Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Instituto de Psicologia
 
Psicologia Experimental
 
Disciplina: PSE3755 - Psicologia da linguagem: Estrutura, processos, desenvolvimento, distúrbios
Psychology of Language: Structure, processes, development, and disorders

Créditos Aula: 3
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 105 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2017 Desativação:

Objetivos
Capacitar o aluno a compreender a linguagem em suas modalidades oral, escrita e de sinais; a estrutura da linguagem; os processos cognitivos subjacentes; os parâmetros de desenvolvimento de linguagem em todas as modalidades; os instrumentos de avaliação normatizada validada para estabelecer esses parâmetros; os distúrbios de linguagem (como afasias, alexias, agrafias) e os instrumentos de diagnóstico clínico desses distúrbios; e modelos de intervenção educacional e clínica para prevenção e tratamento de atrasos e distúrbios.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
60112 - Fernando Cesar Capovilla
 
Programa Resumido
Linguagem oral, escrita e de sinais. Estrutura da linguagem. Processos cognitivos. Parâmetros de desenvolvimento de linguagem. Instrumentos de avaliação. Distúrbios (adquiridos ou do desenvolvimento) de linguagem: afasias, alexias e dislexias, agrafias, disortografias. Instrumentos de diagnóstico clínico. Modelos de intervenção educacional e clínica para prevenção e tratamento de atrasos e distúrbios.
 
 
 
Programa
1. Linguagem: Semântica, Sintaxe, Fonologia, Morfologia, Ortografia, Pragmática. 2. Linguagem oral: anatomia e fisiologia da recepção e produção da fala. Fonologia e fonética. Compreensão e produção da fala ouvida, lida orofacialmente por visão e por tato: instrumentos de avaliação e de intervenção, parâmetros normativos, desvios e distúrbios (afasias em ouvintes e surdos), procedimentos para prevenção e tratamento de distúrbios e atrasos: indicações e contra-indicações. 3. Linguagem escrita: ortografia, cifragem e decifragem, reconhecimento visual direto de palavras. Compreensão e produção da escrita: instrumentos de avaliação e de intervenção, parâmetros normativos, desvios e distúrbios (dislexias, disortografias, disgrafias), procedimentos para prevenção e tratamento de distúrbios e atrasos: indicações e contra-indicações. 4. Linguagem de sinais: Produção e recepção por visão ou por tato. Compreensão e produção da sinalização: instrumentos de avaliação e de intervenção, parâmetros normativos, desvios e distúrbio, procedimentos para prevenção e tratamento de distúrbios e atrasos: indicações e contra-indicações.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Prova intermediária e prova final.
Critério
Prova intermediária vale 40%. Prova final vale 60%.
Norma de Recuperação
Alunos com nota entre 3,5 e 5,0 e com pelo menos 70% de frequência de comparecimento têm direito a prova de recuperação que cobre todo o conteúdo.
 
Bibliografia
     
Bibliografia básica Harley, T. (2014). The Psychology of Language: From Data to Theory (4th Edition). New York, NY: Psychology Press. Chapman, S.; Routledge, C. (2009). Key Ideas in Linguistics and the Philosophy of Language. Edinburgh: Edinburgh University Press. Bibliografia complementar Capovilla, F. C., Raphael, W. D., & Mauricio, A. C. (2014). Novo Deit-Libras: Dicionário enciclopédico ilustrado trilíngue da Língua de Sinais Brasileira. São Paulo, SP: Edusp. Capovilla, F. C., Casado, K., & Graton-Santos, L. E. (no prelo). Quebrando o código do Português brasileiro. Memnon Edições Científicas. Clark, N. B., McRoberts, G. W., Van Dyke, J. A., Shankweiler, D. P, & Braze, B. (2012). Immediate memory for pseudowords and phonological awareness are associated in adults and pre-reading children. Clinical Linguistics & Phonetics, 26,(7), 577-596. Das, T., Padakannaya, P., Pugh, K.R., & Singh, N.C. (2011). Neuroimaging reveals dual routes to reading in simultaneous proficient readers of two orthographies. NeuroImage, 54, 1476-1487. Diehl, J. J., Frost, S. J., Mencl, W. E., Pugh, K. R. (2011). Neuroimaging and the phonological deficit hypothesis. In S. A. Brady, D. Braze, & C. A. Fowler (Eds.), Explaining individual differences in reading, Theory and evidence (pp. 217-237). New York, NY: Psychology Press. Irwin, J. R., & Brancazio, L. (2014). Seeing to hear? Patterns of gaze to speaking faces in children with autism spectrum disorders. Frontiers in Psychology, 5: 1540. doi: 10.3389/fpsyg.2014.01540 [PMC free article] [PubMed]. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4021198/ Ito, T., Gracco, V. L., & Ostry, D. J. (2014). Temporal factors affecting somatosensory-auditory interactions in speech processing. Frontiers in Psychology, 5: 1198. doi: 10.3389/fpsyg.2014.01198. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4233986/ Kush, D.; Johns, C.; Van Dyke, J. (2015). Identifying the role of phonology in sentence-level reading. Journal of Memory and Language, 79-80: 18-29 Mauk, C. E., & Tyrone, M. E. (2012). Location in ASL: Insights from phonetic variation. Sign Language & Linguistics 15:1, 128-146. Terry, N.P., & Scarborough, H.S. (2011). The phonological hypothesis as a valuable framework for studying the relation of dialect variation to early reading skills. In S. A. Brady, D. Braze, & C. A. Fowler (Eds.), Explaining individual differences in reading, Theory and evidence (pp. 97-117). New York, NY: Psychology Press. Turvey, M.T., & Fonseca, S.T. (2014). The medium of haptic perception: A tensegrity hypothesis. Journal of Motor Behavior, 46: 3, 143-187.
 

Clique para consultar os requisitos para PSE3755

Clique para consultar o oferecimento para PSE3755

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP