Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 

Júpiter - Sistema de Gestão Acadêmica da Pró-Reitoria de Graduação


Instituto de Psicologia
 
Psicologia Social e do Trabalho
 
Disciplina: PST2776 - Trabalho e Saúde: a Compreensão a Partir da Psicologia Social
Work and Health: Social Psychology approach

Créditos Aula: 3
Créditos Trabalho: 2
Carga Horária Total: 105 h
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2018 Desativação:

Objetivos
Pretende introduzir o aluno ao conhecimento dos problemas relativos à vivência do trabalhador enquanto tal, focalizando a subjetividade e os problemas de saúde do trabalhador articulados às relações de trabalho, às dinâmicas organizacionais e às condições de trabalho/emprego. Pretende capacitar o aluno a compreender os determinantes do processo saúde-doença e trabalho, e a identificar os contextos de trabalho e as dinâmicas organizacionais aos quais estão articulados o sofrimento e o adoecimento. Pretende levar o aluno a reconhecer um campo de investigação e de prática profissional interdisciplinar e multiprofissional.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
848037 - Leny Sato
 
Programa Resumido
Parte teórica: 1. O campo da Saúde do Trabalhador: delimitação do campo teórico-prático a partir da Medicina Social Latino-Americana e da Saúde Coletiva. 2. A psicologia e a Saúde do Trabalhador: o diálogo no contexto brasileiro a partir da década de 80. 3. A atuação sindical no campo da Saúde do Trabalhador: apresentar os problemas de saúde & trabalho identificados e as formas de atuação de entidades sindicais e intersindicais. 4. Os serviços públicos de Saúde do Trabalhador: a proposta de atenção à saúde do trabalhador na rede pública de saúde (promoção, prevenção e assistência). 5. As leituras teóricas para a compreensão da relação subjetividade & trabalho e processo saúde-doença & trabalho: psicodinâmica do trabalho, teoria do stress, psicologia social. 6. O modelo operário italiano: o resgate do estatuto epistemológico do conhecimento do trabalhador e a proposta de mapeamento de riscos. 7. A psicologia crítica e a culpabilização da vítima. 8. A intervenção nos contextos de trabalho visando a prevenção dos agravos à saúde do trabalhador. 9. Desemprego e saúde do trabalhador. Parte prática: Cumprimento de estágio que pretende levar o aluno a conhecer a condição de trabalhador e os problemas daí advindos para a subjetividade e para a saúde, por meio de trabalhos de investigação e de intervenção, tendo como campo de práticas as entidades sindicais, os serviços públicos de saúde do trabalhador, as empresas, através do Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho (CPAT-PST-IPUSP). Plano de Estágio 1- Objetivos: Pretende levar o aluno a conhecer a condição de trabalhador e os problemas daí advindos para a subjetividade e para a saúde, por meio de trabalhos de investigação e de intervenção, tendo como campo de práticas as entidades sindicais, os serviços públicos de saúde do trabalhador, as empresas, através do Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho (CPAT-PST-IPUSP). Essa atividade permitirá que o aluno dialogue com os conteúdos discutidos na parte teórica da disciplina. 2- Atividades a serem realizadas pelo aluno: Visitas, observações, conversas com atores sociais diversos em entidades sindicais, os serviços públicos de saúde do trabalhador, as empresas. 3- Atividades de avaliação: freqüência às atividades de campo e às supervisões, elaboração de relatórios das atividades realizadas.
 
 
 
Programa
Parte teórica: 1. O campo da Saúde do Trabalhador: delimitação do campo teórico-prático a partir da Medicina Social Latino-Americana e da Saúde Coletiva. 2. A psicologia e a Saúde do Trabalhador: o diálogo no contexto brasileiro a partir da década de 80. 3. A atuação sindical no campo da Saúde do Trabalhador: apresentar os problemas de saúde & trabalho identificados e as formas de atuação de entidades sindicais e intersindicais. 4. Os serviços públicos de Saúde do Trabalhador: a proposta de atenção à saúde do trabalhador na rede pública de saúde (promoção, prevenção e assistência). 5. As leituras teóricas para a compreensão da relação subjetividade & trabalho e processo saúde-doença & trabalho: psicodinâmica do trabalho, teoria do stress, psicologia social. 6. O modelo operário italiano: o resgate do estatuto epistemológico do conhecimento do trabalhador e a proposta de mapeamento de riscos. 7. A psicologia crítica e a culpabilização da vítima. 8. A intervenção nos contextos de trabalho visando a prevenção dos agravos à saúde do trabalhador. 9. Desemprego e saúde do trabalhador. Parte prática: Cumprimento de estágio que pretende levar o aluno a conhecer a condição de trabalhador e os problemas daí advindos para a subjetividade e para a saúde, por meio de trabalhos de investigação e de intervenção, tendo como campo de práticas as entidades sindicais, os serviços públicos de saúde do trabalhador, as empresas, através do Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho (CPAT-PST-IPUSP). Plano de Estágio 1- Objetivos: Pretende levar o aluno a conhecer a condição de trabalhador e os problemas daí advindos para a subjetividade e para a saúde, por meio de trabalhos de investigação e de intervenção, tendo como campo de práticas as entidades sindicais, os serviços públicos de saúde do trabalhador, as empresas, através do Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho (CPAT-PST-IPUSP). Essa atividade permitirá que o aluno dialogue com os conteúdos discutidos na parte teórica da disciplina. 2- Atividades a serem realizadas pelo aluno: Visitas, observações, conversas com atores sociais diversos em entidades sindicais, os serviços públicos de saúde do trabalhador, as empresas. 3- Atividades de avaliação: freqüência às atividades de campo e às supervisões, elaboração de relatórios das atividades realizadas.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Atividades didáticas: Parte teórica: aulas expositivas, seminários. Parte prática: estágio que implicará visitas a entidades sindicais, serviços públicos de saúde, inserção em atividades próprias a estas instituições e investigações no Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho.

Atividades discentes: leituras; seminários; visitas a sindicatos, empresas e serviços públicos de saúde do trabalhador; realização de trabalhos de aproveitamento.
Critério
rendimento nas diversas atividades didáticas, tanto teóricas como práticas, avaliado por meio de trabalhos teóricos e de relatórios de estágio.

Norma de Recuperação
apresentação de trabalhos teóricos e de relatórios de estágio.
 
Bibliografia
     
Bibliografia básica:

BERTOLLI FILHO, C. "Medicina e trabalho: as 'ciências do comportamento' na década de 40". Revista de História. nº 127-128, p. 37-51, ago-dez/92 a jan-jul/93.
DEJOURS, C. A loucura do trabalho - estudos de psicopatologia do trabalho. São Paulo: Cortez, 2000.
DEJOURS, Ch. & ABDOUCHELLI, E. "Itinerário teórico em psicopatologia do trabalho". In: DEJOURS, Ch., ABDOUCHELI, E., JAYET, C. (orgs.) - Psicodinâmica do trabalho. São Paulo: Atlas, 1992.
GARCÍA, J.C. "A categoria "trabalho" na medicina". In: NUNES, E.D. (org.) - Juan César García: pensamento social em saúde na América Latina. São Paulo: Cortez, 1989, p. 100-124.
LACAZ, F.A.C. Saúde do trabalhador: um estudo das formações discursivas da academia, dos serviços e do movimento sindical. Tese de doutorado, Unicamp, Departamento de Medicina Preventiva e Social, 1996. Cap. I e III.
PRILLELTENSKY, I. "Aspectos políticos e éticos da psicologia organizacional" (tradução de Fábio de Oliveira disponível no CEPAT).
SATO, L. "A representação social do trabalho penoso". In: SPINK, M.J.P. (org.) - O conhecimento no cotidiano - as representações sociais na perspectiva da psicologia social. São Paulo: Brasiliense, 1993.
_________. "As implicações do conhecimento prático para a vigilância em saúde do trabalhador". Cadernos de Saúde Pública. 12(4): 489-495, out./dez., 1996.
SELIGMANN-SILVA, E. "A interface desemprego prolongado e saúde psicossocial". In: SILVA-FILHO, J.F. & JARDIM, S. (orgs.) A danação do trabalho - organização do trabalho e sofrimento psíquico. Rio de Janeiro: Te Cora.
SPINK, P. "Democracia no local de trabalho. Ou a gerência sabe o que é melhor?" Psicologia Atual, n. 28, p. 37-41, 1982.
_________. "Quando trabalhar é neurotizante". Psicologia Atual, n. 27, p. 16-20, 1982.
_________. "Saúde mental e trabalho - o bloqueio de uma prática acessível". In: CAMPOS, F.C.B. (org.) Psicologia e Saúde - repensando práticas. São Paulo: Oboré, 1992.
_________. Teoria e prática no planejamento do trabalho: reflexões acerca de uma área de confusão. Ensaio apresentado no II Seminário Internacional de Produtividade e Humanização do Trabalho. São Paulo: Mímeo, 1979, 31pp.

Bibliografia complementar:

BENDASSOLLI, P. F. "O vocabulário da habilidade e da competência: algumas considerações neopragmáticas". Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, vol. 3 / 4. 2000/2001: 65-76.
LACAZ, F. A. C. "Qualidade de vida no trabalho e saúde/doença". Ciência & Saúde Coletiva. 5(1): 151-161, 2000.
BOLTANSKI, L. As classes sociais e o corpo. Rio de Janeiro: Graal, 1984.
RODRIGUES, I.J. "As comissões de empresa e o movimento sindical". In: BOITO JR., A. (Org.) - O sindicalismo brasileiro nos anos 80. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.
LAURELL, A C. & NORIEGA, M. Processo de produção e saúde. Trabalho e desgaste operário. São Paulo: Hucitec, 1989.
ORSTMAN, O. "A democracia industrial na Noruega, confirmação da corrente sociotécnica" (cap.8), "Três exemplos de inovação social"( cap.9) e "Mudar o trabalho em França, apresentação de uma acção-pesquisa" ( cap. 11). In: Mudar o trabalho. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1984.
SATO, L. "A psicologia e a saúde do trabalhador na área sindical". In: CAMPOS, F.C.B. (org.) Psicologia e Saúde - repensando práticas. São Paulo: Oboré, 1992.
 

Clique para consultar os requisitos para PST2776

Clique para consultar o oferecimento para PST2776

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2021 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP