Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
 
Economia Administração e Sociologia
 
Disciplina: LES1315 - Metodologia do Ensino em Ciências Agrárias
Teaching Practices in Agrarian Sciences I

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 3
Carga Horária Total: 150 h ( Estágio: 60 h , Práticas como Componentes Curriculares = 30 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2020 Desativação:

Objetivos
De forma intrínseca a atividade de estágio prevista na disciplina, esta tem como objetivo que o aluno relacione os aspectos teóricos do ensino e aprendizagem das Ciências Agrárias aos conhecimentos práticos da docência, a fim de que o licenciando se torne um professor capaz de optar, de forma autônoma, pelas metodologias adequadas ao contexto sócio- cultural e às necessidades dos alunos. Que o aluno diferencie e saiba conduzir a aprendizagem em contextos escolares diferentes, considerando a diversidade entre os alunos, serão abordados: os conhecimentos construtivistas e da pedagogia tradicional na metodologia de ensino; os alunos e a escola rural/campo, a escola técnica e básica regular bem como os conhecimentos a serem aprendidos nestas escolas. Em constante reflexão sobre a relação teoria-prática em aula, a disciplina inclui a realização de um estágio docência. É objetivo da disciplina a compreensão e reflexão, pelos licenciandos, do processo ensino e aprendizagem, desenvolvendo saberes necessários para a docência ao preparar e conduzir aulas em que se considere o papel do professor, do estudante e da escola, bem como da área das Ciências, em especial as Agrárias e Meio Ambiente, na democratização dos conhecimentos, em uma sociedade que vise ser inclusiva e justa.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
5553650 - Vânia Galindo Massabni
 
Programa Resumido
Prática de ensino supervisionada na escola. Elaboração projetos com regência de aulas. Análise, escolha e desenvolvimento das metodologias de ensino em ciências agrárias e as concepções construtivistas e tradicional subjacentes, currículos, conteúdos e o preparo teórico - prático para a atividade como professor, capaz de buscar a identidade docente e a autonomia profissional.A problematização, educação ambiental e do campo e a formação do profissional critico reflexivo. O papel do professor na definição da metodologia na elaboração da própria prática na escola.
 
Supervised teaching practice; Analysis, selection and development of teaching practices in agrarian sciences; Curricula, contents, theoretical and practical background for a technical agricultural school professor seeking professional autonomy.
 
 
Programa
1.Conteúdo teórico-prático: Metodologias de ensino e as ciências agrárias; relações entre a concepção de ensino, o contexto e as escolhas metodológicas na educação formal Educação do Campo e suas especificidades; a preparação para o trabalho no contexto das políticas educacionais brasileiras. Abordagem tradicional e a formação de professores de Ciências e a aprendizagem significativa. O construtivismo no ensino de Ciências. Tipos de conhecimento e suas relações com as metodologias de ensino de ciências. Conhecimentos a serem aprendidos (entre eles, valores, atitudes e procedimentos) e análise crítica das variedades metodológicas (aulas expositivas, atividades práticas, dinâmicas, entre outras) a problematização e a elaboração de metodologias voltadas para a formação crítica e cidadã; preparo de espaços escolares para a área agrária/ambiental e processos de aprendizagem significativa. A. educação ambiental e atividades/projetos de preparo para docência, a reflexão e sua aprendizagem para autonomia profissional do profissional critico reflexivo.; a gestão da aula (tempos e espaços escolares), de forma a organizar situações de ensino- aprendizagem efetivas. 2.Estágio supervisionado: Apoio efetivo ao exercício da docência com atividades de ensino e gestão do ensino na escola básica e educação profissional de nível médio. Elaboração projetos com regências de aulas em ciências agrárias. Estágio de prática de ensino supervisionado por meio da observação, participação e regência em grupos de trabalho na escola, organizados e apoiados em aulas na universidade com discussão das possibilidades pedagógicas a serem elaboradas. Análise da escola, variedade didática, do papal do professor, dos materiais didáticos e processos pedagógicos envolvidos para planejamento com autonomia e em colaboração com o campo de estágio.
 
 
 
Avaliação
     
Método
A avaliação envolverá a realização de um projeto de estágio supervisionado em prática de ensino e um relatório deste estágio; entrega de atividades, assiduidade e participação; comporá a nota uma prova escrita relacionada ao conteúdo teórico.
Critério
As atividades e o estágio serão avaliados segundo critérios qualitativos e quantitativos relativos ao planejamento de ensino e respeito aos prazos estabelecidos. As atividades contam crédito-trabalho (leituras, debates, elaboração de aula, entrevistas, etc). Nota 1. Desenvolvimento de Projeto de Estágio em Metodologia do Ensino em Ciências Agrárias e entrega das atividades. Nota 2. Prova escrita. Nota final: Média ponderada das avaliações
Norma de Recuperação
Não há.
 
Bibliografia
     
ABREU, M.C. e MASETTO, M.T. Estratégias para aprendizagem. In: O professor universitário em aula: prática e princípios teóricos. 11ª Ed. São Paulo: MG editores Associados, 1990, p. 49 - 88. ANASTASIOU, L.G.C. e ALVES, L.P. (org.). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para estratégias de trabalho em aula. Joinville: SC: UNIVILLE, 2003. ANTONIO, C.A e LUCINI, M. Ensinar e aprender na educação do campo: processos históricos e pedagógicos em relação. Cad. Cedes, Campinas, vol. 27, n. 72, p. 177-195, 2007. ARROYO, M.G. e FERNANDEZ, B.M. A educação básica e o movimento social do campo. Brasília, DF: Articulação Nacional por uma educação básica do campo. 1999. Coleção Por uma educação básica do campo, n. 2 (disponível na Internet) BORDENAVE, J.D. e PEREIRA, A.M. Estratégias de Ensino – aprendizagem. Petrópolis: Vozes, 1977. BRASIL. Referências Curriculares Nacionais da educação profissional de nível técnico. Introdução. Brasília: Secretaria de Educação Média e Tecnológica, 2000. (versão preliminar). Disponível em: http://www. mec.gov.br. Entrar em: Portal do MEC, ensino profissional; publicações. BRASIL. Referências Curriculares Nacionais da educação profissional de nível técnico. Área profissional: agropecuária. Brasília: Secretaria de Educação Média e Tecnológica, 2000. (versão preliminar) Disponível em: http://www. mec.gov.Br. Entrar em: Portal do MEC, ensino profissional; publicações. BRASIL. Resolução CNE/CEB no 1, 3 fev 05. Atualiza as Diretrizes Curriculares Nacionais definidas pelo Conselho Nacional de Educação para o Ensino Médio e para a Educação Profissional Técnica de nível médio às disposições do Decreto no 5154/2004. BRASIL. MEC. CARVALHO, A.M.P. de GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de ciências: tendências e inovações. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2000. FAIRSTEIN, G.A. e GYSSELS, S. Como se ensina? Programa Internacional de Formação de Educadores Populares. São Paulo: Loyola, 2005. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782004000200004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt. KUENZER, A.Z. As políticas de formação: a constituição da identidade do professor sobrante. Educação & Sociedade, ano XX, n. 68, p. 163-183, 1999. KUENZER, A.Z. Ensino Médio e Profissional: as políticas do estado neoliberal. São Paulo: Cortez, 1997. MASSABNI, V. G. Das mudanças no mundo do trabalho à atividade prática como opção pedagógica: experiências do PIBID em uma escola técnica. In: MASSABNI, V. G.; PIPITONE, M. A. Formação de professores para a educação profissional. Curitiba: CRV, 2016 MASSABNI, V. G.. O construtivismo na prática de professores de ciências: realidade ou utopia?. Ciências & Cognição (UFRJ), v. 10, p. 104-114, 2007 MASSABNI, V. G. A Compreensão do fenômeno da condensação: uma experiência em sala de aula. In: CHAKUR, C. R. S. L. (org). O construtivismo na Pesquisa (volume1): investigando professores e alunos. Curituba: CRV, 2009. MASSABNI, V. G. A aula: significados na atualidade. In: MASSABNI, V. G. (Org). Ensaios pedagógicos e a docência no ensino superior. Ribeirão Preto: FUNPEC- Editora, 2017. PIMENTA, S.G. e LIMA, M.S.L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004. SOUZA, M.A. Educação do campo: trajetórias, parcerias e práticas pedagógicas. Anais do ENDIPE, vol. 2, 2004, p. 37 -51. TORRES, R.M. Melhorar a qualidade da educação básica? As estratégias do Banco Mundial. In: TOMMASI, L. de; WARDE, M. J.; HADDAD, S. (orgs). O Banco Mundial e as políticas educacionais. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2007, p. 125 – 193 VEIGA, I.P.A. (Org.) Técnicas de ensino: por que não? 13. ed. Campinas: Papirus, 2002. ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: ArtMed, 1998. Artigos disponíveis em www.polanlacki.com.br ZABALA, A. A função social do ensino e a concepção sobre os processos de aprendizagem: instrumentos de análise. In:...A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: ArtMed, 1998. Artigos disponíveis em www.polanlacki.com.br
 

Clique para consultar os requisitos para LES1315

Clique para consultar o oferecimento para LES1315

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP