Informa??es da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Medicina
 
Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional
 
Disciplina: MFT0930 - Práticas grupais na atenção em Terapia Ocupacional
Group Practices in Occupational Therapy Care

Créditos Aula: 2
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 30 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2018 Desativação:

Objetivos
A disciplina tem por objetivo possibilitar a discussão sobre a utilização das práticas grupais como dispositivo de intervenção na atenção em Terapia Ocupacional. A formação oferecida busca favorecer a articulação entre conhecimentos teóricos e práticos e o desenvolvimento de habilidades de comunicação e intervenção em espaços grupais em diferentes contextos nos quais o terapeuta ocupacional atual: serviços de saúde, escolas, centros de convivência, espaços culturais e comunitários, ambientes de trabalho, entre outros. Para tanto serão abordados os seguintes temas: a utilização de grupos em contextos terapêuticos; a utilização de práticas grupais em contextos comunitários e territoriais; oficinas e grupos de terapia ocupacional; perspectivas teóricas na abordagem dos grupos em terapia ocupacional.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
3112891 - Fernanda Stella Risseto Mieto
 
Programa Resumido
Práticas grupais na atenção em Terapia Ocupacional.
 
 
 
Programa
1. Grupos, Oficinas e intervenção: Por que utilizar grupos como dispositivo terapêutico? 2. Grupos em contextos comunitários e territoriais 3. Grupos na atenção à saúde 4. Grupos em espaços culturais 5. Grupos em ambientes de trabalho 6. Grupos e Terapia Ocupacional: Abordagem psicodinâmica dos grupos 7. Grupos e Terapia Ocupacional: Grupo Operativo e processos grupais em Terapia Ocupacional 8. Grupos e Terapia Ocupacional: Grupo sujeito, grupo sujeitado e processos grupais em Terapia Ocupacional; 9. Vivências e coordenação de processos grupais
 
 
 
Avaliação
     
Método
A avaliação do aluno considera a participação, pontualidade e assiduidade em aulas, participação nas discussões dos temas apresentados e nas dinâmicas propostas. Avaliação do trabalho de observação de processo grupal, com devolutiva e discussão em classe; avaliação da apresentação de seminário em grupo.
Critério
- Participação, pontualidade e assiduidade nas aulas e na entrega dos trabalhos solicitados; - Estudo da bibliografia recomendada, discussão em classe e apresentação de seminário; - Trabalho final: relato da observação de um processo grupal com discussão e articulação teórica; - O estudante deverá demonstrar engajamento e comprometimento com o processo proposto.
Norma de Recuperação
Para ser aprovado é necessário ter, no mínimo, média final 5,0. Se isto não for alcançado, o aluno deverá fazer prova de recuperação antes do início do próximo semestre letivo. A freqüência mínima é 70%.
 
Bibliografia
     
BALLARIN, M. L. G. Abordagens grupais. In: CAVALCANTI, A.; GALVÃO, C. Terapia Ocupacional fundamentação e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007. BENETTON, M.J. A Terapia Ocupacional como instrumento nas ações de Saúde Mental. Campinas: Faculdade de Ciências Médicas, UNICAMP. Doutorado, 1994. BRUNELLO, M.I.B. Terapia Ocupacional e grupos: análise da dinâmica de papéis em um grupo de atividade. São Paulo: Revista de Terapia Ocupacional da USP, v. 13, n. 1, 2002. FERRARI, S. M. L. & AGUIRRE, B. Aspectos do funcionamento da clínica de grupos e sua especificidade na Terapia Ocupacional. São Paulo, Boletim de Psiquiatria, v. 22/25, 1990. GALLETTI, M.C. Oficina em saúde mental: instrumento terapêutico ou intercessor clínico? Goiânia: Ed. da UCG, 2004 LIMA, E. A. Clínica e criação: a utilização de atividades nas instituições de saúde mental. São Paulo: PUC-SP, 1997. Dissertação de mestrado. MÂNGIA, E. F., & MURAMOTO, M. T. Redes Sociais e construção de projetos terapêuticos: um estudo em serviço substitutivo em saúde mental. Revista de Terapia Ocupacional, 18(2), 54-62. 2007. MAXIMINO, V. A organização psicótica e a constituição do grupo de atividades – ou por que usar grupos como recurso terapêutico nas psicoses. São Paulo: Revista de Terapia Ocupacional da USP, v. 9/2, 1998. ________. A constituição de grupos de atividades com pacientes psicóticos. Campinas: Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP. Doutorado, 1997. ________. A constituição de grupos de atividades com pacientes graves. Revista do Centro de Estudos de Terapia Ocupacional, v.1, no.1, 1995. MAXIMINO, V. A & LIBERMAN, F. Grupos e Terapia Ocupacional: formação, pesquisa e ações. São Paulo: Summus, 2015. SAMEA, M. Terapia Ocupacional e Grupos: em busca de espaços de subjetivação. São Paulo: IPUSP. Mestrado, 2002. ______. O dispositivo grupal como intervenção em reabilitação: reflexões a partir da prática em terapia ocupacional. Revista de Terapia Ocupacional da USP, v. 19/2, 2008.
 

Clique para consultar os requisitos para MFT0930

Clique para consultar o oferecimento para MFT0930

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2020 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP