Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Museu de Arqueologia e Etnologia
 
Museu de Arqueologia e Etnologia
 
Disciplina: MEA0009 - Estudos de Arte Africana
Studies in African Art

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/07/2000 Desativação:

Objetivos
Análise do desenvolvimento dos estudos sobre arte africana, dando subsídios para a identificação e compreensão de algumas de suas principais formas e estilos tradicionais, assim como para a reflexão sobre sua continuidade fora do continente africano.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
1227526 - Marta Heloisa Leuba Salum
 
Programa Resumido
 
 
 
Programa
·Aspectos técnicos e estilísticos de alguns dos principais centros históricos de arte africana 1.Da cerâmica de Nok aos bronzes do reino de Benin 2.A escultura em madeira na África central 3.Aspectos comuns da arte da Costa do Marfim, do Mali e do Burkinafasso ·Dimensões simbólicas da estética africana 4.Oralidade e filosofia africana 5.Cultura material e ecologia ·Abordagens teóricas da arte africana 6.Dos "gabinetes de curiosidade" aos museus "de ciência" e "do homem" 7.Os conceitos de "arte primitiva" e a "arte popular" 8.A noção de "arte da diáspora" ·As coleções africanas e afro-brasileiras no Brasil 9.Idéias de Nina Rodrigues a Marianno Carneiro da Cunha 10.Aspectos africanos em formas visuais brasileiras e a universalidade da arte africana
 
 
 
Avaliação
     
Método
Critério
Norma de Recuperação
Prova escrita abrangendo temas desenvolvidos durante o curso com base na bibliografia apresentada durante o mesmo. Será livre a escolha do tema pelo aluno entre 3 (três) selecionados pelo responsável.
 
Bibliografia
     
1.AGUILAR, N. As vozes da desmaterialização. In: AGUILAR, N. (org.; coord.). Catálogo das Salas Especiais da 23a. Bienal Internacional São Paulo. São Paulo: Bienal, 1996: 24-37. 2.ARAÚJO, E. (coord.). A mão afro-brasileira: significado da contribuição artística e histórica. São Paulo: Tenenge, 1988. 3.BALANDIER, G.; 4.MAQUET, J. Dictionnaire des civilisations africaines. Paris: Hazan, 1968.
5.BASTIDE, R. As Américas negras: as civilizações africanas no Novo Mundo. São Paulo: Difel; EDUSP. 1974. 6.BUGNER, L. (coord.). L´image du noir dans l´art occidental. 2v. 3t. Fribourg: Office du Livre, 1976-9. 7.CUNHA, M. Arte afro-brasileira. In: ZANINI, W. (coord.). In: História Geral da Arte no Brasil. Vol. 2. São Paulo: Instituto Walther Moreira Salles, 1983:975-1033. 8.FAGG, W. (1970). The tribal image wooden figures sculptures of the world. London: British Museum. 9.FREYRE, G. Arte, Ciência e Trópico. São Paulo: Difel, 1980. [Originalmente publicado em 1962]. 10.GABUS, J. Art nègre: recherche de sés fonctions et dimensions. Neuchâtel: La Baconnière, 1967. 11.HAMPATÉ BÂ, A. A tradição viva. In: KI-ZERBO, J. (coord.). História Geral da África: I. Metodologia e pré-história. São Paulo; Ática; Paris: Unesco. 1982. p. 181-218. 12.JAN, J. Muntu: las culturas neoafricanas. México: Fondo de Cultura Económico, 1963. (Tiempo presente; 44). 13.LAUDE, J. Les arts de l´Afrique noire. Paris: Librarie Générale Française, 1966. 14.LEIRIS, M.; DELANGE, J. Afrique noire: la création plastique. Paris: Gallimard, 1967. 15.MAQUET, J. Les civilisations noires: histoire, technique, arts, sociétés. Verviers: Marabout, 1966. (Marabout Université). 16.MARTIN-J.-H. A religião, herética para a arte moderna. In: Fundação Bienal de São Paulo. XXIV Bienal de São Paulo: Núcleo histórico: antropofagia e histórias de canibalismos, v. 1. São Paulo: A Fundação, 1998: 518-523. 17.MERCIER, P. História da Antropologia. Rio de Janeiro: Eldorado. 1974. 18.OTTEN, C. (ed.) (1971). Anthropology and art: readings in cross-cultural aesthetics. New York: The Natural History Press. 19.RAMOS, A. Arte negra no Brasil. Cultura, Ministério de Educação e Saúde, ano 1, n.2, 1949: 188-212. 20.RODRIGUES, N. XIX Pintura e escultura. Cap. V Sobrevivências africanas. As línguas e as belas artes nos colonos pretos. In: Os africanos no Brasil. São Paulo: Nacional, 1932. (Biblioteca Pedagógica Brasileira, 9). [Originalmente publicado em 1904] 21.RUBIN, W. (coord.). "Primitivism" in 20th. Century Art. 2 v. New York: Museum of Modern Art, 1988. 22.SAVARY, C. L´objet ethnographique: moyen de connaissance des cultures? Bulletin Annuel du Musée et Institut d´Ethnographie de Genève, n.31/32, 1988-9: 65-80. 23.SEGY, L. (1969). African sculptures speaks. New York: Capo Paperback. 24.SOMÉ, R. Le concept d´"Esthétique africaine": essai d´une généalogie critique. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, n. 4, 1994: 117-39. 25.UNESCO. Colloquium on Negro Art: Function and Significance of African Negro Art in the Life of the People and for the People (March 30 - April 8, 1966). 2 Vol. Paris: Présence Africaine, 1968; 1970. 26.VERGER, P. Orixás: deuses iorubás na África e no Novo Mundo. São Paulo: Currupio; Círculo do Livro. 1985. 27.WILLET, F. African art: na introduction. London; New York: Thames and Hudson. 1993. 28.ZANINI, W. (coord.). In: História Geral da Arte no Brasil. Vol. 2. São Paulo: Instituto Walther Moreira Salles, 1983.
 

Clique para consultar os requisitos para MEA0009

Clique para consultar o oferecimento para MEA0009

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2017 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP