atividades de Estágio Supervisionado constam como crédito-trabalho e incluem as atividades em escolas.Para ser aprovado o aluno deverá entregar e realizar as aulas previstas em seu Projeto de Estágio.
Norma de Recuperação
não há
 
Bibliografia
     
ASTOLFI, J; DEVELAY, M. A Didática das Ciências. 4 ed. Campinas: Papirus, 1995. BIZZO, N. Ensinar ciências na escola. In: Ciências: fácil ou difícil? São Paulo: Ática, 1998. BORDENAVE, J.D. e PEREIRA, A.M. Estratégias de Ensino – aprendizagem. Petrópolis: Vozes, 1977. BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2000. (disponível em: www.mec.gov.br) BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC/SEMTEC, 1999. CARVALHO, A.M.P. de GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de ciências: tendências e inovações. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2000. CHEVALLARD, Y. Sobre a teoria da transposição didática: algumas considerações introdutórias. Revista de Educação, Ciências e Matemática, v. 3, n. 2, 2013, p. 1-14. Trad. Cleonice Puggian. CUNHA, M.I. O bom professor e sua prática. Campinas: Papirus, 1989. FREITAS, L.C. Avaliação: construindo o conceito. Ciência & Ensino, n. 3, 16 – 19, 2007. GIMENO SACRISTÁN, J. Consciência e acção sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: Nóvoa, A. (Org.) Profissão professor. Porto: Porto Editora, 1995. GIMENO SACRISTÁN, J. e PÉREZ GÓMEZ, A. I. Compreender e transformar o ensino. 4 ed. Porto Alegre: Artmed, 2000 GIMENO SÁCRISTAN, J. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. Ed. Porto Alegre: ArtMed, 2000. (cap. 6 e 9) KRASILCHICK, M. Prática de ensino de Biologia. Cap. 1, 3, 4 e 8. 3. ed. São Paulo: EDUSP, 2008. KRASILCHICK, M. Reformas e realidade: o caso do ensino das Ciências. São Paulo em Perspectiva, n. 14, v. 1, 85-93, 2000. MASSABNI, V. G. A compreensão do fenômeno da condensação: uma experiência em sala de aula. In: Cilene Ribeiro de Sá Leite Chakur. (Org.). CHAKUR, C. R. S. L. (Org.) O Construtivismo na Pesquisa: investigando professores e alunos. 1ed.Curitiba: CRV, 2009, v. 1, p. 101-116 MASSABNI, V. G.. O construtivismo na prática de professores de ciências: realidade ou utopia?. Ciências & Cognição (UFRJ), v. 10, p. 104-114, 2007 NÓVOA, A. O passado e o presente dos professores. In: Nóvoa, A. (Org.) Profissão professor. Porto: Porto Editora, 1995 OLIVEIRA, M.B. A crise e o ensino de Ciências. Educ. Soc, v. 19, n. 62, v. 4, abr 1998, p. 151 -172. OLIVEIRA, M.T.M. Didáctica da Biologia. Lisboa: Universidade Aberta, 1991. PIAGET, J. O ensino de Ciências. In: PIAGET, J. Para onde vai a educação? 13 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1996, p. 12 a 22. PIMENTA, S.G. e LIMA, M.S.L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004. POZO, J. I. e CRESPO, M. A. G, A aprendizagem e o ensino de ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico, 5ª Ed., Porto Alegre: Artmed, 2009. São Paulo (Estado). Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Biologia. Coord. Maria Inês Fini, São Paulo.2008 SÃO PAULO. Secretaria de Estado de Educação (2011). Currículo do Estado de São Paulo: Ciências da Natureza e suas tecnologias. Disponível: Acesso em: 29/05/11. SÃO PAULO. Secretaria de Estado de Educação (2011). Currículo do Estado de São Paulo: Biologia. Disponível: http://www.rededosaber.sp.gov.br/portais/Portals/18/arquivos/Prop_BIO_COMP_red_md_20_03.pdf TORRES, R.M. Melhorar a qualidade da educação básica? As estratégias do Banco Mundial. In: TOMMASI, L. de; WARDE, M.J.; HADDAD, S. (orgs). O Banco Mundial e as políticas educacionais. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2007, p. 125 – 193 VEIGA, I.P.A. (Org.) Técnicas de ensino: por que não? 13. ed. Campinas: Papirus, 2002. ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: ArtMed, 1998.
 

Clique para consultar os requisitos para LES0315

Clique para consultar o oferecimento para LES0315

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP