Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Pró-Reitoria de Graduação - Cursos Interunidades
 
Licenciatura em Ciências
 
Disciplina: PLC0604 - Educação Especial e Libras na Perspectiva da Educação Inclusiva
Special Education and Libras in the Inclusive Education Perspective

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h ( Práticas como Componentes Curriculares = 30 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2015 Desativação:

Objetivos
Tendo como compromisso a formação de professores de ciências capazes de atuar de forma efetiva junto a alunos público-alvo da educação especial em uma perspectiva da educação inclusiva esta disciplina pretende oferecer conhecimentos a respeito dos fundamentos, políticas e práticas pedagógicas da educação especial. Apresentar tecnologias assistivas para o desenvolvimento do processo ensino e aprendizagem. A educação de Surdos e a Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
7723980 - Karina Soledad Maldonado Molina
 
Programa Resumido
- Fundamentos e marcos legais para a educação especial.
- Práticas pedagógicas no atendimento a alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação.
- Educação de Surdos e Libras.
 
 
 
Programa
1- Apresentar os conceitos: Educação Especial, Inclusão e Educação Inclusiva.
2- Discutir os marcos legais para a política de educação especial no Brasil.
3- Tecnologia assistiva e a prática pedagógica no ensino de ciências.
4-A educação de surdos no Brasil e a Língua Brasileira de Sinais.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Aulas que articulam o livro didático com atividades na plataforma para cada aula será elaborada uma atividade na plataforma (produções textuais, fórum de discussão) e avaliações presenciais que pretendem consolidar processo de ensino e aprendizagem;
Critério
A somatória das notas realizadas na plataforma somará até 40% da nota final sendo que os 60% restantes resultará da somatória das avaliações presenciais.

Prova Substitutiva

O oferecimento de uma “prova substitutiva fechada” (apenas para alunos que perderam uma das provas por falta justificada) ou “prova substitutiva aberta” (para todos que desejam fazê-la) ficará a critério do docente responsável que deverá explicitar o oferecimento no início do semestre. A prova substitutiva deverá substituir uma das provas regulares de nota inferior a ela e será utilizada no cálculo da média final. Na prova substitutiva será avaliado todo o conteúdo da disciplina.
Norma de Recuperação
Além do apoio contínuo aos alunos pelos tutores, educadores e professores durante o desenvolvimento da disciplina. Será realizada uma prova de recuperação que aborda todo o conteúdo ministrado durante o semestre. Para ter direito a recuperação o aluno dever ter no mínimo 70% de frequência e média final maior ou igual a 3,0 e menor que 5,0.
 
Bibliografia
     
FERNANDES, Eulália. (Org) Surdez e Bilingüismo. Porto Alegre: Mediação.2012
BLANCO, Rosa. A atenção à diversidade na sala de aula e as adaptações do currículo. In: COLL, César; MARCHESI, Alvaro; PALACIOS, Jesús (Orgs.). Desenvolvimento psicológico e educação: transtornos de desenvolvimento e necessidades educativas especiais. v. 3. Porto Alegre: Artmed. 2004.

GAVILAN, Paloma. O trabalho cooperativo: uma alternativa eficaz para atender à diversidade. In: ALCÚDIA, R. Atenção à diversidade. Porto Alegre: Artmed, 2002.

GÒES, M. C. Linguagem, surdez e educação. Campinas: Autores Associados 2002
RODRIGUES, David. (Org.). Inclusão e educação: doze olhares sobre educação inclusiva. São Paulo: Summus Editorial, 2006.
MANTOAN, Maria Teresa Eglér. A integração de pessoas com deficiência: contribuições para uma reflexão sobre o tema. São Paulo: Memnon: Editora SENAC, 1997. p. 184-195.
MAZZOTTA, Marcos José da Silveira. Educação especial no Brasil: história e políticas públicas. São Paulo: Cortez, 1996.
MENDES, E. G. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 11, n.º 33, set. / dez. 2006.
MOYSÉS, Maria Aparecida. Institucionalização Invisível – Crianças que não aprendem na escola. São Paulo: Mercado da Letras, 2001.
Legislação e convenções internacionais
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional da educação especial na perspectiva da educação inclusiva. MEC, SEESP, 2008.
UNESCO. Declaração Mundial sobre Educação para Todos e Plano de Ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien,Tailândia, 1990.
UNICEF. Declaração de Salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Salamanca, Espanha, 1994
 

Clique para consultar os requisitos para PLC0604

Clique para consultar o oferecimento para PLC0604

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP