Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
 
Economia Administração e Sociologia
 
Disciplina: LES0521 - Socioantropologia da Alimentação
Anthropology of Food

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 1
Carga Horária Total: 90 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2020 Desativação:

Objetivos
Fornecer aos alunos subsídios para: identificar os componentes sociais e culturais da alimentação; entender a evolução do processo alimentar e dos hábitos alimentares de diferentes sociedades e grupos; avaliar os condicionantes do acesso aos alimentos e os impactos do sistema ciência-tecnologia, característico da sociedade ocidental, no consumo de alimentos; discutir novas alternativas para os sistemas alimentares.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
1261309 - Paulo Eduardo Moruzzi Marques
 
Programa Resumido
Conceitos teóricos de referência: homem, sociedade e cultura. A evolução no processo alimentar e as histórias naturais, técnica, econômica, social e cultural. Hábitos e concepções alimentares. O impacto do sistema ciência-tecnologia no consumo alimentar. Riscos alimentares. Segurança e soberania alimentar e novos paradigmas da alimentação.
 
Theoretical concepts on man, society and culture; Food process evolution and natural, technical, economic, social and cultural history; Food habit and ideology; Science and technology impact on food consumption.
 
 
Programa
1. Conceitos sócio-antropológicos de referência: socialização e cultura. 2. A evolução do processo alimentar: os primórdios da alimentação e as histórias naturais, material e técnica, econômica, social e cultural. 3. Alimentação e relações sociais; a) gênero, comida e afeto; b) os rituais na alimentação; comensalidade e gastronomia. 4. Hábitos e concepções alimentares. a) a vaca sagrada na Índia; b) as restrições à carne de porco; c) tradições alimentares relativas ás características dos alimentos e às condições ambientais. 5. A alimentação no Brasil: a) as origens da cozinha brasileira; b) alimentação nos meios rural e urbano; c) o atual padrão alimentar brasileiro. 6. O impacto do sistema ciência-tecnologia no consumo de alimentos. a) produção de alimentos, tecnologia e ambiente; b) homogeneização e/ou diversificação dos hábitos alimentares na globalização; c) Permanências e transformações da alimentação contemporânea; d) Riscos alimentares 7) Segurança e soberania alimentar: a) concepções concorrentes sobre o abastecimento alimentar e o combate contra a fome; b) ações públicas fundadas em segurança e/ou soberania alimentar; c) o papel da agricultura familiar para a alimentação 8) Novos paradigmas da alimentação. Em defesa da comida. O movimento Slow Food. Iniciativas em favor de circuitos curtos para o acesso ao alimento; O ativismo alimentar pelo locavorismo.
 
 
 
Avaliação
     
Método
O aluno é avaliado através de tarefas semanais, a apresentação de um seminário fundado em pesquisa qualitativa e exercício de redação sobre os temas estudados.
Critério
Será considerado aprovado o aluno que obtiver média considerando-se: N= (média das tarefas semanais com peso 0,1) + (nota do seminário com peso 0,3) + (nota do exercício de redação com peso 0,6).
Norma de Recuperação
Uma prova com toda a matéria dada.
 
Bibliografia
     
ASSIS, A.M.O. e col. (1999), Bró, caxixe e ouricuri: estratégias de sobrevivência no semi-árido baiano. Revista de Nutrição, Campinas, v.12, n.2, p.159-166, maio/ago. AZEVEDO, Elaine (2015). O ativismo alimentar na perspectiva do locavorismo. Ambiente & Sociedade, 18(3), 81-98. BERGER, P. e BERGER, B (1977). Socialização: como ser um membro da sociedade. In FORACCHI, M. L. e MARTINS, J.S. Sociologia e sociedade. RJ: LTC, p.200-214. BLEIL, S.I. (1998), O padrão alimentar ocidental: considerações sobre a mudança de hábitos no Brasil. Cadernos de Debates, vol. VI, p.1-24. BRANDÃO, C. R. (1981), Plantar, colher, comer. Rio de Janeiro: Graal. BRAVERMAN, H (1981). Trabalho e Capital Monopolista. Rio de Janeiro: Zahar, p.231 a 240. CANDIDO Antonio (1964), Os parceiros do Rio Bonito. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1964. CARNEIRO, H (2003), Comida e sociedade, uma história da alimentação. Rio de Janeiro: Campus. CARNEIRO, Maria José e MALUF, Renato (2003), Para além da produção: multifuncionalidade e agricultura familiar, Rio de Janeiro: Mauad. CASOTTI, L (2002), À mesa com a família. Rio de Janeiro: Mauad. CERTEAU, M., GIARD, L., MAYOL, P. (1996), A invenção do cotidiano. Rio de Janeiro: Vozes, vol.2. CONTRERAS, Jesús & GRACIA, Mabel (2011), Alimentação, sociedade e cultura. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz. ELIAS, Norbert (1994), A sociedade dos indivíduos, São Paulo: Jorge Zahar. ELIAS, Norbert (1994), O processo civilizador. Formação do Estado e civilização, volume 2, São Paulo: Jorge Zahar. ELIAS, Norbert (1995), O processo civilizador. Uma história dos costumes, volume 1, São Paulo: Jorge Zahar. FERREIRA, Angela Duarte Damasceno (2002), “Processos e sentidos sociais do rural na contemporaneidade: indagações sobre algumas especificidades brasileiras”, Estudos sociedade e agricultura, n° 18, Rio de Janeiro: CPDA/UFRRJ, pp. 28-46. FISCHLER, Claude & Masson Estelle (2010), Comer: a alimentação de franceses, outros europeus e americanos, São Paulo: Editora SENAC. FLANDRIN, J-L. e MONTANARI, M. (1998), História da Alimentação. SP Estação Liberdade. GARCIA, R.M.D. (1994) Representações Sociais da Comida no Meio Urbano: algumas considerações para o estudo dos aspectos in Cadernos de Debate, NEPA, UNICAMP, Ano II, nº 2. HARRIS, M. (1978), Vacas, porcos guerras e bruxas: os enigmas da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. HOUAISS, A. (1990), Minhas receitas brasileiras. São Paulo: Art, , p.7-16. LACERDA, Tatiana Ferreira Nobre e MORUZZI MARQUES, Paulo Eduardo (2008), “Agricultura orgânica, representação territorial e reprodução social da agricultura familiar: os agricultores ecologistas da Encosta da Serra Geral em Santa Catarina”. Ruris (Campinas), v. 2, p. 137-158. LARAIA, R. (1986), Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. LINTON, R. (1970), O Indivíduo, A Cultura e a Sociedade. In: CARDOSO, F.H e IANNI, O., Homem e Sociedade, São Paulo: Cia Ed. Nacional. MIRANDA, D. S. E G. CORNELLI (2007). Cultura e Alimentação. Saberes alimentares e sabores culturais. São Paulo: SESC, p.102-113. MONTANARI, M. (2008), Comida como cultura. São Paulo: Ed. SENAC. MORAIS, Regis (1992), Estudos de filosofia da cultura, São Paulo: Edições Loyola (T5). MORRIS, D. (1977), Você. São Paulo: Círculo do Livro, p.299-304. MORUZZI MARQUES, Paulo Eduardo (2003), “Concepções em disputa na formulação das políticas públicas de apoio à agricultura familiar: uma releitura sobre a criação do PRONAF” Raízes, vol. 22, n° 2, Campina Grande: UFCG. MORUZZI MARQUES, Paulo Eduardo (2010), “Embates em torno da segurança e soberania alimentar: estudo de perspectivas concorrentes”, Revista Segurança Alimentar e Nutricional, vol. 17(2), Campinas: Unicamp, pp. 78-87 MORUZZI MARQUES, Paulo Eduardo (2014), “Em defesa de uma sociologia em escala individual”. Contemporânea Revista de Sociologia da UFSCar, v. 6, nº 2, São Carlos: UFSCar, p. 487-492. MORUZZI MARQUES, Paulo Eduardo (2014), “Reconhecimento de excelência nas Ciências Sociais: a trajetória de Norbert Elias em foco”. Estudos de Sociologia, v. 19, Araraquara: UNESP, p. 269-274. MORUZZI MARQUES, Paulo Eduardo e BLEIL, Susana Inez (2000), “A identidade cultural desafia a globalização: o desabafo dos agricultores franceses”, in Estudos sociedade e agricultura, n° 15, Rio de Janeiro: CPDA/UFRRJ, pp. 158-177. MORUZZI MARQUES, Paulo Eduardo; GASPARI, Luciane Cristina; ALMEIDA, Bruna (2017). “Organização de Controle Social (OCS) e engajamento agroecológico das famílias do assentamento Milton Santos no estado de São Paulo”. Estudos Sociedade e Agricultura, v. 25, nº 3, Rio de Janeiro: CPDA/UFRRJ, p. 545-560. MORUZZI MARQUES, Paulo Eduardo; MOAL, Marcos Le; ANDRADE, Ana Gianfrancesco. Freire (2014), “Programa de aquisição de alimentos (PAA) no estado de São Paulo: agricultura de proximidade em questão”. Ruris, v. 8, Campinas : UNICAMP, pp. 63-89. MORUZZI MARQUES, Paulo Eduardo; RETIÈRE, Morgane Isabelle Hélène; ALMEIDA, Nayla; SANTOS, Carolina Ferraz (2017). A participação da agricultura familiar no Programa Nacional de Alimentação Escolar: estudo de casos em municípios paulistas da região administrativa de Campinas. Segurança alimentar e nutricional, v. 24, nº 2, pp. 101-112. POLLAN, M (2008), Em defesa da comida. RJ: Intrínseca. POULAIN, J.P. (2004), Sociologias da Alimentação: os comedores e o espaço social alimentar. Florianópolis: Ed. Da UFSC, 2004. ROMIO, E. (2000), 500 Anos de Sabor. Brasil 1500-2000. São Paulo: E.R. Comunicações. SACHS, I. (1985), A questão alimentar e o ecodesenvolvimento. in MINAYO,M.C.S., Raízes da Fome. São Paulo: Vozes, p.135-141. SAHLINS, M. (1978), A primeira sociedade da afluência, in CARVALHO, E. A org. Antropologia Econômica. São Paulo: Ed. Ciências Humanas Ltda. pp. 7- 43. THOMPSON, John (1995), Ideologia e cultura moderna, Petrópolis: Editora Vozes (T6) WOORTMAN, K. (1978), Hábitos e ideologias alimentares em grupos sociais de baixa renda. Brasília: UnB. Trabalhos de Ciências Sociais. Série Antropologia.
 

Clique para consultar os requisitos para LES0521

Clique para consultar o oferecimento para LES0521

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP