Informações da Disciplina

 Preparar para impressão 
Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
 
Disciplinas Interdepartamentais
 
Disciplina: RCG0608 - Estágio em Oftalmologia / Otorrinolaringologia /Cirurgia de Cabeça e Pescoço
Supervised training in Ophthalmology and Otorhinolaryngology

Créditos Aula: 1
Créditos Trabalho: 3
Carga Horária Total: 105 h ( Estágio: 90 h )
Tipo: Semestral
Ativação: 15/07/2016 Desativação:

Objetivos
Atender, acompanhar e discutir os principais quadros de urgências oftalmológicas clínico-cirúrgicas, de nível primário, secundário e terciário.
Atender, acompanhar e discutir as principais doenças otorrinolaringológicas importantes para o clínico geral, reconhecendo as que podem ser tratadas no âmbito primário e secundário e as que são exclusivas do nível de atenção terciário. Acompanhar e atender as principais doenças otológicas, rinossinusológicas bucofaríngeas e laringológicas. Acompanhar e atender as principais urgências e emergências otorrinolaringológicas nos diferentes níveis de complexidade.
Atender e discutir casos de pacientes com afecções de cabeça e pescoço com ênfase nos principais sintomas provocados pelo câncer de boca, faringe, laringe, nariz e seios da face.
Identificar os diversos tipos de lesões nodulares neoplásicas e não neoplásicas do pescoco. Realizar resseccões e suturas em lesões e ferimentos de cabeça e pescoço.
 
 
 
Docente(s) Responsável(eis)
661512 - André Márcio Vieira Messias
2360288 - Edwin Tamashiro
990840 - Fabiana Cardoso Pereira Valera
3761756 - Luiz Carlos Conti de Freitas
 
Programa Resumido
Diagnóstico diferencial das lesões de mucosa do trato aerodigestivo alto, com vistas ao diagnóstico precoce do câncer de boca, faringe, laringe, cavidade nasal e seios da face.
Ressecção e sutura de pequenas lesões malignas e benignas de pele da face e do pescoço, com ou sem confecção de retalhos locais.
Diagnóstico diferencial dos nódulos cervicais benignos e malignos.
Acompanhamento pós operatório de pacientes submetidos a tratamento cirúrgico para o câncer da região de cabeça e pescoço.
Estomatologia voltada ao diagnóstico precoce do câncer de boca.
Laringologia voltada ao diagnóstico precoce do câncer de laringe
Manejo das patologias nodulares da glândula tireóide. Indicações de tratamento cirúrgico.
Classificação e indicações de tratamento cirúrgico em pacientes portadores de hiperparatireoidismo.
Urgências em Cirurgia de Cabeça e Pescoço.
Abordagem no trauma de face e pescoço.

Diagnóstico das fraturas dos ossos da face. Suturas e reconstruções em lesões traumáticas de face e pescoço
Diagnóstico diferencial de urgências oftalmológicas com base em sinais e sintomas.
Urgências oculares traumáticas.
Urgências oculares não-traumáticas.
Disfonia, rouquidão e disfagia, principais doenças e a importância do exame de videolaringoscopia.
Perda súbita de audição
Tonturas e vertigens, abordagem da crise vertiginosa na urgência e emergência.
Corpos estranhos de vias aéreas superiores (Nasal, Orofaríngeo, Laríngeo).
Corpos estranhos de orelha.
O paciente com sangramento nasal (epistaxes)
Complicações das infecções de vias aéreas superiores (rinossinusites agudas e Crônicas, faringotonsilites agudas e crônicas e laringites agudas e crônicas).
Otites externas complicadas e otite externa Maligna.
Complicações da otites médias agudas e crônicas.
Urgências e emergências terciárias em otorrinolaringologia
 
 
 
Programa
- OTORRINOLARINGOLOGIA: Os estagiários atuarão nos respectivos setores de Nariz, Ouvido, Faringe e Laringe, onde deverão desenvolver segundo o roteiro com supervisão de um docente, a semiologia, o diagnóstico e a conduta terapêutica do paciente em questão. Deverão atender sob supervisão, as patologias otorrinolaringológicas que chegam ao Pronto Atendimento em nível terciário, estabelecendo sua conduta e acompanhando sua evolução.

- OFTALMOLOGIA: O estágio ocorrerá em um ambiente de atendimento referenciado de urgências oculares e perioculares, no qual são recebidos casos de diversos níveis de complexidade. Os alunos deverão proceder ao atendimento e aos pequenos procedimentos oftalmológicos de urgência, sob supervisão de docentes, estabelecendo primordialmente o diagnóstico, mas também a conduta, observando a evolução dos casos.

- CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO: O estágio ocorrerá nos ambulatórios de cirurgia de cabeça e pescoço geral e ambulatórios específicos de Estomatologia, Laringologia e Tireóide/Paratireóide, onde os estudantes serão responsáveis pelo atendimento e discussão com o docente dos “casos novos”. Os estudantes estarão também envolvidos nas pequenas cirurgias realizadas sob anestesia local. Para o atendimento dos casos de urgência em cirurgia de cabeça e pescoço, os estudantes deverão proceder ao atendimento e discussão para condução do caso clínico/cirúrgico na Unidade de Emergência.
 
 
 
Avaliação
     
Método
Um ou mais métodos descritos abaixo poderão ser adotados:
Seminários
Empenho na Discussão dos casos atendidos ou Prova prática com discussão de casos clínicos
Escala de atitudes
Nota do desempenho na Discussão dos casos atendidos
Nota participação em seminários
Desempenho na discussão de casos clínicos
Conceito mínimo na escala de atitudes

É obrigatória a freqüência de 100% em todas as atividades práticas programadas.
Critério
Será aprovado o estudante que obtiver nota igual ou superior a 5,0 (cinco) e frequência de 100% em todas as atividades práticas, conforme o regulamento para o Internato do Curso de Medicina da FMRP-USP.
Norma de Recuperação
Poderá realizar recuperação, que incluirá a avaliação cognitiva e de habilidades práticas, o estudante que obtiver nota inferior a 5,0 (cinco) e superior a 3,0 (três) e com freqüência de 100% em todas as atividades práticas. Será aprovado o estudante que obtiver média igual ou superior a 5,0 (cinco), calculada pela média aritmética entre a nota regular da disciplina e a nota de recuperação.
 
Bibliografia
     
1) Tratado de Otorrinolaringologia, vol. I: fundamentos/ Silvio Caldas Neto et AL – 2ª edição – São Paulo: Roca, 2011 - CAP. 20: Semiologia dos Órgãos da Audição e do Equilíbrio. P. 362-379 - CAP. 27: Avaliação vestibular no Adulto. P. 522-553 2) Tratado de Otorrinolaringologia, vol. II: fundamentos/ Silvio Caldas Neto et AL – 2ª edição – São Paulo: Roca, 2011 - CAP. 2: Afecções inflamatórias da orelha externa. P. 32-48 - CAP. 7: Otites médias aguda e recorrente. P.70-83 - CAP. 8: Otite média com efusão. P. 84-98 - CAP. 9: Otite Média Crônica não Colesteatomatosa. P. 99-121. - CAP. 10: Otite Médica Crônica – Colesteatomatosa. P.122-136 - CAP. 12: Complicações das otites médias. P. 141-154 3) Tratado de Otorrinolaringologia, vol. III: fundamentos/ Silvio Caldas Neto et AL – 2ª edição – São Paulo: Roca, 2011 - CAP. 3: Obstrução Nasal. P. 19-30 - CAP. 4: Rinite Alérgica. P. 31-46 - CAP. 5: Rinites não alergicas. P. 47-64 - CAP. 9: Rinossinusite Aguda. P. 93-100 - CAP. 10: Rinossinusite crônica (sem polipóse). P. 101-110 - CAP. 11: Polipose nasossinusal. P. 111-120 - CAP. 28: Epistaxe. P. 275-283 4) Tratado de Otorrinolaringologia, vol. IV: fundamentos/ Silvio Caldas Neto et AL – 2ª edição – São Paulo: Roca, 2011 CAP. 2: Síndrome do respirador oral. P.7-13 CAP. 3: Faringotonsilites e hipertrofia de tonsilas. P.14- 28 CAP. 4: Adenotonsilictomias: indicações, contraindicações, técnica cirúrgica e complicações. P. 29-37 CAP. 25: Ronco e síndrome da apnéia e hipopneia do sono: etiopatogenia e fisiopatologia. P. 203 CAP. 26: Tratamento clínico da síndrome da apneia obstrutiva do sono. P. 211-219 CAP. 28: Tratamento cirúrgico para ronco e apneia. P. 226-242 CAP. 29: Síndrome da apnéia obstrutiva do sono na infância. P. 243-247 CAP. 32: Laringites agudas e crônicas inespecíficas. P. 272-285 CAP. 35: Disfonias: classificação, diagnóstico e tratamento. P. 320-329
 

Clique para consultar os requisitos para RCG0608

Clique para consultar o oferecimento para RCG0608

Créditos | Fale conosco
© 1999 - 2018 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP